Redação Pragmatismo
Compartilhar
Racismo não 24/Sep/2014 às 17:29
8
Comentários

Miguel Falabella não receberá o Troféu Raça Negra 2014

Faculdade Zumbi dos Palmares convida Miguel Falabella para participar de um debate sobre o programa “Sexo e as Nêga”, mas desmente a notícia de que o diretor receberia o Troféu Raça Negra 2014. Discentes e docentes criticaram reitoria pelo convite

miguel falabella sexo as negas

Jarid Arraes, Questão de Gênero

Depois de receber críticas e ser alvo de protestos do movimento negro brasileiro, Miguel Falabella e sua série global “Sexo e as Nêga” enfrentam nova polêmica, desta vez envolvendo a Faculdade Zumbi dos Palmares, de São Paulo, que convidou o diretor para participar de um debate sobre o programa no FlinkSampa – Festa do Conhecimento, Literatura e Cultura Negra – que acontecerá em novembro deste ano.

CONFIRA AINDA: “Negrinhas como você a gente estupra e depois queima”

Miguel Falabella chegou a publicar em seu perfil no Facebook uma nota de comemoração pelo convite, o que não foi bem aceito pelos ativistas negros que protestam contra “Sexo e as Nêga”. Por causa da repercussão negativa, a Faculdade Zumbi dos Palmares usou a página institucional na rede social para justificar o convite e negar boatos de que Falabella receberia o Troféu Raça Negra 2014, evento aclamado pela comunidade negra brasileira.

Apesar do esclarecimento, foi lançada nesta semana uma nota de repúdio escrita por discentes e docentes do curso de Pedagogia da Faculdade Zumbi dos Palmares, que protestam contra o convite oferecido a Falabella e criticam a reitoria pela iniciativa.

VEJA TAMBÉM: A opinião de uma advogada negra sobre a série “Sexo e as Nêga”

A carta, publicada na página pessoal de Ellen de Lima Souza, coordenadora do curso de Pedagogia, afirma que a série “Sexo as Nêga” reproduz estereótipos racistas e desrespeita as mulheres negras brasileiras, indo contra os “princípios orientadores das políticas de ações afirmativas conquistadas pela luta do Movimento Negro no Brasil”. A publicação ainda afirma que “produções televisivas racistas não precisam ser debatidas, mas punidas de forma exemplar conforme assegura a Constituição Federal brasileira”.

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. José Ferreira Postado em 24/Sep/2014 às 17:34

    Dá para ver que os tais "movimentos negros" não são muito abertos ao diálogo. Dizem que combatem o preconceito, mas acabam sendo preconceituosos ao não quererem ouvir o que o autor quer dizer. A direção da faculdade se mostrou mais aberta a discussão. Os tais "movimentos negros" poderiam se preocupar mais com a inflação, a corrupção, a bandidagem que rola solta por aí...

  2. Karina BB Postado em 24/Sep/2014 às 17:40

    Ontem a título de curiosidade assisti a série, achei chatissima, muito chata. Porém, quero ressaltar a apelação e o uso da sensualidade feminina de maneira vexatória, com mulheres sendo retratadas como objetos, independente de serem negras ou não, realmente a globo se supera em desinformar e desconstruir pessoas principalmente mulheres ao longo de sua programação.

    • Poliana Postado em 24/Sep/2014 às 18:26

      Não perde seu tempo não Karina... Não vale a pena ver nada da grade de programação da rede globo!

  3. Pablo Postado em 24/Sep/2014 às 21:33

    Quem conhece falabela sabe que esse movimento está dando um tiro no próprio pé.

  4. Rodrigo Postado em 24/Sep/2014 às 23:39

    Os movimentos negros querem ditar o que não pode ou pode passar na tv, quem deve ou não deve ganhar tal prêmio e quem pode ou não pode ser convidado, qualquer voz diferente das opiniões deles devem ser caladas, e como tais movimentos extremista não aceitam serem contrariados, porque são superiores e precisam defender seus semelhantes tão inferiores.

    • Felipe Postado em 25/Sep/2014 às 11:56

      Não é só questão de os "movimentos negros" quererem ditar nada, não, meu querido. O que se passa em programação aberta, deveria, principalmente, ser um retrato das vontades e vivências de toda a sociedade. A série retrata, sim, de forma preconceituosa e estereotipada a comunidade negra, principalmente as mulheres! Não me parece ruim que as pessoas mais ligadas se sintam incomodadas e queiram repercutir de forma diferente! Se fosse no seu, com certeza você mudaria seu discurso de forma que a suas reivindicações pudessem ser ouvidas. Não subjugue uma luta. Ter opiniões divergentes, é bem diferente de gritar por aí pensamentos retrógrados e que só reforçam problemas que deveriam é ser tratados.

    • davenir Postado em 25/Sep/2014 às 14:29

      Concordo, se alguém quiser fazer apologia ao Nazismo tá no direito! Liberdade de expressão acima de tudo!!! (só que não!)

    • Pedro Postado em 25/Sep/2014 às 14:30

      Eu trocaria o início da sua primeira frase deixando lacunas onde se lê "movimentos negros" e convidaria aqueles(as) dispostos a pensar um pouco além da superficialidade que completassem com termos mais adequados. Daria pra começar com um "grande mídia" que tal? Pensando um pouco mais da pra refinar as possibilidades hein...