Redação Pragmatismo
Compartilhar
Mundo 23/Jan/2015 às 18:41
16
Comentários

A execução do 2º brasileiro condenado à morte na Indonésia pode ser evitada?

Depois do fuzilamento de Marco Archer, Rodrigo Gularte pode ser o segundo brasileiro executado na Indonésia em menos de dois meses. Campanha na internet tenta evitar morte do brasileiro e Anistia Internacional se mobiliza junto com familiares do condenado

Rodrigo Gularte indonésia tráfico de drogas
Rodrigo Gularte está no corredor da morte na Indonésia. Ele é o segundo brasileiro que pode ser executado por tráfico de drogas naquele país (reprodução)

Com a iminência da execução do segundo brasileiro condenado por tráfico de drogas na Indonésia, familiares e a Anistia Internacional se mobilizam para evitar o fuzilamento do paranaense Rodrigo Muxfeldt Gularte, que teve o último pedido de clemência negado na última terça-feira 20.

A Anistia dará início a uma campanha em defesa de Rodrigo e de outros presos que estão no corredor da morte no país asiático.

“No caso do Marco Archer nós tivemos muito pouco tempo, agora com o Rodrigo nós temos pelo menos algumas semanas de mobilização”, explica Mauricio Santoro, assessor de direitos humanos da Anistia Internacional no Brasil.

Uma prima de Rodrigo Gularte viajou para a Indonésia para dar ênfase aos problemas psiquiátricos que ele desenvolveu desde a condenação. A família possui um laudo médico que aponta um quadro de esquizofrenia. Caso o documento seja aceito, ele poderia ser transferido para um hospital psiquiátrico.

Rodrigo foi preso em 2004 no aeroporto de Jacarta com seis quilos de cocaína, escondidos em pranchas de surfe. “Desde as prisões, o governo brasileiro tem sido bastante correto, e realmente fez tudo que estava ao seu alcance, mas infelizmente não foi possível deter as execuções”, avalia Santoro.

Penas rigorosas

Segundo o analista, prevaleceram “as razões de política doméstica da Indonésia”. O novo presidente Joko Widodo, eleito em julho do ano passado, usou a pena de morte para traficantes como estratégia central da campanha.

“No fim de semana, essas seis execuções foram mais do que a soma de todas as pessoas executadas na Indonésia desde 2008. É um número impressionante”, afirma Santoro.

Na tarde do último sábado, o brasileiro Marco Archer, também condenado a pena capital por tráfico de drogas, foi morto com um tiro de fuzil na ilha de Nusakambangan, na Indonésia, junto com outros cinco detentos, apesar da mobilização da comunidade internacional e do pedido de clemência feito pela presidente Dilma Rousseff.

Nesta quarta-feira 21, o secretário-geral das Relações Exteriores, Sérgio Danese, se reúne com o embaixador brasileiro em Jacarta, Paulo Alberto da Silveira Soares. O diplomata foi convocado pelo Itamaraty, em um sinal de tensão diplomática entre os dois países.

VEJA TAMBÉM: Os dois anos de angústia de um condenado à morte injustamente

DW

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Carlos Postado em 23/Jan/2015 às 22:36

    Só eu que acho que deveríamos importar juízes da Indonésia para julgar os petistas? Estão preocupados com traficantes de drogas? Acho que temos campanhas mais importantes como mudar a legislação brasileira iria salvar milhares de vidas.

    • Gabriel Postado em 24/Jan/2015 às 05:24

      Bom, sempre tem um revoltado radicalista, acha que a morte resolve os problemas, me pergunto como foi a guerra as drogas, cada traficante morto, não foi substituído por outro? Você acha que a indonésia é símbolo de justiça? Oh meu pobre inocente, essas penas de morte são conhecidas no mundo, como sequestros legais, onde países como Indonésia, usam dessas pessoas para negociações com seus países de origem, você também usa o preceito que petistas merecem morrer, portanto criar pena de morte para tal fato seria benéfico? Mas o mais relevante de toda sua regurgitação verbal, salvar milhões de vidas? A PENA DE MORTE PODE SALVAR MILHÕES DE VIDAS??? Meu deus, ai eu não sei o q responder....

      • Jeison Marques Postado em 24/Jan/2015 às 12:20

        Eu acredito que a pena de morte seja uma solução viável para o Brasil. Você, talvez ache que não, mas nós já temos pena de morte instaurada no Brasil. Olhe os noticiários. Quantos morrem nas mãos de bandidos? Por causa de drogas? Antes um traficante morrer do que o filho de um trabalhador! Os políticos corruptos deveriam ser julgados por genocídio. Quantas pessoas estão morrendo por causa da corrupção? Olhe os hospitais. O povo brasileiro não precisa de esmolas, precisa de saúde e educação!! Não existe respeito nas salas de aula. Culpa de quem? Nossa!! Por que colocamos corruptos lá para nos governar. Então eu sou a favor da pena de morte sim. Se tivesse pena de morte no Brasil, o malandro pensaria duas vezes antes de cometer um crime. Se tivesse pena de morte para a corrupção, queria ver político safado roubando os nossos cofres. É uma vergonha ver a nossa "presidanta" implorar pela vida de um playboyzinho, que aliás, sabia do risco que tava correndo. Ela deveria ver, primeiramente, que os nossos jovens estão morrendo por causa das drogas aqui no Brasil. O cara foi julgado e condenado de acordo com as leis deles. Ele assumiu o risco e tem que pagar. É um pensamento muito radical mas, é a lei. Eu sei que se eu colocar a minha mão em uma arma para agredir alguém, eu estarei assumindo o risco das consequências que aquilo vai acarretar.

      • gabriel Postado em 24/Jan/2015 às 17:47

        É ingenuidade achar que as drogas matam milhares todos os anos, a guerra feita pela polícia, coordenada pelo governo que mata milhares todos esses anos. Se vc procurar pesquisar perceberá que a legalização das drogas diminuem os mortos por armas de fogo muito mais que qualquer implementação de pena de morte. Justiça é um lema para pena de morte, mas onde há o justo na morte? Sangue tem que ser pago por sangue? Eu acredito na melhora de pessoas que em outro momento escolheu um lado errado, um lado amargurado de si mesmo. O mesmo lado amargurado e sem esperança daqueles que clamam pela pena de morte. Me pergunto qual a diferença entre um assassino e um entusiasta da pena de morte, ambos com sangues na mão, ambos sem esperança, ambos só conseguem ver a solução na morte. Eu espero mais da sociedade, espero mais que a morte, espero mais que guerra, e nunca matar é a solução para morte.

    • paulo Postado em 24/Jan/2015 às 19:23

      Nao seja idiota. Ponha no google: "pena de morte resolve" e verá se nos eua ela nao é justa nem resolve imagina na indonesia

  2. Pedro Postado em 24/Jan/2015 às 08:17

    Acham mesmo que o o Palácio do Planalto tá ligando? Acham mesmo que valeria cortar relações com a Indonésia e impedir que brasileiros viajassem pra lá? Isso ai que o governo está fazendo é só mídia... Parem de se importar com isso... Brasil é um anão diplomático não se esqueçam.

    • poliana Postado em 24/Jan/2015 às 12:12

      Qto viralatismo!!! Ok...tem q ter!!!! N pode faltar né?

  3. Luiz Parussolo Postado em 24/Jan/2015 às 14:46

    Em primeiro lugar os brasileiros da imprensa e dos órgãos midiáticos, analfabetos funcionais, administrados por burocratas, tecnocratas, sindicalistas, teóricos convencionais, todos sem competência inata em gestão, também analfabetos funcionais, e um povo rebanho, analfabeto funcional, salvo poucas exceções excluídas, pela racionalidade potencial, desde o advento da falsa democracia a partir de 1985, com a execução do território e do povo brasileiros iniciado no Governo poeta pop José Ribamar Costa (Sarney) e consolidado a partir de 01.07.1994 com o facínora " plano real", construído por Bill Clinton, após os anteriores planos a mando também do governo americano Ronald Reagan (senhor do mundo ocidental e tendo como oposto o senhor do mundo inferior oriental a URSS, ambos a perversão do universo), principalmente que a inconsequência burra defendida por irracionais que querem importância e participação nacional nem sequer possuem intuição, esta não racional, para estimar os cinco poderes, considerados a imprensa e as confrarias de irmandades, que desde o governo FHC o governo come quase 40% do PIB; o consumo interno familiar gera quase 70% dele comendo a própria gordura que o país produz; que o endividamento, a corrupção, principalmente nas licitações, compras, concursos, fundos, bancos estatais de fomento, contrabandos, tráficos, verbas de publicidade, cargos e funções públicas, remessas de divisas por multinacionais que dominam as atividades primárias, secundárias e terciárias, todas sucateadas e especulativas; o sistema capitalista especulativo e financista liderado pelo Sistema Financeiro, inclusive com a participação empreendedora especulativa dos UNião, Estados e municípios onde todos comparecem em todos os objetivos e projetos acima relacionados, o desmoronamento total do território do estado brasileiro, vocês estão corretíssimos endeusar traficantes e contrabandistas brasileiros célebres pelas habilidades em sobrepujar a segurança e a defesa internacionais em seus raciocínios e impor o Brasil acima da esperteza conservadora deles com nossa virtuosa destreza em hipnotizar materialmente as forças opositoras. Atributos das elites dominantes de nosso país desde 1.531. Autênticos heróis e devem ser canonizados e reconhecidos com bustos de bronze

    • Ivan Postado em 25/Jan/2015 às 13:09

      Tá ligado que esse texto que você escreveu não teve sentido algum, né? Pra quem tanto falou de analfabetismo funcional você tá precisando de um curso de redação.

  4. Jaqueline Postado em 24/Jan/2015 às 23:38

    Traficante não anda com droga em bagagens, quem faz isso são as mulas, e esses são mulas! Os trafica mesmo vão de helicóptero.

  5. Carlos Postado em 25/Jan/2015 às 17:08

    https://www.facebook.com/video.php?v=712240258893478 Valor a quem tem valor, traficante, guerrilheiro, vagabundo, assassinos em geral não valem o que cagam.

  6. Carlos Postado em 25/Jan/2015 às 22:23

    Justamente temos mais mortes que a guerra do Vietnã em 1 ano apenas, mas estão preocupados com bandidos do outro lado do planeta, tenho pena do povo brasileiro, cada povo tem o governo que merece.

  7. Thiago Teixeira Postado em 26/Jan/2015 às 09:30

    Eu troco a pena de morte por trabalhos forçados. Não confio na nossa justiça, duvido que irá algum riquinho (a) da zona sul pra cadeira elétrica.

  8. Lucas Postado em 26/Jan/2015 às 13:36

    Óbvio que gostaria de ver essa pena ser revertida na Indonésia. Mas gostaria muito ver essa indignação e movimentação das autoridades brasileiras para resolver os problemas da violência aqui. Meu sogro trabalhador foi assasinado há 3 meses na esquina de casa e as autoridades aqui não fizeram um centésimo de esforço pra esclarecer o porque e evitar novas brutalidades dessas.

  9. Antonio Palhares Postado em 26/Jan/2015 às 16:19

    Trabalho forçado realmente recupera.Se todo preso trabalhasse para produzir o alimento que consome.Cuidando da terra, semeando e vendo a planta crescer e o fruto brotar, cuidando de vacas e cabras para o leite e aprendendo fazer queijos. Criando galinhas e patos para ter proteínas.No final do dia laborioso, tomar um banho,jantar e estudar, como nós fazíamos no interior. Tenho certeza que a recuperação seria grande e o custo para a sociedade menor.Nada de regalias. Apenas fazer o que qualquer cidadão de bem faz.

  10. Helio Postado em 27/Jan/2015 às 06:50

    Quando é que nosso governo vai começar a se esforçar para salvar os não-traficantes aqui no Brasil? É isso que é necessário para chamar a atenção do governo? Também se tornar corrupto?