Redação Pragmatismo
Compartilhar
Contra o Preconceito 05/Sep/2014 às 12:36
16
Comentários

Quatro crianças, três delas com HIV, são adotadas por casal homoafetivo

Casal homoafetivo que adotou quatro crianças - três delas com HIV - espera que o exemplo estimule outros casais a adotarem crianças mais velhas, de diferentes etnias e com problemas de saúde

casal gay adoção crianças
Casal homoafetivo adota 4 crianças, 3 delas com HIV

Após um ano e meio de espera, o casal Rogério Koscheck e Weykman Padinho conseguiu concluir o processo de adoção de quatro irmãos, sendo três deles com o vírus HIV. As crianças foram para o novo lar em junho, mas a espera para desfrutar integralmente a paternidade não havia acabado para o casal. A licença-paternidade, de 120 dias, que desde 2013 é garantida a pais adotivos, foi negada a Koscheck, que é servidor público federal da Receita. A licença saiu recentemente após um mandado de segurança, acatado pela Justiça, com base na Lei 12.873, sancionada por Dilma Roussef no ano passado, que estende a licença também a pais, por 120 dias.

VEJA TAMBÉM: A cartilha sobre diversidade sexual no Japão

Koscheck espera que o caso estimule outros casais a adotarem crianças mais velhas, de diferentes etnias e com problemas de saúde. “Geralmente, os casais buscam crianças brancas de até 2 anos”, diz. “Eu e o Weykman tínhamos um perfil para adotar duas crianças: um menino e uma menina. No entanto, após leituras e participação em grupos de adoção e fóruns, fomos ampliando esse perfil. Quando conhecemos os quatro irmãos em abril [do ano passado], que estavam em um abrigo desde outubro do ano passado, não tivemos dúvidas de que seriam nossos filhos”.

Ele conta que não encontrou nenhum tipo de entrave ou preconceito durante o processo de habilitação e de adoção por serem um casal homoafetivo. “O tempo que foi de mais ou menos um ano e meio, para a Justiça brasileira, foi até razoável”, comenta. “Como nosso perfil era muito amplo e foge do padrão acabou sendo rápido.” A guarda das crianças foi concedida em meados de junho.

A licença-paternidade demorou mais do que o esperado pois o Estatuto do Servidor Público é de 1990 e permite licença de trabalho de 120 dias apenas a servidoras do sexo feminino. Kusheck espera que, após o parecer favorável do juiz, além de outras ações, a questão da licença-paternidade seja sanada, com a nova lei federal vigente.

VEJA TAMBÉM: Casal homoafetivo consegue licença maternidade pela 1ª vez no Brasil

Para o casal, pais de primeira viagem, a obtenção da licença foi uma aventura sem precedentes. As quatro crianças têm idades que variam de 7 meses a 11 anos. “Temos uma pequenina que demanda mamadeira, limpeza, uma mais velha que demanda participação nos deveres da escola, apanhar no cinema, no teatro e os dois do meio, de 2 e 3 anos, que pedem participação nas brincadeiras. São quatro demandas distintas. Por outro lado, são quatro experiências fantásticas e estamos muito felizes e eles também refletem essa felicidade”, relata Kusheck.

Agência Brasil

Recomendados para você

Comentários

  1. KARINA BEBEZINHA Postado em 05/Sep/2014 às 12:40

    ESSE POST VAI BOMBAR RSRRSRSRS QUEM SE HABILITA A INICIAR OS DEBATES HUSHUSHSSHUASCHAMA A CRENTAIADA FUNDAMENTALISTA

  2. Thiago Teixeira Postado em 05/Sep/2014 às 12:59

    José Ferreira e Pereira vão aparecer ... 5 ... 4 ... 3 ... 2 ...

  3. Jonas Schlesinger Postado em 05/Sep/2014 às 13:53

    Prefiro ver crianças sendo adotadas por casais homossexuais do que ficarem largadas à esmo na sociedade e, futuramente, se tornarem marginais e reféns das drogas. Mas eu concordo com esse post quando diz que muita gente prefere criança branca. São aqueles pseudo humanistas que se solidarizam contra o racismo, mas prefere ter filhos brancos. Se não nasceu branco pra que escolher uma criança branca. Por isso que os orfanatos estão lotados de crianças morenas pq os pseudo moralistas vitimistas prefere as branquinhas.

    • Marcos Vinicius Postado em 05/Sep/2014 às 16:01

      Olha aí! Finalmente fez um gol! Não falou bobagens!

      • Jonas Schlesinger Postado em 07/Sep/2014 às 22:47

        Rapaz pare de babança! Vc é um meia escória. Só é meio porque é do Ceará tbm. De qual parte vc é?

  4. SINCERA DEMAIS Postado em 05/Sep/2014 às 14:40

    Eu confrontaria agora a sra marina e os lixos homofobicos que a acompanham,ENTAO A SRA E OS SEUS GURUS DA PODRIDÃO,CHARLATANISMO,EXTELIONATARIOS E DA HIPOCRISIA SAO CONTRA A UNIAO ENTRE PESSOAS DO MESMO SEXO E A ADOCAO D CRIANÇAS POR HOMOSSEXUAIS ??????????????????????

    • José Ferreira Postado em 05/Sep/2014 às 16:22

      Não grite, por favor. Aqui ninguém é surdo.

      • SINCERA DEMAIS Postado em 05/Sep/2014 às 18:49

        Jose ferreira vc é a escoria da sociedade,é o que ha de pior aqui no prag politico,por isso suas opinioes pra mim sao como a merda do meu gatinho,ele caga,cheira mal,eu troco a areia e vida que segue,

      • José Ferreira Postado em 05/Sep/2014 às 22:01

        Pelo menos parou de gritar.

    • Tadeu Postado em 15/Feb/2015 às 12:51

      Grita, sim, pq tem muitas que se se faz de surda, e só assim vai ouvir! GRITA MESMO.

  5. Danila Postado em 05/Sep/2014 às 16:12

    Linda história de amor incondicional. Mais relevante que o fato de serem um casal homoafetivo, é a adoção de crianças com HIV. Atitude nobre!!

  6. poliana Postado em 05/Sep/2014 às 16:19

    ENQTO ISSO, O SILAS MALAFAIA LUTA PARA Q OS CASAIS HOMOSSEXUAIS N MAIS TENHAM DIREITO À ADOÇÃO!!!! PEÇO DESCULPAS PELO CAPSLOCK, MAS ESSA QUESTÃO REALMENTE ME REVOLTA! ISSO É SER EVANGÉLICO ASSEMBLEANO! CASAIS GAYS DANDO UM BELO EXEMPLO DE HUMANIDADE, COMPAIXÃO E AMOR AO PRÓXIMO, E UM PASTOR ASSEMBLEANO, NO ALTO DE SUA VAIDADE, ARROGÂNCIA, E DESUMANIDADE, VOCIFERA CONTRA QQ DIREITO CONFERIDO A ESSAS PESSOAS!!! ISSO É SER EVANGÉLICO ASSEMBLEANO!!!!!!! E É UMA REPRESENTANTE DESSA CORJA QUE QUER VIRAR PRESIDENTE DO BRASIL!!!!!!!!

  7. Guilherme Postado em 05/Sep/2014 às 21:15

    eu me sinto um fraco por não ter toda essa coragem. parabéns. são mais homens q eu, e olha q sou hetero.

  8. Camilla de Carlos Postado em 18/Sep/2014 às 16:18

    completamente admirável. que sejam muitíssimo felizes, por muitos e muitos anos. =) que sirva de lição aos bolsomerdas, feliciânus, mama-laias e adjacências.

  9. Maria Postado em 24/Feb/2015 às 18:02

    Parabéns ao casal pela adoção! Não pelo fato de serem homossexuais, mas sim pelo fato de adotarem irmãos, de adotarem 04 crianças, adotarem crianças com AIDS (03 deles), de adotarem sem preconceitos. Irmãos não devem ser separados. Casal nota 10!

    • Daniella Postado em 26/Feb/2015 às 10:09

      Maria, nesse caso o preconceito foi seu. As crianças não tem AIDS mas sim são soropositivas, o que é bem diferente.