Redação Pragmatismo
Compartilhar
EUA 03/Sep/2014 às 18:24
19
Comentários

Condenados por estupro são inocentados após 30 anos presos

Depois de 30 anos na cadeia, DNA inocenta irmãos condenados à morte por estupro e assassinato de uma menina de 11 anos

irmãos estupro pena de morte eua
Os irmãos Leon Brown (esq) e Henry McCollum, vítimas de uma injustiça irreparável (Imagem: Pragmatismo Político)

Depois de 30 anos na cadeia por estupro seguido de morte nos Estados Unidos, dois meio-irmãos com deficiência intelectual condenados pelo estupro e morte de uma menina de 11 anos foram inocentados dos crimes.

Testes de DNA comprovaram que outro homem foi responsável pelo crime cometido em 1983, pelo qual Henry McCollum, de 50 anos, e Leon Brown, de 46, cumpriam pena.

McCollum aguardava o cumprimento de sua pena de morte.

Depois de uma audiência na terça-feira, um juiz do Estado americano da Carolina do Norte determinou a libertação imediata de ambos. Uma comissão que reexaminou o caso descobriu que nenhuma das provas colhidas na cena do crime continha o DNA dos irmãos.

Confissões forjadas

Brown foi o primeiro a confessar o crime, quando tinha 15 anos, depois de passar horas sendo interrogado pela polícia.

“Este caso é uma tragédia que afetou profundamente não só a vida das pessoas envolvidas, mas o nosso sistema de Justiça da Carolina do Norte”, afirmou a advogada que defendeu Brown, Ann Kirby.

VEJA TAMBÉM: 4 razões para não reduzir a maioridade penal

Em 1983, autoridades encontraram o corpo seminu de Sabrina Buie, de 11 anos, perto da cidade de Red Springs. Ela apresentava sinais de estupro.

McCollum, que tinha 19 anos, e Brown foram presos pela polícia semanas mais tarde. Mas não havia qualquer prova física que os vinculasse ao crime.

Depois de cinco horas de interrogatório, sem a presença de parentes ou advogado, McCollum confessou o crime.

O irmão mais novo também assinou uma confissão escrita pelos detetives.

Ao irem a julgamento, ambos voltaram atrás, dizendo que tinham sido obrigados a confessar. No entanto, mesmo com a investigação falha, ambos foram considerados culpados e condenados à morte.

A sentença de Brown acabou sendo reduzida para prisão perpétua, sendo condenado apenas pelo estupro. Já McCollum aguardou no “corredor da morte” durante três décadas.

Ao longo de todos os anos que se seguiram às confissões forjadas, os irmãos insistiram na sua inocência e apresentaram diversos apelos.

Em 2010, a Comissão de Inquéritos de Inocência da Carolina do Norte assumiu o caso e descobriu provas que os advogados dos homens desconheciam.

Os indícios comprovavam que não havia qualquer vínculo entre os irmãos e a vítima, mas implicavam Roscoe Artis, de 74 anos, que morava perto de onde a menina foi encontrada morta.

Embora Artis não fosse um dos suspeitos inicialmente, ele acabou sendo condenado pelo estupro de outra jovem em circunstâncias parecidas menos de um mês depois da morte de Sabrina Buie.

BBC

Recomendados para você

Comentários

  1. Thiago Teixeira Postado em 03/Sep/2014 às 20:27

    Não sei o que é pior, a injustiça da "justiça" ou a omissão covarde e oportunista do verdadeiro criminoso. Onde está esse cara? Ele colocou a cabeça no travesseiro tranquilo nesses 30 anos após matar, estuprar e fazer 2 pessoas condenadas em seu lugar?

    • Yrae Postado em 14/Nov/2014 às 21:03

      Pior é a justiça condenar um inocente. Bandido não tem honra, moral e nem; Estados tem príncipios e leis.

  2. Jonas Schlesinger Postado em 03/Sep/2014 às 22:48

    Um leitor daqui comentou que a pena de morte ou o tempo que a pessoa aguarda a pena de morte é desumano, mas não. O tempo esticado pode fazer com que injustiças sejam descobertas antes que o suposto criminoso seja executado. O problema é que não é comum inocentes ser executados com a pena capital nos EUA, mas em certos casos isolados infelizmente acontece. O que se deve fazer é deixar de especular se a justiça é injusta (como disse o tempo prolongado do corredor da morte dá a chance para o acusado provar a sua inocência ou pelo menos na prisão perpétua) e ir atrás do verdadeiro criminoso e, com justiça, responsabilizar os envolvidos que os persuadiram a confessar a culpa. Creio que eles ganharão um ressarcimento em dinheiro pelo tempo que ficaram mesmo que dinheiro não traga 30 anos de volta. Pelo menos estão vivos.

    • Ilson Roberto Postado em 04/Sep/2014 às 00:04

      Não creia nisso, geralmente o quem tem acontecido é apenas o reconhecimentos processual, por parte das autoridades.

    • Cauê Postado em 04/Sep/2014 às 08:20

      Ah, sim, né. Então é uma situação humana uma pessoa "aguardar" presa três décadas antes de ser morta? Veja bem: permanecer presa durante trinta anos sem prova e ser morta. Porque, assim, terá chance de provar a inocência com "descobertas"? Parece-me que o problema não está no tempo, amigo. Mas no que leva esse tempo todo e no que se encontra no final dele.

    • Yrae Postado em 14/Nov/2014 às 21:05

      Caso isolado? RSRSRSRS

    • SILVIO MIGUEL GOMES Postado em 30/Aug/2016 às 07:42

      Os Policiais, Promotores e Juizes devem ser punidos.

  3. Marcio Fernandes M Postado em 03/Sep/2014 às 23:18

    Lamentável isso. E nada agora irá recuperar o tempo perdido. O que esses dois deixaram de viver nada pagará , nem indenização, desculpas nada disso. E por pouco não tiveram a pena de morte.,

  4. Olga Lasalvia Postado em 03/Sep/2014 às 23:34

    Não sera que eles foram responsabilizados porque são negros?... Não tem aqui preconceitos raciais...com que provas eles foram julgados? Não é injusta a Justiça, são os homem que aplicam as leis em forma arbitraria e levados pelos preconceitos estúpidos ...Não tem dinheiro que possa ressarcir 30 anos na cadeia, com condenação a pena de morte y perpetua...é toda uma vida preso... é tanto sofrimento, as vidas dos dois foram destruídas pelas grades e pelos homens que administram a justiça como eles desejam e não segundo as leis. Erros como este dão a pensar quantos terão sido ajustiçados mesmo sendo inocentes..somente porque os homens erraram!!! Acho a pena de morte uma medida do meio evo,

    • Denisbaldo Postado em 04/Sep/2014 às 00:53

      Pior que ficar preso por 30 anos, é ficar preso por 30 anos sabendo que não cometeu o crime e foi condenado por puro racismo. Interessante que nunca vi um branco vítima de um caso destes, pode até ter acontecido, afinal são tantos casos, mas os negros são a maioria absoluta de erros assim.

  5. Wanderson Postado em 04/Sep/2014 às 07:49

    Hum.Levando em consideração o preconceito que ainda existe nos Estados Unidos,posso arriscar que esse homens forma obrigados a confessar esse crime,simplesmente por que são negros,simples assim.

  6. Deisi Postado em 04/Sep/2014 às 09:03

    Com certeza Wanderson!

  7. bruna Postado em 04/Sep/2014 às 09:33

    Ah meu, não começa com essa de ser negro. Não precisa ir muito longe para saber que, antigamente, ocorriam muitos desses casos, com qualquer tipo de suspeito. Negro, branco, cego, surdo, aleijado. Se você tem preguiça de ler, assista o Investigação Discovery. Lá eles explicam direitinho como faziam para elucidar crimes em décadas passadas. O exame de DNA era impreciso e caro demais, até para o maravilhoso EUA. A polícia tentava da melhor maneira prender o suspeito. Agora isso é fácil. O DNA é bastante preciso e muito mais barato. Nada no mundo paga o que eles não viveram. Isso é fato. Nem se discute. Mas, pelo menos, algo de bom foi feito: eles têm o alívio de provarem que não foram os responsáveis por tal crime hediondo.

    • poliana Postado em 04/Sep/2014 às 10:01

      "A polícia tentava da melhor maneira prender o suspeito". 'ah meuuuu', e o suspeito era sempre o negro né?! pq será?! visite a população carcerária aki e nos eua e vc terá uma noção de qtos brancos, cegos, aleijados e surdos foram e continuam sendo condenados por estupro e homicídio sem o estado ter provas viáveis para uma condenação!

      • eu daqui Postado em 05/Sep/2014 às 12:32

        E já há provas irrefutáveis de que o verdadeiro culpado é branco ?

    • Denisbaldo Postado em 04/Sep/2014 às 10:50

      Verdade, o racismo nunca existiu nos EUA, especialmente em meados do século 20. Acho melhor você parar de assistir TV e estudar história. Já ouviu falar de Rosa Parks? Já ouviu falar na luta pelos direitos civis dos negros nos EUA??? Pare de destilar sua ignorância por aqui por favor.

    • Natalia Postado em 04/Sep/2014 às 12:01

      Por favor, né... Uma coisa é ver casos no Investigação Discovery, que pode pinçar ~variedades~ para exibir em seu programa. Outra coisa é analisar dados concretos e ver a porcentagem de condenados negros. Não se paute pela televisão.

  8. poliana Postado em 04/Sep/2014 às 09:59

    pq será q eles foram condenados por estupro e homicídio sendo q eram inocentes hein??? n entendi!! alguém me explica? (ironia master)

  9. eu daqui Postado em 05/Sep/2014 às 12:33

    3 décadas de cana: que dinheiro pagaria isso?