Redação Pragmatismo
Compartilhar
Guerra injustificável 02/Sep/2014 às 17:01
9
Comentários

Mais um jornalista americano é decapitado

‘Estado Islâmico’ divulga vídeo de decapitação de mais um jornalista americano. Jihadistas fazem novas exigências e ameaçam também executar um refém britânico

jornalista decapitado eua Steven Sotloff
Steven Sotloff foi executado pelo Estado Islâmico (divulgação)

O Estado Islâmico divulgou um vídeo nesta terça-feira mostrando um jihadista mascarado decapitando um segundo jornalista americano, de acordo com o grupo de monitoração terrorista SITE. A informação foi confirmada por vários veículos de imprensa internacionais.

O Departamento de Estado americano informou que irá trabalhar “o mais rápido possível” para confirmar a autenticidade do material.

Não se sabe se o homem que matou Sotloff é o mesmo que executou James Foley, outro jornalista americano que foi morto pelo Estado Islâmico no dia 19 de agosto.

Ele diz, antes de matar o jornalista, “eu voltei, Obama, e voltei por causa da sua política externa arrogante em relação ao Estado Islâmico “.

“Enquanto seus misseis continuarem a atingir nossa gente, nossa faca vai continuar a atingir o pescoço de seu povo”, ameaça.

Outro refém do grupo, o britânico David Haines é mostrado no vídeo, e ameaçado de morte. Segundo o New York Times, pelo menos dois americanos são mantidos reféns pelo grupo.

Sotloff desapareceu na Síria em agosto de 2013. Ele trabalhava como freelancer para as revistas Time e Foreign Policy.

Seu desaparecimento, no entanto, só foi noticiado há duas semanas, quando ele apareceu no vídeo da execução de Foley.

VEJA TAMBÉM: A luta dos EUA contra um monstro que eles próprios criaram

Na semana passada, a mãe de Sotloff, Shirley Sotloff, gravou um vídeo se dirigindo ao líder do Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi, pedindo que seu filho fosse libertado e afirmando ele não tinha controle sobre as ações do governo Obama.

Por meio de seu advogado, a família do jornalista disse que não irá se manifestar.

AFP

Recomendados para você

Comentários

  1. Thiago Teixeira Postado em 02/Sep/2014 às 17:40

    Extrema covardia. Esses criminosos não tem dignidade, pois não é essa a forma de manter e executar um prisioneiro de guerra (se bem que essas pessoas estão lá a trabalho).

  2. Bruno R. Postado em 02/Sep/2014 às 21:20

    A mídia não deveria tratar esses monstros pela alcunha de "Estado Islâmico". É confuso e reforça preconceitos com o islã. O Paquistão, por exemplo, também é um estado islâmico, mas nada tem a ver com esse grupo, cujo denominação completa é "Estado Islâmico do Iraque e Levante". ISIS na sigla em inglês, que seria uma alcunha muita mais específica e clara.

    • Luiz Souza Postado em 02/Sep/2014 às 23:15

      O próprio ISIS mudou sua denominação. É assim que se chamam agora.

    • Luiz Souza Postado em 03/Sep/2014 às 00:08

      Muito sangue ainda irá rolar, muita baixa para todo lado. O objetivo é colapsar a Síria após a coitada fazer todo o serviço de eliminar os selvagens. Aí é só fazer o que a tradição britânica manda: dividir antes e conquistar tudo de mão beijada, posar de libertador dos oprimidos, enquanto a mídia sionista ressalta o valor dos caras-pintadas da Primavera Árabe. A questão é que cristãos e judeus sempre viveram naquelas bandas, sob o jugo desses "tiranos cruéis": Assad, Hussein e Kadafi; mas nunca precisaram correr tanto para salvar a vida como agora. Ridículo chamar o títere Maliki de democracia. Será que não se pode respeitar povos seculares que não quererem e não precisam dessa pseudo-democracia nossa?

    • Thiago Teixeira Postado em 03/Sep/2014 às 09:15

      Correto Bruno. Estado de gente babaca. Não podemos generalizar dizendo que os muçulmanos são maus. Temos que caçar e conter os "babacas", independente se seja do Hamas, al qaeda, sunitas, curdos, elite do exército britânico, etc.

  3. Alessandro Postado em 03/Sep/2014 às 00:21

    E o vídeo é fake, de novo.

    • Sofia Postado em 03/Sep/2014 às 23:48

      Concordo com vc. Não me convencem as ações das duas decapitações, e sim as imagens finais com as cabeças sobre o corpo.Durante a execução, os decapitados não reagem à expectativa do corte e não sangram.No segundo jornalista, enquanto ele tem a garganta cortada, deliberadamente estende uma das pernas p/apoiar-se no chão.Já qdo sem as cabeças, as imagens se mostram mais próximas da realidade.

  4. Alessandro Postado em 03/Sep/2014 às 00:26

    Agora o Estado Islâmico está atacando o Líbano também. O jogo está ficando mais claro, os Estados Unidos, a Inglaterra e Israel criaram o Estado Islâmico para dar independência aos curdos; derrubar o Assad e destruir o Hezbollah... Tudo com uma cajadada só.

  5. eu daqui Postado em 03/Sep/2014 às 12:55

    E os genocídios continuam e recrudescem de ambos os lados. Junto com eles, os índices mundiais de depressão e outras doenças psiquiátricas. ........