Redação Pragmatismo
Compartilhar
Drogas 05/Nov/2014 às 17:10
12
Comentários

Maconha é legalizada em mais dois estados e um distrito dos EUA

Washington DC, capital dos EUA, legaliza uso recreativo da maconha. Oregon e Alasca também liberaram a erva em consultas populares

maconha eua uso recreativo legaliza
Capital dos EUA e mais dois estados legalizam maconha para uso recreativo nos EUA (Pragmatismo Político)

Os estados de Oregon e Alasca e o distrito de Columbia, onde está localizada a capital dos Estados Unidos, Washington, aprovaram nesta terça-feira (4) a legalização do uso da maconha para fins recreativos, com regras distintas. Eles se juntam aos estados de Colorado e Washington, que já haviam liberado a droga em anos anteriores.

Na Flórida, ao contrário, a consulta sobre a legalização referendou a posição negativa para a legalização. Assim, quatro estados e o distrito de Columbia são os locais onde a droga será liberada no país.

Em Oregon, a nova lei vai permitir a posse pessoal, o plantio e a venda para pessoas com mais de 21 anos, além de regulamentar o comércio de produção, distribuição e venda da planta. Em Columbia, porém, o ordenamento será mais rígido: cada pessoa poderá possuir, no máximo, duas gramas da droga para uso pessoal e ter até seis plantas de maconha em casa. Na capital ainda será permitida a transferência de quantias limitadas para outras pessoas, mas não a venda. As medidas são parecidas com as do Alasca, onde será permitido o porte de apenas uma grama de maconha para pessoas com mais de 21 anos.

Na capital estadunidense, no entanto, a medida gerou discórdias: por ser um distrito, e não um estado, o Congresso do país tem poder de anular leis referendadas em consultas populares, e alguns parlamentares já sinalizaram com a possibilidade de anular a decisão.

“É sempre uma batalha difícil vencer a iniciativa da legalização da maconha em um ano como este, em que os jovens estão menos propensos a votar. Assim, a vitória de hoje (terça-feira) fica mais doce”, disse um dos líderes do movimento favorável ao uso da maconha, Ethan Nadelmann, da Drug Policy Alliance.

As decisões já criaram debates em outros locais: nesta terça-feira, os jornais da Califórnia manchetaram reportagens sobre um possível plebiscito para liberar a maconha no estado em 2016. Uma lei federal nos Estados Unidos considera a maconha uma droga ilegal, assim como a cocaína e o LSD.

Entre esta quarta-feira (5) e quinta (6) serão divulgados os dados oficiais de percentuais e números de votos das eleições gerais nos Estados Unidos, que aconteceram nesta terça.

Revista Brasileiros

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. Carlos Wolf Postado em 05/Nov/2014 às 18:49

    Dois gramas, um grama e não duas gramas, uma grama. E eu nem sou jornalista.

    • Joselito Postado em 05/Nov/2014 às 21:38

      Essas gramas aí doeram mesmo. Erros primários.

  2. Samael Postado em 05/Nov/2014 às 20:50

    E aqui continua o atraso, a proibição como a das bebidas na década de 20 que criou a máfia e as bebidas feitas até de solvente de tinta. Me lembrou uma série, boardwalk empire, que começa com os mafiosos comemorando a proibição das bebidas alcoólicas. Acorda Brasil, pensem por vcs não pela cabeça dos outros.

  3. paulo Postado em 05/Nov/2014 às 23:29

    sou a favor da legalização da maconha, tendo as suas devidas restrições (dirigir sob o efeito por exemplo), mas acho que em nada mudaria nosso país, tenho plena convicção de que a maconha (legal) seria bem mais cara do que a do "morro", logo legalizar maconha no brasil ao meu ver só iria facilitar a vida dos mais ricos que teria condições de ir nos "coffe shop", as verdadeiras vitimas do trafico continuariam, acho que a maconha tem que ser legalizada mesmo tendo certeza de que nada na violencia irá mudar.

    • Pedro Postado em 06/Nov/2014 às 01:46

      Se liberar o plantio o usuário não irá precisar comprar nunca.

    • Danila Postado em 06/Nov/2014 às 09:31

      Penso como vc Paulo. Será um produto com alta carga tributária. E sendo difícil fiscalizar o plantio em casa, vai ter um pessoa vendendo em cada quarteirão.

      • Gabriel Gabo Postado em 06/Nov/2014 às 09:56

        E qual o problema? Tem um bar a cada esquina que vende álcool e cigarro, que qualquer pessoa que faz uma pesquisa de 10 minutos sabe serem bem mais nocivos à saúde do que a maconha. Eu não fumo maconha, mas acho tão retrograda e imperialista uma lei que impede uma pessoa a fazer uso do que bem entender com e no próprio corpo, que claro, que não cause consequências à terceiros.

      • Samael Postado em 06/Nov/2014 às 11:17

        Se todo mundo plantar e vender quem vai compar? Não tem logica né?

      • Danila Postado em 06/Nov/2014 às 11:47

        Gabriel eu tb acho q as pessoas deveriam ser livres pra escolher o q consome. E acho a maior hipocresia esse negócio de drogas "permitidas" e "proibidas". Mas respondendo sua pergunta: o problema seria infração da lei, pois o plantio só seria permitido para consumo próprio (baseados nesses exemplos dos USA).

      • paulo Postado em 06/Nov/2014 às 12:04

        acho que o menor dos males é o plantio! venhamos e convenhamos a pessoa teria que ter muito amor para ter a paciencia de plantar ou saber a plantar (todo mundo sabe que nao é so jogar a semente no chão e achar que vai brotar um pé da noite pro dia) do mesmo jeito que todo mundo sabe gravar um dvd pirata baixado da internet mas prefere comprar do camelo! o mercado informal de maconha nao irá diminuir! os unicos beneficiados irão ser aqueles que podem pagar alto valor na grama! os pobres continuarão indo nas bocas de fumo comprar! se querem legalizar a maconha que legalizem! mas sem alegar que a legalização irá diminuir o trafico pois não irá! os traficantes assim como qualquer outro comerciante se adaptam ao mercado.

      • paulo Postado em 06/Nov/2014 às 12:06

        danila em relação a liberação do consumo como voce falou eu pessoalmente ja discordo principalmente em drogas destruidoras a curto prazo (crack) pois quem paga a conta pro tratamento ou pela ressocialização do mesmo é o ESTADO logo somos NÓS! por isso a carga de 370% no preço do cigarro, justamente para bancar o tratamento de fumantes doentes ou fumantes querendo parar.

      • Samael Postado em 06/Nov/2014 às 13:30

        Discordo de você Paulo, plantar não é tão difícil assim é lógico que é diferente de conseguir qualidades diferentes e misturar brotos pra conseguir efeitos diversos, mas não acho que quem consome ia preferir os riscos de ir numa boca de fumo do que um mercado legalizado em que vc pode escolher diferentes produtos entre pães e doces, quanto as taxas sinceramente, acho muito inflacionadas pelos traficantes, eles não pagam impostos, mas pagam armas, propinas e a dificuldade de distribuição encarece bastante, na década de 70 era barato comprar até um quilo, o que eu acho que aconteceria seria que não acabaria com o trafico, mas ele ia perder quase 70% do poder, acho que mesmo com taxas iguais do cigarro ia ser bem mais barato que o mesmo.