Redação Pragmatismo
Compartilhar
opinião 11/Nov/2014 às 13:02
11
Comentários

Leonardo Boff: para os que querem abandonar o Brasil

Podemos tolerar a arrogância e a resistência dos poderosos e dos parlamentares, o que não podemos é defraudar a esperança de um povo. Para os que querem sair do Brasil: fiquem nessa esplêndida Terra e ajudem-nos a construir esse sonho bom

Por Leonardo Boff*

É espantoso ler nos jornais e mensagens nas redes sociais e mesmo em inteiros youtubes a quantidade de pessoas, geralmente das classes altas ou os ditos “famosos” que lhes custa digerir a vitória eleitoral da reeleita Dilma Rousseff do PT. Externam ódio e raiva, usando palavras tiradas da escatologia (não da teológica que trata dos fins últimos do ser humano e do universo) e da baixa pornografia para insultar o povo brasileiro, especialmente os nordestinos.

Estas pessoas não vivem no Brasil, mas, em geral, no Leblon e em Ipanema ou nos Jardins da cidade de São Paulo onde se albergam, em sua maioria, os pertencentes às classes opulentas (aquelas 5 mil famílias que, segundo M. Porchmann, detém 43% do PIB nacional). Muitas delas não se sentem povo brasileiro. Externam até vergonha. Mas estão aqui porque neste país é mais fácil enricar, embora o desfrute mesmo é em feito em Miami, Nova York, Paris ou Londres, pois muitos deles têm lá casas ou apartamentos.

Alguns mais exacerbados, mas com parquíssima audiência, sugerem até separar o Brasil em dois: o sudeste rico de um lado e o resto (para eles, o resto mesmo) do outro, especialmente o Nordeste.

VEJA TAMBÉM: Ariano Suassuna: ser de esquerda ou de direita?

Acresce a isso o Parlamento brasileiro, a maioria eleita com muito dinheiro, que mal representa o povo. Finge que escutou o clamor dos ruas em junho de 2013 demandando reformas, especialmente na política, no sistema de educação e de saúde e uma melhor mobilidade urbana e não em último lugar a segurança e a transparência na coisa pública. Mas já esqueceu tudo. Rejeitou o projeto do governo, no rescaldo da reeleição, que visava ordenar e dar mais espaço à participação dos movimentos sociais na condução da política nacional, respeitadas as instituições consagradas pela Constituição.

Tal fato nos remete ao que Darcy Ribeiro diz em seu esplêndido livro que deveria ser lido em todas as escolas, “O povo brasileiro: a formação e o sentido do Brasil”(1995). Aí diz o grande antropólogo, indigenista, político e educador: ”O ruim no Brasil e efetivo fator do atraso, é o modo de ordenação da sociedade, estruturada contra os interesses da população, desde sempre sangrada para servir a desígnios alheios e opostos aos seus… O que houve e há é uma minoria dominante, espantosamente eficaz na formulação e manutenção de seu próprio projeto de prosperidade, sempre pronta a esmagar qualquer ameaça de reforma da ordem social vigente”(p.446).

Esta afirmação nos concede entender por que a presidenta Dilma quer uma reforma política que não venha de cima, do Congresso, porque este sempre se oporá ao que possa contradizer os seus indecentes privilégios. Deve partir debaixo, ouvindo os reclamos do povo brasileiro. Quem aprendeu em 500 anos a sobreviver na pobreza senão na miséria, colheu muita experiência e sabedoria a ser testemunhada e repercutida na nova ordenação político-social do Brasil. Ouvi de um sacerdote que viveu sempre na favela: ”Há um evangelho escondido no coração do povo humilde e importa que o leiamos e escutemos”. Vale a mesma coisa para as várias reformas desejadas pela maioria da população: auscultar o que se aninha no coração do povo e dos invisíveis.

Podemos tolerar a arrogância e a resistência dos poderosos e dos parlamentares, o que não podemos é defraudar a esperança de todo um povo. Ele não merece isso depois de tanto suor, sacrifícios e lágrimas. Ele precisa voltar às ruas e renovar com mais contundência e ordenadamente o que irrompeu em junho do ano passado. O feijão só cozinha bem em panela de pressão. Da mesma forma, o parlamento abandona sua inércia quando é posto sob pressão, como se constatou no ano passado.

Voltemos a Darcy Ribeiro, um dos que melhor estudou e compreendeu a singularidade do povo brasileiro. Uma coisa são os povos transplantados como nos USA, no Canadá e na Austrália. Eles reproduziram os moldes dos países europeus de onde vieram. No Brasil foi diferente. Ocorreu uma das maiores miscigenações da história conhecida da humanidade. Misturaram-se entre si índios, afro-descentes, europeus, árabes e orientais. Criaram um novo tipo de gente. Diz Darcy: ”o nosso desafio é de reinventar o humano, criando um novo gênero de gentes, diferentes de quantas haja”(p.447). Diz mais: ”olhando todas estas gentes e ouvindo-as é fácil perceber que são, de fato, uma nova romanidade, uma romanidade tardia mas melhor, porque lavada em sangue índio e sangue negro”(p.447).

VEJA TAMBÉM: O dia depois de amanhã: mais amor, menos ódio

Não me furto em citar estas palavras proféticas com as quais fecha seu livro “O povo brasileiro”: “O Brasil é já a maior das nações neolatinas… Estamos nos construindo na luta para florescer amanhã como uma nova civilização, mestiça, tropical, orgulhosa de si mesma. Mais alegre, porque mais sofrida. Melhor porque incorpora em si mesma mais humanidades. Mais generosa, porque aberta à convivência com todas as raças e todas as culturas e porque assentada na mais bela e luminosa província da Terra”(p.449).

Para os que querem sair do Brasil: fiquem nessa esplêndida Terra e ajudem-nos a construir esse sonho bom.

*Leonardo Boff é teólogo, filósofo e escritor

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. enganado Postado em 11/Nov/2014 às 19:26

    Acrescentando ao BRASILEIRÍSSIMO, Darcy Ribeiro. "Enquanto florescia em todo Brasil a arte barroca, nos EUA as casas eram construídas de tábuas, troca de tiros, roubos de terras ..." , e vai por aí!

  2. Denisbaldo Postado em 11/Nov/2014 às 20:29

    Bravo!!!

    • Denisbaldo Postado em 11/Nov/2014 às 20:45

      Grande resposta para os PT-maníacos que criticaram as manifestações populares de 2013: "Ele (o povo) precisa voltar às ruas e renovar com mais contundência e ordenadamente o que irrompeu em junho do ano passado" - Leonardo Boff.

  3. Marcos Postado em 11/Nov/2014 às 21:32

    No papel tudo é bonito! o papel aceita tudo... até merda! Somos roubados a 500 anos e não vai ser agora que vai mudar, independente do governo. Triste é confiar num partido que se diz trabalhador e vê-lo sendo igual ou pior do que os outros. Se bem que tem um ditado que diz que quem nunca comeu melado, quando come se lambuza... então tá ai... Não sou de classe abastada, sou um simples trabalhador que se tivesse oportunidade de mudar desse país já o teria feito. Ir para a terra das oportunidades, poder ter uma vida digna tendo somente UM emprego. Ter acesso aos bens de consumo sem ser roubado como somos aqui no Brasil. Ter segurança, saúde e leis que funcionem. Temos que ir pra onde nos tratam bem. Haitianos vem para o Brasil porque na concepção deles o Haiti é uma merda e o Brasil representa oportunidades com os cubanos a mesma coisa, com o povo de Governador Valadares a mesma coisa. Chega uma hora que cansa. Mudar o país é trabalho de 1 ou 2 gerações se houver muito boa vontade ou ou trauma muito grande (Alemanha, Japão, Coréia...) mas como aqui boa vontade não existe, melhor é ir mesmo. Vá Amigo, para o lugar que te trate bem, e com a consciência tranquila. Aqui você não está perdendo nada.

  4. Deisi Postado em 12/Nov/2014 às 09:54

    Não dá para entender você souza, vive no pragmatismo, pedindo que publiquem notícias que lê no UOL, IG, e TERRA, quanto arrogância! Vê se se enxerga moço! A Marta é do PT de São Paulo, antiga participante do TV Mulher da Globo, só mais uma que tucanou, como a Marina BLABLABA e a velha raposa Sarney. Não duvido que ela foi com adesivo da Dilma e votou no 45. Muda o discurso moço, a eleição terminou, graças a Deus com vitória da Dilma. A evolução faz parte da vida, crescer e aprender também.

    • Denisbaldo Postado em 12/Nov/2014 às 19:56

      Cara Deise, não culpe São Paulo por este fato. Não só a Marta é de São Paulo, mas todo o PT foi fundado em São Paulo. Lula ainda mora em SBC e foi lá onde tudo começou. Não se esqueça das origens de tudo isso, e também não se esqueça dos 8,5 milhões de votos que a Dilma obteve em SP. 15% de todos aqueles que ela conseguiu no segundo turno. De uma hora para outra parece que SP é culpado por tucanos e coxinhas, quando na verdade somos responsáveis por uma bela parcela da história deste governo do PT. Mais cuidado ao pronunciar o nome deste Estado, por favor.

  5. Marcola Postado em 12/Nov/2014 às 10:53

    Não, vou esperar mais quatro ano, ver o Brasil quebrar, e que se foda! Não acho que o Aécio seria bom, mas dos males o menor. Sou contra esse exagero de programas sociais, sim, pois não há fiscalização, deveria haver incentivos (ganhe Bolsa, mas desde que trabalhe e/ou estude)...Tem muito nego pensando em ter filho para ganhar mais dinheiro do governo corrupto. Quero ver o circo pegar fogo, que o país entre em guerra, só com muito sangue pra esse povo dar valor. O texta está ótimo, mas a esperança que surgiu no meu ser em 2013 foi assassinada pelo próprio povo brasileiro! A quem for comentar logo abaixo, só dei minha ignorante opinião!

  6. Paulo Israel Postado em 14/Nov/2014 às 10:34

    O salário mínimo brasileiro em 2014 é de R$ 724. O salário recebido por um congressista é quase 37 vezes maior que o mínimo, o que é desrespeitoso com a população, cuja grande parte vive com pouco mais de um mínimo.Cabe lembrar ainda que os congressistas além do salário recebem apartamento funcional ou auxílio-moradia de R$ 3.800 e possuem verba de até R$ 44.200 mensais para gastos com atividade parlamentar como aluguel de escritório e passagens aéreas. A falta de bom senso não está apenas no executivo e legislativo mas também no judiciário...por isso criticam tanto as política assistecialistas, fazem de tudo para manterem-se na zona de conforto, não querem distrbução de renda, dizem, não ao bolsa escola, bolsa família, programas responsáveis por tirar boa parte da população , brasileira da miséria...Elite brasileira, uma das classes mais egoísta deste planeta...

  7. juliano Postado em 15/Jun/2015 às 19:08

    morar nos estados unidos eles querem, mas abandonar seus negocios e lezam os coitados daqui... nao ne?

  8. enganado Postado em 16/Jun/2015 às 21:52

    Ah sim! Dê os nomes dos rabinos que abençoam os tanques de guerra de iSSraHell, granadas, canhões, ou seja, todo tipo de armamento que são utilizados para assassinarem as Crianças PALESTINAS? Vamos dê nome aos burros e não fique criticando as atitudes dos semelhantes aos seus rabinos que se escondem atrás de metralhadoras do seu covarde exército de iSSraHell. Não se esqueça de pedir autógrafos das Crianças JudiaSS que mandam suas mensagem escrevendo com giz em granadas de Tanques para que acertem o alvo, ou seja, PALESTINOS. Não se esqueça de perguntar o que elas faziam dentro de uma base militar, e deem o nome delas TODAS para que todo mundo saiba como anda a lavagem cerebral dos menores em iSSraHell. Engraçado, TODOS os judeuSS sempre fogem COVARDEMENTE desta pergunta: Por que ocupar GAZA e Cisjordânia. Por que tanta matança? Em nome de quem? E Por que? ... Não me canso de repetir tantas perguntas e SEMPRE vem com as MESMAS EVASIVAS. Nunca me cansarei de GAZA e CISJORDÂNIA.

  9. enganado Postado em 16/Jun/2015 às 21:40

    Vc não tem vergonha de ter memória curta! Como foi mesmo o governim do seu ídolo FHC? Só veja os números e passe também a degradá-lo, mas cuidado com o seu salário pago pelo NED e/ou AIPAC. Olha aí, descaramento faz mal alma, ou será que judeuSS não tem alma?