Redação Pragmatismo
Compartilhar
Saúde 13/Oct/2014 às 16:21
1
Comentário

Suspeita de ebola no Brasil é descartada

Deu negativo o resultado do segundo exame feito no paciente com suspeita de ebola no Brasil

O Ministério da Saúde informou hoje (13) que deu negativo o resultado do segundo exame feito no paciente com suspeita de ebola. O Instituto Evandro Chagas, em Belém, confirmou que o homem de 47 anos, procedente da Guiné, não tem o vírus.

Segundo o ministro, Arthur Chioro, os critérios para a alta do paciente serão analisados pela equipe médica do Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, no Rio, onde está internado. As pessoas que tiveram contato com ele, e que ficaram em observação, foram liberadas do monitoramento.

O ministro disse que as medidas de prevenção da doença permanecem iguais. “Todas as medidas de prevenção e de vigilância em relação ao ebola permanecem. Ao mesmo tempo que passamos tranquilidade à população, entendemos que se trata de uma enfermidade de risco pequeno, mas que não podem ser descartadas as medidas de prevenção”, avaliou o ministro.

O homem natural da Guiné chegou ao Brasil no dia 19 de setembro. Em Cascavel, o africano sentiu febre no dia 8 de outubro, e no dia seguinte procurou uma Unidade de Pronto-Atendimento. Ministério da Saúde foi acionado e o paciente transferido para o Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, onde permanece em observação.

Foram feitos dois exames de sangue no paciente, um no dia em que o ministério foi avisado da suspeita e outro 48 horas depois. É o procedimento indicado pela Organização Mundial da Saúde para confirmação ou descarte de um caso da doença.

A Guiné é um dos países da África Ocidental onde há uma epidemia de ebola. No país, pelo menos 1.350 pessoas foram contaminadas e 778 morreram com a febre hemorrágica, desde o começo do ano.

Agência Brasil

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Tags

Comentários

  1. Onda Vermelha Postado em 13/Oct/2014 às 21:56

    Parabéns Ministro Arthur Chioro. Assisti a toda à exposição através da TV NBR e fiquei impressionado com nível de profissionalismo de toda equipe do Ministério da Saúde neste caso. Diferentemente, do que ocorreu nos EUA em que ficaram claras as falhas no atendimento e na abordagem da primeira vítima do vírus ebola naquele país, quando o infectado foi, inicialmente, mandado de volta para casa, mesmo diante dos primeiros sintomas, e sabendo-se de sua origem de um país com incidência da doença. Aqui tudo ocorreu dentro do mais rigoroso e estrito uso dos protocolos descritos para essas situações de emergência. Cabe lembrar que o africano foi atendido em uma UPA, ou seja, foi o tão criticado SUS que deu conta do recado. Sem alarmismo e muita transparência foram respondidos a todos os questionamentos da imprensa sem deixar pedra sobre pedra. E o primeiro exame realizado, felizmente, deu NEGATIVO! E agora o segundo também. Mas todos aprendemos muito e passamos a confiar na capacidade de nossas autoridades.