Redação Pragmatismo
Compartilhar
Economia 19/Nov/2014 às 16:45
4
Comentários

Desemprego em outubro é o menor desde o início da série histórica

Taxa de desemprego de 4,7% é a menor para o mês de outubro. Pesquisa Mensal de Emprego e Desemprego do IBGE aponta estabilidade em nível de ocupação e aumento de renda em todas as seis regiões pesquisadas

emprego desemprego brasil
Taxa de desemprego no Brasil é uma das melhores do mundo (divulgação)

A taxa de desocupação brasileira ficou estável em outubro, em 4,7%, divulgou hoje (19) o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. O desemprego foi 0,2 ponto percentual menor que o registrado em setembro, de 4,9%. O índice é também inferior aos 5,2% de outubro do ano passado. É a menor taxa para o mês de outubro desde o inicio da série histórica, em março de 2002

Os números levantados pela Pesquisa Mensal do Emprego (PME) se referem a seis regiões metropolitanas: Belo Horizonte, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo.

De acordo com a pesquisa, a população desocupada, estimada em 1,1 milhão de pessoas nos locais pesquisados, permaneceu estável em relação a setembro, e caiu 10,1% ante outubro do ano passado. São classificadas dessa forma as pessoas que tomaram alguma providência para procurar emprego e não encontraram.

Foi registrada estabilidade no número de trabalhadores com carteira assinada no setor privado, que se manteve em cerca de 11,7 milhões nas duas bases de comparação. Já a população não economicamente ativa subiu na comparação com mesmo mês do ano passado, com alta de 3,3%.

O nível de ocupação, que mede o percentual de pessoas ocupadas dentro da população em idade ativa, ficou em 53,6%, com crescimento de 0,4 ponto percentual ante setembro e queda de 0,6 ponto percentual na comparação com outubro.

Regionalmente, a análise mensal mostrou que a taxa de desocupação na região metropolitana de Salvador caiu 1,8 ponto percentual (de 10,3% para 8,5%) e nas demais regiões não variou. Em relação a outubro de 2013, a taxa subiu 1,6 ponto percentual em Porto Alegre (de 3,0% para 4,6%) e caiu 1,2 ponto percentual em São Paulo (de 5,6% para 4,4%). Nas demais regiões não foi observada variação significativa.

Rendimento médio aumenta

Regionalmente, em relação a setembro, o rendimento cresceu em Salvador (9,7%), Belo Horizonte (4,6%), Rio de Janeiro (0,8%) e São Paulo (2,8%); caiu em Porto Alegre (-1,8%) e não se alterou em Recife. Na comparação com outubro de 2013, o rendimento apresentou acréscimo em todas as regiões, com destaque para o Rio de Janeiro (8,6%) e Recife (8,4%).

Agência Brasil e RBA

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Tags

Recomendados para você

Comentários

  1. Eduardo Postado em 19/Nov/2014 às 20:45

    au au au e os camelos já se vão longe..... querem por que querem holofotes na Petrobrás, só que a estrela brilha em outros setores.... emprego.... é igual a comida na mesa.... se fosse novidade essa cachorrada dava até para aceitar tanto confete, mas isso é rotina num país que está se descobrindo a cada dia.... desde 1500....

  2. Deco Postado em 20/Nov/2014 às 12:34

    Importante dizer que, a regra foi mudada durante o jogo. Enquanto antes se considerava, hoje não consideramos desempregados os que não procuram. Ou seja, o PT alcançando objetivos através de maquiagem de dados... mais ou menos o que estão fazendo com a meta fiscal.

  3. kleiton Postado em 20/Nov/2014 às 17:45

    Faltou dizer? Eles sabem... não dizem porque o importante é nos repassar bons números.

    • Renan Postado em 21/Nov/2014 às 13:38

      Não falta dizer, o importante é repassar dados que interessem as conveniências do partidão, bem como de seus BLOSTAS, que vão espalhar a notícia. Ou seja, não falta dizer, eles não precisam dizer, só precisam maquiar estatísticas, omitir dados, para que as coisas possam ser exatamente do modo que querem passar.