Redação Pragmatismo
Compartilhar
Homofobia 19/Sep/2014 às 15:46
7
Comentários

Vereador volta atrás sobre isolamento de gays em ilha deserta

Após repercussão nacional de discurso homofóbico, vereador diz que não sugeriu segregação de gays

O vereador Sérgio Nogueira, de Dourados (MS), publicou em seu site nota oficial afirmando que, na sessão do dia 15 da Câmara, diferentemente do que foi noticiado, não sugeriu a segregação dos homossexuais.

O desmentido de Nogueira deve-se à repercussão nacional de seu discurso homofóbico feito naquele dia.

Disse: “Não podemos passar a ideia de que o anormal é normal. […] Bota as pessoas que assim pensam [os homossexuais] numa ilha por 50 anos e depois volta para ver; não vai ter mais ninguém”.

Agora ele afirmou, de acordo com a nota, que as suas afirmações foram distorcidas pela Rádio 94FM, de Dourados com o propósito de prejudicá-lo.

Nogueira é candidato pelo PSB a deputado estadual e, evangélico, conta com o apoio, segundo ele, de pastores de várias denominações. Em 1996, foi presidente da Associação das Igrejas Batistas do Sul do Mato Grosso do Sul.

O vereador afirmou que fez o referido discurso “dentro de uma linha argumentativa de que a orientação homoafetiva não deve ser tomada como medida padrão de sexualidade a ser ensinado na rede de educação infantil”.

No entendimento dele, o Estado brasileiro está impondo a temática da homossexualidade às escolas, sem discuti-la com as famílias dos estudantes, professores e lideranças religiosas.

Ele teme que o Estado estimule as crianças a terem um comportamento homossexual por intermédio de material didático, como o kit que o Ministério da Educação quis distribuir às escolas públicas.

Argumentou que, na questão sobre homossexualidade, o governo tem de ouvir a sociedade, “sobretudo o segmento religioso cristão”.

Como o Estado é laico, ele não explicou por que os “religiosos cristãos” devem participar, com deferência, de discussão sobre um item do currículo escolar.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. Lukas Postado em 19/Sep/2014 às 15:57

    Precisamos entender que o no PSB todos podem mudar de opinião como e quando quiserem. A exemplo de Marina, que toda hora muda de opinião, o próprio partido que se diz "socialista" atualmente defende a independência do Banco Central.

    • Karina BB Postado em 19/Sep/2014 às 17:13

      É verdade Lukas, esses evanjegues do PSB usam desse artificio, dizem o que querem e depois inventam que mudaram de ideia... Ahhh tá, a Marina faz igual... a senhora fala o que vai fazer depois finge que mudou de ideia.

  2. Karina BB Postado em 19/Sep/2014 às 15:59

    "sobretudo o segmento religioso cristão" COMO ASSIM??? QUE MERDA É ESSA!!!!!!! Então o governo tem que elaborar politicas públicas ouvindo os cristãos!!!!! E as religiões afro e os católicos e os ateus e os agnósticos!??!!? Esses EVANJEGUES estão cada vez mais se achando os donos do Brasil né... Abram os olhos enquanto há tempo de mudar isso... NÃO ELEJAM EVANJEGUES PRA NENHUM CARGO POLITICO... só assim vamos evitar esse tipo de aberração.

  3. Poliana Postado em 19/Sep/2014 às 20:10

    É sempre assim..depois q soltam a imbecilisade assembleana e percebem a repercussão negativa, voltam atras e negam q tenham dito. Realmente lamentável. É essa corja de evangélicos assembleanos q deveria ser segregada num ilha deserta e morrer por lá. Essa escória!!!!! E é uma representante dessa corja q quer virar presidente dp nosso país! Se deus quiser, isso n vai acontecer!

  4. Aristóteles Postado em 20/Sep/2014 às 08:44

    Vereador, "seo minino"; me responda: Você é vereador ou camaleão? Que besteira é essa de botar a culpa na rádio, rapaz! Você falou ou não falou? É ou não é? Assim você fica parecendo com a Marina, "seo moço"!

  5. Junipero Postado em 20/Sep/2014 às 20:40

    Disse: “Não podemos passar a ideia de que o anormal é normal. [...] Bota as pessoas que assim pensam [os homossexuais] numa ilha por 50 anos e depois volta para ver; não vai ter mais ninguém”. Ele só queria dizer e disse. Voltou atrás? que diferença faz? Já disse. Surgiu um palestrante na empresa onde eu trabalho e surpresa: a dois anos atras ele veio com exata mesma especulação. Perguntei a ele, (já que era um evento da CIPA), mas senhor, oque isso tem a ver com a empresa? Obviamente eu sabia quem o havia contratado e também sabia que ele destilaria sua homofobia ali mesmo, mesmo sem se perguntar sobre a heterossexualidade que povoava a sala. Havia uma homossexual, claro que ficou quieta, por medo de maiores constrangimentos e por sua submissão a exata pessoa que contratou nosso presunçoso palestrante ( e ainda se diziam "amigas"). perguntei somente o que é mais humano, antes que ele achasse que eu concordava com ele; o que é mais natural? Não procriar, ou não amar? Sempre haverá heterossexuais para procriar e acalmar Sérgios Nogueiras, e homossexuais para ele se achar mais que outros. Nosso país precisa de pessoas que se preocupem com os humanos em geral, não em "isolar gente em ilhas". Saibam de uma coisa: de onde ele veio, tem mais, e são iguais a ele. Ainda não vi uma serventia para esse tipo de politico.

  6. Carlos Saraiva Postado em 23/Sep/2014 às 06:43

    Além de homofóbico, é um frouxo. Se falou, tem que assumir que falou.