Mailson Ramos
Colunista
Compartilhar
Rede Globo 22/Jan/2015 às 11:42
40
Comentários

BBB15: o de ontem, o de hoje, o de sempre

Não há nada de novo no BBB15 a não ser nos rostos que daqui a três meses estarão conhecidos no Paparazzo, na Playboy ou em algum programa de TV. Ilustres conhecidos que depois se tornam ilustres desconhecidos porque a fama no Big Brother Brasil – raras vezes – tem ultrapassado os quinze minutos

bbb15 rede globo 2015 sempre

Mailson Ramos*

O BBB15 não é uma inovação. Não é esta edição diferente das anteriores e não será diferente das futuras. A ideia agora é mostrar que o programa retorna às suas origens e que os participantes são pessoas de vida normal, ao contrário do participantes famosos, modelos, empresários, socialites, enfim. O programa ainda é rentável à TV Globo.

Mas não está no ar somente por isso. Ele tem uma audiência impecável, sobretudo quando as histórias dos participantes começam a ser destrinchadas pela produção através das edições. Na televisão quase tudo é produção de sentido e construção de imaginário.

Isso não significa que o BBB15 vai enfeitiçar as pessoas. É simplesmente um produto da indústria cultural com um adesão popular fortíssima, instaurada a partir de estereótipos, erotismo e enredo biográfico. A verdade é que a serialidade deste programa faz com que as pessoas identifiquem o fio da meada sem precisar consultar a memória.

Não há nada de novo no BBB15 a não ser nos rostos que daqui a três meses estarão conhecidos no Paparazzo, na Playboy ou em algum programa de TV. Ilustres conhecidos que depois se tornam ilustres desconhecidos porque a fama no Big Brother Brasil – raras vezes – tem ultrapassado os quinze minutos.

Leia aqui todos os textos de Mailson Ramos

É preciso retomar o conceito de serialidade para denotar o quão repetitivos são os produtos da indústria cultural. Porque uma das ideias da pós-modernidade é discutir os valores de tradição versus atualização ou novidade. Os programas necessitam manter a imagem de novidade a cada ano ou mesmo se sua exibição é diária.

Numa época em que o noticiário, por exemplo, se fortalece pela rapidez de propagação dos fatos, daquilo que é novidade agora e ultrapassado daqui a um dia, os produtos televisivos são cada vez mais um recorte daquilo que foi exibido anteriormente. Seriais, como sapatos produzidos numa esteira industrial.

O que define a negatividade do Big Brother Brasil, muito mais do que sua serialidade, é o estereótipo do heroísmo. Existem pessoas que permanecem longe de suas famílias por muito tempo, obrigadas ao trabalho para sobreviver. Não podemos contá-las.

Leia também: Aprenda a bloquear tudo sobre BBB no Facebook e Twitter

Existem pessoas confinadas em lugares, deparadas com claras diversidades, enfrentando a dificuldade da convivência. Destas não se conta o número. E nem por isso elas são consideradas heroínas ou heróis nacionais. Porque um confinamento programado por uma emissora de televisão se torna ambiente de heróis? Onde está o heroísmo da exposição, do conflito, dos xingamentos ao vivo?

O resultado é a intransigência da análise. Melhor: indissolúvel é a opinião a respeito do BBB15. Não há nada de sensacional senão pela benevolência e superficialidade das análises populares. O povo até gosta. Não há nada de mal nisso. Entretanto, não transformemos em heróis pessoas que aceitaram contratos para, quem sabe, interpretar.

Há muito tempo o Big Brother Brasil deixou de ser inédito. A fórmula esgotada pela dialética entre bem e mal, mocinho e vilão dessalgou o tempero advindo das primeiras edições. De algum modo o caminho desta edição será trilhado com a métrica dos programas globais, ou melhor, como tem sido ao longo de todos os anos.

Naturalmente os patrocínio seguram o programa e não abrem mão de iniciar o ano na tela da TV Globo. O nível nas outras emissoras cai vertiginosamente. A televisão brasileira, em algumas terríveis oportunidades, tem pagado caro por seguir o nefando padrão Globo. E o horário nobre segue o ritmo de intermináveis conceituações: para o limbo da TV, casa da mãe Joana, hora da patifaria; para mim é apenas o horário do BBB15.

*Mailson Ramos é escritor, profissional de Relações Públicas e autor do blog Nossa Política. Escreve semanalmente para Pragmatismo Político.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. Otávio Belshoff Postado em 22/Jan/2015 às 12:28

    O BBB é um programa de entretenimento e como qualquer coisa do gênero não tem nenhuma obrigação de transmitir valores, de educar, de ser erudito, a sua única obrigação é entreter. Assim como têm pessoas que não abrem mão de assistir ao jogo de futebol, à novela, ao filme, à alguma peça de teatro, também existem pessoas que são espectadoras assíduas de reality shows, como o Big Brother, por exemplo, e isso não as tornam menos dignas, menos inteligentes, menos cultas, elas estão apenas se entretendo e têm todo o direito disso. O que me espanta mais é como as pessoas são intolerantes, como são preconceituosas, como são incoerentes, ao mesmo tempo em que pregam o respeito e a liberdade de expressão e de opinião, querem boicotar tudo o que não são de seu grado, tudo o que não os interessam. Se você não gosta do programa, simplesmente não assista, você é livre, ninguém te obrigará a nada. Agora, menosprezar alguém por assistir algo é o cúmulo da ignorância e da imbecilidade. Sejamos menos preconceituosos e mais tolerantes, por favor.

    • Rafael Postado em 22/Jan/2015 às 17:31

      Faço uma pergunta, mas antes quero deixar claro que não estou insinuando nada, é apenas uma pergunta direta. Se entreter é fim, os meios para isso são justificados? Eu concordo. Quem não quer assistir, é só não assistir e ponto final.

      • Otávio Belshoff Postado em 27/Jan/2015 às 16:07

        Maquiavel nunca deixará de ser contemporâneo, os fins sempre irão justificar os meios, independente do que esteja em questão, dos fatos mais excepcionais aos mais triviais. O ser humano é isso, um caos total.

  2. Samael Postado em 22/Jan/2015 às 13:02

    Ai ai, vc deve ser uma pessoa muito chata, aquelas q no barzinho ficam com aquela cara de coco falando de números e dados, quase uma enciclopédia. Diversão é diversão, cada um se diverte com o q quer, se toda diversão fosse cabeçuda como tudo ia ser chato. Pavlov e Skinner curtem BBB e eu também.

  3. Priscila Postado em 22/Jan/2015 às 13:13

    Uma pessoa que ignora BBB ser chata? Nossa, pra mim é o contrário, detesto essas pessoas que só tem assunto para falar em novela, BBB e Jornal Nacional. Essas são muito chatas!! Prefiro uma enciclopédia bem complexa, mesmo que eu não entenda a metade!

    • Samael Postado em 22/Jan/2015 às 13:48

      Cara Priscilalalala, falei q era chata pusque nem sempre temos que ser cultos e sérios principalmente na hora do entretenimento. Quem se leva muito a sério costuma copular consigo mesmo na frente do espelho. Imagino q todo sua diversão seja culta, erudita e muito diverida.

      • Priscila Postado em 22/Jan/2015 às 15:07

        Samael, talvez vc não tenha compreendido minha mensagem, mas eu te explico: Prefiro uma pessoa que culta à uma que fale só asneiras de BBB. Existem outras formas de diversão, sem enciclopédias e intelectualismo. Posso citar alguns exemplos entre milhares: fazer uma trilha, contar piadas numa roda de amigos, escutar músicas (não eruditas, apesar de serem belas, prefiro o bom e velho rock'n roll ou até mesmo um samba de raíz), ver filmes (seja ele comédia, terror, drama, aventura, etc...), tomar um banho de mar, chuva ou cachoeira... Enfim, tudo isso é muito melhor que BBB!

      • Samael Postado em 22/Jan/2015 às 16:29

        Blz li sua resposta e imaginei uma cena com passarinhos pousando no seu dedo ao som de violinos no meio da trilha verdinha com um arco íris de fundo. Eu gosto de BBB, me lembra até algumas obras do Stephen King, como O Nevoeiro. Gosto de ver as diferentes personalidades pré concebidas pela sociedade se deteriorando, pode até parecer meio nilista. Eu sou espectador assíduo do history channel, documentários e informativos sobre política externa e culturas antigas ou exóticas, mas gosto de ver gumball e hora de aventura, até fala q eu te escuto eu assistia apesar de ser ateu, mas amo religião. Gosto de Rock, black metal, grind, etc mas curto óperas e samba e me divirto com as músicas de hoje em dia. Resumindo, eu não curto essa onda natureza e eu não acho melhor q muita coisa além de BBB. Mas não meto o pau na diversão dos outros.

      • Priscila Postado em 22/Jan/2015 às 16:42

        Vc está revoltado... Minha intenção era expressar minha opinião sobre um programa que aliena as pessoas. Vc pode até assistir BBB e mesmo assim ser adeptos à outros meios culturais úteis, mas não é o que acontece com a maioria dos telespectadores... Só posso te parabenizar por conseguir conciliar as duas coisas. Ótimo programa pra vc! by

      • Samael Postado em 22/Jan/2015 às 16:52

        Hahaha, nonono, sou ácido mesmo, bom, chegamos em um ponto interessante, a natureza da alienação, eu não acho q um meio ou um produto ou uma cultura possa alienar uma pessoa, embora tudo isso seja responsabilizado por isso. A alienação vem da pessoa, de uma personalidade fraca e manipulavel, endemonizamos drogas quando a fraqueza do ser humano é responsável.

  4. Danilo Postado em 22/Jan/2015 às 13:25

    O principal motivo pelo qual ainda existe BBB é o fato de ser lembrado pela imprensa, mesmo falando mal.

    • Adalberto Postado em 22/Jan/2015 às 15:22

      Ele sobrevive as custas do "falem mal, mas falem de mim". Não consigo ver 30 segundos dessa porcaria.

  5. Murilo Postado em 22/Jan/2015 às 13:25

    Modificando uma frase grosseira que vi no YouTube que resume bem a globo ou a emissora soberana do Brasil: A televisão no Brasil é igual C#, só tem um canal e só passa M#RDA. Este é o compromisso com o nosso povo, os programas educativos só passam sábado de manhã ou bem longe do horário nobre...

  6. George Postado em 22/Jan/2015 às 14:28

    rs. Teve gente que leu e não entendeu

  7. Clarisse Postado em 22/Jan/2015 às 15:08

    Gostei demasiadamente do conteúdo do texto e das expressões empregadas, tais quais "padrão globo de qualidade". De fato a globo novamente protagoniza o limbo da televisão brasileira. Gostaria de dar uma sugestão (crítica construtiva): o texto apresenta alguns erros de nexo e concordância e os parágrafos não estão ligados, dificultando assim, a leitura dos leitores.

  8. Thiago Teixeira Postado em 22/Jan/2015 às 16:14

    Sou o brasileiro que menos conhece sobre BBB. Me orgulho disso.

    • Jonas Schlesinger Postado em 22/Jan/2015 às 16:24

      Não menos do que eu. Já que nunca assisti e nem sei quais são os antigos participantes. Já me disseram que a Sabrina Sato já foi uma. Será?

      • Thiago Teixeira Postado em 23/Jan/2015 às 09:12

        Ganhei de você, pois nem sabia disso!

  9. Hélio Postado em 22/Jan/2015 às 16:29

    Uma pessoa tem que ter uma baixa estima e achar a própria vida um refugo social para desperdiçar seu tempo de vida assistindo uma prole de encostados que fingem agir autonomamente orquestrafos por um esqueminha sórdido com pinceladas de pornochanchada caseira para pessoas que sofrem de voyaieismo velado. Sinto muito pelas pessoas que ouvem isso e concordam como gente obsena seios e nadegas não se encontrasse em qualquer ponto de ônibus. Para piorar tem gente que acredita que isto é arte. Deplorável.

    • Samael Postado em 22/Jan/2015 às 17:08

      Eu gosto de seios e nadegas femininas :(

      • Hélio Postado em 23/Jan/2015 às 17:01

        Não... Tudo bem cara.... eu também,o problema não são as partes. É o programa. ...

  10. Jonas Schlesinger Postado em 22/Jan/2015 às 16:30

    Certamente há pessoas (tá bom pra vc, Pereira?) que perdem tempo assistindo a esses lixos que a mídia aberta transmite nas suas grades. Não há 1 novela da rede globo que tenha um conteúdo inteligente, apesar das boas atuações. É negro bandido; viado comediante; turcos, árabes, marroquinos, indianos, chineses falando português; situações surreais como por exemplo encomendar a própria morte ou o fato de não guardar arquivos em pendrives ou algo desse tipo. A mídia tá saturada disso, e esses autores ou apresentadores não têm nada a oferecer de novidade. Por isso, com muito prazer, desligo e vou à internet que é muito melhor.

    • Samael Postado em 22/Jan/2015 às 16:43

      Não Jonas, Hiroshi Ishiguro criou a Sabrina encomendada pelos Iluminatis. Mas parece q vc via Avenida Brasil. Pode deixar, eu não conto pra ninguém.

      • Jonas Schlesinger Postado em 22/Jan/2015 às 19:35

        Kkkkk e pra que serve a internet? Eu não preciso ver alguém cagando perto de mim, se simplesmente eu sentir a catinga. É mais ou menos assim, eu não assisto, mas gosto de ver o que sai nas notícias ou nos trending topics. Eu n vivo mais no século passado, hj a internet me dá a possibilidade de saber o q se passa ao meu redor. É igual o fato de eu saber quem é Fernanda Montenegro, Lima Duarte, Silvio Santos, Gugu, mas não assisto. Enfim...

  11. Priscila Postado em 22/Jan/2015 às 16:44

    E viva a Era Digital!! Onde podemos escolher o que ver, ler e ouvir!

  12. Renato da Cota Postado em 22/Jan/2015 às 16:45

    Em nenhum momento o autor do texto disse ou sequer sugeriu que quem vê o BBB é inferior. Isso é típico da maioria (naum de todos) dos colunistas de outras revistas e sites. O autor foi feliz em comentar de forma lúcida e objetiva um assunto que infelizmente ainda rende tema e audiência à população brasileira. Vc assiste o BBB? Que seja. O BBB é um programa que não tem e nuca teve compromisso com a educação e melhora da condição sociocultural do povo? Sim. A escolha em assisti-lo continua sendo sua.

  13. Samael Postado em 22/Jan/2015 às 17:05

    Certo Renato, "O BBB é um programa que não tem e nuca teve compromisso com a educação e melhora da condição sociocultural do povo". Ok, e o q tem? E se eu for uma pessoa q não precisa q a tv eduque e sim entretenha? Claro q o Brasil precisa de mais cultura. Todos programas da tv aberta são sem conteúdo, porque uma pessoa chega cansada em casa ela quer sentar e ver alguma coisa divertida q entretenha ela.

  14. Vinicius Postado em 22/Jan/2015 às 17:10

    A questão não é BBB ser inferior e que quem critica é preconceituoso e intolerante. A questão é que é um programa oportunista que aliena as pessoas a fazerem qualquer coisa por um prêmio, sem falar que aquilo tudo ali nem é verdade, é montado de forma que atraia mais audiência. E o entretenimento embora seja somente pra divertir, não deve ser oportunista.

    • Samael Postado em 22/Jan/2015 às 17:21

      Não vejo problema em ver o "queijo" de 1 milhão no final da caixa de Skinner, a vida não é assim? O que motiva a vida não é um premio em algum momento? As pessoas podem não gostar, mas tem pessoas que veem a vida assim. É um programa oportunista como todo programa é.

    • Samael Postado em 22/Jan/2015 às 17:40

      "Seria comunicação uma alienação, uma vez que a alienação só existe por causa da comunicação? A alienação é passada de um comunicador que possui uma informação nova (verdadeira ou não) e é recebida por um receptor que até então desconhecia o assunto, sendo alienado por esse comunicador. A partir disso nota-se que tudo pode ser considerado mensagens alienadas, pois nas escolas são passadas mensagens novas a toda hora e que se é “obrigado” a acreditar e levar como verdade, não somente nas escolas, como também dentro das casas, igrejas, nos palanques eleitorais, nas ruas, meios de comunicação de massa, etc, funcionando sempre da mesma forma."

  15. Wilson Cabús Postado em 23/Jan/2015 às 00:47

    O controle remoto existe desde a decada de 50? Dessa eu não sabia, achei que fosse do anos 80 ou 90.

  16. Grey Postado em 23/Jan/2015 às 01:02

    Ainda bem q eu quase nem chego mais perto da TV.

  17. Igor Postado em 23/Jan/2015 às 10:39

    Caros defensores do BBB, Concordo com vocês quando dizem que o programa é puro entretenimento e nem todo momento de diversão precisa ser algo educacional, cultural ou algo assim. Eu também assisto aos meus programas inúteis e sem valor e me divirto com isso. O problema é que os defensores do BBB estão esperneando exageradamente, não podem ouvir uma crítica que logo ficam nervosinhos. Vocês podem assistir BBB à vontade, mas eu tenho o direito de achar o programa um lixo! Assim como vocês podem achar as bobagens que eu assisto um lixo também. Vocês poderiam assistir mais o programa que gostam e se preocupar menos com a opinião dos outros. Ninguém pode falar um "a" sobre o BBB que vocês já vem sempre com o mesmo discurso de que é entretenimento e ponto. Eu não consigo assistir, acho BBB um lixo e tenho o direito de ter minha opinião.

  18. Pereira Postado em 23/Jan/2015 às 11:16

    Por que criticam esse programa ? Deveriam agradecer a ele. Um dos principais nomes da esquerda truculenta e sebosa saiu daí. O tal de Gian uilis.

  19. Roberto Pedroso Postado em 23/Jan/2015 às 11:51

    Talvez serei mal interpretado mas cabe aqui uma reflexão; será que não chegamos ao extremo da reificação (coisificação)do individuo com um programa tão ordinário e de baixo nível como esse?onde pessoas vendem sua privacidade e com isso abrem mão da sua dignidade e assim são expostos como objetos e submetidos a torturas,(pessoas que são obrigadas a ficarem em pé por longos períodos passando por privação de sono no intuito de ganharem um premio esporádico,etc...)tudo isso por dinheiro tão somente?em uma rápida analise percebemos que nossa sociedade se deteriora e apresenta indivíduos deploráveis que se submetem a assistir e a participar desses espetáculos mórbidos e o mais impressionante é que o cidadão que queira permanecer alheio a este lixo não consegue,tomo como exemplo a exibição do Campeonato Brasileiro de Futebol (do qual a rede Globo detêm o monopólio de transmissão em sinal aberto)pois bem: nos intervalos dos jogos são exibidos interseções dessa atração mórbida um verdadeiro acinte,agora caros senhores afirmar que este programa é mera diversão e entretenimento e portanto não tem compromisso com o telespectador me desculpem mas devemos lembrar que as tvs de sinal aberto são concessões publicas e portanto se espera o mínimo de bom senso e responsabilidade quanto aquilo que é por elas transmitido;Enfim o referido programa cumpre a mesma função torpe do circo romano,uma absoluta aberração cultural engendrada pela industria da cultura de massa(Adorno explica) pena que sua audiência desqualificada não atine para tal fato.(P.S por obrigação profissional tive que assistir à alguns trechos desse programa para melhor compreender o livro da socióloga Silvia Viana intitulado "Rituais de Sofrimento"recomendo a leitura.)Ademais no atual momento todos nós na condição de cidadãos devemos cobrar por responsabilidade e ética por parte dessas emissoras de sinal aberto, afinal são concessões publicas não obstante mais de noventa por cento dos lares brasileiros tem como principal fonte de informação e diversão a tv e portanto as mesmas emissoras possuem uma responsabilidade ética e social para além do conceito de mero entretenimento e diversão.

  20. Pereira Postado em 23/Jan/2015 às 13:09

    "são concessões publicas e portanto se espera o mínimo de bom senso e responsabilidade quanto aquilo que é por elas transmitido". Claro, desde que seja transmitido programas de apologia ao marxismo e dos tais "movimentos sociais", bem como as bandeiras nojentas da esquerda.

  21. Guilhermo Postado em 23/Jan/2015 às 14:07

    Big Brother... em qual edição esse negócio já está? Sinceramente, agora com o youtube e com a possibilidade de assistir séries online, não perco meu tempo vendo TV, nem mesmo os canais pagos.

  22. Samael Postado em 23/Jan/2015 às 17:06

    Seres humanos com capacidade reflexiva, estamos em uma discussão saudável até certo ponto sobre um programa q é o da matéria aqui descrita, defendo o programa. Porq esse programa é atacado continuamente por pessoas q não entendem. O mais engraçado é que existe uma infinidade de programas piores q esse e de exibição continua durante o ano e não são se quer mencionados. Porque parece q atacar esse programa garante um estatus intelectual, só vejo ataques vazios e sem nenhum conteúdo q eu aprecie e mude de opinião. Como postei antes alienação nasceu da comunicação, toda comunicação aliena, até acredito q vcs não consigam ver o programa e entender um experimento sociológico q só pode ser feito nessas condições, analisar o interior real do ser humano segundo sua vivência e suas consequências. Em outro lugar comentei que as pessoas acham... desculpem, mas acham uma merda... qual a definição pra vcs de merda? Coco, excrementos?! Pois saibam q não existe melhor resíduo de um ser vivo para a análise de sua cultura, comportamento, hábitos sociais, etc.. mas só tem esse valor pra quem tem interesse em saber.

    • Erick Postado em 26/Jan/2015 às 11:02

      "..Porq esse programa é atacado continuamente por pessoas q não entendem..." BBB - pessoas entram em uma casa, são eliminadas por votação até que reste uma que leva o prêmio, não é isso? "...até acredito q vcs não consigam ver o programa e entender um experimento sociológico..." HAHAHAHAHAHAHA, boa! Conta outra agora. Você assiste e gosta? Ótimo para você, mas não venha dizer que o programa tem conteúdo e outras pessoas não entendem.

  23. jarau Postado em 25/Jan/2015 às 18:29

    O Bolsonaro no BBB, faria sucesso, não ia sobrar um homem para as mulheres, pois este boiola levaria todos para baixo dos lençóis.