César Zanin
Colaborador(a)
Compartilhar
Esquerda 04/Nov/2014 às 21:15
106
Comentários

A esquerda caviar e o pobre conservador

O oposto à esquerda caviar não seria uma direita mortadela ou uma direita rapadura, mas sim o conservador astuto, pobre de espírito, aquele que contribui para que o menos favorecido aceite a pobreza de si próprio e legitime a riqueza de outrem

César Zanin*

Esquerda caviar é o apodo usado hoje no Brasil para designar quem faz parte das classes mais favorecidas da sociedade e defende o socialismo ou mesmo o progressismo, em oposição ao capitalismo neoliberal ou simplesmente ao conservadorismo.

Muita gente pensa que a expressão foi inventada por algum colunista da Veja, mas já nos anos 80 era usada pelos detratores de Miterrand na França.

Podemos encontrar equivalentes em outras línguas também, o conceito remonta à primeira metade do século XX, talvez até mesmo à segunda metade do XIX.

Depois das manifestações de junho de 2013 e principalmente agora nas atuais eleições presidenciais, os ânimos para o debate e o embate políticos se exaltaram como não acontecia no Brasil nos últimos 30 anos.

A ideia da expressão é desqualificar, no estilo “Fla-Flu”, ou melhor dizendo, “Curíntia-antis”; denotando que os membros da esquerda caviar não são sinceros em suas convicções, uma vez que pregam uma sociedade socialista e, de maneira hipócrita, se beneficiam do sistema capitalista; implicitando que somente os pobres poderiam defender o socialismo com legitimidade.

Resta saber se, para quem acredita nessa ideia, a esquerda caviar seria ardilosa (fingindo ser simpática à causa dos menos favorecidos e ao mesmo tempo perpetuando as diferenças) ou apenas ingênua (desconhecendo que com essa postura poderia perder suas regalias).

Ainda não li o livro do colunista da Veja…

O ponto de partida para isto tudo é uma visão de mundo, de quem acredita nessa ideia de esquerda caviar, onde a sociedade foi, é e será dividida entre classes espertas e classes preguiçosas, favorecidos e desfavorecidos. Onde basicamente seria impossível todos serem ricos e a pobreza ser erradicada.

O medo corrente de aproximadamente metade dos eleitores brasileiros, herdado de um tempo em que não existia sequer isso de socialismo ou capitalismo, sussurra via PiG e costumes “de bem”, que o socialismo malvado da gang dos PeTralhas iria tirar as riquezas das classes favorecidas e dar aos pobres, desrespeitando a legitimidade da propriedade particular e acomodando a sociedade rumo ao atraso e à pobreza generalizada.

É um engano, pois além de estarmos no décimo segundo ano de governo federal do PT e sem maiores turbulências para os ricos (pelo contrário), o socialismo busca a igualdade social, algo bem diferente de empobrecimento geral (vide o mapa da pobreza no mundo da ONU, pela primeira vez na história sem o Brasil nele). Caso o engano em relação aos objetivos do socialismo persista, basta ver como vivem os cidadãos dos países nórdicos e perceber o quão parecidas são as propostas principais de reformas que a Dilma vem tentando colocar em pauta no Brasil.

E também porque ter outros em situação de inferioridade forçada e velada, à nossa disposição sustentando um ambiente em que nossas regalias abundam impedindo a dignidade de outros, olha, isso não pode ser conceito de riqueza; já está claro que, com os avanços da ciência e as novas tecnologias, os recursos atuais disponíveis em nossos ecossistemas seriam mais que suficientes para o bem-estar material de todos os humanos do planeta. Já está claro também que não o poderão ser por tanto tempo assim, visto que população cresce e o planeta, que não cresce, vem sendo cada vez mais estragado.

Eu repudio o consumismo desenfreado, pois gera desperdício e, com os recursos naturais limitados que são, cada vez mais tenho a convicção que deveríamos usar a lógica da ecologia para buscarmos cada vez mais tecnologia com menos desperdício.

Ciência como religião. E isso nada tem a ver com socialismo, tampouco com capitalismo.

Eu sei, estou enveredando por um caminho que poderá ser rotulado por muitos como utopia (inclusive por progressistas), além dos conservadores que tiveram a paciência de ler até aqui provavelmente me rotularem de petralha, mas tudo bem, poderei me aprofundar sobre esse conceito de uma sociedade científico-ecológica em outro texto, por ora voltemos ao tópico da esquerda caviar.

Esquerda caviar é o rico de esquerda, o bem-educado de esquerda, aquele que é visto como incoerente.

O escárnio é tanto que às vezes a própria pessoa chamada de esquerda caviar acaba se enxergando negativamente como tal. Isso causa confusão, alguns resignam-se e tendem a se distanciar da política, outros conseguem transformar a vergonha em reafirmação de conduta.

Já o pobre que elege os mesmos neoliberais conservadores que os mantêm desfavorecidos, esse acaba não sendo visto como incoerente por ninguém, pois a esquerda (seja ela caviar ou não) enxerga que ele é iludido (veja como conquistas suadas tais quais a abolição da escravatura, a CLT, o voto das mulheres etc foram de certa forma “contornadas” pelo modus operandi do capitalismo, mantendo a desigualdade social), e a direita finge que não enxerga incoerência alguma, finge que é assim que tem que ser.

O oposto à esquerda caviar não seria uma direita mortadela, ou uma direita rapadura, afinal Gandhi nunca se definiu como um socialista e, escolher para si a pobreza material, apesar de maravilhosamente louvável, nada tem a ver com socialismo; a meu ver o oposto à esquerda caviar é mesmo o conservador astuto, pobre de espírito, simpatizante do que a Veja publica, isto é, aquele que contribui para que o pobre aceite a pobreza de si próprio e legitime a riqueza de outrem, e principalmente para que ele acredite que a única maneira de se tornar rico é deixando o “time” dos pobres para trás, para então ajudar o “time” dos ricos a perpetuar esse jogo, ou melhor dizendo, jugo.

*César Zanin é tradutor, professor, escritor, produtor e colaborador em Pragmatismo Político

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. César Postado em 04/Nov/2014 às 12:51

    Verdade. Sou de classe média e "não posso" defender ideias como a redistribuição de renda, pois sempre vem aquele olhar de " Seu hipócrita, você nunca soube o que é ser pobre".

    • Cesar Zanin Postado em 04/Nov/2014 às 13:53

      Xará, essa forma de olhar é demonstração de medo e preguiça. Para evitar a reflexão sobre si mesmos, preferem procurar incoerências nos outros.

      • Luiz Postado em 05/Nov/2014 às 22:34

        Poisé, fiquei o texto todo procurando as críticas a esquerda caviar e não achei....

    • Dora Postado em 04/Nov/2014 às 16:55

      Sei bem como é isso, principalmente porque boa parte da minha família é de direita, então não posso nem comentar nada sem ser sou rotulada de revoltada e de louca.

      • Rogéria Rizette Postado em 06/Nov/2014 às 11:58

        Dora, estamos juntas. Acontece o mesmo comigo. Já fui chamada de esquerda caviar algumas vezes, como se pelo fato de não ser miserável me desqualificasse para defender os direitos das minorias e dos pobres. É triste.

    • Tiago Silva Postado em 04/Nov/2014 às 17:36

      César, Essa expressão de "Esquerda Caviar" é apenas mais um meio da Direita legitimar o "Discurso Único"... já que essa expressão tem mais o sentido de desinformar e deslegitimar defensores da esquerda!!! É uma pena que o articulista não conseguiu enxergar isso. A Esquerda é formada por várias matizes ideológicas (Socialismo, Comunismo, Marxismo, Trotskismo, Social-Democracia, Trabalhismo...) e nem todas as matizes de esquerda deslegitima o capitalismo. A Social-Democracia apregoa um capitalismo mais organizado/humanizado em que o Estado tem papel fundamental na diminuição das desigualdades e investimento. O Trabalhismo procura no mínimo equilibrar as forças antagônicas entre Capital e Trabalho (o que no Brasil, basta olhar a estrutura tributária e alíquotas, para ver que ainda é muito desigual). O Socialismo previa que com o embrutecimento do capitalismo... que o socialismo surgiria como resposta revolucionária dos mais oprimidos. Aliás até Marx sempre foi contra qualquer forma de dominação do homem sobre o homem, mas tinha nítido que não se deveria socializar a miséria e sim os meios de produção (Capital, p. 854). Acontece que os "calunistas" do PIG inventaram essa expressão para desqualificar quem tenha sucesso ou para quem não seja miserável... e nunca serem potenciais admirados dos seguidores acéfalos desses "calunistas". Esses representantes do PIG utilizam essa expressão como forma de se eleger um único inimigo para ser combatido (reunião de vários possíveis medos da sociedade: comunismo, bolivarianismo, anti-capitalismo... e tudo o que não se sabem bem ao certo o que significam ou o que representaram na história). Aliás falaram que a Luciana Genro não poderia ser de Esquerda e ter um computador bom... Kkkkkk isso apenas porque eles querem que não se tenham vozes de esquerda que tenham sucesso ou posses (Luciana Genro, Chico Buarque...), mesmo que seu patrimônio e rendimentos tenham advindos do trabalho. Por isso lhe digo que vc pode ser classe média e pode (deve) defender ideias como distribuição de renda, pois várias matizes de esquerda defendem isso mesmo que ainda no capitalismo ou que o capitalismo seja apenas um estágio evolutivo econômico (países escandinavos por exemplo). Aliás acho que a Constituição do Brasil se direciona por esses ideais de redistribuição de renda, mas nunca são cumpridos... pois muitos acreditam por esses "calunistas" do PIG que essas ideias seriam "bolivairanismo" (mesmo que muita coisa já estivesse sido realizado na Europa ou mesmo nos EUA - como a regulação de mídia, imposto progressivo sobre a renda e heranças...). E, sinceramente, acho errado essa expressão "Esquerda Caviar" (que no meu entender é quem foi de esquerda, mas trocou pela direita por causa da promessa de luxo ou apenas uma expressão utilizada por "calunistas" do PIG para deslegitimarem outras vozes e estabelecerem um "discurso único" para uma massa de ignotrantes - apesar da maioria desses ignorantes terem muito dinheiro)... Seria muito mais prático e verdadeiro se falassem em "DIREITA MAMATA"... que seriam os representantes de Direita que odeiam o Estado, mas se utilizam dele com verbas públicas, isenções, manutenção de oligopólios e diversos privilégios!!! Direita que Mama do Dinheiro Público... e não quer dividir com ninguém!

      • Cesar Zanin Postado em 04/Nov/2014 às 23:30

        Tiago, obrigado por opinar. A expressão esquerda caviar não foi inventada por colunista algum da Veja, conforme ilustro em meu texto. Meu texto não pretende legitimar a expressão, nem mesmo repudiar; tentei mostrar como é falho dizer esquerda caviar tentando desqualificar de forma preguiçosa e maldosa a posição ideológica dos outros. Olha, acho que confrontando o que eu escrevi e o que você escreveu, concordamos, viu... :-)

      • Moacir Lopes Postado em 05/Nov/2014 às 08:42

        O comentário de Tiago Silva enriquece o artigo de César Zanin. Muito bom. Parabéns.

      • Renato Lazzari Postado em 06/Nov/2014 às 11:36

        Creio, Thiago, como escrevi em comentário que está aguardando aprovação, que há que se levantar questionamento sobre a distinção entre o que é de natureza pública e o que é de natureza privada, em todos os fóruns possíveis: na família, entre amigos "presenciais" e amigos "virtuais" já que a cultura dominante em que estamos imersos parece fazer questão de confundir essas duas instâncias. E da mesma forma, seria interessante, a meu ver, que questionássemos também a natureza da oposição entre socialistas e "liberais". A mim parece mais adequado pensarmos que a verdadeira oposição que rola fica mais inteligível se pensarmos em "estadistas" e "privatistas" disputando a administração do que é público. Não me arvoro detentor, proprietário ou ainda autor da ideia dessa separação nem dessas expressões, "privatista" e "estadista" (na verdade creio que ideias, uma vez expressas, é de quem quiser) mas proponho reflexão tanto sobre tal separação quanto sobre... bem, a quem parece mais adequada a atribuição sobre a administração do que é público, do que é do ESTADO, a "privatistas" ou a "estadistas"? Em tempo: gozada, inteligente, adequada e eloquente a expressão "Direita mamata", rs... Não poderia ser melhor!

      • Bruna Postado em 06/Nov/2014 às 12:05

        Posso compartilhar seu texto? Dando os devidos créditos?

      • Antonio Palhares Postado em 06/Nov/2014 às 14:10

        É isto ai Thiago. Me defino como esquerda social democrata. Tenho certeza que o mercado não resolve problemas sociais e que todos devem ter direito à boa educação e iguais possibilidades de educação e bem estar.

      • Tania Postado em 06/Nov/2014 às 14:36

        Muito bom texto!!! Disse tudo que esta trancado aqui na minha garganta, e com a correria do dia a dia não pude sentar e escrever aqui no face para essa direita saber que nós temos, mas isso não impede de querermos que os que tem menos possam ter também!!! Parabéns por esse texto vou colá-lo na minha pagina!

      • MIRON Postado em 06/Nov/2014 às 21:54

        A perspectiva ambiental não são nada favorável a um aumento de produção para uma melhoria geral de vida da populaçao. portanto, o que precisa ser feito é mesmo uma redistribuição da produção anual atual. Há meses que o limite de retirada de recursos naturais se esgotou para o ano de 2014... É continuamos produzindo até o final deste...

    • Luis Felipe Boechat Postado em 05/Nov/2014 às 18:20

      É a mais pura verdade, toda vez que discuto política com alguém escuto essa frase.

    • Renato Lazzari Postado em 06/Nov/2014 às 11:42

      Será que precisa ser ou ter sido pobre para entender o que é a pobreza?

      • MIRON Postado em 06/Nov/2014 às 21:44

        precisa, viu... ou viverás somente no mundo perfeito de Platão, o das idéias...

      • MIRON Postado em 06/Nov/2014 às 21:46

        Quem não vive não sabe...Hume

    • Renato Lazzari Postado em 06/Nov/2014 às 12:02

      Ou de outra forma, Cesar: que alcance, que tamanho tem a compreensão de uma pessoa que diz que é preciso ser ou ter sido pobre para saber o que é pobreza? A que ideologia está relacionada a ideia de que a única referência possível é a auto-referência? Que ideologia é capaz de produzir, por exemplo, uma revista chamada "Você S/A"? (E chega que já postei demais, rs...)

      • Cesar Zanin Postado em 07/Nov/2014 às 21:06

        Renato, pois é, sou contrário a esses rótulos criados apenas para diminuir os outros. O debate honesto é o melhor caminho, sempre. Abraços

    • Hebert Postado em 07/Nov/2014 às 03:13

      O pior da esquerda brasileira é a visão( porque não dizer) limitada e preconceituosa com a meritocracia como meio de desenvolvimento. Na China comunista empresas de baixa produtividade são fechadas pelo governo por não cumprirem suas metas, Empresas Chinesas que trabalham com desenvolvimento de produtos e patentes são prestigiadas pois a China comunista quer e vai se ser a maior economia do planeta pois tiveram planejamento e mérito para isso. Mais aqui se vê uma esquerda que defende mais estado em tudo,querem sempre mais e mais estado e isso atrapalha e minguá a capacidade empreendedora do Brasileiro,do investidor, esse que a esquerda chamam de explorador multinacional ele simplesmente não investe pois não tem certeza se vai ganhar simples assim. E Nos que somos brasileiros trabalhadores que lidamos com o riscos de manter um negocio no Brasil não somos reconhecidos o nosso trabalho, banca isso tudo. Pois grande parte dessa maquina pública é custeada com nossos impostos .E eu que sou um pequeno empresário "coxinha" tenho que ver o estado ganhar 4 vezes mais dinheiro com o meu negócio do que eu.Isso não é uma suposição é matemática pura. Acredito que existe sim uma direita incomodada com a "empregada abusada" que não quer fazer hora extra na noite do jantar para os amigos,pois já tem um passeio marcado com a família,que não está lidando bem a acensão social,que conviveu durante 500 anos com subempregados ao seu dispor,"chocada" com os direitos dos trabalhadores domésticos.Pela alta exponencial do salários dos trabalhadores rurais e da construção civil.Muitos estão descontentes mais muitos estão desestimulados pois o setor produtivo está lento sem recursos a preços justos,esperando o momento que deixaremos de ser coxinhas para nos tornar alavancadores do progresso.

      • Cesar Zanin Postado em 07/Nov/2014 às 21:12

        Herbert, no Brasil quem usa o termo meritocracia são os conservadores, os liberais, para atacar os programas sociais dos governos do PT. A meritocracia só vale quando todos os cidadãos nascem e crescem com as mesmas chances na vida. Sabemos que a sociedade brasileira é contaminada com corrupção e impunidade, desde quando era colônia. Há classes privilegiadas, com pessoas já nascendo em berço de ouro com privilégios e regalias, e classes desfavorecidas, com pessoas nascendo na miséria sem acesso a uma cidadania digna. Abraços

  2. Guilherme Postado em 04/Nov/2014 às 13:21

    Esquerdista caviar é o que discursa por melhores condições de trabalho, mas não tem pudor em adquirir uma bolsa de R$ 500,00, costurada a mão por alguém que recebeu R$ 0,20...

    • Cesar Zanin Postado em 04/Nov/2014 às 23:38

      Guilherme, na minha opinião "discursar por melhores condições de trabalho" não é o mesmo que ser "esquerdista". Concordo que comprar qualquer produto fruto de trabalho escravo ou semi-escravo é realmente deplorável. Também sou contrário ao consumismo desenfreado (um dos pilares do capitalismo é o consumo).

      • Rodrigo Cotta Postado em 06/Nov/2014 às 16:49

        Cesa, de fato, acho preguiçoso e desonesto esse termo "esquerda caviar". No entanto, entendo onde Guilherme quis chegar com o que escreveu. E sim, existem muitos semi-Deuses de esquerda no discurso, mas na prática, no convívio diário, ouso dizer que conheço mais sujeitos sórdidos e inescrupulosos do lado esquerdo da coisa. Pareço defender coxinha com isso, mas, pela primeira vez, preciso tirar a nossa esquerda desse local isento de auto-crítica.

    • vinicius Postado em 06/Nov/2014 às 23:47

      Guilherme, não há absolutamente nada haver uma coisa com a outra. Deveria se redefinir esse conceito de "esquerdistas hippies", você vai acabar contribuindo para/com o capitalismo direta ou indiretamente a partir do momento que você compra coisas, deixar de comprar uma bolsa não revolucionará isso.

    • Ricardo Postado em 07/Nov/2014 às 15:12

      Por essa tua lógica, ninguém poderia ser abolicionista na época da escravidão, uma vez que se beneficiavam da riqueza produzida pelos escravos. É óbvio que eu, você e todos somos contra o trabalho em condições degradantes. Aliás, para onde vão os outros R$499,80 do teu exemplo...?! Entende?! Eu não tenho como deixar de comprar minha calça, minha camisa, que é produzida no modo capitalista. Não tenho. Isso não me impede de refletir sobre a nossa sociedade... Apenas isso. Sempre há duas formas de agir: (1) pelo interesse/necessidade/pulsão (tenho de me alimentar, de comprar meu vestuário, etc) e (2) pela razão. Uma coisa não exclui a outra - ou, se preferir, trata-se da dicotomia ser x dever-ser. O equívoco da expressão é que ela não se coloca como um argumento, mas tenta desqualificar o interlocutor - é aquela história: não me interessa quem fala, se é bêbado, drogado ou qualquer coisa que o valha, interessa O QUE está sendo dito. É, portanto, mero recurso retórico, como tantos outros... Mas pra muitos isso cola.

      • Cesar Zanin Postado em 07/Nov/2014 às 21:16

        Ricardo, desqualifica o interlocutor quem rotula os outros de esquerda caviar, coxinha, bêbado, drogado etc. Meu texto tenta elevar o debate, para que possamos falar das coisas sem rotular o interlocutor. Você não tem como deixar de comprar, mas pode escolher o que e de quem comprar.

  3. KARINA BB Postado em 04/Nov/2014 às 13:41

    E eu que tb sou classe media e so posso defender minhas ideias nos blogs,meu face é praticamente nulo nesse sentido de opiniao politica,nao posso me posicionar politicamente,,muito menos no meio em que vivo,me sinto pressionada e ptefiro me calar......do que enfrentar pessoas que nao aceitam o contraditorio,por issoo exponho aqui minhas opinioes

    • Cesar Zanin Postado em 04/Nov/2014 às 14:07

      Karina, não se deixe abater por esse tipo de pressão, a grande maioria dos meus familiares também é de conservadores que evitam qualquer tipo de conversa aberta e sincera sobre política. O importante é encontrarmos meios de mostrar nossas impressões sobre o que acharmos importante.

    • Denisbaldo Postado em 04/Nov/2014 às 16:11

      Eu cancelei minha conta no Face ano passado logo depois das manifestações. Foi a melhor coisa que fiz em minha vida pois só discuto minhas ideias políticas com amigos, parentes, etc. por telefone ou cara a cara. Fora estas situações, publico minhas opiniões em sites os quais não me identifico totalmente e portanto não crio milhares de problemas pessoais em uma declaração. O Brasil ainda não está preparado para a democracia.

      • Rodrigo Postado em 05/Nov/2014 às 12:04

        Concordo com vc rapaz. Mas o mundo todo não está preparado, eu viajei e vi isto em outros lugares. As pessoas em geral preferem ficar no conforto do seu sofá tendo o fígado enchido de porcarias pela mídia para depois virarem patê de ganso. Em outras palavras, as pessoas não gostam de pensar, ler coisas boas, e terceirizam o conhecimento pelo que recebem da mídia (a qual quer o quanto pior melhor), é o deleite da ignorância. Foi o que ocorreu na Av. Paulista recentemente, manifestantes com faixas escritas: "Apoio aos militares", e em outra: "Por uma mídia livre". Foi nauseante, as pessoas são tão desinformadas (poderia usar um adjetivo mais contundente) que se contradizem em suas próprias manifestações ridículas. Concluindo, o problema não é o entendimento de democracia, vem muito antes disto, o problema é ignorância causada pela péssima informação que recebem. Nestas manifestações encontramos dois tipos de pessoas: manipulados ou mal intensionados.

    • Rogéria Rizette Postado em 06/Nov/2014 às 12:01

      Não se cale! É duro, é difícil, mas não podemos deixar de dizer e lutar pelo que acreditamos pq os outros não entendem. Eles que mudem! E estou falando isso com conhecimento de causa, por isso te falo isso. Pq quando a gente se cala, com o tempo começamos a nos sentirmos sufocados. É pior! Eles é que devem mudar sua opinião ou pelo menos respeitar a sua e o seu espaço em dizer o que pensa.

      • Cesar Zanin Postado em 07/Nov/2014 às 21:18

        Rogéria, concordo, todos devemos ter espaço para contribuir numa democracia. Respeito deve ser a chave. Abraços

  4. alexandre Postado em 04/Nov/2014 às 13:49

    "isso é recalque de sem-aeroporto, sempre soube disso." brincadeira. o parágrafo que fecha esse artigo não podia ser mais adequado. parabéns pelo texto, não há uma vírgula para tirar do lugar.

    • Cesar Zanin Postado em 04/Nov/2014 às 23:39

      Alexandre, obrigado. Vamos que vamos!

  5. Vicente Postado em 04/Nov/2014 às 13:58

    Eu votei Dilma com orgulho. Nem quero saber se isso é esquerda, ou não. Nunca comi caviar. Apenas entendo que país melhor é país com oportunidades para todos e sem privilégios. E mais, votei Dilma porque era a única opção nacionalista. O resto era entreguista.

    • eu daqui Postado em 04/Nov/2014 às 14:08

      E continue não comendo caviar que vc em nada perde: parece cocô de barata marinado. Eu já vi, já comi e periguei vomitar. Mil vezes meu abará.........

    • Cesar Zanin Postado em 04/Nov/2014 às 14:16

      Vicente, eu também nunca comi caviar, nem sinto vontade. Também votei Dilma no segundo turno, com convicção. Agora vou torcer para seu governo seja melhor que no primeiro mandato e também vou cobrar. Essa história de esquerda caviar é apenas preguiça intelectual.

    • Felipe Peters Berchielli Postado em 05/Nov/2014 às 11:52

      Comi caviar uma vez na vida,é uma merda.

  6. Junior Postado em 04/Nov/2014 às 17:09

    Se ser "esquerda caviar" significa defender a redução da desigualdade social e uma sociedade mais justa, então eu aceito este rótulo. Acho que 99,99% dos coxinhas que vomitam palavras como venezuelização, bolivarianismo, comunista, etc, nunca sequer pegaram um livro de Marx na vida, não sabem onde fica a Venezuela ou quem foi Simón Bolívar. Na verdade acho que a maioria nunca pegou em um livro de história na vida.

    • Cesar Zanin Postado em 04/Nov/2014 às 23:42

      Junior, pois é, com o texto tento trazer para o centro da questão que o importante é o que cada um faz para um mundo melhor e não sua classe social. Tento também enfatizar que o socialismo não é sinônimo de pobreza. Abraços.

  7. Robson Lopes Postado em 05/Nov/2014 às 00:21

    Eu discordo da conclusão do texto, o sujeito citado como oposição à esquerda caviar, não o faz por opção, não nesse caso citado, mas por imposição, o que chamamos de pensamento de grupo, que o faz se alinhar aos demais para não ser banido, e com esse pensamento acredita ser assim, melhor aceito naquele meio. É triste, mas é por meio desse tipo de coerção que essa parcela da elite financeira do país vem agindo, ou está conosco, ou será banido, e quem almeja chegar onde eles chegaram, se submete àquele pensamento ignóbil de massacrar os benefícios sociais e enaltecer "os esforços próprios", muitas vezes mordomias de servidores públicos. Vide o caso postado no facebook que uma moradora de um condomínio puniria um único coitado porque declarou voto na Dilma, enquanto os demais, acredita ela, votaram no Aécio, livre vontade? pensamento de grupo, para se adequar a esquizofrenia dos patrões? Acho que se encaixa na segunda opção.

    • Cesar Zanin Postado em 06/Nov/2014 às 03:27

      Robson, o pobre conservador não se limita ao sujeito pobre de espírito vindo de uma classe favorecida, termino o texto justamente me referindo ao pobre que acaba engolindo esse engodo. Mas quem começou a usar a expressão esquerda caviar no Brasil foi algum colunista da Veja, creio. Não costumo ver pessoas de classes sociais menos favorecidas usando essa expressão.

  8. Lucy Postado em 05/Nov/2014 às 09:10

    "Esquerda Caviar? Sou sim, sabe pq? Quero dividir riquezas e não socializar pobreza" - Lucy Jane da Silva Sauro

    • Cesar Zanin Postado em 06/Nov/2014 às 03:31

      Exatamente, Lucy! Se insistem com esse tipo de rótulo, por preguiça intelectual, na esperança de nos intimidarem, não nos deixemos abater: que seja caviar então, para todos (os que gostarem)! :)

    • Renato Lazzari Postado em 06/Nov/2014 às 11:15

      Incomodo-me um pouco com ideias, comumente aceitas como bacanas, ecológicas, como por exemplo as que enaltecem o uso criativo das cascas da abóbora e outras xepas de forma "criativa" pela população menos endinheirada. Entendo que se busca, através dessas alternativas, agregar dignidade à alimentação, mas penso que o ideal seria que estimulássemos a busca individual por recurso que permitisse a compra, nesse exemplo, da abóbora toda. E que se deixasse as cascas para a alimentação animal. Não há, a meu ver, que se conformar com a própria pobreza na esfera do pessoal, do privado, dar um jeito de ser feliz mesmo sendo pobre, e sim há que se pensar em prosperar individualmente. E no âmbito da cidadania, público, criar mecanismos para que os recursos públicos possam promover essa prosperidade. Se individualmente se vai conseguir ou não prosperar, aí vai do indivíduo. Mas a estrutura pública deve sempre ser orientada para o estímulo à prosperidade individual, creio, não tomando o que é público para si mas criando condições para que se enriqueça no âmbito privado, será que não?

      • Cesar Zanin Postado em 07/Nov/2014 às 21:27

        Renato, você já assistiu a algum filme Zeitgeist? Uma sociedade científico-ecológica nada tem a ver com pobreza ou sujeira. Outra coisa, o socialismo não defende a pobreza repartida, as medidas dos governos do PT nos últimos 12 anos deixam isso claro. A pobreza é o combustível do capitalismo, no neoliberalismo a pobreza da maioria proporciona a riqueza de poucos.

  9. André Pessoa Postado em 05/Nov/2014 às 09:22

    Cesar, concordo plenamente com o exposto no teu texto. O desconhecimento/esquecimento de tudo que representa democracia foi exposto neste pleito eleitoral como o pus que sai da ferida mal cicatrizada. A direita saiu da toca onde se escondia, velada, medrosa, na estupidez adiposa da sua hipocrisia. Os separatistas pós eleição ganharam na internet (um local democrático) espaço para arrotarem o apego cego pelo neoliberal: primeiro o dinheiro, depois a vida. Termos cunhados a esmo - "esquerda caviar" e sua prima pobre "direita pão com ovo" - corroboram com o blábláblá de quem não tem o que dizer. Para mim isso é, convido o Tom Zé para me ajudar a definir, burrice: [...] A burrice está na mesa Ensinada nas escolas Universidade e principalmente Nas academias de louros e letras Ela está presente E já foi com muita honra Doutorada honoris causa Não tem preconceito ou ideologia Anda na esquerda, anda na direita Não tem hora, não escolhe causa E nada rejeita [...] Refinada, poliglota Ela é transmitida por jornais e rádios Mas a consagração Chegou com o advento da televisão É amiga da beleza [...] (Tom Zé. Burrice. fonte: https://www.youtube.com/watch?v=F_60QsDy_qw) Chegamos no momento crucial para a efetivação do diálogo e do debate político. Revirar nosso relicário. O brasileiro urbano tem que conhecer o Brasil de dentro para que esse tipo de idiotice não tome volume com os esteroides da ignorância institucionalizada. Há um orgulho banal em ser reacionário hoje em dia. Como deixamos isso acontecer? O avanço econômico da última década tonificou o gado para melhor seguir o aboio de líderes religiosos, intelectuais de última hora e da birra eleitoral? Ou será que Millôr estava certo em sua máxima: "Democracia é quando eu mando em você, ditadura é quando você manda em mim"? Um pensamento como esse, da rotulação descartável: direita isso; esquerda aquilo, serve sobretudo para criar uma ilha ideológica, é fermentado e marinado por muito tempo. Não nasce em uma eleição. Como elefantes vivem à lembrança das correntes que seus mestres os amarraram quando bebês, não sabem que ainda estão acorrentados ao que há de mais decadente (sem elegância) do pensamento humano: eu sou melhor que você! A movimentação é essencial para sentir as correntes. Rosa Luxemburgo alerta: "Quem não se movimenta, não sente as correntes que o prendem". O movimento das ideias, frequentar o debate. Pingar na pedra.

    • Cesar Zanin Postado em 06/Nov/2014 às 03:47

      Isso mesmo, André, obrigado por enriquecer o debate aqui. A grande maioria dos conservadores que saíram da toca de junho de 2013 pra cá realmente não conhece o resto do Brasil, se acha superior, tem preguiça e medo de evoluir porque não acredita que o ser humano possa ser bom o suficiente para construir uma sociedade melhor. Mesmo assim, enquanto houver luta há esperança. Vamos que vamos!

  10. Felipe Peters Berchielli Postado em 05/Nov/2014 às 11:06

    Sobre o que o autor disse sobre sociedade eco-cientifico,recomendo a verem o trabalho do Peter Joseph(criador da trilogia Zeitgeist,o terceiro filme é uma obra-prima) e Jaque Fresco(criador do Venus Project,que tem como um dos pilares a Economia Baseada em Recursos).

    • Cesar Zanin Postado em 06/Nov/2014 às 03:51

      Felipe, bem lembrado! Essa trilogia é ótima.

  11. Gustavo Postado em 05/Nov/2014 às 13:05

    Acho que seria importante, primeiramente, ler o livro do cara. Esquerda Caviar é o que faz os caras da banda Rage Against the Machine por exemplo. Quando vieram pra cá, ficaram zoando no twitter de quem tinha comprado área vip do show deles. Durante o show estimularam a galera a invadir de derrubar a referida área. Mas na hora de pegar o aviãozinho deles, eles só viajam de primeira classe. Curto muito o som deles, mas essas coisas não tem como deixar passar.

    • Cesar Zanin Postado em 06/Nov/2014 às 04:02

      Gustavo, meu texto tenta ilustrar justamente que não é o fato da pessoa viajar de primeira ou segunda classe que deve determinar sua legitimidade ideológica. Ler o livro do colunista da Veja para mim seria um sacrifício dos maiores, pois só de ter lido algumas de suas colunas na Veja eu já me deprimo. Quando fui escrever o texto acima eu obviamente pesquisei sobre a expressão esquerda caviar e seu uso. Sobre a banda, não sei da vida pessoal deles (como você sabe qual a classe de viagem aérea deles?), eu gosto do som também e acho que isso em nada prejudica meu modo de ver a questão da expressão esquerda caviar. Pessoalmente acho que as mensagens que eles passam nas letras e nas posturas são positivas. Mas é isso, se eles são vistos como caviar ou não, isso para mim não tem importância, sinceramente, e acho que para eles também não tem importância, hehe.

      • Pedro Postado em 06/Nov/2014 às 12:55

        Discordo de você Cesar, visto que a prática deve seguir a ideologia. Do que adianta ridicularizar pessoas por frequentarem um espaço VIP em um show e ao mesmo tempo frequentar esse espaço VIP em um avião ( se a afirmativa for verdadeira)? A crítica à esquerda caviar é justamente porque as pessoas defendem a ideologia no campo das ideias porém a rejeitam na prática. Pelo que entendi do texto e da resposta ao comentário você quis transparecer no seu texto que isso não tem importância desde que elas apenas tenham a ideologia, mas uma ideologia sem a ação não mudará os problemas sociais que enfrentamos. Apenas votar em X ou Y é pouco, a prática deve estar no dia a dia e não esperar que um milagre aconteça e um representante consiga mudar um Brasil que é apenas a soma das nossas vidas diárias. Conheço várias pessoas que se intitulam de esquerda mas que usam de funcionários não registrados, se aproveitam das verbas para agricultores para melhorar ainda mais sua qualidade de vida, utilizam o projeto minha casa minha vida para virarem construtores dentre outras situações e para essas pessoas o termo cai como uma luva. Obrigado

      • Renato Lazzari Postado em 06/Nov/2014 às 14:35

        Creio que tanto quem bota o Rage na primeira classe quanto quem determina o preço dos ingressos VIP e até se vai haver uma área VIP ou não não são os caras da banda, músicos e roadies, e sim gente que talvez nem goste de música mas que certamente gosta de dinheiro, especuladores e atravessadores, os chamados "agentes". E a forma como os caras da Rage reagem contra esses urubus é justamente zoando de quem compra ingresso VIP ou ainda instigando a moçada a quebrar a cerca entre a área VIP e a galera. Acho mesmo que se pudessem os caras do Rage dariam um balão nesse agentes. Mas aí sua mensagem não chegaria a ninguém, eles ficariam tocando na garagem da casa de qualquer um deles mesmos. Agora, para os que sentem a vida de um jeito mas pensam de outro, que se "intitulam de esquerda" mas sonegam direitos trabalhistas, que "defendem uma ideologia no campo das ideias porém a rejeitam na prática", ou são hipócritas ou são idiotas, alienados de si mesmos, sem contato com o que verdadeiramente acreditam. Creio que não é preciso empobrecer para acreditar que o estado deve ser gerido por estadistas (e não por privatistas). Umas instância é a pública; a outra, o privado. A gente vive nessas duas dimensões e saber separar uma da outra é evitar corromper-se, não?

    • Zemauro Postado em 31/Jan/2015 às 21:34

      Eu entendo a expressão (Esquerda caviar) tenha ela sido cunhada por quem quer que seja, quer sugerir que alguem que tem uma mesa farta, anda de carro importado, paga mais de condominio do que paga ao porteiro, impunha Bandeira de movimentos sociais e partidos ditos de esqueda, eu nunca entendi essa incoerência! pra mim é como voce ser vegetariano, e vender carne como meio de vida!

  12. Renato Lazzari Postado em 06/Nov/2014 às 10:59

    Caro Cesar Zanin, a propósito de seu artigo, faz tempo que penso que é preciso refletir sobre a ideia da separação que há entre o que é público e o que é privado nas nossas vidas, no dia-a-dia mesmo. É da confusão entre essas duas instâncias do ser que se originam alguns dos maiores males da nossa sociedade, da nossa cultura, brasileira. Poderia, errando bem pouco, creio, estender e dizer "cultura ocidental" mas prefiro me ater ao Brasil. Por exemplo, o que é a corrupção senão tomar como privado o que é público? Aliás a própria expressão "corrupção" merece, a meu ver, reflexão aprofundada - que ficará para outra hora - mas por enquanto menciono apenas que corromper algo é tirar desse algo parte ou tudo de sua natureza original. Assim, mais do que simplesmente roubar dinheiro público, corromper a coisa pública é orientá-la prioritariamente para o atendimento de demandas privadas. Seguindo esse raciocínio, todo governo que privatiza é corrupto. Então há corrupção ilegal mas há também corrupção legal. Não sei se moral ou ética, mas legal. Outro efeito nefasto da confusão entre o que é público e o que é privado - e agora abordo no seu artigo mais especificamente - é crer na bobagem que diz que quem tem ideias socialistas deve dividir o que é seu, privado, não podendo assim pretender ter nada de seu, mesmo que conquistado no âmbito privado exclusivamente. Ora, quando se fala em socialismo, se fala em modo de governo de estado e não em vida particular. Penso ter chegado, assim, no âmago da questão: é parte do ideário dito "liberal" (neocon ou qualquer outro que-tal) a doutrina martelada diuturnamente que reza que não há propriedade pública, que não há coletividade e que dinheiro público, por exemplo, "não tem dono", pertence a quem é dada a sua administração. Assim creio que seria interessante àqueles que tem acesso à mídia, levantar o questionamento da separação entre o público e o privado, apontar para a existência dessas duas instâncias, com insistência maior do que o que os "liberais" o afastam. Que tal?

    • Cesar Zanin Postado em 07/Nov/2014 às 21:35

      Renato, meu texto não diz que quem tem ideias socialistas deve dividir o que é seu por obrigação, meu texto não diz que quem tem ideias socialistas nõa pode pretender ter nada seu. Não entendo como você chegou a essa conclusão em relação ao meu texto... Existe o público e existe o privado, no capitalismo a tendência é cada vez mais tudo ser privado e somente de poucos, no socialismo o público é respeitado e o acesso ao público é de todos, sem prejuízo do privado.

  13. velhos baianos Postado em 06/Nov/2014 às 11:45

    Caro Cezar Zanin... Preste atenção no que direi : aqui no NE chamamos essas pessoas de pobre burro... Normalmente sofrem um processo de lavagem cerebral por parte dos patrões e as vezes trabalham de graça a vida toda, sem domingos e feriados, e só em troca de casa/comida e roupa lavada, com o discurso que "são da família"... Um dia desses estava junto com a babá de minha filha esperando ela sair do curso e quando a babá perguntou a uma senhora de aparência bem humilde, e que sempre é vista cuidando da coleguinha de minha filha, até a chegada da mãe ou do pai, se era a babá dela a resposta veio agressiva e ofendida : "não ! Eu tomo conta dela mas não sou babá ! Eu sou "da família"... Os ricos locais tiram essas pessoas de famílias pobres, ainda crianças, no interior do estado com a conversa de que vão "cuidar da menina"... Pois bem... Como no romance "Os miseráveis" , elas viram escravas disfarçadas que trabalham de 6 a meia-noite, 7 dias por semana, sem salário, sem direitos trabalhistas, e passam a vida acreditando que alguém lhes "tirou da miséria e deu um bom tratamento"... Não fazem as refeições com o resto da "família", não tem herança, mas "são da família" !!! Não casam, não tem vida própria, e ainda falam mal de pobres esclarecidos que não se deixam mais iludir por essas situações... Pra finalizar: a coitada ainda me disse votar em Paulo Souto, candidato da "família ACM", e no Aécio seguindo a orientação da "família"... Mas essas pessoas estão cada vez mais raras. Felizmente. Saudações do NE !

    • Rogéria Rizette Postado em 06/Nov/2014 às 12:08

      Isso era comum demais em Goiás, onde moro. Eram os chamados "filhos de criação", que nada mais eram que crianças tiradas de suas famílias com a desculpa de dar uma vida melhor e que eram feitos de empregados domésticos pela vida toda. Em sua maioria só recebiam restos dos filhos de direito e eram tratados com aquela atitude de falsa compaixão e superioridade pelos "pais" como se estivesse fazendo um imenso favor pelo "adotado". E quando alguns cresciam e sumiam, ou se ressentiam com suas "famílias de criação", ainda eram chamados de ingratos. Já vi acontecer em várias famílias, mas felizmente é algo que não se vê mais com frequência.

      • Cesar Zanin Postado em 07/Nov/2014 às 21:39

        Rogéria, eu não conhecia essa realidade, obrigado por compartilhar aqui. Fico feliz por saber que felizmente é algo que não se vê mais com frequência. Abraços

    • Cesar Zanin Postado em 07/Nov/2014 às 21:41

      Pois é, e ainda reclamam do Bolsa Família... O povo nordestino orgulhou muito o Brasil nessas eleições. Saudações a todos os nordestinos!

  14. Renato Nogueira Postado em 06/Nov/2014 às 12:03

    Talvez, o "amor incondicional" à meritocracia seja a definição mais correta para o oposto à esquerda caviar. O cara que não entende a meritocracia como um rumo natural do desenvolvimento, e sim como um auto-merecimento de causa e efeito. Acho que isso casa muito bem com o último parágrafo do ótimo texto do César Zanin.

    • Cesar Zanin Postado em 07/Nov/2014 às 21:42

      Renato, exatamente! Abraços

  15. Felipe Medeiros Postado em 06/Nov/2014 às 12:18

    Será que os lobistas iam curtir um "Partido Científico"?

  16. Tchekowski Postado em 06/Nov/2014 às 12:27

    A mídia tem um poder estrondoso. Se a imprensa tratasse o PT como trata o Alckmin, por exemplo, que representa a chegada da seca em São Paulo e nunca é sequer citado ou entrevistado sobre a questão, não haveria 2º turno e nem teríamos de assistir a desqualificação do Aécio cuja única proposta era melhorar o que já existe. Como diz a imprensa estrangeira: "a mídia brasileira deveria se ocupar mais com o jornalismo e menos com a política".

    • Cesar Zanin Postado em 07/Nov/2014 às 21:44

      Sim, a grande mídia é parcial e manipuladora. O Brasil merece uma imprensa melhor, é necessária a Regulação da Mídia, assim como fizeram alguns países desenvolvidos, como o Reino Unido. Abraços

  17. Fabio Zanin Postado em 06/Nov/2014 às 13:06

    Excelente texto "primo" Zanin :) . Ainda bem que parte da família trabalha firme em "utopias". Um grande abraço. Compartilhando!

    • Cesar Zanin Postado em 07/Nov/2014 às 21:45

      Obrigado, Fabio! Será que somos parentes mesmo? Abraços

  18. Mauro Lima Postado em 06/Nov/2014 às 14:08

    Acredito q esquerda caviar seja um termo para designar pessoas q defendem o socialismo mas não abrem não dos luxos q o capitalismo trás. Parentes meus mais velhos dizem que nos anos 60 e 70 o equivalente ao "esquerda caviar" era o termo "esquerda festiva."

    • Zemauro Postado em 31/Jan/2015 às 22:05

      É isso mesmo meu caro Xará!!!

  19. mauricio augusto martins Postado em 06/Nov/2014 às 14:26

    "Socialismo é o próximo patamar acima, na Democracia, isto é, Plena Democracia" by Sócrates(o Grego, e também o Nosso Sócrates da "Democracia Corintiana), que nesta inexiste a afirmação do "Povo para o Povo" por tratar-se desnecessária, e Nunca poderemos contemplar um embate de SocialismoxCapitalismo, pois o capitalismo não é e nunca foi Forma de Governar, e o Socialismo é a forma de Governo via sufrágio Universal, o capitalismo preconiza a importância do capital a frente das Causas Sociais, sucateando com isto a Mão-de-Obra, desde Sócrates muita coisa mudou, com a rapidez da Informação trataram de desinformar e alienar o máximo possível a Verdadeira visão e conteúdo da História, entra então a Educação segundo o balizamento de Paulo Freire "Uma Educação Opressora, ensinará o Oprimido a querer ser Opressor", e isto que sempre tivemos, uma Educação Proselitista, sem resgatar a Memória de sucessivos Golpes de Estado, a maioria das Pessoas não conseguem sentir a "maturação" de Golpes no bojo da Democracia, mas de forma latente conseguimos perceber a "construção" do mesmo, começando pelo "Pecado Original" por São Basílio, a Inveja, onde o Cidadão é incapaz de Saber Perder, pois só "perdemos" o que verdadeiramente não seria Nosso, portanto o ato de Governar e Governar Bem e a contento do Estado, pertence a quem se dedicou aos Estudos dentro e fora dos bancos Escolares e tem proposições que diferem do Estado-Empresa ou Brasil S/A, nosso País que sempre foi uma Balcão para Negócios, inclusive e na maioria escusos, experimenta um Governo de Fato com visão de Bloco, com Soberania Nacional e Segurança Alimentar, enfim ao mais alto grau de Cultura, e que desde sempre soubemos que a Cultura é uma característica exclusiva da Esquerda, que quando se tenta copiar ou "comprar" como um objeto qualquer, surgem os Quasímodos tão bem descrito por Victor Hugo no idos de 1800, que denunciava a peculiar Educação formulada pelas igrejas, e c conceito de Direita e Esquerda costumo interpretar a original do Império Romano, onde a Esquerda era o posicionamento ladeando o Senado nominada como Comitia Centuriata com cem membros onde somente duas figuras eram retiradas do POVO, e só podiam exercer um direito e plebiscitário e era Roma entra em Guerra ou Não?, e a Direita ficavam os 30 Sacerdotes "filhos de "Gens" como os 300 Senadores, porém todos súditos do Imperador, como o império não existe mais, por representação o lugar da "Direita" fora ocupada como representante maior pela mídia pig e os interesses das menores "agremiações" mas todas com a conotação de viverem de Subsídios, Salários e até `Propinas do próprio Estado, como parasitas sugando o Sangue de Todos, um caso típico é a Distribuição de Revistas Veja pelas Escolas Estaduais de São Paulo, bem como contrato do Estado com os Jornais a Folha e O Estado, que fazem o papel de blindar o Governo e deseducar o Leitor em Geral, como excelentes exemplos de "Filósofos" educando ao coxinha de como pegar Mulheres, por isto e para isto estão Esculhambando com a Educação, desaguando num estado calamitoso de Violência e Preconceito onde o próprio Incauto Eleitor não percebe o ridículo pelo que está passando, lembrando a estória da Traição em pleno sofá, a saída é "queimar" o sofá...maumau

    • Cesar Zanin Postado em 07/Nov/2014 às 21:48

      Obrigado por contribuir no debate, Maurício. Sim, quem não recorrer à história vai perder. Abraços

  20. Ellen Postado em 06/Nov/2014 às 15:23

    Classe esperta x classe preguiçosa (ou acomodada), sempre pensei assim também. Eu costumo dizer que existe um tipo de seleção natural na sociedade, uma diferença entre mentes pensantes e atuantes (para o bem ou para o mal) e as acomodadas (tanta faz, se tem cerveja ta bão demais). Existe a ignorância e servidão voluntária. Um pobre precisa estudar muito e de muita dedicação para sair de sua condição, mas muitos preferem ficar onde estão se for para fazer muito esforço para sair dela (trabalho + estudo). Há quem se contente em terminar o Ensino Médio, ser motorista de ônibus e ganhar o suficiente para comprar uma casinha, talvez um carrinho e ter dim dim para a cervejinha com amigos. Hã aqueles que vão muito longe não importa as adversidades, os que nascem em berço de ouro (e sem mantem nele ou não). Impérios se levantam e caem quando muda-se quem neles imperam. Por isso eu digo que há uma seleção natural para que o mundo seja o que é: O empresário x o empregado. Para o mundo ser o que é, precisa de todos atuando na pirâmide: Como um restaurante, por exemplo, funcionaria sem o garçom, sem a faxineira, sem o cozinheiro, sem o proprietário pensante para gerenciar e fazer tudo funcionar? Eu pensava que o problema era falta de consciência, mas descobri que nem sempre. Existe o comodismo consciente. As mudanças só ocorrem quando alguns lutam contra certos abusos em relação as leis trabalhistas ou algum outro tipo de desequilíbrio social. Eu até concordo com a ideia de quem trabalha muito ganhar muito, e quem trabalha pouco ganha pouco. Mas nem sempre quem trabalha muito ganha muito, veja o caso dos explorados (trabalhar 10 horas dias nos 6 dias da semana para um salário irrisório) e veja o caso dos especuladores do mercado de ação (trabalham pouco e ganham muito, mas são espertos).

    • Pompeu Teles Postado em 06/Nov/2014 às 17:40

      Você só esqueceu de analisar que deste os tempos do império romano e até antes, sempre existiram os dominantes e os dominados e que os dominantes sempre criaram e mantiveram mecanismo que inviabilizassem o crescimento das mentes pensantes quando elas eram/são oriundas das classes dominadas; exatamente por isto casos excepcionais de algumas pessoas que mesmo nascendo em favelas conseguiram entrar numa facuildade (quando não existia prouni) ou venceram honestamente sendo empreendedoras são casos mínimos, e a própria classe dominante já sabia que haveriam estas gotas fora do lago e até acham isto bom para que se justifique os argumentos que você elencou. Agora se de um lado existem pessoas que nascendo em impérios os deixam cair, estes são tão raros quando os que nascendo na humildade constróem impérios, como é o caso de um Silvio Santos. Mas, usar estes casos só servem para maquiar a realidade e justificar os mecanismos de exclusão social que como eu disse datam de séculos atrás. Só para concluir usando o fator estudo que você citou antes do prouni os alunos ricos e de classe média estudavam e estudam em excelentes escolas particulares (caríssimas) enquando os filhos dos pobres nas péssimas escolas públicas e sem falar nos problemas estruturais familiares que o filho do pobre tem que conviver, e depois os dois iriam disputar o vertibular tradicional e você acha justíssimo né, levando em contra que não existiriam vagas para todos, quem tem mais chances de passar, você acha que todo dia nasce um Silvio Santos com talento especial para superar tudo ou um trouxa na elite para conseguir destruir um império...acorda menina! è claro que os dominadores manipulam mecanismos para manter tudo como esta, a parte da parcela preguiçosa que você citou existem, mas é tão pequena que entra nas excessões e não na causa principal.

      • Cesar Zanin Postado em 07/Nov/2014 às 21:53

        É como eu costumo dizer: A pobreza é o combustível do capitalismo. O capitalismo, ou agora o neoliberalismo, contorna toda e qualquer tentativa de evolução social. Por isso que devemos lutar por uma sociedade mais justa.

    • Cesar Zanin Postado em 07/Nov/2014 às 21:51

      Ellen, pois é, quero uma sociedade onde todos os cidadãos tenham a mesma chance, as mesmas condições de prosperar. Só então poderíamos falar em meritocracia. Concordo, quem trabalha mais, ganha mais, nada mais justo. Abraços

  21. Ellen Postado em 06/Nov/2014 às 15:24

    E para a esquerda caviar tem o termo DIREITA COXINHA.

  22. Jovana Postado em 06/Nov/2014 às 15:41

    Entendi que nos chamam de esquerda caviar como forma de nos intimidar denegrindo e dando um cala boca aos nossos discursos idealista.Embora seja de origem humilde,mas que hoje tenha alcançado um padrão dito classe média por meu próprio mérito e esforço com trabalho como professora,não me sinto esquerda caviar,porque sobrevivo do meu próprio salário e nunca me envolvi com corrupção e como diz Zeca Pagodinho a respeito do caviar,nunca ví,nunca comi e só ouço falar! Mas,sou convicta dos ideias democráticos e que um país não precisa desenvolver a custa do sofrimento dos pobres e apoio a justiça social no projeto de governo da presidente Dilma!

    • Cesar Zanin Postado em 07/Nov/2014 às 21:56

      Estamos no meio de uma jornada rumo a uma sociedade mais justa, menos desigual. O caminho é árduo e longo, mas já conseguimos ver sinais de melhora na vida de milhões de brasileiros. Vamos que vamos! Abraços

  23. Washington Postado em 06/Nov/2014 às 17:18

    O que eu não consigo entender é porque diabos a velha a classe média que vive endividada acha que é rica!?! Compram uma boa casa, um bom carro e tc... tudo a prestações a perder de vista e quando uma crise econômica ou a perda do emprego abala seu mundinho de contos de fadas aqueles que caem (sempre tem os que caem), ao verem o banco credores engoli-los, geralmente, amarram a corda no pescoço, mas os ricos de verdade, estes continuam de boa com ou sem crise!! A velha classe média é mesmo hipócrita!

    • Cesar Zanin Postado em 07/Nov/2014 às 22:00

      O medo e a preguiça de se tentar um mundo melhor acaba se transformado em ódio direcionado a quem tenta. Isso é triste. Mas acredito que estamos num caminho bom. Abraços

  24. Lidia Postado em 06/Nov/2014 às 20:27

    Nossa. Que bom ler um artigo tão bem articulado e comentários idem. Discussão saudável e reflexiva. Mas acredito que vcs estejam em lugares (de discussão) melhores que o meu. Vivo em Limeira/SP, meus caros, quase sem interlocutores.

    • Cesar Zanin Postado em 07/Nov/2014 às 22:02

      Lidia, minha família é do interior de SP também, nessas eleições fiquei deprimido toda vez que acabei tentando conversar com a grande maioria deles sobre política. Mas vamos que vamos. :-) Abraços

  25. Luciana Postado em 06/Nov/2014 às 20:45

    Excelente texto, Cesar. Caviar pra quem curte caviar (eu, particularmente, provei e não gostei) e champanhe para todos!

    • Cesar Zanin Postado em 07/Nov/2014 às 22:04

      Obrigado, Luciana. Precisamos reiterar que socialismo não é pobreza. Podemos ser justos e ricos, nossa sociedade tem muito para melhorar, para o bem de todos! Abraços

  26. Marco Postado em 06/Nov/2014 às 21:55

    Você paga seus impostos direitinho? Um bom cidadão seja de direita ou esquerda defende a distribuição de renda, o que não dá para aceitar é que isso por si só subsidie a corrupção, o aparelhamento do Estado, a inflação que também por si só é a antítese da distribuição de renda, um plano de governança nomeado de Bolivariano pelo maior jurista constitucional do Brasil, Ives Granda. Caro amigo querem comparar o PT com governos Europeus voltados a distribuição de renda é pura semântica e romantismo da sua parte.

    • Ricardo Postado em 07/Nov/2014 às 15:27

      Cara, Ives Gandra é um ultraconservador e está LONGE de ser o MAIOR constitucionalista brasileiro (embora não goste e seja alvo de muitas críticas, o Gilmar Mendes é muito melhor - do ponto de vista estritamente acadêmico, e não prático-político). E o Ives está LONGE, mas MUITO LONGE de ser unanimidade no Judiciário, por exemplo. E, ainda se fosse, já parou para considerar que ele estar equivocado?! Ou, para vc, basta um "carteiraço"?! Cada um que tenho de ler...

      • Cesar Zanin Postado em 07/Nov/2014 às 22:13

        Ricardo, em um comentário fui desqualificado porque não sou economista... Triste e sintomático. Mas vamos que vamos!

    • Cesar Zanin Postado em 07/Nov/2014 às 22:12

      Marco, cidadão de direita não defende distribuição de renda, não. Seria incompatível. Sobre a corrupção no Brasil, aqui um texto que eu escrevi a respeito: https://www.facebook.com/notes/cesar-zanin/corrup%C3%A7%C3%A3o-no-brasil/10152526655226998 Esse termo, bolivariano, vem sendo usado sem o mínimo de atenção. As propostas e medidas do PT não são bolivarianas e não são comunistas. A regulação da mídia acabou de ser aprovada no Reino Unido, centenas de plebiscitos são realizados nas eleições nos EUA, são essas as propostas do PT para as necessárias reformas. A Suiça pretende usar o Bolsa Família como modelo para seu país, os países nórdicos proporcionam o mesmo tipo de cidadania que o governo federal do PT quer no Brasil. O Brasil é um país rico em recursos e tem tudo para evoluir, muito.

  27. Arthur Postado em 06/Nov/2014 às 23:16

    César Zanin acredito que a população não tende ao crescimento, mais sim ao decrescimento. Isso é um dos equívocos pregados pela direita. Temos que observar que com o acesso a melhores condições de vida, urbanização, a população tende a diminuir. Com a conversão da população rural em urbana iniciada no Brasil em meados do século XX, a quantidade de filhos por casal diminuiu drasticamente. O mesmo ocorre em todo o mundo, basta ver a Europa, África do Sul, China, entre outros.

    • Cesar Zanin Postado em 07/Nov/2014 às 22:15

      Arthur, nos países desenvolvidos sim, a tendência é a estagnação, mas nos países menos desenvolvidos, que são os mais populosos, a população cresce cada vez mais. As previsões são preocupantes, inclusive. Abraços

  28. Mariane Bornelli Postado em 07/Nov/2014 às 00:25

    Resposta: http://meumegafonedigital.blogspot.com.au/2014/11/a-esquerda-caviar-e-o-pobre-conservador.html

    • Cesar Zanin Postado em 07/Nov/2014 às 22:33

      Mariane, meu texto não tem a pretensão de descrever ou explicar as pessoas que são chamadas de esquerda caviar. Sou contrário ao uso de expressões como esquerda caviar, coxinha etc. O objetivo principal do meu texto é elevar o debate para que possamos abandonar esses rótulos e podermos debater com respeito mútuo. Meu comportamento é compatível com meus ideais, busco evoluir e estou sempre tentando aprender mais. A Veja é comprovadamente manipuladora, tendenciosa e parcial. Já foi condenada mais de uma vez na justiça por tentar enganar o público com propaganda partidária - sempre protegendo os mesmos conservadores - travestida de jornalismo. Ser de direita hoje no Brasil vem sendo tentar manter os privilégios e regalias de uma pequena parte da sociedade e tentar justificar isso com o termo meritocracia. Esse termo, meritocracia, só poderia ser usado se todos os cidadãos tivessem as mesmas condições de prosperar desde o nascimento. Sabemos que no Brasil a corrupção, a impunidade e os privilégios de uma pequena parte ainda estão presentes em todas as esferas. Aqui um texto sobre o assunto: https://www.facebook.com/notes/cesar-zanin/corrup%C3%A7%C3%A3o-no-brasil/10152526655226998 Por isso que precisamos lutar por uma sociedade mais justa e só depois falarmos em meritocracia. Qualquer demonização deve ser erradicada. Abraços

  29. Stefanie Postado em 07/Nov/2014 às 03:39

    César Zanin, parabéns pelo texto, muito bem colocado!!! De uns tempos pra cá em qualquer discussãozinha política em que se questione o modelo de sociabilidade vigente, começam os insultos de esquerda caviar.. Certa vez, uma pessoa argumentou que não gostava do pensamento de Marx, porque ele viveu a vida encostado em seu amigo Engels. Rebati dizendo que ele deveria ler a obra de Marx conhecer de suas ideias para então ter propriedade para questioná-las, e pra quem sabe assim, ao se inteirar de toda sua obra ele entenderia um pouco o porquê de Marx ter sido "encostado”... Sua obra é tão vasta que muitos a dividem entre o jovem Marx e o velho Marx, então falta do que fazer suponho que não foi. É bem esse pensamento de quem só pode defender uma sociedade mais humana e sem desigualdades sociais é quem é realmente pobre e trabalhador, caso contrário é esquerda caviar. Tbm, sempre achei uma tremenda incoerência um pobre trabalhador ser a favor das ideologias de direita e não questionar que são eles os produtores de toda a riqueza social, mas, no entanto, pouco usufrui dela. E, diga-se de passagem, a grande maioria dos trabalhadores são a favor do capitalismo, ou o que é muito pior, eles sonham em virar burgueses. Mas pensam assim, porque veem a realidade como sendo natural, porque foram alienados de si mesmos. Penso que o pensamento marxista deve ser sim questionado, mas penso tbm q ele ainda é referência para se fazer uma análise da sociedade capitalista. Penso tbm q o chamam de esquerda caviar (desqualificando) poderia ser o que Gramsci chamou de intelectual orgânico, aquele que é intelectual e que assume uma ideologia revolucionária ou conservadora e a defende perante a sociedade. Assim, o que eles chamam de esquerda caviar é o intelectual orgânico que defende uma ideologia revolucionária, contraria ao sistema capitalista.

    • Cesar Zanin Postado em 07/Nov/2014 às 22:34

      Stefanie, obrigado por contribuir, é pertinente o que você diz. Abraços

  30. Marcell Postado em 07/Nov/2014 às 06:46

    Mudar é possivel, nao existe sociedade utopica, estamos sempre mudando, https://www.youtube.com/watch?v=PoJyb1R9U4s

    • Cesar Zanin Postado em 07/Nov/2014 às 22:36

      Marcell, depois que assisti a trilogia Zeitgeist eu passei a enxergar coisas que eu não via. Obrigado por postar o link, vou assistir. Abraços

  31. Adilson Postado em 07/Nov/2014 às 12:48

    "vide o mapa da pobreza no mundo da ONU, pela primeira vez na história sem o Brasil nele". Nasci extremamente pobre, mas numa época em que era possível ser extremamente pobre sem perder a dignidade. Nos dias de hoje, por dever de ofício, vivo e convivo com as "periferias" deste nosso Brasil. Me assusta constatar tanta miséria e, em contraposição, ver e ouvir frequentemente que a ONU desenhou um mapa da pobreza sem o Brasil. Devem ter esquecido. Argumento com amigos sobre o pífio resgate de pessoas da extrema miséria (afinal dados "oficiais" constatam a existência de 10 milhões de miseráveis), e sempre sou surpreendido com a argumentação que serão necessários séculos para recuperar este país. Não tenho coragem de dizer isto aos miseráveis da minha convivência. Me entristeço, pois estamos provando nossa incompetência para resolver esta questão e estamos nos vangloriando do pouco, quase nada, que está sendo feito.

    • Cesar Zanin Postado em 07/Nov/2014 às 22:40

      Adilson, se em 12 anos conseguimos tirar mais de 40 milhões de pessoas da miséria, não acho que sejam necessários séculos para evoluirmos mais. O Brasil não está no mapa da fome no mundo da ONU porque antes era muito pior, Adilson. Ainda há muito por se fazer, sim, ainda há muita gente para ser tirada da miséria. Por isso que devemos lutar por uma sociedade mais justa, por isso que reelegemos Dilma.

  32. Valter Andrade Postado em 07/Nov/2014 às 13:04

    As definições de Esquerda, Conservadores e Reacionários precisam ser vistas de forma mais conceituais, à exceção das posições reacionárias que penso serem nocivas, devemos respeitar as outras mesmo não concordando com uma ou outra. Só que no momento atual, esta discussão me parece fora de foco, para obter e se manter no poder nossas correntes políticas não tem o menor pudor em se aliar ao adversário mais perverso - LULOPETISMO / CARLISMO ou CLÃ SARNEY - nosso maior problema é legal e moral, não de rótulos ideológicos.

  33. Luís Manoel Postado em 07/Nov/2014 às 14:53

    Se te apontarem o dedo e te chamarem de esquerda caviar, responde assim: eu sou esquerda caviar e vou lutar ao lado da classe trabalhadora até superar esse sistema e eu deixar de ser caviar!!! Nenhum passo atrás. Dane-se os rótulos. Eles passam.

    • Cesar Zanin Postado em 07/Nov/2014 às 17:27

      Luís, exatamente! Rótulos criados para reduzir não servem para nada de bom.

  34. Cesar Zanin Postado em 07/Nov/2014 às 23:17

    Gente, por favor não hesitem em comentar aqui, quanto mais gente se manifestar, melhor! Mas vai ficar cada vez mais difícil para que eu consiga vir aqui e responder os comentários, peço para quem quiser debater comigo, para escrever diretamente pra mim: https://www.facebook.com/waldenzanin Abraços

  35. sergio ribeiro Postado em 12/Nov/2014 às 15:23

    Quem usa esse termo comumente são os colunistas reacionários que odeiam e/ou desprezam os pobres. Jamais defendem qualquer mudança no status quo que possa dar algum tipo de melhoria para as populações desassistidas. Acreditam (talvez não) que a pobreza se resolverá por encanto, com a aplicação de suas políticas liberais. Reitero que é um pensamento reacionário, pois a filosofia de direita genuína, ou mesmo liberal, não implica o desprezo pelos pobres, a desigualdade ou mesmo horror às mudanças. Existem pensadores de direita que acreditam que nenhuma sociedade é suficientemente boa se não o é para todos. Por outro lado, não existe contradição em ser rico e ser de esquerda; ser contra a desigualdade. O fato de se ter uma boa qualidade de vida não implica ser uma pessoa insensível ao sofrimento alheio e a falta de oportunidades para todos. Pelo contrário, a própria qualidade de vida de uma sociedade só se mantém quando todos podem viver dignamente, ou do contrário surgem a violência, o crime e as revoltas.

  36. José Luiz Postado em 26/Mar/2015 às 16:36

    Caraca!!! Não me lembro de quando escrevi isso....Ah! Não fui eu, mas poderia ter sido...Parabéns! Concordo plenamente. Talvez poderia contribuir demonstrando que existe a "Direita que quer levar vantagem em tudo" ou "Direita Miami" que é contra o bolsa família mas vive sempre atrás de um "incentivo fiscal". E que essa mesma Direita, apoiada principalmente por integrantes do PiG como que num sistema de retroalimentação, vive em busca dos argumentos "corrupção" notadamente percebidos em esquemas que ela mesmo monta e opera como nos casos Mensalão e Petrolão. Que venha a CPI do HSBC e a Regulamentação da Mídia para desnudar esse Cartel e esses verdadeiros assaltantes!! Abrs.