Redação Pragmatismo
Compartilhar
Saúde 03/Nov/2014 às 19:09
22
Comentários

Mulher com câncer terminal comete suicídio assistido

"Adeus, mundo". Mulher que sofria de um câncer terminal cumpriu sua promessa e morreu por suicídio assistido. A jovem de 29 anos dedicou seus últimos dias de vida a cumprir uma lista de desejos e aventuras que queria fazer antes de morrer

brittany maynard suicídio câncer
Após descobrir um tumor maligno no cérebro, americana se mudou para Estado que permite suicídio assistido (reprodução)

A americana Brittany Maynard, que sofria de um câncer no cérebro, cumpriu sua promessa e morreu por suicídio assistido no sábado, dia 1º de novembro, em sua casa no Oregon, nos Estados Unidos, de acordo com grupo Compassion and Choices.

“É com pesar que anunciamos a morte da querida e incrível mulher Brittany Maynard. Ela morreu em paz em sua cama, cercada pela sua família e entes queridos”, disse o comunicado da ONG.

Após descobrir que tinha um tumor maligno no cérebro, a jovem de 29 anos se mudou para o Oregon para se beneficiar da lei do Estado que permite o suicídio assistido.

No início da semana, ela havia divulgado uma mensagem em que cogitava adiar sua decisão de morrer, mas isso acabou não ocorrendo.

“Adeus a todos os meus queridos amigos e família que eu amo”, escreveu em sua conta no Facebook.

“Hoje é o dia que eu escolhi para morrer com dignidade por causa da minha doença terminal, esse terrível câncer no cérebro que tomou tanto de mim … mas que poderia ter tomado muito mais”, escreveu o jovem, segundo a revista Time.

“Adeus mundo”

“O mundo é um lugar bonito, viajar tem sido a minha forma de aprendizado… Agora, enquanto escrevo, tenho uma corrente de apoio em volta da minha cama … Adeus, mundo. Espalhem boas energias. Retribuam!”.

Maynard, que decidiu criar uma plataforma para arrecadar fundos para aqueles que defendem o direito à morte digna, dedicou seus últimos dias de vida a cumprir uma lista de desejos e aventuras que queria fazer antes de morrer.

“Ela era uma viajante aventureira e bem-sucedida que passou muitos meses vivendo sozinha e dando aulas em orfanatos em Katmandu, no Nepal”, diz um obituário da jovem divulgado no site www.thebrittanyfund.org e reproduzido pela organização que a assistiu, a Compassion and Choices.

“Essa experiência mudou para sempre a sua perspectiva em relação a infância, felicidade, privilégio e resultados. Ela adorou seu período no Vietnã, Camboja, Laos, Cingapura e Tailândia. Passou um verão trabalhando na Costa Rica e viajou para a Tanzânia, onde escalou o Kilimanjaro com uma amiga antes do seu casamento.”

“Ela teve aulas de escalada em Cayambe e Cotopaxi, no Equador, e era uma ávida mergulhadora, que experimentou Galápagos, Zanzibar, Ilhas Cayman e basicamente toda ilha que visitou.”

brittany maynard cancer terminal
(Imagem: AP)

Alguns dias antes de desistir da data prevista para sua morte, Brittany realizou o sonho de visitar o Grand Canyon com sua família.

“Tive a oportunidade de desfrutar meu tempo com as coisas que mais amo na vida: minha família e a natureza”, afirmou a jovem em seu blog.

Debate

A história da menina ficou conhecida por um vídeo postado no YouTube e visto por milhões de pessoas.

No vídeo, ela explicou que tomaria remédios prescritos por um médico para morrer no quarto que dividia com o marido, na companhia de entes queridos e ouvindo a música que escolheria. Evitaria, assim, as piores fases de sua doença.

A história de Maynard reacendeu o debate sobre a eutanásia nos Estados Unidos.

Maynard escolheu o dia 1º de novembro, dois dias após o aniversário de seu marido, Dan Diaz, para morrer.

Recém-casados, ela e seu marido se mudaram da Califórnia para Oregon, um dos cinco Estados dos EUA onde o suicídio assistido por médicos é permitido.

Só neste Estado, 750 pessoas foram beneficiadas com esta lei, aprovada em 1998, e morreram com a ajuda de um médico desde então.

Em um dos últimos textos que escreveu, Maynard disse que seu sonho é que todos os americanos que sofram de doença terminal possam morrer da forma como preferirem.

BBC

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. Gabriel Postado em 03/Nov/2014 às 19:48

    O estado sempre tem que intervir em tudo? A vida é minha, o corpo é meu. Porque eles tem que ditar o que eu devo ou não fazer com o que é meu?

    • junior Postado em 03/Nov/2014 às 20:14

      Se você quer fazer sózinho, pule de um prédio ou atire na própria cabeça. Garanto que ninguém vai te impedir. Mas se você vai fazer com ajuda de um médico ou outra pessoa, ai sim, o estado pode e deve interferir.

    • Clube Nautico Capibaribe Postado em 04/Nov/2014 às 01:00

      Porque E assim que se faz em uma sociedade civil civilizada. Ja imaginou se qualquer um pudesse fazer o que bem entender de si mesmo, ou a si mesmo? E o investimento wue se faz em um ser humano ate que o mesmo chegue a sua idade produtiva? Quem fez? O proprio indibiduo? Nao, claro. As pessoas nao tem que ser o que a sociedade quer sempre, porem, um individuo com o minimo de bom senso sabe que tem deveres para com a sociedade. A vida nao E como decidir se hj vai tomar sorvete de morango ou chocolate.

    • gilson Postado em 04/Nov/2014 às 01:17

      Por que somos inconstantes e a vida está em contante mudança. O que pra nós, hoje, é um problema, amanhã será um aprendizado. A fé e a esperança devem ser nossos maiores valores

    • Erondina Postado em 04/Nov/2014 às 18:14

      Vai sofrer muito mais do lado de la pq vai se ver viva, sentindo tudo e pior sem ter como ser socorrida pq suicida...todo suicida vive o drama de continuar a viver a mesma situação em q se encontrava até o momento do real desenlace....coitada...vou rogar a Jesus q a perdoe e cuide dela...a vida continua...morrer é so uma passagem de dimensão do plano físico para o espiritual, onde tudo continua a acontecer...

  2. Júlia Postado em 03/Nov/2014 às 19:54

    Que história triste. Descanse em paz, Brittany.

  3. Sophie Postado em 03/Nov/2014 às 19:55

    Há quem acredite que o suicídio é também uma forma de amor. Uma maneira de dar um "basta" no sofrimento, acreditando que o descanso da morte é melhor. A atitude dela deve ser respeitada. Ela aparentemente morreu em paz, sem sofrimentos maiores, tanto para ela quanto para os familiares. No fim das contas, a vida era dela.

    • Vanessa Postado em 04/Nov/2014 às 15:22

      Negativo meu bem Jesus soprou a vida sem ele não estaríamos nem aqui errado também quando falam que a vida é nossa nosso corpo e nossa alma é do nosso senhor Jesus Cristo leia um pouco a bíblia para entender como está pecando falando essas coisas somente ele tem o poder de decidir quem vai e quem fica Jesus te abençoe e te guarde.

  4. Brenner Postado em 03/Nov/2014 às 20:13

    Entendo que o sofrimento é grande, Insuportável, não queria está no lugar dela. Porém, este não é o primeiro caso de sofrimento de alguém com uma doença tão terrível. Antes de tirar a vida ,colocaria toda minha fé no Deus que me criou , antes de escolher a morte. JESUS poderia mudar a história dela de alguma forma . Falo isso sem hipocrisia.

    • Vanessa Postado em 04/Nov/2014 às 15:24

      Concordo plenamente o nosso Deus é o Deus do impossível basta somente ter fé e o mais ele fará infelizmente muitos não entendem isso lamentável

  5. Josê Postado em 03/Nov/2014 às 21:22

    Que seja feliz na dimensão superior como foi nesta ..

  6. Arianne Postado em 03/Nov/2014 às 21:38

    Eutanásia,deveria ser a opção de todos que sofrem de doenças incuráveis e que se encontram em estado terminal.Viver e morrer com dignidade.

  7. Janet Postado em 03/Nov/2014 às 21:52

    Que pena, ela não acreditou no Deus do impossível!

    • vanda Postado em 04/Nov/2014 às 12:41

      Deve ser pq isso aí não existe. Assim como seu respeito pela história dela.Aff.

  8. mauro Postado em 04/Nov/2014 às 00:07

    Não achei triste, a garota viveu muito mais que a maioria dos idosos, conheceu lugares que a maioria de nós nunca vai conhecer. E só pode fazer isso porque entendeu que a morte faz parte da vida e teve a oportunidade de escolher como morrer, com dignidade.

  9. marilene dutra Postado em 04/Nov/2014 às 02:22

    Muito triste , fico sem palavra. que descanse em paz.

  10. Daniela Postado em 04/Nov/2014 às 08:58

    Ao invés de ficar se lamentando... concordo Mauro...

  11. Maria de Lourdes Cardoso Postado em 04/Nov/2014 às 15:30

    Parabéns ao estado de Óregon, espero não precisar ir até lá. A morte me apavora desde um momento em que eu passei alguns segundos sem que o ar me entrasse nos pulmões. Imagina uma morte deste tipo, num sufoco, apenas te ameaçando. Sábia decisão, faria o mesmo sabendo que teria um final terrível, assim abreviou o próprio sofrimento e dos familiares. Qual a diferença entre o morrer hoje ou amanhã? Nenhuma porque o amanhã chegará.

  12. Kárita Postado em 04/Nov/2014 às 20:23

    Mt triste, nao o fato da morte em si, me desculpem os que a admiraram, mas pra mim ela nao eh nada corajosa. A morte nao é o fim pra nda, se ela estava doente foi pq precisava passar por esse processo pra resgatar algo de seu passado, simplesmente adiou seu sofrimento.

  13. leandro Postado em 04/Nov/2014 às 22:05

    Meu Deus que absurdo tirar a propria vida, sendo que só Deus pode dar e tirar a vida de alguem, lamentavél a palavra de Deus diz se creres ainda que esteja morto vivera fazerei obras maiores que fiz no passado dis Deus e porque tirar sua propria vida, meu Deus que desejo tive de orar junto a essa jovem para que Deus tivesse misericordia da alma dela e a salvase a sua alma e se fosse o seu querer e a sua vontade a libertasse deste cancer maligno que pra Deus nao é nada aos olhos do que crer,uma palavra só o meu criado sarara dis Deus mas para o que tira a sua propria vida só Deus leia a santa palavra de Deus o meu sentimentos a toda familia...

  14. Diego Bays de Siqueira Postado em 05/Nov/2014 às 09:21

    Acredito que a eutanásia deveria ser aprovada mundialmente, pois sofri da pele seis meses vendo a pessoa que mais amei e sempre vou amar que era a minha mãe se terminando aos poucos por conta de um tumor no cérebro que espalhou-se com metástases consumindo todo o corpo. Em um resumo: Ela sofria com as dores e Eu sofri por não poder fazer nada, até que no dia 28/09/2014 ela partiu extremamente debilitada por essa doença maldita.

  15. luana Postado em 19/Nov/2014 às 13:17

    A decisão foi dela, ninguém tem nada com isso. Ela viveu muita coisa que nenhum de nós poderia sonhar fazer, mas na visão dela, acabou ali, naquele momento. Foi a decisão dela. A doença muda as perspectivas das pessoas. Uns lutam de uma forma, outros de outra. Certo ou errado, não interesa, ela já escolheu.