Redação Pragmatismo
Compartilhar
Eleições 2014 15/Oct/2014 às 08:00
6
Comentários

Coordenadores da REDE abandonam partido em protesto

Apoio de Marina a Aécio provoca debandada na cúpula da Rede em São Paulo. Em dura carta, sete coordenadores do partido pediram renúncia de suas atribuições

marina rede aécio
Apoio de Marina a Aécio provoca debandada na REDE (divulgação)

O apoio da ex-senadora Marina Silva (PSB) ao candidato do PSDB à sucessão presidencial, Aécio Neves, causou uma debandada na Executiva Estadual da Rede em São Paulo.

Em carta divulgada nesta segunda-feira (13) sete coordenadores do partido, que não conseguiu autorização na Justiça Eleitoral e foi abrigado pelo PSB na disputa eleitoral deste ano, pediram renúncia de suas atribuições no comando estadual.

No texto, o grupo afirma que o apoio a qualquer um dos candidatos à sucessão presidencial neste segundo turno reforça a polarização entre PT e PSDB, criticada pela Rede no primeiro turno da disputa eleitoral.

“Um apoio, explícito ou velado, por parte da Rede a qualquer um dos candidatos finalistas reforça o argumento daqueles que acusam a sigla de ser mais do mesmo, de ser só uma nova roupagem para a velha e corrupta política que tanto nos dispusemos a combater”, disse.

Em uma crítica ao PSDB, o grupo afirma que não pode servir indiretamente a um projeto de poder que “já foi testado” e com o qual não concorda. Ele ressalta ainda que não responderá pelo “assassinato” de ideais e princípios que o atraíram à Rede.

“As nossas esperanças de um Brasil mais justo, mais ético e mais sustentável mostraram-se como mercadorias, à venda por promessas que não surtirão resultados a médio e a longo prazo”, ressaltou.

Ao todo, deixaram a Executiva da Rede em São Paulo os coordenadores executivos Valfredo Pires e Marcelo Pilon; os coordenadores de comunicação Emílio Franco e Renato Ribeiro; os coordenadores de finanças Gérson Moura e Marcelo Saes e o coordenador de organização Washington Carvalho.

“No primeiro turno, a Rede tinha como discurso sair da polarização entre PSDB e PT. E, agora, quebra-se essa posição”, criticou Pires.

Folhapress

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. eu daqui Postado em 15/Oct/2014 às 12:29

    QUE TODOS SAIBAM AQUI QUE, POR CAUSA DO APOIO AO NAZIFEUDOLIBERALISMO DO PSDB, MARINA E PSB EM GERAL NUNCA MAIS !!!!!!!!

    • poliana Postado em 15/Oct/2014 às 18:46

      amém! rs

    • Rocken Postado em 16/Oct/2014 às 01:59

      Feudoliberalismo, perfeito, é a palavra que eu mais vou usar pra xingar o PSDB/DEM

  2. KARINA BB Postado em 15/Oct/2014 às 13:40

    Acho que renegar um passado politico é como renegar a propria historia pessoal,nao há como voltar atras na vida,no caso de marina,é o que ela esta tentando fazer,e isso a descaracteriza totalmente,perdeu a identidade,,GENTE AFINAL QUEM É MARINA que ate agora nao consegui entender ,a que veio,o que defende,quais as suas plataformas politicas,ele é de direita ou esquerda,como ela ve os brasileiros e o Brasil,ela ja disse que o mais medicos que existe na espanha,nos EUA e em tantos outros paises ,tera prazo determinado,e antes dizia q aprovava isso é so um exemplo de suas contradiçoes,chamou tambem de paliativo.....e agora se une com todas as forças ao PSDB QUEM É A VERDADEIRA MARINAAAAAAAAA

    • poliana Postado em 15/Oct/2014 às 18:53

      eu só tenho a lamentar por marina silva, de verdade. a mulher jogou fora todo o seu histórico de luta política, por pura mágoa e orgulho ferido. quem conhece a história de marina silva, sabe o quanto ela se opôs, ferozmente, a todos akeles q hj ela apóia, ou q recebeu apoio em sua candidatura! nada mais salva na biografia dessa senhora. realmente lamentável para alguém, q há pouco, foi seriamente considerada como uma 3º via no cenário político nacional. estarrecedor viu! agora fico imaginando como ela virá nas eleições em 2018...

  3. Guidi Postado em 15/Oct/2014 às 13:46

    Marina acabou de enterrar a pouca credibilidade que tinha.