Redação Pragmatismo
Compartilhar
Direita 08/Dec/2014 às 19:54
87
Comentários

Dicas para encarar a família ultraconservadora nas festas de fim de ano

Confira 4 dicas para sobreviver à família ultraconservadora nas festas de fim de ano. Caso ainda dê tudo errado, sorria. Afinal, famiglia é famiglia

festa natal família jantar conservadores

por Leonardo Sakamoto

Um amigo jornalista acaba de me escrever. Preocupadíssimo, relata um drama que deve se repetir em muitos lares pelo Brasil:

Saka, o Natal na minha família sempre foi um cenário de terror e desolação, com tios e tias sugerindo “exterminar mendigos”, “trancafiar drogados” e “proibir gays de se beijarem em público”. Nem bem a prece em agradecimento pela ceia esfria e eles começam o festival de besteiras, confundindo as datas e crucificando Jesus ao invés de celebrar seu nascimento. Eles já suspiravam com a volta da ditadura muito antes dos malucos que pedem intervenção militar resolverem sair da casinha. Como os ânimos se exaltaram com as eleições, estou com medo de pisar na casa da minha avó para a ceia. O que fazer?

Meu caro, há alguns cenários possíveis. Nenhum deles é perfeito e a escolha depende da quantidade de amor que você tiver para gastar – lembrando, é claro, que essa commodity anda em falta no mercado. E desconfio que é por isso que as pessoas se preocupam tanto com presentes – o essencial é gratuito e dinheiro não compra.

A melhor sugestão é tatear o terreno com antecedência. Muitas famílias têm grupos de WhatsApp, que são ótimos termômetros do humor coletivo. Outra alternativa é perguntar para os avós – eles sempre sabem das coisas.

Se diante da sondagem lhe vier à mente a sabedoria de Carga Pesada (“É uma cilada, Bino!”), opte por uma das alternativas abaixo:

Sugestão 1: Invente uma viagem. Invente uma doença. Invente um plantão – ou não invente, apenas aceite-o, pois é muito mais legal folgar no Ano Novo do que no Natal. Invente um jantar na casa da namorada. E, para isso, invente a namorada que eu sei que você não tem.

Sugestão 2: Permaneça calado ao longo da ceia. Não faça nenhum comentário mesmo diante das maiores aberrações. No final, abrace forte cada tio e tia, em silêncio, por um tempo diretamente proporcional à quantidade de sandices que cada um disse. Dê um beijo no rosto deles e vá comer gemada.

Sugestão 3: Diga que, por consciência, votou no Levy Fidelix. E justifique seu voto. Pronto, o foco da discussão passa a ser você. Mas, pelo menos, é você quem controla a conversa e não o bando de loucos.

Sugestão 4: Concorde com eles e vá além. Defenda uma faxina étnico-racial. Elogie grupos de extermínio. Diga que é necessário rever o direito ao voto das mulheres. Se conseguir, ataque a Lei Áurea. Se disserem que você está exagerando, chame-os de fracos e comunistas. Ah, isso só funciona se você não rir.

Se tudo falhar, sorria. O Natal passa rápido. E, afinal, famiglia é famiglia.

VEJA TAMBÉM: A arte de dialogar com quem fala por clichês

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Guilhermo Postado em 08/Dec/2014 às 20:49

    Acho difícil alguém ter uma família assim tão conservadora. Sério.

    • Samuel Postado em 09/Dec/2014 às 08:08

      Sugestão 5: Bate de frente com todos eles pacificamente, defenda seus pontos de vista, use argumentos e o seu poder de persuasão, não se esconda atrás do muro. Se tudo der errado, procure outra familia (ou não) rsrs

      • eu daqui Postado em 09/Dec/2014 às 09:37

        Não se discorda pacificamente de ultraconservadores nem sendo um monge budista. PARTA PARA A SEGUNDA ETAPA LOGO DE PRIMEIRA: vá procurar sua turma, digo, sua familia.

    • Alexandre Postado em 09/Dec/2014 às 08:53

      Eu acho difícil não ter um ou outro assim na família

      • Valter Augusto Postado em 10/Dec/2014 às 11:05

        Eu tenho quase todos assim,Alexandre!

    • lucas Postado em 09/Dec/2014 às 15:31

      eu e pelo menos mais 3 amigos temos uma família assim e eles não estão brincando, já conheci alguns membros e é realmente difícil ficar calado ouvindo esse tipo de coisa

    • pepa Postado em 09/Dec/2014 às 16:22

      a minha é assim, cara.

    • vitor wilson Postado em 09/Dec/2014 às 18:12

      Claro que existe, vou te apresentar a minha

    • Leonardo Postado em 09/Dec/2014 às 18:33

      é pq vc não deve morar no estado de São Paulo, Guilhermo... Minha família tanto da parte de pai quanto da parte de mãe são exatamente como no texto.

    • Thainá Postado em 09/Dec/2014 às 18:42

      não, não é difícil kkk o/

    • Moni Postado em 09/Dec/2014 às 22:39

      Minha mãe, a única pessoa da minha família que ainda falava comigo assuntos políticos, bradou que era pra eu ir pra Cuba, pq ela não iria sustentar uma filha comunista; me bloqueou do facebook (ela já fez esse tipo de coisa antes). O q eu fiz? Arranjei um emprego que terei de trabalhar dia 26, 31 e dia 2, direto - q pena - pq daí não poderei visitá-los. Pelo menos ela não terá de me sustentar =)

    • Vilma Postado em 13/Dec/2014 às 17:41

      Eu estou com Lobao e Roger.., amadureceram em tempo de se corrigirem ... Hj são homens de bem que estão indiguinado com esse governo e com esse povo de terceira categoria, famintos, ignorantes que vem nessa página defender o Que de pior existe nessa galáxia, PETISTAS....

      • Paula Soares Postado em 24/Dec/2015 às 06:25

        Isso é uma caricatura para exemplificar o texto? kkkkkkkkkkkkkkkk

  2. Wladimir Postado em 08/Dec/2014 às 21:16

    Valeu Sakamoto ! Vou aceitar a Sugestão 1 : inventar uma namorada e passar o natal na casa dela ! Assim escapo de um coronel da reserva e uma neonazista raivosa ...

  3. joseph Postado em 08/Dec/2014 às 21:18

    A minha é assim.Sogro ontem estava raivoso pois ao governo dará 90 reais aos imigrantes miseráveis.Ele mesmo imigrante branco e leitor de veja. Triste , muito triste

  4. KARINA BB Postado em 08/Dec/2014 às 21:43

    Claro q existe guilhermo,a familia do meu namorado,sao judeus ,nosssa ricos e arrogantes,tu conhece algum judeu pivre ???? To pra ver

    • Terra Postado em 09/Dec/2014 às 01:09

      Mas um judeu com preconceito e ate pra achar graca, e sei que ninguem tem coragem de perguntar porque. N.B. Eu adoro meus amigos judeus e o namorado da minha filha.

    • Gus Palhares Postado em 09/Dec/2014 às 15:26

      Cesar Souza seu babaca, Eu sou petista, não sou rico e nunca roubei nem sequer um clips de onde eu trabalho ou um lápis na faculdade. Deixe de ser um idiota inconformado, tire a cabeça da bunda e pare de pensar e escrever merda, seu arrombado. Ps.: Escrever acusações atrás do seu teclado e aportado pelo anonimato é fácil. Faça um teste, acuse-me (ou algum outro petista) cara a cara e veremos se será tão fácil. Att. Gustavo Ferreira Palhares

    • Valter Augusto Postado em 10/Dec/2014 às 11:11

      Pronto,tava faltando aparecer uma criatura dessas por aqui!O problema não é o cara ser coxinha(é um problema,sim!):é ele ser rancoroso,limitado intelectualmente e covarde como esse cesar.

  5. luis Postado em 08/Dec/2014 às 22:13

    Lembre-se de quem está pagando o jantar também...

  6. Pedro Postado em 09/Dec/2014 às 03:09

    Sakamoto? O cara que recebe 1 milhão do governo através da sua ONG? Não,obrigado.

    • José Carlos Postado em 09/Dec/2014 às 18:06

      E o que vc tá fazendo aqui? Vaza rápido, a sua turma é outra. Não percebeu que o espírito do post é o humor? Bem, aí já seria pedir demais para um leitor da veja.

    • Gespenst von Canterville Postado em 10/Dec/2014 às 00:41

      Prefere a Globo, que recebe 500 milhões por ano do governo? Acho no mínimo curiosa a lógica de certas pessoas: Só o PIG que pode receber recurso estatal, não é?

  7. Deisi Postado em 09/Dec/2014 às 08:04

    Toda família tem um ultraconservador, na minha não é diferente, chega dar arrepio, um deles uma vez sugeriu que deixasse um pitbull sem comida por três dias, só porque foi roubada uma mangueira de jardim. O Sakamoto como sempre genial, vou seguir à dica número 2.

  8. Thiago Teixeira Postado em 09/Dec/2014 às 08:13

    Sou um privilegiado, pois minha família é pobre, muito simples, trabalhadora e consequentemente feliz com o avanço de cada um durante o ano de trabalho. Não perdemos nosso tempo com ódio ou inveja da vida alheia como o classe mérdia arrogante pratica.

    • eu daqui Postado em 09/Dec/2014 às 09:39

      Sorte sua. Por aqui eu já vi mãe com inveja de filha e não somente uma.

    • Sueli Leite Postado em 22/Dec/2014 às 18:59

      Isso sim é ter uma feliz noite de Natal, Thiago! Pessoas que torcem uma pelas outras e não que tem invejinha uma das outras. Encontrar nessa data só para incomodarem e intrometerem na vida um dos outros não vale a pena!

  9. poliana Postado em 09/Dec/2014 às 09:00

    Hahaha. Olha, falcão, ficaria apenas com a sugestão 1. Descarto, por completo as sugestões 2,3 e 4. N tenho sangue de barata pra compactuar com essas aberrações. Melhor manter distância desse tipo de gente. Sabe akele dizer q "família só presta em foto"? Pois...mantenha distância desses parentes. Tô fora!

    • Lucas Bragança Postado em 09/Dec/2014 às 19:19

      Só se for foto digital porque no porta retrato acumula poeira.

      • poliana Postado em 09/Dec/2014 às 20:13

        Kkkkkkkkkkkk

    • Valter Augusto Postado em 10/Dec/2014 às 11:14

      "Família só presta em foto"!Esta é ÓTIMA!

      • poliana Postado em 11/Dec/2014 às 12:28

        Cesar souza, seu infeliz, procure saber a diferença entre núcleo familiar e parentes. Em seguida, estude direitos sucessórios no nosso ordenamento. Aí depois disso, pare e pense antes de escrever merda sem pe nem kbça aki. Antes de falar tamanha beateira, poderia pelo menos dar uma olhada no codigo civil e ver quem são os herdeiros necessários...o minimo q vc poderia fazer. Mas n...eh mais facil vir aki todo revoltadinho e postar uma merda sem fundamentos! Faz-me rir! Pelo amor...

      • poliana Postado em 11/Dec/2014 às 22:58

        Cesar souza, o q eh a materia em questão tem a ver com o lula ou com o pt? Seu odio eh tão cego q vc n consegue enxergar um palmo na sua frente sem ver lula e pt por todos os lados. Seria comico se n fosse tragico o seu comportamento.Mas enfim...de resto eh mimimimimimimimi pra vc...

  10. Igor Postado em 09/Dec/2014 às 11:03

    Faltou falar da ceia de natal. Aquele monte de animais mortos, assassinados para que possamos celebrar a vida. E Viva a hipocrisia!

    • Cristiane Carvalho Postado em 09/Dec/2014 às 16:32

      Vdd. Se já é difícil ser de esquerda no meio de uma família conservadora, imagine ser de esquerda e vegana.... não tem como não ser o assunto...

  11. Rodrigo Postado em 09/Dec/2014 às 11:24

    (Outro Rodrigo) E, quando eu penso que o maniqueísmo tem limites, vejo que estou errado. Basta colocar uma árvore de Natal, remeter ao nascimento de Cristo, afirmar que ali se reúnem pessoas de má índole e, pronto, o Natal é uma festa facista e a família é uma entidade facista - "8 ou 80". Sim, claro, sempre há um infeliz em qualquer lugar (família, partido, instituição religiosa, empresa, órgão governamental etc.), alguém que valore positivamente o brado de ódio ("esquerdista" ou "direitista"), alguém que julgue que apenas o seu grupo é perfeito e iluminado e que os demais são odiosos fascistas. Queremos sempre o respeito à nossa filosofia, à nossa crença (ou direito de não tê-la), ao nosso pensamento, mas livremente ridicularizamos os demais - pior, saímos com a ridícula justificativa "só faço o que já fizeram comigo", pagando ódio com mais ódio, pouco importando a quem essa "reação" é dirigida. Mais, anunciamos que somos defensores das minorias, mas nos calamos quando um de nossos ídolos manda homossexuais para campos de concentração, quando bate em uma mulher, em uma idosa - sabemos apontar o dedo indicador, mas não percebemos que, nesse exato momento, três outros dedos, de nossa própria mão, apontam em nossa direção. Assim, sugiro um exercício, que é ao mesmo tempo simples e desgastante, mas necessário: se você tem um familiar, amigo, que profira ódio direitista ou esquerdista: 1- corrija-o, no exato momento, dizendo o porque de ele estar errado; 2- se, ainda assim, ele insistir, evite a companhia do mesmo, desejando que ele pare de resistir à iluminação, que pare de usar a inteligência de que é dotado para o erro; 3- não odeie, pois ódio trocado é apenas um ódio maior, não trazendo benefício algum; 4- faça um exame de consciência, quanto aos seus próprios erros. E, quanto a essa pessoa que proferiu ódio, não passe a odiar a crença dela, o cachorro/gato dela, os filhos dela, a esposa(o)/companheira(o) dele. Não queira queimar a casa dela e salgar o terreno (uma forma figurada de dizer, por óbvio). Não passe a buscar justificativas fora da particular consciência dela, haja vista o ódio, o desamor, decorrer de uma escolha livre e consciente de cada um, ou seja, não associe o ódio em razão da cor, da crença, da orientação sexual, da condição econômica, da origem, da preferência partidária (apenas repito o que é dito há muitos séculos, contra a discriminação). Recrimine, com dureza e justeza e, ao mesmo tempo, pare para fazer um exame de consciência quantos aos seus próprios erros, a fim de que corrija-se a si mesmo, também; a reprimenda ao outro não deve funcionar como meio de ocultar os próprios erros, mas devem andar juntas.

  12. R.R.Rocha Postado em 09/Dec/2014 às 12:08

    Incrível como ninguém entente - ou não quer entender - as sutilezas de uma redação. Trata-se não de ironia ou de maniqueísmo. É apenas uma texto que se utiliza de uma linguagem caricata. Alguns podem não saber do que se trata, até mesmo porque a CARICATURA é mais comum em forma de desenhos. Porém, muitas vezes é usada em forma textual. Então,para que todos saibam do que o texto realmente se trata: Definição de caricatura: desenho de uma pessoa, de um animal, de uma coisa ou de um fato, que EXAGERA alguns aspectos com intenção cômica ou crítica. Abraços!!!

    • Rodrigo Postado em 09/Dec/2014 às 12:43

      (Outro Rodrigo) Sutilezas existem para isso, prezado(a). De outro lado, respeito, tolerância, a toda e qualquer pessoa (com a devida vênia para a hipótese de prática de crimes, de imoralidades), a autocrítica, são seguidamente esquecidas. Então, lamentando os exageros que, ao fim, acabam generalizando, outro abraço, fraternal, desejando um 2015 repleto das melhores realizações.

    • R.R.Rocha Postado em 09/Dec/2014 às 13:29

      Gente, por favor! Mais amor no coração! O Pragmatismo Político nada mais é do que uma página com linha política claramente definida: para alguns trata-se de um sítio alternativo frente à grande maioria de jornalecos que "se intitulam imparciais"; para outros, um veículo pago em favor da "agenda esquerdopata" que impregna a sociedade atual.

      • Rodrigo Postado em 09/Dec/2014 às 16:21

        (Outro Rodrigo) Sempre, RR, muito amor no coração. No mais, cumpre salientar que nenhum veículo de mídia poderá supor-se, pretender-se, excludente: em que pese o "jornalismo com as bênçãos de Gilmar", a mídia, por mais que seja impossível a parcialidade total ao ser humano, deve, sim, ao menos, buscar aproximar-se o máximo possível dela. Vale para a Veja, para a Carta Capital, para a IstoÉ, para o Pragmatismo, para o Implicante etc. Não é devido, mais, buscar o que, ao fim, apenas revela sectarismo (devem aqui comentar quem concorde com a "linha editorial"). Assim, pois, não deve ser visada a criação de algo, de mesma intensidade e apenas de direção contrária, mas sim buscada a melhoria, a diferenciação. Nem, pois, "vá ler a Veja", nem "vá para Cuba". Paz e bem, sempre.

      • R.R.Rocha Postado em 09/Dec/2014 às 16:52

        Outro Rodrigo, pra ser sincero, seu texto teve tanto aposto que não consegui entender... com especial atenção à última parte... =)

      • Rodrigo Postado em 09/Dec/2014 às 17:05

        (Outro Rodrigo) Para ser sincero, quando vamos desconstrui uma pessoa, um primeiro passo é tratar da correção ortográfica, da observância da norma culta ou erros outros (como tanto fazem com Lula). Espero não ser teu caso. Pedindo, então, desculpas pelas incorreções, resumo: 1- mídia não deve ser excludente, mas abrangente (não mande "ler a Veja", nem "ir pra Cuba); 2- o erro de um não justifica o de outro; 3- se a perfeição não nos é possível, o norte é, ao menos, a melhoria. Espero não ter cometido mais erros (talvez tenha, quanto à pontuação), que, no seu entender, inviabilizem totalmente sua leitura e compreensão. Respeito, tolerância e inclusão, sempre. E, para quem cometa ilícitos, a sanção respectiva.

      • Rodrigo Postado em 09/Dec/2014 às 17:21

        (Outro Rodrigo) *desconstruir

      • R.R.Rocha Postado em 09/Dec/2014 às 17:42

        Não foi querendo desconstruir ou deslegitimar sua intervenção que apontei a minha dificuldade em entender o que você havia escrito. Eu realmente não tinha entendido. Só isso. Agora, tendo você explicado melhor suas idéias, atrevo-me a dizer que concordo plenamente contigo. Mas mesmo assim, ainda acho que muitas pessoas - inclusive você - se esforçam em achar profundidade em textos - no mínimo - irreverentes. Não é a primeira vez que leio um texto satírico no PP em que diversas pessoas sentem-se ultrajadas com o conteúdo - e não será a última. Não sei se sou eu que erroneamente encaro o PP como uma página pouco jornalística ou se são vocês que inequivocadamente enxergam o PP como supra sumo do pensamento "esquerdopata".

      • Rodrigo Postado em 09/Dec/2014 às 18:13

        (Outro Rodrigo) Novo equívoco, pois já elogiei o Pragmatismo em alguns momentos. Exemplo: sendo eu católico, parabenizei por postagem quanto ao caso absurdo de Adamantina-SP, na qual um Padre foi transferido em razão da insatisfação de parte dos fiéis com o fato de ele ser negro e incluir adictos e menos favorecidos nas atividades paroquiais. Não tome a parte pelo todo. Assim, elogio e, na maior parte das vezes, realmente, teço basicamente a mesma crítica: não incorra no mesmo erro que critica.

      • R.R.Rocha Postado em 10/Dec/2014 às 11:13

        Meu caro... esse que é o problema que aponto!!! Vocês enxergam erros onde eu vejo irreverência. Vocês interpretam como posicionamento político o que eu leio como mera opinião personalíssima. Vocês querem considerar tudo à luz de polarização e de ódio enquanto eu procuro encarar as coisas à luz do equilíbrio e do amor. AME MAIS!!!

      • Rodrigo Postado em 10/Dec/2014 às 15:55

        (Outro Rodrigo) Ou, talvez, você veja muito o "vocês", em vez do nós. Você goste muito de etiquetar, em vez de identificar e unificar. Goste muito de ter pré-conceitos (grafado assim mesmo, propositalmente), achando e isso a ti basta, que o pensamento do outro seja este ou aquele. Numa época de muito "vocês", de "reaças e revoluças", de "coxinhas e pastéis de vento", anda faltando muito o "nós", cidadãos brasileiros que somos, seres humanos.

      • Rodrigo Postado em 10/Dec/2014 às 15:58

        (Outro Rodrigo) E, aparentemente, o Natal traz a você muita melancolia, deixando-te muito sensível. Está sempre a pedir por mais amor, mas não vê nenhum amor em reuniões de família. Abra-se mais ao amor. Perceba o amor que está em ti e, então, saiba identificar o amor dos demais irmãos teus, seres humanos. Ninguém aqui está querendo te agredir, muito pelo contrário. Não fique tão acuada - espero que não esteja, mas é o que parece. Isso ou você gosta muito de frases de efeito, de buscar, com chavões, a desconstrução do interlocutor, em vez da contestação de seus argumentos. Ame-se mais, descubra o que é o amor e, então, passará a perceber o amor dos que a circundam.

      • R.R.Rocha Postado em 10/Dec/2014 às 17:52

        Sugiro simplesmente que releia tudo. O texto, seu comentário e todas as respostas subsequentes. Em nenhum momento tento "desconstruir" seus argumentos. Você que simplesmente faz vistas grossas aos meus. Releia o TODO e reflita melhor sobre aquilo que você escreveu originalmente à luz de minhas humildes colocações.

      • R.R.Rocha Postado em 10/Dec/2014 às 17:54

        Para corroborar minha interpretação de que toda esse diálogo lhe passa ao largo, pergunto: de onde você tirou que eu não vejo "nenhum amor em reuniões de família"???

      • Rodrigo Postado em 10/Dec/2014 às 18:07

        (Outro Rodrigo) Compreendi bem, vendo o "vocês", o "ame mais" (como se eu não tivesse tal capacidade). Então, vejo que de premissas equivocadas você parte, chegando a um silogismo muito particular e sem sentido, quanto aos "pré-julgamentos". De outro lado, percebendo que você (aparentemente) não percebe o amor alheio, que você livremente imputa a pecha de "pouco amor", realmente pode fazer sentido para você que de, forma séria ou "engraçada", reuniões de família sejam pintadas como encontros de facistas, estes que não sabem amar mais. Reitero: busque identificar o amor no seu interior, conheça o sentimento e, então, perceberá que você pode sempre amar mais. A partir de então, saberá identificar a mesma capacidade no seu próximo, no seu irmão. Boa reflexão.

      • R.R.Rocha Postado em 11/Dec/2014 às 12:12

        Hum.......... quer saber.......... não adianta...!!! Você - e agora no singular mesmo - só quer enxergar o seu lado, supostamente atacado no texto: "reuniões de família sejam pintadas como encontros de facistas". Enquanto eu só quero ver a graça na CARICATURA. Por isso acho que a minha visão do TODO, é bem menos amargurada do que a sua e, consequentemente, mais cheia de AMOR. =D

      • R.R.Rocha Postado em 11/Dec/2014 às 12:14

        Mas nada do que eu escreva poderá lhe mostrar isso... então... beijo e até o próximo texto... =*

      • Rodrigo Postado em 11/Dec/2014 às 13:21

        (Outro Rodrigo) Fico bem triste, RR, por você não conseguir acompanhar uma discussão, querendo se despedir com nova imposição de pecha pejorativa. Mas mantenho viva a esperança de que você, um dia, encontrará o amor em si. Após, entenderá o sentimento e, então, saberá identificá-lo em seus irmãos. Falo isso de coração aberto, com todo o meu amor por você, que é meu(a) irmão(ã), pois desejo o melhor, mas não a amargura. Desejo que você encontre o amor em todos, a exemplo do que o Mestre Jesus nos ensinou: "amai o próximo, como a ti mesmo": para saber amar o próximo, é preciso saber amar a si mesmo; para compreender o amor no próximo, é preciso compreender o amor em si mesmo. A partir de então, esse aparente "efeito espelho" será deixado de lado, você deixando de ver tanta amargura em seus irmãos; o amor prevalecerá em sua visão, sendo sempre identificado. Você sempre perceberá que o outro a ama mais, ao compreender que você tem a capacidade de amar mais e sempre mais. Assim, ao contrário de seu atual momento, que admite a desistência quanto ao próximo, tenho plena convicção de que seu (e o de todos nós) momento de plena realização chegará, em continuidade à tua atual e contínua evolução. Grande e fraternal abraço a você e a todos.

  13. Thiago Nascimento Postado em 09/Dec/2014 às 12:12

    Os itens 3 e 4 funcionam muito bem. Eu mesmo já os coloquei em prática em conversas na rua. Os dois primeiros são mais complicados, pois dirão que você é bicho do mato, que sua família não ficará pra sempre no mundo, e coisas assim. hehehe. Eu sugiro também encherem bastante a cara de cerveja e ficarem ouvindo música no celular; ai, depois, é dormir!

  14. Silva Postado em 09/Dec/2014 às 13:18

    Seu perfil cesar sousa, é exatamente o definido ultraconservador e reacionário, você é uma pessoa que destila ódio pelos poros. Um hipócrita, que fala em valores morais, religiosos, mas chama a presidente de dentuça, o Lula de nove dedos. Vá se tratar, a inveja e o ódio estão te corroendo, nem no natal tu consegues ser menos odioso. A eleição já passou, volte pra realidade, por mais dura que possa ser, o Aero perdeu, mas a vida segue. Pessoas como tu é de dar pena, pobre de espirito coitadinho.

  15. Carlos Postado em 09/Dec/2014 às 15:12

    recalque

  16. rafael Postado em 09/Dec/2014 às 15:37

    Que tal mandar todos a merda e criar a sua própria família. Família não se escolhe, amigos sim. Esses, se verdadeiros, podem constituir a melhor família que existe: aquela em que há amor e respeito. Eu fiz isso, não os vejo há 16 ou 17 anos e a minha vida melhorou muito. Não sinto saudade nenhuma. Agora sim, eu tenho uma verdadeira família.

  17. André Campello Postado em 09/Dec/2014 às 15:44

    Está achando ruim a "família tradicional"? Então, desaparece de vez! Ninguém de bom senso e preservador da moral e dos bons costumes tem paciência para na noite de Natal ficar ouvindo essas idiotices marxistas, não! Agora, quando estiver passando por dificuldades na vida, por conta das péssimas escolhas, tenha dignidade e não vá bater na porta daqueles que vcs consideram "o atraso da sociedade": virem-se com os seus amiguinhos alternativos!

    • R.R.Rocha Postado em 09/Dec/2014 às 16:54

      Caramba...!!! Quanto ódio no coração, André...!!! Marxistas também amam... por que você não poderia amar também??? AME MAIS!!!

      • luis Postado em 09/Dec/2014 às 22:42

        boa resposta, destruiu ele com seus argumentos

      • R.R.Rocha Postado em 10/Dec/2014 às 10:56

        Argumentos...??? Não apresentei nenhum. Então não sei se você quis ser irônico - e propositadamente desagradável - ou se quis dar uma contribuição seria - porém inútil. Meu único ponto é a crítica a todo esse ódio espalhado nos últimos tempos. Seja por "fascistas fundamentalistas", seja por "petralhas marxistas". Disse acima e repito: AME MAIS!!!

      • luis Postado em 11/Dec/2014 às 00:40

        Aí a gente tenta dar uma contribuição, um apoio, um carinho... e é chamado de inuÚil! MAIS AMOR POR FAVOR!

      • R.R.Rocha Postado em 11/Dec/2014 às 12:17

        Desculpe-me... problemas de interpretação são comuns nesses espaços!!! =/

  18. Netinho Postado em 09/Dec/2014 às 15:48

    Seja democrático e aceite o fato de que as pessoas podem ter ideias diferentes das suas !

  19. IHateU Postado em 09/Dec/2014 às 15:58

    Pessoa, você está criticando que os seus parentes distorcem o propósito do Natal, falando de politica conservadorista. Você já está deturpando do mesmo jeito, só que com suas ideias. Gente, Natal é reunião de família. Pessoas que você pode gostar ou não, mas foram aquelas que estiveram ao seu lado e vos colocaram no mundo. Salvo algumas exceções, quando você não tive-las ao seu lado, falando besteiras e rindo na ceia de Natal, aí sim vc vai enxergar a importância. Não, nao são todos que ficam falando de política. Tem o tio chato do Pave. Até dele você vai sentir falta, então saiba aproveitar.

  20. Julia Postado em 09/Dec/2014 às 16:06

    Oi Cesar, com certeza tem alguém da sua família que deve estar com esta mesma crise do amigo do Sakamoto, pensando em qual destas alternativas ele vai usar neste natal.

  21. ricardo Postado em 09/Dec/2014 às 16:09

    Isto é verdade. as vezes as pessoas imaginam monstros aonde não existem... É claro que tem pessoas que não se permitem discutir, mas acredito que isto é uma minoria (pelo menos entre meus parentes)... Também depende do jeito que o assunto é abordado: se não for respeitoso pelo teu "inimigo"/parente, aí não tem jeito...

  22. Luís Felipe Postado em 09/Dec/2014 às 16:31

    Sugestão 6 : Que se f*da, chute o balde, argumente pesado, meta as caras e mande à m*rd* se for preciso. Família só enche o saco na maioria do tempo! hahaha

  23. Monica Postado em 09/Dec/2014 às 17:02

    Tadinho do Marx... como usam seu nome em vão. Eu adoro fazer o que sugere o último ponto. Quando algum familiar ou amigo fala algo muito absurdo pra mim e eu sei que estou sendo provoca eu apenos falo algo mais absurdo ainda. É o meu jeito de criticar e todo mundo que me conhece sabe disso. Alguem fala a maior asneira que já ouvi, aí eu transformo em algo muito pior e na maior asneira que ja disse e ouvi (rs). Então a pessoa se liga que estou debochando ou mostrando um ponto de vista exagerado, porém possível na concepção dela, e fica envergonhada ou abandona o assunto. Pode não ser a melhor forma, mas foi um jeito que encontrei para deixar de ser esmagada nas conversas de família, e eu deixei. Sempre tem alguém que depois vem se explicar dizendo que não era bem aquilo e tal e acaba perguntando sobre minha real opinião. Acho essa a parte mais legal.

    • Mauro Postado em 14/Dec/2014 às 14:21

      Interessante, mas é preciso ter criatividade!

  24. andre ps Postado em 09/Dec/2014 às 17:48

    Eu nao sei o que é natal em familia já faz tempos. Nunca tive paciência . Prefiro ficar em casa mesmo e preferência sozinho. Nao sou cristão entao nao comemoro natal nenhum.

  25. Vivian Postado em 09/Dec/2014 às 17:58

    Um bom liberal, que tenha uma cabeça aberta, tenha conversado com diferentes tipos de pessoas com diferentes tipos de vivências e opiniões, saberá conversar normalmente com a família ultraconservadora. Eu adoro conversar tanto com a parte da minha família atéia quanto com a ultra-religiosa, pois cada um deles acrescenta algo. Tem meus tios mega-liberais que acham que eu sou inferior por ter crescido em uma cidadezinha provinciana, e tem meus avós que me acham a pessoa mais perdida do mundo por ter escolhido comunicação social como área profissional. E todos eles me amam, eu amo todos, e me divirto e brigo horrores com eles. E amo minha família mais que tudo. Não é isso que o liberalismo prega? Amor? não importa as circunstâncias? Não vou menosprezar as pessoas que me criaram, me sustentaram e me amaram por opiniões diferentes. Acho que fugir de quem não tem opinião igual a sua e perder a MARAVILHOSA oportunidade de fazer essas pessoas pensarem que existe um mundo "fora da caixa" é ser super conservador. Conservador e individualista. (OBS: é maravilhoso passar as festas com os amigos, mas por escolha, e não por desprezo aos outros). Boas festas à todos!!

  26. poliana Postado em 09/Dec/2014 às 19:08

    Naro, e vc quer q as pessoas estejam dispostas a debater o extermínio de mendigos ou a proibição dos gays se beijarem em publico pq devemos "abrir as nossas mentes" pra tais ideias? Eh isso q vc quer naro? Tais ideias são legais ou ao menos razoáveis pra vc?

    • poliana Postado em 10/Dec/2014 às 09:45

      Q meigo naro. N perca seu tempo comigo n..imagine..sua inteligência e seu intelecto grandiosos, n merecem perder tempo comigo aki. Um abraço querido!

    • poliana Postado em 10/Dec/2014 às 13:42

      Kkkkkkkkk..acho q agora quem precisará usar um tom carical ala pra vc entender alguma coisa serei eu! Kkkk..bjos narinho.

  27. Juliano Postado em 09/Dec/2014 às 19:20

    Bom, se teu filho der uma desculpa pra não aparecer no natal o motivo é bem evidente.

  28. Khan Postado em 09/Dec/2014 às 19:46

    A melhor resposta é: ame-os. Sério. Se pedirem sua opinião, apenas fale: eu amo você demais para opinar qualquer coisa sobre isso. Eu quero ficar ao seu lado aqui hoje sem gerar brigas bobas. Será que podiamos fazer isso? Pronto. Aposto que qualquer parente no mundo vai ficar de boa.

  29. Paulo Caetano Postado em 09/Dec/2014 às 19:54

    Muito ruim esse texto. A sugestão 2 é contraproducente. Ficar em silêncio diante de asneiras só abre espaço para as mesmas. As ironias em 3 e 4 talvez funcionassem se fossem pontuais. Longas como se sugerem pode ter efeito contrário. E deslocar o foco para algo pior não é melhorar a situação.

  30. LaisCs Postado em 09/Dec/2014 às 20:01

    tô passando pelos mesmos problemas que quem pediu tua ajuda. até andei lendo alguns livros para melhorar meus argumentos. mas aí começo a simular conversas na minha mente e percebo que só vou me irritar pq eles simplesmente não conseguem ouvir nada que lhes desagrade ao ouvido. só para ter uma ideia, o fato de eu ser vegana os incomoda. tipo "eu não vou comer a porra da carne de vcs, vcs vão poder comer a até trancar o intestino, se tiver só alface eu não me importo. então pq vcs se importam se eu não como a po*** do churrasco????". mas agora decidi que vou fazer a última sugestão vai ser extremamente engraçado!!! quero chegar em um ponto da festa em que sugira comer carne de cachorro, para depois piorar e dizer que seria interessante comer carne de crianças natimortas!!! hahahahhaha faixa étnico-racial!!! hilário!!! hahahahah

  31. vicky Postado em 09/Dec/2014 às 20:08

    É que Natal não é a melhor época para discussões do tipo, mas tem gente que insiste.

  32. Fabi Postado em 09/Dec/2014 às 21:02

    eu adoraria passar o natal e ano novo num resort , só com minha mae ( pai falecido) e meus filhos . sem precisar fazer ceia , lavar louça, aturar irmã e sobrinhos . seria um sonho. mas como sou pobre tenho que fazer o jantar e ainda aturar gente que queria longe de mim.

  33. bianca Postado em 09/Dec/2014 às 21:37

    que drama por pouca coisa fala sério

  34. Carlos Augusto Postado em 09/Dec/2014 às 21:57

    https://www.youtube.com/watch?v=FCx8RavWikw Os comunistas combatiam esses aqui tb além do Natal.

  35. Elis Postado em 09/Dec/2014 às 23:50

    Nunca tive problemas com natal ou ano novo '-'. Sempre foi normal, nada de mais, nada de menos.

  36. Eduardo Postado em 10/Dec/2014 às 10:48

    Vocês acham mesmo que as principais pautas conservadoras se resumem a causa gay, e desumanidades com mendigos? Então me respondam: porque o Brasil nos últimos anos estimulou o transporte individial em detrimento ao transporte público entupindo nossas cidades? Porque apostamos todas nossas fichas no "Pré Sal" (matriz energética suja) enquanto o aquecimento global já se tornou irreversível? Estas são algumas pautas conservadoras que o Brasil não consegue se livrar, independente de ter um governo de direita, ou esquerda(?).

  37. Cardoso Postado em 11/Dec/2014 às 00:25

    Família = mãe, pai, esposa, filhos e irmão(s). O restante é familiar. Já deviam saber disso. Mas se estão se referindo a família, como descrevi, então nasceram de chocadeira, pra não dizer... Pintadinha