Redação Pragmatismo
Compartilhar
Mobilidade Urbana 10/Nov/2014 às 17:14
28
Comentários

Helsinki pretende acabar com os carros num futuro próximo

Helsinki, capital da Finlândia, pode dar adeus ao transporte individual automotivo a partir de 2015. Testes para sistema impressionante de integração entre veículos urbanos tomam forma e jovens cidadãos não querem sequer saber de comprar carros

helsinki finlândia carros transporte
Helsinki, Finlândia. Cidade pretende acabar com o transporte individual automotivo a partir de 2015 (Foto: Alvaro Sanchez)

EcoDesenvolvimento

Dispor de um sistema de transporte público confiável e eficiente é uma meta de muitas cidades para desincentivar o uso dos automóveis e, assim, evitar os danos ambientais que eles causam. Há poucos dias, o poder público de Helsinki (Finlândia) anunciou um ambicioso plano que busca fazer, a partir do próximo ano, com que seus cidadãos não tenham motivos para utilizar os carros em 2025.

A meta, nesse sentido, é integrar vários modais ao seu sistema de transporte público. A engenheira de transporte do Departamento de Planejamento de Helsinki, Sonja Heikkilä, destaca que o plano não pretende proibir os automóveis, mas entregar mais opções de mobilidade sustentável com o objetivo de que as pessoas sintam-se completas com o transporte público.

VEJA TAMBÉM: Já pensou em receber dinheiro para ir de bicicleta ao trabalho?

O objetivo, segundo a engenheira, é mudar o paradigma de como nos movemos dentro da cidade – um tema complexo, porque muitas pessoas não querem renunciar aos seus carros, mas é possível pois a maioria está interessada em cuidar do meio ambiente e poupar dinheiro.

Para muitos jovens, o carro não é mais o símbolo de status que foi para seus pais, aponta Heikkilä ao Helsinki Times, com base em pesquisas. Essa percepção acerca da juventude é uma das apostas da capital finlandesa para que o plano seja um sucesso, levando-se em conta que um sistema de transporte público eficiente ajudaria a manter tal paradigma pelos próximos dez anos.

Demanda

O projeto de Helsinki, cidade com cerca de 600 mil habitantes, é baseado no conceito de que o transporte público precisa atender a uma demanda personalizada da população. Assim, quando uma pessoa precisar de transporte, poderá planejar sua viagem em aplicativos para smartphones nos quais sejam indicados horários, origem e destino, e se prefere ônibus, bicicletas, táxis, metrôs ou trens, para uso individual ou compartilhado com outros usuários.

A forma de pagamento estaria centrada em uma plataforma universal, independentemente do meio de transporte escolhido. Uma das opções sugere que os cidadãos paguem pelos serviços conforme o número de quilômetros percorridos. Outra alternativa propõe que se possam comprar quilômetros mensais.

É possível?

Atualmente, o transporte público de Helsinki é operado unicamente pela Autoridade de Transporte Regional. Heikkilä acredita que o plano poderia funcionar melhor em 2025 com a inclusão de outros operadores.

Por enquanto, está previsto que o plano funcione no final de 2014, numa versão piloto, em Valilla, um bairro central da cidade finlandesa, com o intuito de que seja ampliado posteriormente para outras áreas de Helsinki.

Um projeto semelhante tem sido desenvolvido em Hamburgo, na Alemanha, batizado de Green Network. Lançado em 2013, o plano busca eliminar o uso dos automóveis nos próximos 20 anos por meio da conexão com todas as áreas verdes da cidade, pelas quais os cidadãos poderão chegar a diferentes lugares caminhando ou de bicicleta.

O vídeo a seguir mostra um pouco como funcionam os trens/micro-ônibus de Helsinki, capital da Finlândia:

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. Antonio Passos Postado em 10/Nov/2014 às 17:45

    Para isto é preciso, antes de mais nada, de COMPETÊNCIA. Aqui no RJ fizeram uma obra gigantesca na Av.das Américas, maior via da zona oeste, com duplicações e BRT,e não tiveram a capacidade de fazer uma ciclovia. Sobre as demais obras, o BRT não vem atendendo a demanda e o trânsito de carros continua um inferno por causa de falta de pistas e excesso de sinais. É o padrão nacional de qualidade.

    • Mari Postado em 11/Nov/2014 às 20:41

      É falta de pistas ou é excesso de carros?

  2. Víctor Marcelino Postado em 10/Nov/2014 às 18:00

    Enquanto isso aqui no Brasil, contradições sempre aparecem no quesito transporte público. Estamos cansados de nos aprendermos em latas de sardinha, pagamos muito caro por um serviço pífio. Ando de ônibus todos os dias para a faculdade e sei bem do que estou dizendo.

  3. Renato Postado em 10/Nov/2014 às 18:43

    Aqui no Brasil, o transporte público incentiva o uso do individual. O problema não é nem financeiro, mas de consciência. O brasileiro em geral não o mínimo senso de comunidade, infelizmente.

  4. arthur Postado em 10/Nov/2014 às 19:02

    Isso é a coisa mais fácil de se fazer. Os trams são rápidos em tudo, da montagem ao funcionamento. E a culpa não é do brasileiro. A culpa é dos Arquitetos e Urbanistas nacionais, frouxos para peitarem os governos e prefeituras.

    • André Postado em 12/Nov/2014 às 10:04

      Culpa dos arquitetos e urbanistas? Pensa direito no que está falando... O governo é que tem rabo preso com as montadoras e não tem interesse nenhum em deixar de vender carros, danem-se os engarrafamentos, poluição e etc...

      • Ivonaldo Postado em 12/Nov/2014 às 16:32

        De fato. Profissionais apenas procuram fazer o que é solicitado. Não são tomadores de decisões. Se não fizerem o que se solicita, procura-se outro. O máximo que podem fazer é introduzir pequenas inovações na concepção, dependendo da escola de formação e da sua forma de perceber/lidar com o problema.

  5. ATILA Postado em 10/Nov/2014 às 20:49

    O brasil nem de longe tem condições de tentar um plano tão ambicioso,a mudança no meio de transporte é o mais simples que existe nessa história, são as condições de educação,conservação do patrimônio público e segurança, que estão impregnados nos brasileiros de maneira totalmente distorcida o que impossibilita qualquer desenvolvimento desta natureza, infelizmente.

  6. Dorval Petrarca Vignol Postado em 10/Nov/2014 às 21:37

    Renato, disseste tudo, com muita propriedade.

  7. Filipe Inácio Postado em 10/Nov/2014 às 22:28

    Nada melhor do que uma população consciente e coerente ! Parabéns aos finlandeses.

  8. Uriel Postado em 10/Nov/2014 às 22:42

    Vale lembrar que os sistemas de transporte público em toda a escandináveis estão nas mãos do ESTADO.

  9. Selton Postado em 10/Nov/2014 às 22:46

    Acho que não se pode tomar esta ideia como uma qualquer. Requer-se coragem! Aqui no Brasil, nossa mente ainda é muito antolhada a carro. Pudera, o transporte público é sucateado.

  10. Almir Casto Coelho Postado em 10/Nov/2014 às 22:59

    Sou um proficional do transporte, atualmente estou desempregado adoraria ver em pais um sistema moderno desse, quem sabe um dia.

  11. josivaldo Postado em 10/Nov/2014 às 23:20

    Aqui no Brasil com uma obra dessas os políticos iam ficar felizes porque era mais uma chave para eles aproveitarem e meter a mão no nosso dinheiro. Bando de corruptos,ladroes.

  12. pilot-BR Postado em 11/Nov/2014 às 03:14

    Credo... Que triste! Eu quero andar é de V8... Enquanto puder e viver!

    • Michelle Postado em 11/Nov/2014 às 19:22

      carros não vão ser proibidos!

  13. Herculys Postado em 11/Nov/2014 às 05:58

    Aqui em Budapeste o sistema de transporte é muito eficiente alem de ser todo integrado, ônibus, trem, tram, metro e barco. Embora seja cheio nas horas de picoe quando chove mas todos os pontos principais tem paineis avisando quanto tempo falta para o proximo onibus/metro/tram chegar. Aqui não se espera mais que 5 min pra um transporte.

  14. Pablo Postado em 11/Nov/2014 às 09:19

    Em Porto Alegre, por exemplo, o transporte coletivo está nas mãos de uma máfia há muitos anos. Parentes de dirigentes da ATP, que é como se denominam, são contratados como cargos de confiança nas esferas públicas e a tarifa é decidia a portas fechadas com base em uma planilha onde vários números não são claros de onde veem.

  15. felipe Postado em 11/Nov/2014 às 11:02

    No Brasil transporte público não é incentivado porque temos grandes multinacionais de automóveis e a petrobras dentre outtras refinarias, o mercado precisa de consumidores rsrs A bagunça do Brasil não se trata de um projeto.

  16. James Postado em 11/Nov/2014 às 11:41

    Que bom que o metrô de Salvador que demorou mais de 13 anos para ficar pronto e já saiu dos trilhos em poucos meses de operação já está quase pronto. Só devem faltar mais uns 30 anos para concluírem. Ainda bem que não é subterrâneo. =/

  17. sergio ribeiro Postado em 11/Nov/2014 às 14:27

    No Brasil, e principalmente aqui em SP, pensa-se que transporte público é coisa de pobre. Aí esse classe média burra vai a Paris ou Londres e acha tudo uma maravilha.

  18. George Postado em 11/Nov/2014 às 15:01

    Aqui em Curitiba, onde transporte público é considerado modelo, ano passado tivemos uma CPI na câmara dos vereadores que simplesmente recomendou que as concessões em vigor, licitadas em 2013, fossem anuladas e os responsáveis, agentes públicos e empresários do transporte, levados às barras dos tribunais. Como nada se fez, as planilhas de custo, totalmente distorcidas, explodiram e, mesmo com o aumento da tarifa hoje, ainda será preciso subsidiar a passagem. Está na hora de voltar às ruas, porque, pelo jeito, ñ entenderam o recado dado ano passado...

  19. Alexsandro Postado em 11/Nov/2014 às 17:32

    Nem falo em Brasil... Os exemplos deveriam vir de pequenas cidades... Hoje uma cidade de interior com 30 mil habitantes já é o caos.... Gostaria de ver essas cidades que tem um potencial turístico muito grande começar a se articularem neste sentido, como por exemplo em Gramado/RS.

  20. Pedro Augusto Postado em 11/Nov/2014 às 17:38

    População da Finlândia inteira - 5 348 3571 hab. População do Rio de Janeiro - 6.320.446 hab.

  21. Tassio Postado em 12/Nov/2014 às 00:30

    "Para muitos jovens, o carro não é mais o símbolo de status que foi para seus pais," Só isso aí já é um tremendo de um avanço!!

  22. Solange Postado em 12/Nov/2014 às 11:32

    O modelo poderia ser adaptado inicialmente para as regiões turísticas com a finalidade de mostrar os resultados em pequena escala .

  23. Elizabeth Aquino Marques Postado em 12/Nov/2014 às 17:22

    Para isso é preciso infraestrutura...Segurança e transportes públicos de qualidade em abundância em todos os bairros do país, sem falar nos baixos custos...

  24. Valderi Felizado da Silva Postado em 13/Nov/2014 às 13:00

    E para as emergências, levar um recém-nascido no hospital às 18:30? Ou pegar as compras do mês em supermercado há vários quilômetros de distância? Ou transportar um equipamento para o conserto? Conceitos assim só funcionam em cidades planas e médias. Berlim, Londres, NY, LA, Tókio, SP, Rio ainda precisam, e muito, dos indispensáveis carros. Infelizmente