Redação Pragmatismo
Compartilhar
Eleições 2014 15/Sep/2014 às 17:50
5
Comentários

Economista de Marina “refuta” até Celso Furtado

Responsável pelo programa econômico de Marina Silva dá sua receita para “corrigir os erros” da atual gestão e critica ainda as teses de Celso Furtado, o economista brasileiro mais reconhecido internacionalmente

celso furtado marina silva economia
Nem Celso Furtado (dir) escapou das críticas do guru econômico de Marina Silva (Edição: Pragmatismo Político)

Depois de uma rápida ascensão, a onda Marina Silva vem perdendo força, em grande parte, pela incoerência de suas propostas de governo. Por trás delas, um time de “gurus” que tem multiplicado aparições na mídia com teorias questionáveis.

SAIBA MAIS: Presidente do PSB rebate guru de Marina Silva

Neste domingo, Alexandre Rands, principal assessor econômico de Eduardo Campos (PSB) e agora articulador de Marina, dá sua receita para corrigir “erros” da presidente Dilma Rousseff.

Em entrevista ao Globo, insiste que um Banco Central independente teria subido juros antes, “não ficaria subjugado à presidente”. Afirma ainda que a retomada do crescimento só deve ocorrer no quarto ano. Promete crescimento de 4% no último ano do governo Marina.

Além disso, afirma que as teses de Celso Furtado, economista brasileiro mais reconhecido internacionalmente e inspirador da Sudene, talvez nunca tenham feito sentido.

VEJA TAMBÉM: Nobel de Economia lança alerta sobre Banco Central Independente

Para ele, a atual política econômica do governo é “excessivamente influenciada” por economistas da Unicamp, que chama de feudo parado no tempo. Diz que a presidente Dilma detesta os empresários, mas todas as políticas são para eles fazerem o que bem entende. “O governo bate, mas depois convida para um drinque. Trata os empresários como prostitutas”, afirma.

Embora questione Celso Furtado, Rands tem com credenciais o fato de ser dono de uma empesa de telemarketing em Recife.

247

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. Rogerio Postado em 15/Sep/2014 às 19:52

    Não refuta. Refurta.

  2. Deisi Postado em 16/Sep/2014 às 00:20

    A Blabarina está muito bem servida de gurus. Só que não! o que dizer de Malafaia, Neca setúbal, esse economista que tropeça na arrogância. Só eles estão certos, o nobel de economia não sabe nada, o economista Celso Furtado é contestado por esse sujeito, Bresser Pereira ministro do FHC, declara voto a Dilma. Existem motivos grandes de preocupação com nossa economia, A insistência na independência do Banco Central só pode ter interesses escusos e sombrios nessa turma da nova política.

  3. João Batista Postado em 16/Sep/2014 às 11:01

    De que só pode haver interesses escusos não resta nenhuma dúvida. Fico muito preocupado com a perda social e de desenvolvimento tecnológico que teremos com essa subMarina obtusa no poder e cercada de gente rica com taças de champagne se esbaldando no assalto às nossas riquezas e ao nosso crescimento como país... esse é o lado triste do sistema que permite essa manipulação da mídia sobre a população, que pode fazer com que sejam derrotados exatamente aqueles que mais fizeram pelo povo...

  4. Joao Eduardo Postado em 16/Sep/2014 às 16:00

    Quem é de Pernambuco conhece o intelectualíssimo Alexandre Rands. Ele tinha um programa pago na tv universitária local (transmitida pela cultura) onde transmitia suas genialidades. Vale um PS acerca de suas credenciais acadêmicas, a empresa de telemarketing que possui dizem que foi dada por painho.

  5. Thiago Postado em 16/Sep/2014 às 17:24

    João Batista, me perdoe, mas o que faz você acreditar que gente rica vive de taças de champagne nos assaltando? Fala sério, boa parte das pessoas ricas que conheçam trabalham 10 horas por dia! Vivem seus negócios intensamente, não tiram férias! Posso garantir que os dois economistas que coordenam o programa de Marina são tão bons quanto Celso Furtado. Alexandre Rands e Eduardo Giannetti. Faça uma pesquisa no Lattes, veja o perfil deles. São dois acadêmicos com vasta experiência. Agora um Nobel de economia fala que a independência pode não ser um diferencial e foi criticado por vários acadêmicos por conta dessa frase. Inclusive a Austrália questiona se a reação dela como BC independente não foi melhor do que a do Brasil. Não existe causa e efeito entre uma coisa e outra. São evidências empíricas com centenas de outras variáveis envolvidas. Muito cuidado quando analisarem os dados vindos do 247, um blog de esquerda que apoia Armando Monteiro em PE, merece ser olhada com cautela.