Redação Pragmatismo
Compartilhar
Mulheres violadas 26/Sep/2014 às 12:36
14
Comentários

Estupro coletivo em Queimadas: mentor é condenado a 108 anos de prisão

Após 19h de julgamento, mentor do estupro coletivo de Queimadas, caso que chocou o Brasil e teve repercussão mundial, é condenado a um total 108 anos de prisão

esduardo estupro coletivo queimadas
Eduardo dos Santos Pereira, mentor do estupro coletivo de Queimadas (Foto: Jornal Correio da Paraíba)

O réu Eduardo dos Santos Pereira, acusado de ser o mentor do estupro coletivo que ficou conhecido como “Caso Queimadas”, em 2012, foi condenado a um total de 108 anos de prisão. O julgamento durou cerca de 19 horas e foi realizado no Fórum Criminal de João Pessoa. O júri popular começou na tarde dessa quinta-feira (25) e se encerrou na manhã da sexta-feira (26).

O Conselho de Sentença composto por quatro homens e três mulheres se reuniu por volta das 5h20 desta sexta-feira (26) e saiu da sala cerca de três horas depois. O Juiz Antônio Maroja Limeira Filho leu a sentença que apontou o réu como culpado. São 106 anos e 5 meses por homicídio, formação de quadrilha, cárcere privado e corrupção de menores e porte ilegal de arma e mais um 1 ano e 10 por lesão corporal.

O caso

Em pleno carnaval, cinco mulheres foram atraídas para um aniversário, que se transformou, numa cena de cri­me bárbaro de estupro e assassinato de duas mulheres (relembre aqui), Isabela Pajuçara e Mi­chelle Domingos. O crime foi minucio­samente planejado por 10 homens, en­tre eles três menores de idade, o que chocou e ainda choca a população bra­sileira e mundial. O caso ocorreu em 12 de fevereiro de 2012.

Justiça

Pedir justiça foi o lema das famílias das vítimas e de todos os movimentos sociais feministas e de mulheres da Pa­raíba que se reuniram para protestar contra o machismo e a misoginia que ainda resistem na socie­dade brasileira.

estupro coletivo queimadas
Manifestações pediram justiça e o fim da violência contra a mulher (divulgação)

“Diante da dimensão de desumanida­de e dos detalhes frios, cruéis e selvagens que envolveram este dia de violência pe­dimos a condenação máxima do acusa­do”, declarou Lourdes Meira, militante da União Brasileira de Mulheres.

A justificativa do crime: presente de aniversário para Luciano dos Santos Pe­reira (44). O mentor do crime foi o irmão de Luciano, Eduardo dos Santos Pereira, que era ex-cunhado de Isabela Pajuçara, uma das mulheres assassinadas.

Muita pressão foi feita e organiza­da nas ruas pedindo justiça, a CPMI da Violência contra a Mulher visitou a Pa­raíba e diagnosticou a situação de vulne­rabilidade das mulheres em Queimadas e em seu entorno. Mas a indignação ain­da continua.

isabele michelle estupro queimadas
Isabela Pajuçara e Mi­chelle Domingos, assassinadas no estupro coletivo de Queimadas (divulgação)

“A objetificação das mulheres é susten­tada na sociedade capitalista, machista, racista e patriarcal que vivemos. Diaria­mente as mulheres são violentadas pelo Estado e pela sociedade, mulheres mor­rem pela sua condição de ser mulher”, afirma Aylla Milanez, militante da Arti­culação de Mulheres Brasileiras.

Condenados

Luciano dos Santos Pereira, Fernando de França Silva Júnior, Jacó Sousa, Luan Barbosa Cassimiro, José Jardel Sousa Araújo e Diego Rêgo Domingues – foram condenados em 2012 pelos crimes de cárcere privado, formação de quadrilha e estupro (relembre aqui). Eles cumprem penas entre 26 e 44 anos de prisão em regime fechado no presídio de Segurança Máxima PB1, em João Pessoa. Suas penas, somadas, chegam a 184 anos de prisão.

com informações de Brasil de Fato e Portal Correio

Recomendados para você

Comentários

  1. poliana Postado em 26/Sep/2014 às 18:46

    Nessas horas, e pra casos como esses, sou totalmente a favor da pena de morte!

    • Ilson Roberto Postado em 27/Sep/2014 às 04:41

      Poliana. Prisão perpétua é pior do que a pena de morte. Imagina esses dementes tendo que viver cada dia da sua vida em um quadrado de 4 x 4, dia após dia, sem poder respirar os ares da liberdade? Sou contra a pena de morte, acho mais didático e doido ter que viver toda uma vida em cárcere privado. Como filho, irmão, tio, saber que uma mulher pode ser brutalizada de tal forma, me causa asco e repulsa, anseio por leis mais enérgicas para quem pratica tais atosd.

      • poliana Postado em 27/Sep/2014 às 10:22

        Negativo ilson. Cada preso do nosso sistema prisional custa em media 1600 reais por mês ao estado. Dinheiro esse q sai do nosso bolso, enqto contribuintes. Manter um monstro como esse vivo, apenas trancafiado num presídio, oneraria demais o erário...indivíduos como esse, a senhora suzanne von ritchtofen, o casal nardoni, a madrasta e o pai do menino bernardo, o maniaco do parque e cia, pra eles a pena de morte deveria ser aplicada sim! N vejo outra alternativa não.

      • poliana Postado em 28/Sep/2014 às 12:29

        Zbgniew, mas se houver possibilidade de o preso retornar à sociedade, n seria prisão perpétua! Discutir pena de morte e prisão perpetua é algo muito complexo. Vai além do nosso achismo ou série de tv..é realmente complicado,principalmente dentro da realidade do brasil

    • Dhoco Postado em 29/Sep/2014 às 09:39

      Por mais cruel que a pessoa seja, o estado não tem o direito de tirar a vida de uma pessoa. NUNCA.

  2. felipe Postado em 26/Sep/2014 às 19:53

    Eu estudei com Diego rego Domingues no IFPE, campus Barreiros. Quando fiquei sabendo dessa história eu não acreditei. Ele era um cara super tranquilo e todo mundo gostava dele no colégio. Lamentável.

  3. Rodrigo Postado em 27/Sep/2014 às 21:49

    Isso é fruto do machismo que está enraizado em nossa cultura. Mulher está em posição de subalternidade em diversos âmbitos. Apenas espero que as mulheres consigam mover políticas para tentar contornar todo esses estrago. Creio que seria fundamental tratar de machismo nas escolas, pois, se esta geração já é muito machista, temos que cuidar para que as pessoas que estão ainda formando a sua opinião ou estão em desenvolvimento, não sejam.

  4. Rodrigo Postado em 28/Sep/2014 às 14:51

    Pena de morte ? Queria ver quem iria morrer se tivesse pena de morte no Brasil. Tendo em vista que a cada 3 pessoas que morrem por violência policial, 2 são negros, não me restam dúvidas que os únicos a morrerem por pena de morte, seriam os pretos e pobres. A justiça no país não é tão justa assim para esse tipo de pena. Não estou relativizando o estupro de forma alguma, mas falo em relação a pena de morte para qualquer tipo de crime. Sem contar que, além do sistema carcerário não ajudar em nada o indivíduo, a pena de morte não iria mudar muita coisa também, até porque em países que tem pena de morte, geralmente não ha inibição de crimes. Mas de fato, enquanto não houver políticas de reinserção do individuo na sociedade, o jeito é mante-lo preso e fora de circulação para não cometer atos ilícitos novamente.

    • poliana Postado em 28/Sep/2014 às 16:33

      Rodrigo..eu falei no meu post lá em cima: pra casos como o desse indivíduo, do casal nardoni, da suzanne von rotchtophen, do pai e da madrasta do menino bernardo, do maníaco do parque, etc..PRA ESSES CASOS ESPECÎFICOS, eu sou a favor da pena de morte. Mas concordo com o seu posicionamento..e foi como tb falei aí em cima...esse assunto é muito comolexo de se discutur aki no brasil...realmente complicado. Mas concordo sim com seu post, em q pese meu posicionamento lá em cima.

      • talita Postado em 29/Sep/2014 às 10:49

        Poliana é realmente uma poliana, acreditando que a pena de morte seria aplicada contra pessoas como os Nardoni e os Boldrini.Acorda pra vida pessoa!

      • eu daqui Postado em 29/Sep/2014 às 13:53

        Mas ao menos para alguns monstrengos seria aplicada a pena. Acredito que para a maioria deles. Escapariam poucos.

  5. raphael_subversivo Postado em 29/Sep/2014 às 07:57

    Esse tipo de verme tem que levar tijolo na bunda até o ultimo dia de vida pra ficar esperto, esses tipos de doentes não podem pertencer à sociedade de forma alguma, seja matando ou prendendo pra sempre, esse tipo de ser vivo é totalmente irrecuperável e não tem volta depois de tal barbaridade. Nossa lei é muito severa na hora de punir o assaltante, o batedor de carteiras, agora na hora de pegar os maniacos, é uma mãe, ta tudo errado nesse mundo...

  6. Jonas Schlesinger Postado em 30/Sep/2014 às 09:33

    Também sou a favor da pena de morte, mas não no Brasil. Morreriam muitos inocentes. A pena máxima no Brasil deveria ser a perpétua. Alguém lá em cima disse que o preso precisa voltar à sociedade, trabalhar etc. Concordo. Concordo com os métodos da Suécia de recuperação do bandido etc. Mas existem casos que simplesmente é IMPOSSÍVEL trazer o meliante para a sociedade. Como nos casos que foram citados ali em cima, não há argumento. Seu retorno é veto. Daí outro fala assim: mas só preto e pobre vai ser preso. Meu filho já vi muito preto e pobre BANDIDO que assassinou a mulher ou a mãe, preto e pobre que sequestrou e matou a vítima, preto e pobre que ateia fogo nas vítima... não interessa se for preto e pobre ou branco rico, a lei deve cair sobre eles porque são MONSTROS na sociedade. Agora quando é um preto e pobre CIDADÃO deve ser tratado como tal, tal como o branco rico CIDADÃO.

  7. mario Postado em 01/Oct/2014 às 13:10

    pessoal nao podemos esquecer dos direitos humanos nessa hora. ele merece ter um julgamento justo e condiçoes dignas na prisao que facilitem a sua reabilitação na sociedade, q é o objetivo da prisao. linchamento nos torna tão ruins quanto ele.