Redação Pragmatismo
Compartilhar
Eleições 2014 14/Oct/2014 às 16:04
20
Comentários

Dilma Rousseff e Aécio Neves durante a juventude

O que faziam Dilma e Aécio na juventude? Conheça as diferenças radicais de trajetórias entre os presidenciáveis e também entre a maneira como eles reivindicam as suas biografias

dilma aécio juventude ditadura história
Biografias antagônicas. Enquanto Aécio teve uma juventude tranquila com a família no Rio de Janeiro, Dilma combateu a ditadura militar e foi torturada pelos opressores do regime

Katarina Peixoto, Carta Maior

Dos 17 aos 21 anos, Aécio Neves vivia no Rio com a família. Seu pai chegou a ser deputado federal da Arena, partido sustentáculo da ditadura. Segundo o site da Câmara dos Deputados, neste período, ele teve um cargo de secretário de gabinete parlamentar na Câmara Federal, localizada em Brasília, embora morasse no Rio.

Durante esses anos, conforme relatos publicados na imprensa brasileira, Aécio foi um “menino do Rio”, que gostava de surfar, de festas e estudava em escolas de elite. Entre 1977 e 1981, período em que o Brasil vivia sob ditadura civil-militar, o jovem de família ligada à Arena, partido de sustentação da ditadura, gozou a vida enquanto o Brasil vivia sob o tacão de um regime ilegítimo.

Como todo regime autoritário, a ditadura brasileira tinha na oligarquia do país o seu sustentáculo da manutenção do poder via a censura e controle da imprensa (que só podia existir como cúmplice) e a força bruta: a tortura, a perseguição e o desaparecimento de dissidentes.

Dos 17 aos 21 anos, Dilma Rousseff resistia à ditadura civil-militar. Segundo ela mesma e os documentos da época, engajou-se na resistência armada que reagiu ao Ato Institucional n. 5 e foi, entre os 18 e 21 anos, barbaramente torturada, pelo governo que tinha, entre outros sustentáculos, a família do candidato Aécio.

Entre 1977 e 1981, Dilma Rousseff morava em Porto Alegre. Estudou, casou, teve uma filha, reerguendo a própria vida e tomando parte na resistência democrática e na luta pela reabertura do país, pelas eleições diretas, pela anistia, pelo fim da ditadura, pela democracia.

A trajetória de Dilma não começou em Porto Alegre, assim como a de Aécio não começou no gabinete de Sarney, onde esteve, por ser neto de Tancredo Neves.

Não é correto, a não ser que se defenda, como o candidato Aécio defende, a redução da maioridade penal, atribuir responsabilidade penal a adolescentes.

Mas é correto, quando se tem compromisso com a democracia, levar a memória, a história e as responsabilidades a sério. A origem social de ninguém, numa democracia, deve ser destino, e menos ainda garantia. Por isso, é inegável reconhecer esta diferença tão radical de trajetórias dos candidatos e da maneira como eles reivindicam as suas biografias; uma candidatura é representante da democracia e da luta histórica pela democracia; outra, da oligarquia e da luta histórica contra a democracia. Em nome dessa luta e de sua legitimidade histórica, é preciso que Aécio seja derrotado pela democracia.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. Rafael Postado em 14/Oct/2014 às 16:30

    Isto foi para ajudar a Dilma ou para jogar a candidatura no ralo?

    • Guidi Postado em 15/Oct/2014 às 13:26

      Foi pra calar a boca de pessoas idiotas e analfabetos funcionais, como você.

  2. Bruno Postado em 14/Oct/2014 às 16:35

    Existe um mito sobre a luta armada no Brasil, no qual Dilma participava através da VAR-Palmares, que diz que a mesma foi responsável ou fragilizou a ditadura. Mentira. A luta armada claramente saiu em desvantagem e justificou a própria existência da ditadura, sendo que quem derrubou foi a própria sociedade civil, as pessoas comuns, e a esquerda brasileira se aproveitou do momento e reivindicou tal feito.

  3. Matheus B. Postado em 14/Oct/2014 às 16:41

    Também não é correto falsificar biografias. Dilma e as guerrilhas nunca lutaram por democracia. Apenas queriam substituir a que existia pela que achavam mais bonita.

    • Bruno Postado em 14/Oct/2014 às 18:32

      Tem muita gente que fala que foi "reação" ao golpe militar, sendo que bem antes do golpe, na década de 50, ligas camponesas já treinavam em Cuba. Não existiu lado certo e esse pessoal insiste em transformar em heróis pessoas que além de piorar a situação também eram criminoso, e que hoje estão no poder.

      • Valter Augusto Postado em 15/Oct/2014 às 08:33

        Deixa de falar absurdo,moço!Ligas camponesas treinando em Cuba?De onde vc tirou isso?Criminosos eram-e são!-os militares e a elite que implantaram uma das mais sangrentas ditaduras do mundo!Aqueles que lutaram por liberdade não eram-e não são!-criminosos:todo povo tem o direito de resistir a tiranos.Dizer que "não houve lado certo' é ou má-fé de sua parte ou pura ignorância.

      • Bruno Postado em 15/Oct/2014 às 14:00

        Eu não fiz julgamento moral de quem tava certo e de quem tava errado, não disse que um era pior e outro melhor, os dois lados eram ruins. Qualquer historiador ou jornalista histórico pode confirmar isso, estas informações são tiradas de diversas fontes, sendo uma delas uma tese de doutorado sobre a luta armada no Brasil, com participação do Sr. Elio Gaspari. Eles não começaram lutando por liberdade, os movimentos de luta armada, atende a isso e somente a esse grupo, tinham interesse em golpe sim. Atacar minha pessoa não faz o seu argumento ser válido, e de uma pesquisada no google acadêmico sobre o tema. Já que você usou um argumento numérico, qualquer ditadura de esquerda matou infinitamente muito mais que a ditadura brasileira.

    • Valter Augusto Postado em 15/Oct/2014 às 08:30

      Rapaz,não fale asneiras!O nosso regime militar implantado em 1964 merecia,sim,toda e qualquer resistência!Aquilo foi uma merda,rapaz!Os milicos e a nossa elite aumentaram a desigualdade social,despolitizaram a população,abriram as pernas pro capital norte-americano,mataram,torturaram,censuraram,prenderam.Nada de positivo teve esse regime.Talvez Itaipú,mas isso poderia ter sido feito melhor e mais barato por um governo popular!De resto...Dizer que as guerrilhas não çutavam por democracia é simplificar muito a situação.Os guerrilheiros não tinham consenso sobre o tipo de governo que queriam implantar no Brasil.Isto é,eles não sabiam mesmo o que fazer caso vencessem.Agora,se eles tivessem vencido estaríamos bem melhor.Talvez até tivéssemos um IDH alto e uma baixa mortalidade infantil como a de Cuba.

  4. BSAP Postado em 14/Oct/2014 às 21:41

    'ninguem vai preso por trabalhar e estudar'. De certo é um paulista falando isso. Por isso adoro o Rio e a Bahia! As pessoas não são obrigadas a viver para trabalhar( pros outros, por sinal) e estudar, seu merda.As pessoas querem e têm o direito a lazer! Alias esses dias foi MORTO(pela policia do PSDB) um camelô que estava TRABALHANDO. E aí?

    • José Ferreira Postado em 14/Oct/2014 às 23:58

      Ele estava exercendo atividade ilegal, e resolveu pegar no spray do policial (não sei para que). Foi um ato de reflexo do policial.

  5. Carlos Postado em 15/Oct/2014 às 03:55

    Ou seja Aécio não estava matando e roubando. Meus Parabéns.

  6. Valter Augusto Postado em 15/Oct/2014 às 08:35

    Aécio trabalhando?Aquele playboy?Conta outra!

  7. eu daqui Postado em 15/Oct/2014 às 08:40

    Entendi o mérito de Dilma mas não entendi o crime de Aécio: ter tido uma "juventude tranquila" agora é prova de mau caráter?

    • Guilherme Postado em 15/Oct/2014 às 10:07

      Não, mas nepotismo é crime sim, e ele teve a vida tranquila exatamente por isso. Trabalhou e segue trabalhando no governo por mera manutenção do poder de sua família (que controla mídia mineira, tráfico de drogas e tem muita influência política) e jamais por suas conquistas próprias, esforço e trabalho verdadeiro que vocês tucanos valorizam. O Brasileiro (tolo e preguiçoso) escolhe seus eleitos com base no "já ouvi falar" e segue elegendo Neves, Sarneys e glorificando políticos fracassados simplesmente pois passaram pelo governo e o marcaram com seu nome, independente de não terem feito nada em sua gestão. Caso claro de Kassab, Serra, Alckmin e Aécio. Aécio esse, que foi de secretário de gabinete parlamentar na Câmara dos Deputados entre 17 e 21 anos, mesmo período que Aécio Cunha, seu papai, atuou como deputado federal pela Arena (sabe o que é?) unicamente pela indicação de seu avô. Lembro que na sua biografia ele afirma que morava no RJ nessa época, quando na verdade trabalhava em Brasília.Algum jornalista se interessou em esclarecer essa suposta ubiquidade meritocrática? Aos 23 anos, de volta a Minas depois da estada no Rio, foi nomeado assessor pelo avô, o governador Tancredo Neves. Aos 25 foi alçado ao cobiçado cargo de diretor de loterias da caixa, sem ter passado por nenhum concurso ou nenhum cargo menor antes, também "indicado" pela família. Agora, segue falando em meritocracia, após ter sido um dos que mais ganhou dessa forma. Engajado na vida social carioca, o senador aécio gastou mais indo para o RJ do que jamais vimos, não produziu absolutamente nada. O governador Aécio deixou a MG como número 22 de crescimento entre os 26 estados mais DF. Ainda assim, seu sobrenome e a ignorância do brasileiro perpetuam sua popularidade, que ganha força com poucas políticas compromissadas, ausência de pragmatismo de projetos, frases de efeito e ironias a cada declaração. Enquanto isso, a Dilma trilhou uma carreira de luta por seus ideais desde os 17 anos, independente se isso viria a ser a nova democracia ou não, e hoje ocupa o cargo mais alto do governo, pois assim foi eleita pelo povo. Nada disso comprova caráter de ninguém, mas da pra ter uma boa noção de como irá se constituir o perfil de cada um.

      • eu daqui Postado em 15/Oct/2014 às 13:53

        Mas então pela sua explicação, a adjetivação "tranquila" está um tanto equivocada não? Alguém pode ter tido a juventude tranquila simplesmente por ter sempre andado dentro da lei.

  8. Valter Augusto Postado em 15/Oct/2014 às 08:43

    Amigo,é como eu disse:terrorista era o estado brasileiro de 64-85.Tem razão:voto não é demonstração de caridade.O que a matéria quis mostrar é a trajetória de cada um dos candidatos:um é ligado às oligarquias,quase um coronel,filho de político da ARENA(vc com certeza sabe o que foi a ARENA,não?).A outra foi uma guerrilheira que lutou pra derrubar um regime despótico e brutal.Quanto a quem sabe governar melhor,por que o psdb do Aécio foi derrotado fragorosamente em Minas nestas eleições?Por que o governo mineiro censura-e censurava mais ainda na época em que o Aécio era govenador!-toda a crítica a sua atuação?Se vc quer defender o meninão tucano,saiba pelo menos quem vc tá defendendo! Ps:riqueza é sinônimo de desonestidade,imoralidade e preguiça,sim!

    • eu daqui Postado em 15/Oct/2014 às 13:55

      O Estado não era terrorista, ele é terrorista. Se vc soubesse os casos de assédio moral contra servidor público honesto que tenho aqui em minha carteira sindical............

  9. KARINA BB Postado em 15/Oct/2014 às 13:53

    NAO DA PRA ENTREGAR A PRESIDENCIA DE UM PAÍS A UMA PESSOA QUE NUNCA PRECISOU SE ESFORÇAR NA VIDA PRA NADA,TUDO LHE FOI DADO ,SEM NENHUM TIPO DE ESFORÇO,INCLUSIVE SUAS ELEIÇÕES,SINCERAMENTE,NAO DA,meu namorado é de uma familia judia,muito rica,ele se formou medico e TRABALHAAA,e ainda faz trabalho voluntario,mesmo tendo grana,Aecio deveria ter vergonha de se candidatar a presidencia,CARA DE PAU

  10. Roberto Pedroso Postado em 16/Oct/2014 às 08:26

    Aécio: uma triste versão de Fernando Collor de Mello PSDebista,que se considera uma versão tupiniquim moderna de Kennedy,risivel se não fosse tragico.

  11. Roberto Pedroso Postado em 16/Oct/2014 às 09:23

    Aécio uma versão PSDebista de Fernando Collor, que se julga uma versão tupiniquim moderna de Kennedy,risivel se não fosse trágico pelo fato deste sujeito ser um dos postulantes à presidência da republica.