Redação Pragmatismo
Compartilhar
Eleições 2014 14/Oct/2014 às 18:00
22
Comentários

Ainda sobre a demissão de Xico Sá da Folha de S.Paulo

Xico Sá publica nota de esclarecimento "aos amigos e leitores" sobre sua saída da Folha de S.Paulo após ter artigo que elogiava Dilma censurado pelo jornal

xico sá demitido folha
Censurado pela Folha, Xico Sá pediu demissão após 20 anos de serviços prestados ao jornal

Depois de ter pedido demissão da Folha de S. Paulo, onde trabalhou por 20 anos, o jornalista Xico Sá publicou um texto em sua página no Facebook na madrugada desta terça-feira 14 explicando o episódio.

Antes, no Twitter, ele comparou sua situação à de Reinaldo Azevedo – também colunista da Folha, da Veja e militante do PSDB. “Rapaz, reflexão final, me perdoem, amigos, mas exijo reflexão: reinaldo azevedo é tido como neutro e eu me fodo tenho q pedir demissão?”, questionou.

Leia, abaixo, a íntegra do depoimento de Xico Sá no Facebook:

NOTA AOS LEITORES E AMIGOS

Caríssimos amigos & leitores, pretendia nem mais falar desse assunto, mas devido à forma como se alastrou –rizomáticos riachos e riachinhos delleuzianos & gonzaguianos em busca do velho Chico em anos de bom inverno no Navio e no Pajeú-, creio que devo alguma satisfação na praça, além dos “pinduras” morais e existenciais de sempre. Valha-me meu bom Deus, viver é dívida, canelada e dividida de bola.

Como só os galãs vencem por nocaute, procurarei, mal-diagramado por natureza que sou, triunfar nessa luta por pontos, minando, nas cordas do ringue ideológico, vosso juízo emprenhado pelas redes sociais. Vamos lá;

1) Não há herói nenhum nesse episódio. O máximo que chego é a anti-herói macunaímico ou ao João Grilo do cordel teatralizado pelo bravo Suassuna. E olhe lá, e olhe lá, amiga Karina Buhr, eu só quero tocar meu tamborzinho cósmico.

2) Como já informaram alguns sites, pedi demissão do meu posto de colunista (do caderno de Esportes) da Folha, jornal com o qual mantenho uma velha relação de duas décadas, entre idas e vindas, furos, erramos assumidos variados, pés-na-bunda de ambas as partes, grandes momentos, crises profissionais e esticadas D.Rs (discussões de relação) gutenberguianas.

3) Eis que na sexta-feira, 10/10, mandei a coluna em cima da hora, só para variar. Nas linhas tortas -o velho Graça me entenderia nessa hora, embora corrigisse a minha escrita adjetivosa-, tratava do Fla-Flu eleitoral, defendia que os jornais saíssem do armário –como as publicações americanas- e tecia queixas à cobertura desequilibrada da Folha e da imprensa no geral. E repare que a Folha, senhoras e senhores, é bem melhor em se comparando aos outros jornalões, vide grande revelação do aeroporto privado de Aécio e o mínimo questionamento do choque de gestão nas Gerais, esse fetiche econômico insustentável até para a Velhinha de Taubaté do meu amigo Veríssimo.

Bem, como eu ia falando, defendia na coluna que os jornais assumissem suas explícitas posições, donde encerrei o desabafo gonzo-lírico-político usando o direito de declarar minha preferência pela Dilma.

4) A direção do jornal entendeu que o texto feria um dos princípios da casa; o de não permitir fazer proselitismo político ou eleitoral em favor de nenhum candidato. Sugeriu, civilizadamente, que alterasse o texto. Prosa vai, prosa vem. Refleti e mantive a escrita. Argumentei que outros colunistas, de alguma forma, feriam o princípio interno, no que me acho prenhe de razão, né não? Ou seriam textos inocentes?

5) Finquei pé, mais honra do que birra, pantins e queixumes. A direção do jornal sugeriu que eu poderia publicar, porém na página 3., na segunda-feira. É a página de “tendências & debates”, na qual convidados, não gente da casa, manifesta livremente suas opiniões, inclusive de voto. Migrar para um espaço de “forasteiros” não me fez a cabeça, não achei que fosse a solução para o impasse. Qual o faroeste dos irmãos Cohen, achei que também teria o direito de ser, pelo menos um dublê, à esquerda, dos caras que botam para quebrar nas suas colunas da Folha. O faroeste moderno se chama “Onde os fracos não têm vez”.

6) Daí o meu pedido de desligamento como colunista do jornal, função que exercia na figura de PJ (pessoa jurídica mediante nota fiscal), não como funcionário contratado pelo grupo Folha.

7) No dia seguinte, não mais na condição de colunista, soltei uma saraivada de posts de escárnio e maldizer nas redes sociais, em um espasmo de ira & lirismo que defini, no twitter, como um manifesto gonzo-político livremente inspirado na minha atual releitura de Hunter Thompson e na memória do genial Nezinho do Jegue, personagem de “O Bem Amado”, do baiano Dias Gomes, que, uma vez alcoolizado, insultava a humanidade. Eis um direito divino, dionisíaco, um direito dos malucos, além muito além de todas as Constituições, como diria o gênio-mor Antonin Artaud e seu duplo.

8) Um dos posts dessa performance dionisíaco-tuiteira-brizolista, meu caro e amado Zé Celso, vociferava também contra os petistas, considerando que não desejava o (inevitável e irrefreável) uso da minha opinião como propaganda oficial. “Phueda-se o PT”, com PH e tudo, dizia este monstruoso cronista. Relembrava que o governo do PT e de todas as siglas da sacanagem alfabética têm que ser investigados sim. Meu reclamo é/era pontual; por que só os caras de um lado são responsabilizados pela história universal da infâmia e ninguém publica, para valer, o “rebuceteio” –para usar um clássico da pornochanchada nacional- do outro lado da suruba pornô-política, querido Reinaldo Moraes?

É muito desequilíbrio. É praticamente jornalismo de campanha. Não cobertura.

9) O pedido de demissão. Finalmente explico. Mais demorado do que a declaração de voto da queridíssima Marina, que infelizmente esqueceu a nova política na qual eu caí feito um patinho de primeiro turno na lagoa Rodrigo de Freitas.
A demissão. Suspense à Hitchcock.

Vixe. Volver a los 17, como cantaria Mercedes Sosa, a quem escuto ao fundo dessa escrita, alternando com Nação Zumbi, óbvio. Volver à minha pobre coluneta do caderno de Esporte da Folha. Defendi meu patrimônio imaterial único e universal, quase um sufrágio, meu direito, daí o finca-pé que resultou no meu pedido de afastamento do universo folhístico.

Ingenuidade achar que, em período de extremada passionalidade e justíssima crítica ao desequilíbrio na cobertura da “imprensa burguesa” (outro termo vintage comuno-anarquista usado e abusado nos meus posts com toda sinceridade desse mundo) neguinho não fosse compartilhar essa bagunça barroca toda, agora falo com meu irmão Wally Salomão, para o que der e viesse. Rede social é como aquela parada bíblica do olhai os lírios do campo, eles não tecem, eles não fiam…

10) Enfim, o resto é barulho, mas creio que narrei, com alguma vantagem pessoal comum aos narradores de primeira pessoa, a onda toda –ai de mim, amigo Walter Benjamin! Donde reafirmo, não há heroísmo algum além de uma refrega dramática de um velho cronista, talvez um pouco ultrapassado e dionisíaco, com la prensa burguesa, reafirmo o clichê da velha bossa, afinal de contas renascemos sempre num Cocoon metafísico de águas imaginárias e milagrosas.

Como diria, agora meu brother Arnaldo Baptista, quero voltar pra Cantareira.

Deus abençoe os velhos e as crianças, eis meu dizer sobre essa confusão toda que eu achei tão normal como falar do seu candidato no boteco da esquina, era assim na vida antigamente.

Por que isso virou tão chato e eu não posso?

Justo num texto tão babaca, defendendo uma candidatura que só consegue ser mil vezes melhor do que Aécio mesmo. Afinal de contas essa peleja é um W.O. da porra. Ou deveria ser para quem tivesse juízo.

Ah, cadê a dialética do esclarecimento das espumas flutuantes dos mares de cerveja, viejo Wander Wildner?

Aliás, por que eu não poderia escrever aquele texto babaca, aliás eu tenho sido um péssimo cronista, tanto de amor como de futebol, preciso me reciclar, reler todo o Machado de Assis, ele me ensina, também relatei isso aos meninos folhais.

Eu careço ouvir todo Jards Macalé, meu ídolo. Esse episódio cá Folha, aliás, não é político, é ridículo se pensamos na grandeza da vida. As folhas das folhas da relva, menino Holden, é o que doravante me interessa como razão de viver debaixo de uma árvore ou sob o guarda-chuva moral dos caras que viram polícia do texto sem saber que uma besteirinha de nada pode virar idiotice e totalitarismo.

Agora voltei de vez para “O Apanhador…”, mas, juro, me perdõe, pela confusão toda com o jornal, com as redes sociais e qualquer coisa. Como dizia Holden, “gosto de Jesus e tudo, os apóstolos é que são uns chatos.”

Beijos, Xico Sá, Copacabana, primavera do ano da graça de 2014

Recomendados para você

Comentários

  1. Thiago Shinken Postado em 14/Oct/2014 às 18:14

    Nunca nem tinha ouvido falar desse cara, mas agora ele conquistou meu respeito.

  2. José Humberto Postado em 14/Oct/2014 às 19:18

    A tirada do Holden Caulfield foi ótima. J.D. Salinger é genial até mesmo quando adaptado para nossa pobre política tropical. "Eu me esbaldo".

  3. bibi Postado em 14/Oct/2014 às 19:47

    Eu tb adoro Jards Macalé :)

  4. aquino Postado em 14/Oct/2014 às 19:58

    conheço sim, ele é um cearense vitorioso que foi pra são paulo e venceu. dilma 13

  5. Leon Postado em 14/Oct/2014 às 20:37

    entendi, o texto contrariava uma diretriz de imparcialidade do jornal - não poder declarar voto / fazer campanha - ainda assim liberaram para publicar em outra página... mas o cara foi orgulhoso e pediu pra sair, a folha não deve estar pagando muito bem

    • Fabiano Postado em 15/Oct/2014 às 10:16

      Sim, mas o que ele coloca no texto, e aí entra a cegueira seletiva, foi: "Argumentei que outros colunistas, de alguma forma, feriam o princípio interno, no que me acho prenhe de razão, né não? Ou seriam textos inocentes?" Ou vai dizer que o Reinaldo Azevedo não faz o mesmo? A única coisa que ele não faz é dizer: "Voto no Aécio", mas é MUITO claro em quem ele não vota.

      • Mauro Postado em 16/Oct/2014 às 13:45

        Ou seja, dois pesos e duas medidas!

  6. Onda Vermelha Postado em 14/Oct/2014 às 21:27

    Háháhá! A Falha de São Paulo se FERROU nessa! A repercussão desta "censura" imposta ao Xico Sá está fazendo muito mais "estrago" do que se a sua coluna tivesse sido publicada como de costume. E está reavivando a lembrança da censura imposta por Aécio Neves e sua digníssima irmã Andréa Neves aos profissionais da imprensa porque sempre atuaram com "mão-de-ferro" em Minas Gerais contra aqueles que ousaram criticá-los. O ponto alto do texto é "Afinal de contas essa peleja é um W.O. da porra. Ou deveria ser para quem tivesse juízo". Ou seja, para Xico o Aécio é tão ruim que deveria ser vencido por W.O. Hehehe! É Dilma, de novo, para o Brasil seguir mudando com distribuição de renda e liberdade de expressão! Mas é sempre bom lembrar “Com o tempo, uma imprensa cínica, mercenária, demagógica e corrupta formará um público tão vil como ela mesma”. (Joseph Pulitzer).

  7. Deisi Postado em 14/Oct/2014 às 22:23

    Concordo contigo Onda, quem lê a Falha é coxinha, com tanta repercussão com o pedido de demissão do Xico Sá, o assunto tem tomado grandes proporções mostrando a verdadeira face do PIG. Se bem que todo mundo sabe, qual a face do jornaleco parcial e sem escrúpulos.

    • Mauro Postado em 16/Oct/2014 às 13:46

      Infelizmente, nem todos sabem

  8. enganado Postado em 15/Oct/2014 às 00:27

    E aí Xico?! A tv gRobo também vai fazer o mesmo contigo, pois o GAFE+rede bunderantes pertencem a imprensa-empresa-press_tituta internacional anglo sionista que obedecem a CIA-NSA-MOSSAD-AIPAC-Banca internacional anglo saxão sionista e a cartilha é uma só para TODAS as Mídias. Aqui no BRASIL a mídia já resolveu de acordo com seus Patrões Internacionais o que é bom para os mesmos: "Fora PT". Como já sabemos o BRASIL chegou num ponto que a BANCA não suporta mais MERCOSUL, UNASUL, BRICS, e em razão disso a grana que está deixando de ser ROUBADA é muito grande e não vamos falar nas privatarias. E isto não pode continuar, então contratamos da 1ª vez o Príncipe FHC e o çERRA, e a coisa não deu certo. Mas agora com ordens diretas da CIA-NSA-MOSSAD-AIPAC estamos obrigando, na marra, a mídia para fazer nossos propostos: fo**-se o povo Brasileiro, tendo em vista que o nosso candidato é mais sujo que pau de galinheiro e o PSDB e o tal DEM sabemos que juntos não valem um dólar furado não conseguem ganhar nem campeonato de cuspe. Meu caro Xico Sá, o relatado é apenas um breafing a que seremos submetidos se o Aético vencer, mas meu caro admiro sua coragem de pisar no calo dos americanos-sionistas. O que me parece é que as ordens que chegam dos EUA é que não pode haver dissidências nos jornais da press_tituta aqui. Meus parabéns porque quem tem caráter também não consegue mentir da maneira como a press_tituta age. Parabéns!

    • Pedro Paulo Gavasso Postado em 19/Oct/2014 às 10:34

      Pobrezinho se sente enganado... Assiste ele com a Astrid que passa!

  9. Lucas Parente Postado em 15/Oct/2014 às 08:36

    Brilhante, Xico. E para o Leon: Imparcialidade!? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  10. Onda Vermelha Postado em 15/Oct/2014 às 13:00

    Háháhá! Vejam lá Brasil247 a repercussão desse caso do Xico Sá. Somente o post o sobre o assunto atingiu, até o momento, a impressionante cifra de 68 mil compartilhamentos! É simplesmente fantástico o força da blogosfera! É também devastador para o que ainda restava da credibilidade de um grande jornal como a Folha de São Paulo que, recentemente, fez uma extensa campanha de mídia para vender a imagem de si mesmo como um veículo plural, que respeita a diversidade de opiniões. E se formos buscar a mesma matéria em outros portais ou blogs como esse aqui veremos que a coisa toda tomou um vulto inimaginável. Parabéns Xico Sá! Você me representa! Você fez aquilo que poucos tiveram a coragem de fazer em meio a uma campanha eleitoral tão dura e agressiva: denunciar a parcialidade da “grande mídia” e, literalmente, pulverizar qualquer discurso que ainda tentavam nos empurrar goela abaixo dos cidadãos a falsa ideia de que existe um “equilíbrio na cobertura jornalística”. Veja em http://www.brasil247.com/pt/247/midiatech/156823/Proibido-de-apoiar-Dilma-Xico-S%C3%A1-deixa-a-Folha.htm

    • Pedro Paulo Gavasso Postado em 19/Oct/2014 às 10:32

      Esperto não cai nessa, só militonto. Já está na Vênus Platinada, faz programinha com a Astrid e outros imbecis.

  11. Alexandra Postado em 15/Oct/2014 às 13:38

    Esse cara é demais!! Admiração fodásticaaaaaaaaa!!

    • Pedro Paulo Gavasso Postado em 19/Oct/2014 às 10:28

      É demais...está na Rede Globo.

  12. Natália Postado em 15/Oct/2014 às 13:48

    O que vai dar de peruasinha paulistana que adora sua colunas femininas dizer :Quanta decepção...

    • Pedro Paulo Gavasso Postado em 19/Oct/2014 às 10:30

      A esquerdopata recalcada ainda não que o espertinho já está na Rede Globo. Como a riponga é bobinha!

  13. Roberto Pedroso Postado em 16/Oct/2014 às 09:15

    Tudo se resume a uma máxima conhecida e aplicada na imprensa paulista :Apoio ao PSDB é igual a liberdade de expressão,apoio ao PT é igual a crime de opinião.

  14. Valdete Lima Postado em 16/Oct/2014 às 09:19

    Xico Sá me representa. E mostra que é um nordestino intelectual, pena que nunca li um texto dele mas vejo sempre o Saia Justa de Verão onde ele brilha junto com os outros. É preciso ter muita coragem p/fazer o que ele fez. Mais uma vez, o axioma verdadeiríssimo funciona: ''O sertanejo, é antes de tudo um forte''. Bola pra frente que, com certeza, não te faltará emprego.

  15. Luiz Postado em 18/Oct/2014 às 15:13

    Uma vez lesado, sempre lesado! Tá na cara que a Folha queria chutar esse cara. É muito ruim... chega de papo-cabeça!