Redação Pragmatismo
Compartilhar
Cuba 12/Nov/2014 às 19:45
15
Comentários

Cuba e empresas brasileiras fecham US$ 120 milhões em negócios

Em sete dias, Brasil fecha mais de US$ 120 milhões em negócios com Cuba. Participaram de evento em Havana empresas brasileiras dos mais variados segmentos – moda, casa e construção, alimentos e bebidas, higiene e cosméticos, máquinas e equipamentos, cutelaria, transporte e tecnologia da informação

cuba brasil feira interncaional havana
Feria Internacional de La Habana (FIHAV) Imagem: Pragmatismo Político

Jornal GGN

Entre os dias 2 e 8 de novembro, 45 empresas brasileiras estiveram em Cuba para participar da Feira Internacional de Havana (FIHAV). Elas realizaram negócios em montante superior a US$ 120 milhões.

Participaram do evento empresas dos mais variados segmentos – moda, casa e construção, alimentos e bebidas, higiene e cosméticos, máquinas e equipamentos, cutelaria, transporte e tecnologia da informação.

Foram mais de 400 reuniões de negócios, além de apresentações sobre a economia cubana e as modalidades de negócios do país. “Já exportamos para Cuba há 20 anos e o mercado está se ampliando agora, com novas e crescentes demandas que pretendemos suprir”, disse Denis Sponton, diretor da empresa Uniweld, do segmento de máquinas para cultivo de cana.

Desde 2003, o Brasil tem um pavilhão próprio no evento, organizado pela Apex-Brasil (Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos). De acordo com o Ministro de Comércio Exterior de Cuba, Rodrigo Malmierca, a feira serve para estreitar o relacionamento entre empresas e autoridades brasileiras e cubanas. “Estamos abrindo oportunidades de negócios com capital estrangeiro em Cuba e queremos estreitar o contato com as empresas brasileiras, que poderão se interessar em investir em um dos 246 projetos que temos hoje em diversos setores”, disse.

Segundo o presidente da Apex-Brasil, Mauricio Borges, Cuba é o segundo destino das exportações brasileiras na região da América Central e Caribe. “A nossa participação na FIHAV tem sido cada vez mais significativa para o intercâmbio comercial entre os dois países. Vamos continuar trabalhando para abrir ainda mais espaço para as empresas brasileiras nesse importante mercado”, afirmou.

Em 2013, o comércio entre Brasil e Cuba totalizou US$ 624,8 milhões. As exportações brasileiras para Cuba foram de US$ 528,2 milhões. As importações foram de US$ 96,6 milhões. Ou seja, saldo comercial positivo para o Brasil em US$ 431,6 milhões.

Até setembro de 2014, as exportações brasileiras para Cuba foram de US$ 370 milhões e as importações foram de US$ 45 milhões, totalizando um intercâmbio comercial de US$ 414,7 milhões.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. Rodrigo Postado em 12/Nov/2014 às 20:11

    Negociar como o Brasil tem feito faz toda a diferença. Saiu a velha política de negociações apenas com EUA e Europa. Abriram-se portas, na China, Rússia, Cuba e outros. Viva a liberdade!

  2. guess who i am... Postado em 12/Nov/2014 às 20:44

    viva a integração dos povos da america latina!

  3. Eduado Postado em 12/Nov/2014 às 21:52

    viva a não submissão, viva ao não quintal dos poderosos, viva ao não tirar chinelas para ser recebido em outras terras, viva o orgulho de ser brasileiro e ser reconhecido no mundo como um país e não como uma verruga dos de cima. Nada contra ninguém e nenhum país, mas ser livre é muito bom.

  4. Carlos Postado em 12/Nov/2014 às 22:34

    Liberdade com Cuba e China, Rodrigo o Brasil cresce 0% justamente por negociar "apenas" com esses países, 120 milhões é nada praticamente.

    • Gustavo Postado em 13/Nov/2014 às 11:05

      O mais engraçado é ver esse pessoal todo anti-mercado, anti-capital exaltarem que empresas estão negociando com Cuba e levando prosperidade para lá. Ou seja, mais um atestado de que mercado livre sempre trás prosperidade e liberdade. No mais, Cuba ainda é um país bem totalitário ditatorial, não merece ser exaltado da forma que é.

      • Terra Postado em 14/Nov/2014 às 11:09

        Entao Gustavo, todo bem que os estados unidos e Europa negocio com a china que nao e nada democratica, com os paises arabes onde as mulheres vivem numa inteira submissao, e a propria Russia que eles vivem xingando. Onde esses mesmo paises viviam negociando com o Kadaf, e Sadda Hussein? Ele podem o Brasil e comunismo! hahahah

    • Rodrigo Postado em 13/Nov/2014 às 12:12

      Eu desconheço que o Brasil negocie apenas com estes países. VOCE EH MUITO DESINFORMADO. Os EUA ainda é o terceiro maior mercado das exportações brasileiras. Perde para China, claramente, pois a China em breve será o maior mercado consumidor do mundo. E, talvez, por este simples detalhe o Brasil esteja negociando com eles. Que agora (desculpe se vc é burro e não entende) é o nosso principal parceiro.

  5. Carlos Postado em 12/Nov/2014 às 23:12

    Enquanto o Brasil vende geladeira pra Cuba e a Venezuela tem uma população com dificuldade de limpar a bunda a Europa está pousando em um cometa. Cada povo tem o governo e tudo mais que merece.

    • Felipe Peters Berchielli Postado em 13/Nov/2014 às 13:51

      Veja o indice de pobreza,desemprego e divida de ambos a Europa e os EUA e perceberá que mandar robos a cometas foi só uma estripulia.

    • Isabel Postado em 13/Nov/2014 às 16:05

      Eu diria que estamos progredindo rápido considerando que a poucos anos atrás, o Brasil só fazia (usando o seu vocabulário); lamber a bunda dos americanos...!

  6. Marco Brito Postado em 13/Nov/2014 às 10:04

    Europa posa em cometa deserto, enquanto o povo europeu bate as portas da pobreza e muitas empresas da união europeia estão indo à falência. Quanto a UE está crescendo mesmo nesses últimos 10 anos? Por que as políticas neoliberais defendidas por Angela Merkel e a Troika não estão sendo capazes de tirar o bloco europeu de uma crise que já dura uma década? Diversificar comércio é importantíssimo, meus caros, e o Brasil está corretíssimo em sua política de plurimercados, pois o capital transnacional não vê bandeiras e é míope as ideologias. Veja a própria união europeia "brigando" pelo mercado cubano, a ONU votando pelo fim do embargo (bloqueio) à Cuba e os EUA fazendo um discurso conservador, mas por baixo dos panos suas empresas também estão lá vendendo e comprando em Cuba. O porto de Mariel, construído em parceria com o Brasil, equipado com máquinas e equipamentos produzidos por várias empresas brasileiras, e com parte de financiamento do BNDES, será operado pela maior empresa portuária Holandesa, com sede em Rotterdam, o que comprova que não se tem que ter preconceitos para ganhar dinheiro. Os mercados são pragmáticos. Quanto a questão espacial o Brasil está entre os poucos países que desenvolvem tecnologias astronômicas e astronáuticas, com lançamento de vários satélites, em parceria com países como China, Rússia, Israel, França e outros...

    • Rodrigo Postado em 13/Nov/2014 às 12:09

      Marcos, você está certíssimo, quando eu me referi ao livre comércio imposto por políticas que enxergam realmente todo o ambiente e não são miopes olhando apenas para Europa e EUA eu não disse que não se poderiam fazer negócios com eles. Eu disse que a política atual consegue ser plural e nos oferece liberdade. O pessoal do "trololó" fica com esta história de que não estamos crescendo e como era antes? Antes era o país das oligarquias, onde se entregava de graça nossos produtos. E.g. Café nosso era dado de graça nos estados unidos em lanchonetes, pois eles compravam a preço de lixo os nossos melhores produtos. Bom para eles, não é mesmo!? Tinham um país movido a escravos, só o patrão ganhava algo, que lhes entregavam (e ainda entregam em menor escala), produtos não processados a preços muito baixos. E o pior, tudo era negociado e só os oligarcas ganhavam, ficamos nisto muito tempo. É hora do brasileiro trabalhar para o Brasil, e não para exportar ficando só com os resíduos que compõe nossos alimentos e produtos.

  7. Eva Postado em 13/Nov/2014 às 14:52

    Precisamos de elevar a auto-estimada população. Chega do discursso new-colonialista.

    • Terra Postado em 14/Nov/2014 às 11:14

      e verdade esse discurso que temos que rezar na castilha dos americanos e europeus e dizem: Amem! a tudo ja esta me enchendo o saco. Acorda povo sejam patriotas, somos o que somos e nao precisamos ser um macaco de ninguem.

  8. aquino Postado em 13/Nov/2014 às 15:10

    Parabéns Brasil, mais uma vez estamos demonstrando que estamos fazendo bem aos nossos irmãos da américa latina e não mal como outros paéses do continente americano ;como o EUA fazem, com suas políticas de dominação; ou seja colonialista.