André Falcão
Colunista
Compartilhar
Política 17/Sep/2014 às 19:00
6
Comentários

Revoluções Silenciosas

reducao desigualdade social

André Falcão*

Como muitos de vocês que me honram (de verdade!) com sua leitura, também nunca precisei de governo nenhum. Pra nada. Pelo menos não diretamente, se é que me entendem.

Assim, pude desfrutar de casa, comida e roupa lavada. Cama com lençóis limpos, farda de colégio e material escolar de primeira mão, dinheiro pra merenda, escola particular (para onde meu pai podia me levar de carro, todos os dias), remédios, mesada para o cinema e o lanche com a namorada.

Mais tarde, ficando taludo, faculdade pública e gratuita em outro estado (graças aos meus esforços e à boa base oferecida por ensino médio em colégio privado), estadia também financiada por meus pais.

Formei-me advogado, passei nos concursos públicos que quis, tornei-me adulto e pai. Tive, portanto, todas as condições econômico-financeiras para construir um futuro digno e decente, conferidas por meus pais. O mais só dependia de mim.

Leia aqui todos os textos de André Falcão

Nunca aceitei, porém, a desigualdade social alarmante que testemunhava. Não me conformava que a empregada doméstica da nossa casa, por exemplo, não pudesse almejar um futuro, nem a seus filhos, salvo se transformando numa guerreira quase mitológica; o suprassumo da exceção, pois. Aí, se feliz em alguma conquista, a maioria das pessoas da minha classe sócio-econômica a aplaudiria e exclamaria: Oh! Tá vendo? Quando se quer consegue! Basta ir à luta, deixar a preguiça de lado. Esse povo é muito preguiçoso!

Felizmente há cerca de apenas 12 anos essa realidade cruel, impiedosa, injusta e anti-Cristã(!) começou a mudar. Já hoje não é raro você se deparar com filhos da velha miséria formando-se doutor. Não é incomum, numa família humilde, não raro antes beirando ou banhando-se na miserabilidade, encontrar-se alguém fazendo um curso técnico graças ao PRONATEC, outro cursando uma faculdade com o PROUNI ou o FIES, mais outro estudando no exterior com o Ciência sem Fronteiras. Criança na escola e com comida na mesa graças ao Bolsa Família não tem preço, como não o tem ver a alegria de um participante do Minha Casa Minha Vida. É emocionante testemunhar tantas mudanças em meu país e para seu povo, principalmente os mais sofridos e até então nunca vistos com os olhos do coração.

Sim, tenho dificuldade em compreender como se pode ser contra essa verdadeira revolução pacífica. Há quem o seja. Mas no que depender de mim aquela realidade será parte definitiva de um passado; um passado para ser lembrado apenas para que nunca mais a gente deixe que volte.

*André Falcão é advogado e autor do Blog do André Falcão. Escreve semanalmente para Pragmatismo Político

Recomendados para você

Comentários

  1. Denisbaldo Postado em 17/Sep/2014 às 19:21

    Os reaças estão bravos com o PT porque ele prometeu o bolsa-coxinha e até hoje não cumpriu.

  2. Gabriela Postado em 17/Sep/2014 às 20:42

    André concordo com você! Só acho que devemos exigir a melhoria da gestão pública para que um dia não seja preciso aplicar cotas, ou programas de bolsa para garantir a igualdade social e econômica em nosso país.

  3. Natália Postado em 17/Sep/2014 às 21:03

    O olhar fixo impede de caminharmos, enxergar somente aquilo que nos interessa, além de ser uma atitude mesquinha e egocêntrica, não nos acrescenta nada, nada mesmo... Isso vai muito além de visão política, de apoiar ou não a gestão do governo do PT. Isso é humanidade, ter compaixão com a necessidade do outro e o que é melhor, alegrar-se com a necessidade do outro suprida... O egoismo é a raiz de todos os males...

  4. Robson Lopes Postado em 17/Sep/2014 às 21:28

    É muito fácil compreender porque muita gente não quer que essas mudanças continuem, porque a mudança em si incomoda, tira você da sua zona de conforto, olhem só o que esses governos de esquerda estão fazendo com o país, com as famílias. Em São Paulo criando faixas exclusivas de ônibus e espremendo os carros, coitados, que já conviviam com um congestionamento insuportável, agora tem menos espaço ainda, e quando olham para o lado, a piada maior, as faixas exclusivas vazias, que revolta desse governo. E não para por aí, ainda em SP, estão enchendo as ruas de ciclovias, ora, paulista não gosta de ir trabalhar de bike, gosta de usar carro, quer fazer isso, vá fazer no Nordeste. O pior é quando vamos para o plano nacional, aumento do salário mínimo, e como se isso não bastasse, as empregadas domésticas agora tem os mesmos direitos dos demais trabalhadores, há maior absurdo do que esse? Agora não nos respeitam mais, não podem mais dormir em nossa casa, senão temos de pagar hora extra, e o nosso café da manhã? E se o salário continuar crescendo assim, daqui a pouco eu que vou virar doméstica, como posso querer um governo assim, que veio para acabar com o país? Ah, e tem mais, pensam que acabou, agora qualquer pobre pode fazer uma faculdade, e disputam a mesma vaga de minha filha, que eu gastei uma fortuna formando, fez cursinho, matérias isoladas, aulas de inglês desde os 8 anos, e tem de disputar com alguém que não precisou gastar um centavo sequer. Querem acabar com a classe média, aposto que esse é o plano desde o início. Na saúde? Bem, nem posso mais incentivar meus filhos a fazerem medicina, sob o risco de serem obrigados a trabalhar no SUS, é, porque ninguém tem direito de ganhar dinheiro nesse país, tem fazer trabalho escravo só porque cursou universidade pública, e os impostos que pago, não contam, a maior carga tributária do mundo. E não terminou, ainda trazem aqueles cubanos para roubar os empregos dos médicos brasileiros, essas pesquisas que dizem que estão satisfeitos é tudo pesquisa comprada. Por que que não gosto desses governos de esquerda? Porque antes deles não se via tantas notícias de corrupção, não se via políticos, servidores públicos e autoridades sendo presas, e não havia tanta notícia ruim na televisão. Acho que eu disse tudo, né?!

    • Bruno Postado em 24/Sep/2014 às 10:58

      É exatamente esse o pensamento da classe mérdia!! Pelo fim da classe mérdia já!!!!

  5. Poliana Postado em 18/Sep/2014 às 07:21

    Maravilhoso o seu texto Falcão. Sou sua fã. Concordo perfeitamente com tudo que você disse. E me encaixo no mesmo perfil que você. Tive ótimas oportunidades em toda minha vida, graças aos meus pais e venci. Consegui realizar meus objetivos e me sentir plenamente realizada. E da mesma forma que eu tive tais oportunidades, fico feliz em saber que há 12 anos, muitos brasileiros de origem humilde também estão tendo e estão mudando de vida. Pena que isso incomoda as nossas elites e (até mesmo, infelizmente), a classe média do país. Muito triste ver até onde vai o egoísmo do ser humano. Só mesmo um ser muito mal intencionado não consegue enxergar e reconhecer as conquistas a o PT trouxe pro país e pro povo brasileiro. Espero q em outubro possamos dar continuidade a esse ciclo de conquistas. O Brasil precisa disso.