Redação Pragmatismo
Compartilhar
Polícia Militar 23/Sep/2014 às 11:39
14
Comentários

Candidata que defende desmilitarização da PM sofre racismo e agressão

“Dissolve a PM agora sua prostituta. Sua negra vagabunda”. Candidata ao governo de Minas Gerais ainda levou um soco na barriga uma cusparada por defender a desmilitarização da PM no Brasil

candidata cleide agredida pm minas
Cleide Donária, candidata pelo PCO ao governo de Minas Gerais, foi agredida por defender a desmilitarização da PM (Foto: Estado de Minas)

A candidata ao governo de Minas Gerais Cleide Donária (PCO), de 43 anos, foi vítima de agressões e racismo durante uma agenda no último dia 14 de setembro, na região de Venda Nova, em Belo Horizonte. A agressão teria partido de um homem ainda não identificado, que discordaria de algumas das propostas de desmilitarização da Polícia da candidata.

Segundo informações do jornal O Estado de Minas, Cleide caminhava em direção à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Venda Nova, onde se encontraria com companheiros de campanha. Ela acabou abordada no canteiro central de uma avenida e recebeu um soco na barriga. Mas o pior viria a seguir.

VEJA TAMBÉM: A desmilitarização da PM defendida por um próprio policial

“Cadê seu partidinho de m… para dissolver a PM?”, gritou o agressor. “Dissolve a PM agora sua prostituta. Sua negra vagabunda”, emendou o homem, que ainda cuspiu em Cleide e fugiu em seguida. De acordo com a candidata, o agressor ainda teria levado a mão à cintura, mostrando que estava armado.

Ela registrou boletim de ocorrência na 9ª Área Integrada de Segurança Pública e fez pedido para que a Polícia Civil busque a identificação do agressor por meio de câmeras das estações do Move próximas ao local em que ela foi atacada. Até o momento isso não aconteceu. No dia seguinte ao incidente, ela pensou em desistir da candidatura, mas foi demovida da ideia pelo partido.

“A campanha vinha tranquila, com debates produtivos em escolas e universidades, sempre com respeito às propostas diferentes. Não sei se alguém se sentiu ameaçado com nossas ideias, mas em uma democracia é essencial saber lidar com o pensamento de outros partidos”, comentou ao jornal O Estado de Minas.

LEIA MAIS: O deletado que lê Slavoj Zizek e é doutorando em Ciência Política

Em nota divulgada pelo PCO, a sigla voltou a defender a desmilitarização da Polícia Militar como uma das principais propostas de campanha. “A única maneira de garantir uma verdadeira segurança para a classe operária só pode acorrer com a dissolução da PM e a constituição de milícias populares para proteger os trabalhadores dos ataques do braço armado do Estado”, escreveu o partido.

No âmbito presidencial, alguns candidatos como Luciana Genro (PSOL), Eduardo Jorge (PV) e Rui Pimenta (PCO) também são defensores da desmilitarização da polícia no Brasil, tema bastante polêmico, mas que já está em discussão há alguns anos no Congresso Nacional.

Geledés

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook.

Recomendados para você

Comentários

  1. Marcos Vinicius Postado em 23/Sep/2014 às 12:08

    Se alguém é contra a desmilitarização da polícia, que faça isso de maneira respeitosa com as diferenças, afinal estamos numa democracia. Mas pelo visto os que são contrários (a maioria pelo visto) não são nada democráticos com esse assunto e querem enfiar goela abaixo a militarização, afinal isso respalda o autoritarismo. Esse caso covarde e absurdo é apenas a ponta do iceberg desse reacionarismo.

  2. Salomon Postado em 23/Sep/2014 às 12:22

    A despeito da injustificável violência, a lei sublime da compensação das janelas diz que o modo de compensar uma janela fechada é abrir outra, de modo que tudo permaneça arejado. Ora, que proposta mais sem noção! A candidata, o que deveria fazer é mudar de proposta, se tiver bom senso, claro. De que serviria, afinal, uma polícia-militar-não-militar? Além do mais, a candidata ao governo de Minas promete o que não pode cumprir! Como, na qualidade de governadora, ela conseguiria alterar o art. 42 da Constituição Federal?

    • Pedro Postado em 23/Sep/2014 às 13:23

      Eu inverteria a pergunta: "do que adianta uma polícia militar?" Já pesquisaste outros exemplos de polícias pelo mundo? Apenas desmilitarizar não resolve os problemas como um todo, basta ver a atuação da nossa polícia civil, mas certamente é um caminho a se considerar na construção de uma polícia com uma ótica de proteger o cidadão e mediar conflitos e não primariamente como um braço de repressão. Por certo existe gente com bons princípios dentro da PM, mas me parece um ambiente muito mais propício a gerar pessoas intolerantes e violentas, vide atuação na ditadura militar, que se perpetua até hoje. A frase supostamente proferida: “Dissolve a PM agora sua prostituta. Sua negra vagabunda” ilustra bem qual a carga de ódio e intolerância pode estar contida nesse tipo de formação.

    • Helcio Postado em 23/Sep/2014 às 17:32

      Amigo polícia militar não militar? Só em países atrasados a policia é militarizada.

    • Caio Postado em 25/Sep/2014 às 06:58

      1. Mas o intuito de desmilitarizar a polícia é justamente fazer com que ela deixe de ser militar, oras. É essa a intenção mesmo. Basta olhar a palavra: "des-militarização". O resto do mundo nao possui policias militares, salvo raríssimas exceções, e, quando elas existem, não possuem as mesmas atribuições como encontramos aqui. 2. Claro que é possível alterar a Constituição. É por isso que existem as PECs (projetos de emenda constitucional). 3. Inclusive tramita uma no Congresso, que prevê a unificação das polícias, de autoria do senador Lindbergh. 4. A desmilitarização prevê uma polícia mais humanizada, para enxergar o contribuinte como cidadão, e não como inimigo. Mas isso não implica em "desarmamento da polícia" ou, até mesmo, no "fim da polícia", como algumas pessoas que não sabem do que se trata podem pensar. 5. A desmilitarização é, inclusive, defendida por muitos policiais de baixa patente, os chamados praças, visto que a mudança além de ser benéfica para a sociedade como um todo, também os respeitariam como trabalhadores.

  3. Mauricio Augusto Martins Postado em 23/Sep/2014 às 13:36

    É duro não aprender na Escola, o que é relevante, e ficar fazendo tão somente proselitismo, se soubessem os próprios Policiais Militares decretariam a falência do Sistema, oriundo de Países Colonizadores aos Colonizados e aqui no Brasil uma espécie de cala-boca aos Escravos Libertos por um Simples par de sapatos, fizeram de uma "Força Pública" uma espécie de "Segurança Particular" para defenderem nem sei oquê, e alguns que fazem parte da "segurança" dos Governadores e outras autoridades recebem os TUBOS para isto, fazendo prostituir o meio pois outros vão amargar as Carências e a falta do Estado nas periferias com maiores índices de violência, neste ato específico de Agressão a uma Candidata a Governadora exprime o que alguns pensam sobre a Democracia, tipo "podem fazer o que quiser, mas não mexam no Meu", lógico que isto parte de quem está atrás de uma escrivaninha e não amarga o Sol e a Chuva em diligências e patrulhamento, pois é isto que a População quer, uma Polícia decente, e a Polícia um Trabalho digno, assim nestes Novos Tempos poderemos conviver em harmonia com o Braço Armado do Estado, que deve ser coercitivo sim para a marginalidade, mas extremamente honesto e pronto para servir o POVO pois faz parte deste POVO também, a desmilitarização propõe não que os Policiais percam seus Empregos, mas que sejam tratados como entes e Autoridade, sendo conhecido pelo Nome e não por número e Patente, pode até voltar a ter as 28 matérias que existia antigamente(SP-antes dos tucanalhas) por exemplo um Curso para Cabo, e estas matérias tem que ser reavaliadas e complementadas e sempre, todo dia lembrar que o Golpe foi um Golpe e nada mais, a Polícia Mineira sobretudo não sei se confere ou não é mote de Piadas até entre Policiais de outros Estados, quando não se quer Investigar e Cumprir determinada Ordem dizem, "Vai lá e faz uma "Mineira"",portanto isto corrobora com o ato acima descrito, que existe algo de Podre no Reino, e aqueles que deveriam dar Proteção a Candidata e também Agradecer, pois a mesma visa uma melhor Condição de Trabalho e Relações Interpessoais como também na hierarquia de Comando, como rege a Constituição que cada Estado poderá Formar e Manter sua Milícia Armada, mas não diz o método, pois este método que temos ai de meados do Século Passado só serviu para mais abusos e tentativa a Força de Calar Opiniões, deixando a "bandidagem" para um segundo plano, e muitas vezes "infiltrada" e tendo colaboração de Maus Policiais de dentro das Corporações, realmente tornou-se um círculo vicioso que devemos e deveríamos estar discutindo e propondo melhorias e avanços a uma Instituição falida e quase em desuso, sendo somente "matéria" que até parece "paga" em "Jornalismo" marrom, talvez no intuito Governamental de Conter as Massas, o que entra campanha sai campanha existirá sempre um "Salvador da Pátria" de alega ter a "fórmula" de combater a Violência e sempre apontando para a "Violência" de Estado, vamos acabar com isto, e vamos parar de "fabricar" COVARDES que atacam uma Mulher em pleno Direito Constitucional de Votar e ser Votada, isto é mais "uma" mancha dos acontecimentos de Nosso Brasil e tem que ser apurado com Rigor, talvez pela PF externa para se evitar o sentimento de "corporativismo" local... maumau

  4. Poliana Postado em 23/Sep/2014 às 22:46

    Militares, como sempre, uns amores! Que linda corporação.

  5. Carlos Postado em 24/Sep/2014 às 02:39

    Milicias populares? Alguém estudou história? Nada que não possa piorar ao extremo, a classe média brasileira precisa se armar no futuro se esses partidos de extrema esquerda ganharem serão controlados por criminosos em poucos meses.

    • Bruno Postado em 24/Sep/2014 às 10:39

      Deixa de ser preconceituoso de associar partidos de esquerda a crime organizado filhote de ditadura!! Seus argumentos mostram os interesses de classe né!! E ainda tem a cara de pau de dizer que não há lutas de classes. Eu quero que a classe média se f$%¨&& seu coxinha!! Criminoso é você com seu mau caráter.

  6. André Curato Postado em 24/Sep/2014 às 05:00

    Trocar PM por milícias populares? Só sendo muito ingênuo ou muito mal intencionado pra apoiar isso. Quem viver, verá.

  7. Charles Postado em 24/Sep/2014 às 06:43

    PCO diz "constituição de milícias populares". Oi? Foi isso que lemos? Trocar a PM por grupos armados que não respondem ao estado? Formar grupos que poderiam derrubar o próprio estado e torná-lo uma ditadura de partido único?

    • Marcelo Postado em 24/Sep/2014 às 09:11

      Charles, quem derrubou o Estado em 64 mesmo?

  8. George Postado em 24/Sep/2014 às 09:02

    Nada justifica a agressão. Nem as idéias imbecis da candidata. Que o agressor responda pelos seus atos covardes.

  9. Roberto Postado em 24/Sep/2014 às 16:58

    Criação de milícias populares armadas??? Que ideia estúpida. Quer dizer que só porque não tem o militar no nome já mostra que seria uma coisa boa? Quem garante que os integrantes seriam melhores que os PM's? Isso me faz pensar no Iraque, onde milícias religiosas fazem horrores. Estou chocado com essa proposta. Acho esta senhora partidaria do "Dividir pra conquistar", dividindo a polícia em grupos a bandidagem domina. Daqui a pouco teremos a milícia evangélica deus é amor, a milícia evangélica do reino de deus, a milícia dos últimos dias? Essa turma de políticos brasileiros sempre inventando modas tolas. Quanto a terem lhe chamado de negra vagabunda, lembro que é muito fácil se fazer de vítima e acusar o outro lado de racista. Eu já vi falsas acusações acontecerem, então tem que provar. Esta na moda acusar com racismo, pois as pessoas de bem como nós não toleram esse tipo de coisa. Mas não confio em político. Na polícia militar existem muitos negros, e estes não tolerariam racismo, então não acredito que alguém pense que a polícia militar é racista. Racismo é burrice!! Temos muitos partidos, e isso não melhorou o Brasil, que tal voltarmos a ter apenas uma meia dúzia?