Redação Pragmatismo
Compartilhar
Racismo não 10/Oct/2014 às 17:28
7
Comentários

Ministério Público pede condenação de internauta por racismo

Internauta pode ser punida por mensagem racista. Usuária do Facebook disse que algumas pessoas deviam “permanecer no tronco”

racismo ministério público

O Ministério Público Federal pediu a condenação de Kenya Mayrink, usuária do Facebook acusada de postar mensagens racistas na rede social. A Procuradoria Regional da República na 2ª Região (PRR2) apoiou.

A internauta publicou em seu Facebook comentários preconceituosos contra negros: “#odeioocentrode qqcidade #odeio esse lugar As vezes entendo o preconceito tem gente que devia permanecer no tronco ! Pessoas ignorantes ECA”, divulgou em outubro de 2012. Em seguida, comentou a uma resposta da sua publicação: “tenho muitos amigos afro descendentes e não generalizei em momento algum !!! Não tenho preconceito, disse q entendo algumas vezes… Saibam ler as coisas antes de criticar… Mas tenho pavor a ignorância e infelizmente tem alguns negros q não podem msm ter nenhuma posição… E todos nos sabemos disso ! Não sejamos hipócritas !!!!”.

O procurador regional da República, José Augusto Vagos, afirmou em parecer que a absolvição de Kenya Mayrink, determinada pela Justiça, se dava em duas premissas equivocadas: a de que a postagem de Kenya foi tirada de contexto pela usuária Mariângela Honorato, que a divulgou, e a de que essa divulgação deu maior visibilidade ao fato.

Outro argumento usado pela justiça de primeira instância foi que a conduta de vida da ré não indica que ela seja preconceituosa. “O fato de não ter a ré antecedentes específicos ou histórico de práticas discriminatórias não lhe garante um salvo conduto para que possa perpetrar ato de discriminação, ainda que seja um fato isolado. Nada obsta a persecução do crime imputado na denúncia por ser a ré primária, da mesma forma que a lei impõe a punição de um furto, ainda que praticado por agente que nunca tenha furtado anteriormente”, sustentou o procurador regional.

A defesa da internauta alegou que o comentário foi um desabafo a um desrespeito sofrido por Keny por um vigilante dos Correios. Entretanto, a PRR2 ainda afirmou que esse contexto não justifica a conduta, que manifestou um “sentimento depreciativo em relação a toda uma raça”.

O parecer da Procuradoria será analisado pelo desembargador Abel Gomes, o relator da apelação criminal.

Jornal GGN

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. Salomon Postado em 10/Oct/2014 às 17:42

    Os sujeitos que agem assim estão perfeitamente enquadrados no substancioso manual de Freud (página 4 da edição de bolso).

  2. Francis Postado em 11/Oct/2014 às 13:59

    Aquir vai à minha indignação por estas pessoas que falam sem pensar...achando que sabem tudo é,de pessoas como vocês que o mundo não precisa,com pensamentos nazistas,que incita o ódio,que ofende e,humilham um povo,com pensamentos preconceituosos,racistas.,xenofóbico,Pena que à minha candidata não ganhou,seria a Luciana Genro do (PSOL),no debate que ocorreu ela falou para o candidato Levy Fidex:Já no passado ocorreu o holocausto,genocídio...que os nazistas fizeram contra os judeus...É de pessoas como vocês que o mundo não precisa.Nós nordestinos estamos nos sentindo ofendidos com esses insultos,esse ódio desnecessário.O voto é livre ,todo mundo tem direito de votar em quem quiser,quem são vocês para nos criticar,por causa da ignorância ,arrogância,por incitar o ódio,vocês pagarão um preço alto,pois no primeiro turno nem todo nordestino votou no PT,mas,agora vou votar,só para vocês aprenderem a respeitar um povo...e digo mais,o PT já ganhou!parabéns para vocês! incitadores do ódio que deram votos para o PT...

    • eu daqui Postado em 17/Oct/2014 às 12:46

      TAMBÉM ACHO QUE O NAZIPETISMO INSUFLOU O ÓDIO RACIAL. E é em consequencia disso que a rapina tucana nazifeudoliberalista vai voltar ainda mais forte: por culpa histórica dos histéricos do nazirevanchismo. No entanto, ainda acho pesado demais fazer apologia ao escravismo. Não gostar dessa ou daquela raça ou região é direito à subjetividade. Mas daí a pregar o retorno de uma aberração histórica como a escravidão, já é crime.

  3. Zé da Lamparina Postado em 11/Oct/2014 às 21:51

    E que ironia mais louca: o nome dela é KENYA... Sem mais comentários!

    • Jonas Schlesinger Postado em 12/Oct/2014 às 17:43

      O mais incrível é que teu nome é zé, esse nome tem todo lugar. Mas de qualquer forma essa matéria foi tão irrelevante que mereceu um post aqui no PP.

  4. eu daqui Postado em 13/Oct/2014 às 14:35

    Escravista: pior do que racista.

  5. Tatiana Postado em 15/Oct/2014 às 16:31

    queria perguntar p essa juíza qntas pessoas no brasil têm antecedentes preconceituosos???alias como ela pode provar q a garota n tem antecedentes preconceituosos?? pelo comentario.... isso existe? n conheço ninguem q tenha passado por isso, ou q conheça alguem q tenha isso na sua ficha criminal!! a impunidade impera! ahahhahha socorro