Redação Pragmatismo
Compartilhar
PSDB 21/Nov/2014 às 17:36
16
Comentários

Deputado mais rico do Brasil diz que não pode arcar com despesa de R$ 910

Alfredo Kaefer psdb deputado rico
O deputado federal Alfredo Kaefer (PSDB-PR) declarou a Justiça Eleitoral o maior patrimônio entre os candidatos que garantiram uma vaga na Câmara dos Deputados

Revista Fórum

O deputado federal Alfredo Kaefer (PSDB-PR) concentra o maior patrimônio declarado à Justiça Eleitoral entre os candidatos que garantiram uma vaga na Câmara dos Deputados no último pleito. No entanto, negou o pagamento de menos de mil reais em um processo, alegando não ter condições financeiras para arcar com a despesa.

Após responder a uma ação judicial e ser condenado, ele precisou assumir todos os custos do processo, que inclui, entre outros, o pagamento de honorários dos advogados das partes envolvidas. Porém, ele disse à Justiça que não tem como pagar o valor, correspondente a R$ 910.

De acordo com a decisão publicada na quarta-feira (19), a juíza da 1ª Vara Cível de Cascavel, no oeste do Paraná, Gabrielle Britto de Oliveira, negou o pedido de benefício de assistência judiciária integral, por acreditar que o político agiu de má fé. “Não é crível que o embargante [Alfredo Kaefer], com patrimônio declarado de mais de 100 milhões de reais, teria sua situação financeira abalada pelo pagamento das custas do processo. Seria, no mínimo, total falta de bom senso acreditar nisso”, escreveu na decisão.

O deputado não comprovou que o pagamento causaria desequilíbrio financeiro ou atingiria a manutenção das necessidades da família. Kaefer tem o prazo de dez dias após o recebimento da notificação, para pagar, em até dez vezes, as custas do processo.

Reeleito com 82.554 votos para o terceiro mandato, o empresário possui, segundo a declaração de bens, R$ 108,5 milhões divididos principalmente em créditos da venda de ações e em cotas de empresas de seguro e de previdência privada, do frigorífico Diplomata e dos jornais Hoje e O Paraná (RCK Comunicações), da cidade de Cascavel (PR).

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. Rocken Postado em 21/Nov/2014 às 20:46

    esse cara nasceu e cresceu aqui na minha cidade mas é agora eleito por Cascavel, cidade vizinha da minha, seu pai era um tratador de porcos e acabou erguendo um império dos negócios, pessoas da minha família, inclusive minha mãe e meu pai, conhecem os Kaefer desde criança, sempre admiraram muito o pai mas sempre tiveram nojo do tal deputado, tinha que ser do PSDB mesmo, até os políticos do PP e da região são bons, mas este ai é um traste

    • Iolanda dos Anjos Chini Postado em 22/Nov/2014 às 20:08

      Essa "minha cidade" seria Toledo?Ai que vergonha!

    • Lindolfo Bomfim Postado em 23/Nov/2014 às 16:21

      Então já que ele foi eleito, representa milhares de trastes iguais que votaram nele!

      • Paulo Rozendo Ferreira Postado em 14/Feb/2015 às 12:27

        Tem pessoas que só pensam no momento de receberem algum para dá volto a esses ladões, Receita Federal nele, Talves de tanto o pai dele criar porcos , ele incorpourol o espírito de PORCO

    • Cristina Ferreira Postado em 24/Nov/2014 às 09:58

      pessoas se vocês como eu estão cansados de tanta sujeira, lameira e tiração de sarro com o povo brasileiro, a nossa única esperança é fazer reformar a estrutura política eleitoral brasileira: ******PROPOSTAS DE REFORMA POLÍTICA JÁ!!****** 1- Instituição do voto distrital (Estado dividido em distritos e cada distritos eleger um deputado. Saiba mais sobre o que é o voto distrital aqui: http://www.euvotodistrital.org.br/); 2- Instituição do voto facultativo e fim do voto obrigatório; 3- Instituição da revogabilidade de mandatos (O candidato tem que registrar as promessas de campanha na justiça eleitoral - caso não cumpra alguma, perde o mandato); 4- Candidaturas avulsas, ou seja, qualquer cidadão sem filiação a partido poderá se candidatar (vai ter que recolher 1% de assinaturas daquele eleitorado que vai disputar); 5- Caso a pessoa seja eleita para um cargo e seja indicada para outro, tem que renunciar o cargo anterior (Exemplo, a Senadora Hillary Clinton teve que renunciar o cargo de senadora quando foi indicada para Secretária de Estado Americana). 6- Proibir doação privada em campanha política.(Isso impedirá que os políticos fiquem comprometidos com interesses de empresários que financiaram sua campanha.)Também faz parte da proposta que a Justiça faça licitações e os prestadores de serviço que oferecerem menor preço farão serviços iguais para políticos, com panfletos iguais, tempo de TV igual e demais serviços equivalentes - com isso o candidato vai ter que ganhar no conteúdo, nas propostas, no convencimento - campanha mais democrática, menos desigual); 7- Fim da reeleição para cargos executivos e limite de uma única reeleição para cargos legislativos. (Para oxigenar o congresso e renovar os políticos, evitando que o cargo representativo seja encarado como profissão); Sete propostas protocoladas na Comissão especial de reforma política da Câmara Federal no ano de 2011 que nem sequer foram votadas no congresso. Estas propostas foram apresentadas pelo deputado Reguffe-DF, Deputado que criou inimigos porquê abriu mão de benefícios e regalias políticas. Plebiscito ou Referendo? Plebiscito o povo é que manda a proposta para votação." É assim que queremos" Referendo são os parlamentares que escolhe qual o tipo de proposta deve ser consultada pra votação. " O povo só dar o amém "

  2. Luiz Mourão Postado em 22/Nov/2014 às 13:53

    Só fico imaginando o que um sujeito tão, tão rico almeja tendo um cargo que lhe pagará tão pouco (relativamente o que já tem, é claro)...

    • João Rodrigues Postado em 23/Nov/2014 às 13:32

      Pilantrar ao máximo e se esconder nas barras do mandato. Não podem enviar o julgamento para a justiça comum, só para câmara dos deputados. E viva o Brasil.

    • Yule Cristina Postado em 25/Nov/2014 às 14:05

      Só podia ser do PSDB, o partido que leva vantagem em tudo, mas se o povo vota é porque merece esses trastes.

  3. Rodrigo Postado em 22/Nov/2014 às 17:31

    Engraçado, o camarada é empresário e resolve se aposentar como político. E o que ele faz? Compra meios de comunicação para garantir o "curral".

  4. rodinei Postado em 22/Nov/2014 às 19:29

    Um canalha desse deveria ser preso, e brincar com a justiça brasileira, é zombar dios magistrados, mas um pais que reelege cortuptos tem o que merece

  5. Terra Postado em 22/Nov/2014 às 19:32

    Onde que PT e um partido autoritario Sr. Carlos Prado? Onde tem a maquina do governo na mao e deixa a Policia Federal livre igual um passarinho. O problema da impunidade do Brasil nao e uma questao de PT nao, e desse tipo de politico como esse ai, que nao quer votar em nada que e pra moralizar o congresso, o parlamento e por ai vai. Nao tem nada a ver com o PT partido, pode ser que tenha algums politicos que na hora de votar seja igual a esses. Nao so pertenco nenhum partido mas justica seja feita, nao sou cega! NOTE: e se por causa do meu comento sou comunista, otimo. Prefiro ser comunista que uma alienada!

  6. enganado Postado em 22/Nov/2014 às 20:06

    Sr. Alfredo Kaefer Por favor deixe o nome inscrito para receber o Bolsa Família, caso demore muito a chegar o auxílio, faremos um "Abraço Assinado" com doações até o exterior para cobrir suas despesas.fdp!

  7. Claudio Postado em 22/Nov/2014 às 20:10

    Fico irritado é com os eleitores. Que tipo de gente vota num traste deste?

  8. Paulo Brito Postado em 23/Nov/2014 às 09:45

    que picareta!!!

  9. Maria Terezinha. Postado em 24/Nov/2014 às 10:05

    Por isto que eles brigam pra se eleger,e tem esta cara de pau.E a propina corre solta.Ficha Limpa neles.Sua Cara tem que ser bem estampada em todos os meios de comunicação.

  10. Fábio de Oliveira Ribeiro Postado em 24/Nov/2014 às 10:18

    Para obter a gratuidade judiciária a parte tem que declarar que é pobre. A declaração de pobreza feita por quem tem condições de arcar com despesas judiciais acarreta, segundo a legislação em vigor, processo criminal. O referido Deputado será processado na forma da Lei ou ficará impune como se fosse um aristocrata imune aos efeitos de seus crimes?