Redação Pragmatismo
Compartilhar
Humor 14/Jan/2015 às 16:06
46
Comentários

As charges da nova edição do Charlie Hebdo

Primeira edição do Charlie Hebdo após o ataque se esgotou em minutos nas bancas de jornais de toda a França nesta quarta-feira e o tom continuou provocativo. Confira 7 charges que estão nas páginas da mais nova publicação

charlie hebdo charges
Primeira edição do Charlie Hebdo após atentado traz charges provocativas (Montagem / Pragmatismo Político)

A primeira edição da revista “Charlie Hebdo” publicada depois dos ataques a tiros de militantes islâmicos se esgotou em minutos nas bancas de jornais de toda a França nesta quarta-feira (14), com pessoas fazendo fila para comprar exemplares em apoio ao semanário satírico. Uma tiragem de cerca de três milhões de cópias foi programada para o que vem sendo chamado de “edição dos sobreviventes”, superando em muito os habituais 60.000 exemplares. Mas, ainda assim, em muitas bancas o jornal se esgotou rapidamente.

VEJA TAMBÉM: Charlie Hebdo, apenas a ponta do Iceberg

A capa da edição desta quarta-feira mostra uma caricatura de um Maomé choroso segurando um cartaz com os dizeres “Je suis Charlie” (Eu sou Charlie) sob a manchete: “Tout est pardonné” (Tudo está perdoado).

Confira abaixo algumas das charges que estão nas páginas do jornal satírico:

wolisnki charlie hebdo

O cartunista francês George Wolinski, uma das vítimas do atentado contra a revista “Charlie Hebdo” em Paris, foi homenageado com uma charge. “Wolinski diz obrigado a vocês!” é o título. Abaixo, o cartunista usa uma gíria para afirmar que conseguiu ter uma ereção novamente.

charge charlie hebdo luz

Nesta charge, os dois atiradores do ataque à redação do “Charlie Hebdo”, mortos durante perseguição policial, se perguntam onde estão as 70 virgens, referência ao paraíso islâmico. Em uma nuvem, um grupo responde: “com a equipe do Charlie, perdedores”.

charge nova charlie hebdo

“Qual o futuro para os nossos jihadistas?” é o tema desta charge. Na imagem, homens armados estão em fila diante de um balcão de agência de emprego, enquanto a atendente pergunta: “segurança no Carrefour?”

charge charlie hebdo

Charge compara o trabalho de um desenhista do “Charlie Hebdo” e de um terrorista. “Desenhista do ‘Charlie Hebdo’, são 25 anos de trabalho”, diz a primeira legenda, de cima para baixo. “Terroristas, são 25 segundos de trabalho”, diz a legenda seguinte. Ao final, a charge conclui: “Terroristas, uma profissão de vagabundo e punheteiro”.

charlie hebdo charges

Em sua edição 1179, “Charlie Hebdo” traz sátira com costureiros em Bangladesh produzindo camisetas com a frase “Je suis Charlie” (Eu sou Charlie)

charlie hebdo charges

Com o título “Novos amigos”, charge mostra líderes de diferentes religiões com um cartaz escrito “Je suis Charlie” (Eu sou Charlie)

charge charlie hebdo

Nesta charge com o título “violento ataque do papa contra cúria romana”, o papa Francisco aparece com uma faca na boca e diz: ” Papas de todos os países, uní-vos”

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. DEIZE DA COSTA BARBOZA Postado em 14/Jan/2015 às 16:28

    mto. bom ! Conseguir rir diante de uma tragédia, é o foco ! È mais difícil fazer rir do que chorar !

  2. Rosendo Postado em 14/Jan/2015 às 16:29

    Pelo jeito não vai mudar nada

  3. Gabriel Gabo Postado em 14/Jan/2015 às 17:02

    E deveria mudar? Você é mais um dos bitoladinhos religiosos que dizem: "sou contra o terrorismo, mas sou contra as charges contra a religião". Religião é um dos males do mundo atual, com homofobia, racismo, preconceito, egocentrismo, mentiras, politicismo, extremismo, entre outras diversas merdas que atrapalham terceiros que não seguem a sua própria religião e não acreditam no mesmo deus.

    • Claudio Domingos Postado em 14/Jan/2015 às 17:28

      E você Gabriel, é um bitoladinho que acha que adora culpar a religião pelos males do mundo. Mas não se liga que as ideologias políticas, são tão nefastas quanto qualquer religião. O respeito ainda é o melhor remédio. E respeito é algo que os Charlies não possuem.

      • Vladia torres Postado em 14/Jan/2015 às 23:10

        Concordo com vc Claudio Domindos

      • Gabriel Gabo Postado em 15/Jan/2015 às 08:47

        Cláudio, não tenho nada contra religiões desde que não influenciem no direito e nas escolhas de ninguém. E é exatamente o que acontece. Ninguém deveria ter o direito disso em uma sociedade livre. Eu concordo que respeito é o remédio, mas no que charges tanto lhes tiram o respeito? Não matam e não impedem ninguém de continuar adorando seu deus. Alias, defina o sentimento de ter seu próprio deus zombado. Não consigo imaginar nada além ódio.

      • Marilda Postado em 16/Jan/2015 às 10:25

        Concordo com o que diz relacionado ao respeito.

      • carlos de carvalho neto Postado em 20/Jan/2015 às 17:48

        QUEM MATA A LIBERDADE, ASSASSINA SUA PRÓPRIA VIDA, OU COMETE AUTOCÍDIO!

      • CESAR Postado em 23/Jan/2015 às 10:32

        Concordo com o GABRIEL!! Liberdade sim, liberdade sempre!! Se estes fanáticos islâmicos ficaram irritadinhos - sempre eles né?- que fizessem outra coisa, retaliassem doutro modo, fossem à justiça francesa, criassem um jornal que combatesse as charges, sei lá; mas daí empunhar armas e sair assassinando!? Isso nunca!!

    • Celio Postado em 14/Jan/2015 às 17:59

      Gabriel Gabo, calma cara. Ta atiçado? kkkkk

    • Flávio Postado em 14/Jan/2015 às 18:31

      Apoiado

    • Thiago Postado em 14/Jan/2015 às 18:44

      Pelo jeito possuís a razão e a verdade absoluta. Não comprendes nada sobre o que falas e o que digitas agride ao próximo. Falar que a religião é o mal do mundo atual é não entender nada de história e aceitar que no passado foi uma coisa boa. Ao mesmo tempo que você desacredita, você aceita, confessa. Todos esses "ismos" que citaste com claro repúdio, não são criados ou ensinados em nenhuma religião. Afirmas que a religião é o mal do século presente, mas se esquece que ela é constituída de homens. Homens maus e bons. Fortes e fracos. Inteligentes e ignorantes. Feitos de homens sedentos de sangue e lucro como líderes do klus klus klan, do nazismo, do ditadorismo e entre outros violadores dos direitos humanos. A culpa pelo desastre francês não foi da religião e sim do fanatismo. Ou deles mesmo.

      • Gabriel Gabo Postado em 15/Jan/2015 às 13:22

        Thiago, você realmente fala muito bonito, mas não deu pra entender o seu ponto de vista. "Falar que a religião é o mal do mundo atual é não entender nada de história e aceitar que no passado foi uma coisa boa." Isso realmente deve ser uma piada. Desculpe, respeito a sua escolha teísta, mas não há uma religião que tenha sua história sem manipulação e massacre.

    • Marcos Hilário Postado em 14/Jan/2015 às 21:09

      Espertinho, e o seu ódio contra as religiões entra onde? Não é a religião que torna a pessoa um terrorista, nem a falta dela. Não é a crença ou a descrença em um Deus (ou mais), que torna alguém um idiota alienado. O mal não está na escolha que ela faz [religiosa, no caso, e, por vezes, imposta(o que não deixa de ser uma escolha)]. O mal está na maneira com que as pessoas agem diante de fatos como esse. Há religiosos (de quase todas as religiões) que condenam os muçulmanos, como há os que condenam a revista. Não é, portanto, a religião que torna a pessoa um terrorista - Não nego a influência, em casos extremos -, ou todos os muçulmanos que você já viu ou ouviu falar eram terroristas? Reclama do preconceito, mas entra em contradição antes mesmo de citá-lo

      • Gabriel Gabo Postado em 15/Jan/2015 às 08:55

        Marcos, como falei para o Cláudio, não tenho ódio algum contra religiões, as respeito, mas desde que não influenciem no direito e nas escolhas de outras pessoas. Sempre há e sempre houve inquisições e influências. A sociedade deve ser laica a partir do momento em que há contato com outras pessoas que não seguem sua própria religião, ou seja, o tempo todo.

    • José Carvalho Postado em 14/Jan/2015 às 21:32

      Gabriel Gabo, imaginemos que seu vizinho começasse a fazer cartazes lhe difamando, criticando os seus ideais, as suas convicções e crenças caso você as tenha. E isso se tornasse rotineiro e habitual, como se sentiria ? Aplaudiria e defenderia o direito deste de continuar com os insultos?

      • Gabriel Gabo Postado em 15/Jan/2015 às 13:36

        Amigão, veja bem. Acho que já estão generalizando bastante o fato. Eu conheço o trabalho de Georges Wolinski desde a época da faculdade. Wolinski fazia um trabalho de críticas à fatos isolados das instituições religiosas que vão contra a moralidade humana. Ele não fazia apenas deboche gratuíto a religião. Pesquise mais um pouquinho, não apenas as charges selecionadas e mal traduzidas por sites brasileiros nessas últimas semanas. Por isso também, prefiro não perder tempo discutindo com gosta de supor caso as charges fossem feitas sobre negros, homossexuais, classe social, etnia, etc. São exemplos que não são aplicáveis a situação atual. Capisce?

    • Renato Z Postado em 15/Jan/2015 às 08:34

      O mal não está na religião, o mal está nas pessoas estas sim são preconceituosas, racistas, homofóbicas e ignorantes, aplicam ódio a coisas, pessoas e a outras religiões, tal como seu comentário.

  4. John Postado em 14/Jan/2015 às 17:30

    Devem mesmo é continuar com as charges. Se pararem agora, vão assinar o documento que diz que é matando pessoas que se resolvem os problemas.

  5. Randy Postado em 14/Jan/2015 às 17:31

    Aff... Não se justifica o ataque terrorista... Mas essas charges são bem podres e ultrajantes mesmo... Extrema direita de sorriso de orelha a orelha!

  6. Gislane Carvalho Postado em 14/Jan/2015 às 17:37

    Exagero, Apelo, Exatidão, Falta de senso comum..

    • maria Luísa Postado em 14/Jan/2015 às 20:16

      Que falte senso comum

  7. Jaque Postado em 14/Jan/2015 às 17:38

    Gabriel, tenho pena de você. Melhor você ler mais e ser mais humano no mínimo. A fé, como qualquer outra dessas coisas que você citou, não deve ser atacada. Nem a fé e nem a falta dela. O jornal deve mudar sim! Pensa se fosse em outra situação, o ataque aos homossexuais, e piadinhas distribuídas aos sete ventos. Não seria tão certo né? E porque atacar uma cultura e uma religião é? E não é só os muçulmanos que eles atacam. Obviamente não é certo a violência, mas muito menos a intolerância religiosa e cultural. Dê uma lidinha que vai fazer bem para seus neurônios. https://leonardoboff.wordpress.com/2015/01/10/eu-nao-sou-charlie-je-ne-suis-pas-charlie/

    • Gabriel Gabo Postado em 15/Jan/2015 às 09:20

      Jaque, já li a resenha e conheço a obra de Leonardo Boff, a usei como referência em trabalhos acadêmicos durante meu curso de pós-graduação. Como o próprio Boff cita, ninguém conhecia Charlie Hebdo antes dos atentados. Ou seja, antes do atentado você já tinha sido 'desrespeitada' por eles? A tiragem do jornal era de 300 mil exemplares, um número considerado baixo para um veículo de comunicação. Ou seja, mídia segmentada: Só compra quem se interessa com o assunto, ou seja (mais uma vez), quem fosse se sentir desrespeitado, que não comprasse maldito o jornal, dammit. Ninguém era obrigado a comprar o jornal. Ou simplesmente pelo fato do jornal existir já iria ferir o ego da igreja e seus seguidores? E como já falei, não tenho nada contra religião, desde que não influenciem no direito e nas escolhas de ninguém.

  8. Cris Postado em 14/Jan/2015 às 17:52

    Gabriel Gabo, merda por merda essa revista deveria acabar também. Essa revista se analisarmos também é intolerante, preconceituosa e ridícula. Nada acrescenta de util. Humor? Pra mim humor tem que ser inteligente.

    • Gabriel Gabo Postado em 15/Jan/2015 às 09:26

      Cris, alguém já te obrigou a consumir um humor que não lhe agradasse? Essa é a questão. O jornal existe e sempre existiu, nunca sequer chegou aos milhões que não concordam com suas piadas. Ai que está a grande questão da liberdade de expressão.

  9. augustto Postado em 14/Jan/2015 às 18:01

    Gabriel Gabo, julgastes a pessoa por um simples comentário sem em nada conhecê-la; nesse contexto, quem é o bitolado, afinal?

  10. Claudio da Silva Postado em 14/Jan/2015 às 19:30

    O jornal Charlie hebdo é debochado, preconceituoso e ofensivo. Só defende os europeus, ricos e brancos. Fazem o tal humor negro. Não defendo as mortes, mas este jornalzinho não pode atuar desta forma.

  11. rflourenco Postado em 14/Jan/2015 às 20:22

    Violência não é apenas física. Um cartunista pode sim ferir a dignidade de alguém ou um povo. E assim como tudo da vida, devemos analisar a situação sob diferentes pontos de vista. Nesse caso, não se trata de herói x vilão. Se trata de vilão x vilão. Não é porque se diz algo em tom de humor, que se pode dizer qualquer coisa. Devemos nos colocar no lugar de quem vai receber a mensagem, antes de dizermos algo. É igual em casos de bullying: pra quem pratica, é humor, pra quem recebe, é falta de respeito. Ninguém merece aceitar aquilo que não permite. Não sigo nenhuma religião e acredito que esta seja um dos maiores males do mundo, mas isso não me dá o direito de desprezar a crença ou descrença de outrem. O ato dos fundamentalistas merece total repúdio, mas um jornal assim, também merece. Os "inteligentes" cartunistas não morreram pela liberdade de expressão. Morreram pela libertinagem de expressão.

    • Arcanjo Postado em 15/Jan/2015 às 11:36

      Acho fantásticas como todos nós temos o direito de expressa nossa opinião livre, por mais idiota que ela parece,sem nos matarmos eu fico lendo os comentário e agradeço a Deus pela liberdade que temos.

  12. victor Postado em 14/Jan/2015 às 20:22

    Será que seria engraçado se os islâmicos postassem uma sátira com os cartunistas mortos? Acho que não.

  13. Carine Pascal Postado em 14/Jan/2015 às 20:24

    Ridículo! Estão promovendo uma guerra onde pessoas inocentes vão sofrer as consequências enquanto ficam atrás da mesa ganhando muito dinheiro as custas dos bitolados midiáticos "Je suis Charlie"!!!Aff..

  14. Guilherme Postado em 14/Jan/2015 às 20:40

    Violência gera violência. Violência no gatilho, violência nas páginas.

  15. Déa Kowalski Postado em 14/Jan/2015 às 20:41

    Não consigo achar graça em nenhuma charge do Charlie. Será que eu que sou muito burra? Nossos chargistas são muito melhores.

  16. Cláudio Postado em 14/Jan/2015 às 23:59

    Um tapa na cara dos conservadores. Genial essas tirinhas #Je suis Charlie

  17. isabela Postado em 15/Jan/2015 às 00:26

    Desrespeitosas. Como tudo que foi publicado

  18. João Paulo Postado em 15/Jan/2015 às 00:29

    Venderão em uma semana o que levam 50 semanas para vender. A folha de pagamento reduziu substancialmente. A tendência é que a revista seja "modinha" pelos próximos meses. Haverá a edição especial de um ano dos ataques, edição de aniversário dos finados cartunistas, etc. Quem foi o único beneficiado dos ataques?

    • Charlie Postado em 15/Jan/2015 às 02:53

      Para ver como esses terroristas são ignorantes.

  19. egnaloas Postado em 15/Jan/2015 às 01:14

    acho a revista de muito mau gosto, ridicula, nao vejo graça nenhuma neste humor negro e cheio de preconceito. Se acham esses franceses...uma merda mesmo. Liberdade de imprensa nao acredito que seja isto, desta forma. Nao aprenderam a liçcao,

  20. Agnaldo de souza Postado em 15/Jan/2015 às 07:58

    Os Caras ficam provocando e depois as Pessoas saem as Ruas para fazer protesto contra o Terrorismo,isso que eu não entendo,acho que eles tem dificuldades para encontrar a Notícia e ficam inventando coisas que só idiótas Leem!!!

  21. Moyses Postado em 15/Jan/2015 às 08:44

    Esses cartunistas, não tem o que fazer e fica quando outras pessoas, e não para ai depois chama os outros de terrorista que na verdade o verdadeiro terrorista são eles

  22. Wanderson Postado em 15/Jan/2015 às 10:02

    Não sei o que é pior:a violência religiosa ou a violência das idéias.Impressionante como o fanatismo está em tudo hoje em dia.Não só está na religião mas também na filosofia,nas ideologias,na política e até mesmo no esporte(os hooligans e o outros estúpidos que o digam).Parece que há um pouco de revolta contida,ou velada nas charges de meia pataca do Charlie Ebdo.Não sou a favor de nenhum ato terrorista,mas as charges poderiam ser melhores e mais inteligentes,sem esse tom de revanchismo ou rancor por parte deles.Se a caneta é mais forte que a espada(ou o fuzil),eles são péssimos na arte de manejá-la.

  23. Angelica Postado em 15/Jan/2015 às 10:56

    O preconceito independente da forma, cor, aspiração e ideologia me dão nojo...a disseminação do ódio vem em uma péssima hora...quem conseguiu rir consegue rir de piadinhas contra negros, homossexuais, mulheres etc...fácil ver o jogo dessa forma, (sou agnóstica), vamos culpar a religião...encontramos o mal do mundo, as pessoas são boas, a religião as torna ruins. Hipocrisia também tá na moda.

  24. André Postado em 15/Jan/2015 às 15:25

    "Deus não se deixa escarnecer" ,"O que o homem semear isto também o ceifará", resposta a tudo que aconteceu e está para acontecer.

  25. Mateus Postado em 15/Jan/2015 às 16:14

    Não sou a favor da tragédia ocorrida, mas a Charlie Hebdo provocou e faltou com o respeito. Mexeu aonde não deveria e sabia que poderiam haver represálias. Religião vai além da razão. Temos o direito de questioná-lás, mas temos que tomar cuidado com o que mexemos. Bom continuam mexendo em casa marimbondo. Deixem a religião dos outros quieta. Se são extremistas ou não, isso não é da conta da Charlie. Uma pena que perderam a vida e repercutiram tanta tristeza.

  26. CESAR Postado em 23/Jan/2015 às 10:38

    Nenhuma, mas nenhuma religião de expressão se compara com este lixo que está aí pululando pelos quatro cantos do mundo!! Desafio qualquer um aqui a me dizer se há algo sequer parecido!! Quem conhece um pouco, basta um pouco, a religião islâmica, sabe o que eu digo! São sim em sua grande maioria refratparios à liberdade seja ela qual for. São sim, machistas ao extremo. São sim, NO MÍNIMO em sua GRANDE MAIORIA, CO-NI-VEN-TES com o que acontece contra o mundo ocidental e seus valores!! Este papo idiota de que deve-se respeitar a religião dos outros, não cabe aqui, pois ELES SÃO OS PRIMEIROS A EXECRAREM AS RELIGIÕES ALHEIAS!! Esta balela do politicamente correto, serve muito para o político ganhar votos na hora de uma eleição, mas na prática mesmo, isso não serve!!