Redação Pragmatismo
Compartilhar
Religião 04/Sep/2014 às 17:12
27
Comentários

Aluno é proibido de estudar por usar 'trajes de candomblé'

Aluno é barrado e precisou trocar de escola por usar trajes de candomblé. Cientista social afirma que a atitude seria válida se símbolos de outras religiões também fossem proibidos

aluno candomblé escola
Estudante de 12 anos é barrado em escola por usar trajes de candomblé (Foto: José Pedro Monteiro / Agência O Dia)

Um aluno da Rede Municipal de Ensino teve que trocar de escola depois de ter sido, segundo sua família, impedido de frequentar as aulas por usar guias de candomblé sob o uniforme. X., de 12 anos, adotou a religião há cerca de dois meses. Como parte de sua iniciação, tinha que usar as guias durante três meses. Mas, segundo sua família, a diretora teria proibido o menino de entrar na unidade.

X. já não ia à Escola Municipal Francisco Campos, no Grajaú, há mais de um mês. Isto ocorria, segundo afirma a mãe dele, Rita de Cássia, porque a diretora havia avisado que não permitiria a presença dele usando guias ou quaisquer outros trajes característicos do candomblé.

VEJA TAMBÉM: Show de ‘Tecnomacumba’ é censurado e cantora lamenta

No dia 25 de agosto, o menino tentou voltar a frequentar as aulas, mas teria sido impedido, segundo a família. Com as guias por baixo da camisa do uniforme, além de bermuda e boné brancos, ele teria sido proibido de entrar na escola pela diretora. A alegação dela, segundo a família, foi de que X. estava usando roupas fora do padrão adequado.

A mãe do estudante disse que tinha conhecimento apenas de que o uso da camisa com o logotipo da prefeitura seria obrigatório. Segundo Rita de Cássia, outros alunos usavam boné, bermudas e calças de outras cores, além de tênis coloridos no dia em que o filho foi barrado: “A diretora colocou a mão no peito do meu filho e disse que ele não entraria com as guias, que estavam por baixo da camisa”.

VEJA TAMBÉM: Mães evangélicas boicotam vacinação de filhas contra HPV

Para o cientista social Paulo Jorge Ribeiro, da Uerj, a atitude seria válida se símbolos de outras religiões também fossem proibidos. “A grande questão não é se a escola permite ou não o uso de guias de candomblé, mas como a sociedade vai criar mecanismos para que todos os símbolos religiosos sejam expressos de forma igualitária”, disse o professor.

Para o pastor Marcos Gladstone, fundador da Igreja Cristã Contemporânea, a proibição pode ter sido motivada por regras da escola, como as que restringem o uso de acessórios: “Se for assim não vejo problema. Mas se foi por motivo religiosos, acredito que a escola deve ser laica e respeitar o credo de cada um”.

O Padre Lincoln Gonçalves, da Igreja de São Cosme e São Damião, no Andaraí, diz que o Estado laico tem a missão de preservar a fé. “A atitude que se vê nesse caso é muito mais de um Estado intolerante e ateu, que quer coibir os símbolos da fé. A Constituição determina que o Estado seja laico, e não ateu”.

Choro e constrangimento

Na tarde desta segunda-feira, o menino começou a frequentar outra escola municipal no Grajaú, sem ser incomodado por causa de suas guias e bermuda branca. A mãe dele afirma que X. ficou envergonhado e não quis mais estudar na antiga escola: ele se sentiu “julgado” pelos colegas e responsáveis que estavam no portão da escola quando foi proibido de entrar.

VEJA TAMBÉM: A menina Deusa de 12 anos do Nepal

Segundo a mãe, X. chegou a ficar três dias com febre e chorou copiosamente. O pai de santo Rafael Aguiar contou que após ser iniciado no candomblé, a pessoa, além de não poder pegar sol, precisa usar roupas claras, tapar a cabeça e usar as guias por um período de três meses: “A religião tem o seu simbolismo e suas tradições, que precisam ser respeitadas”.

O Dia

Recomendados para você

Comentários

  1. Pereira Postado em 04/Sep/2014 às 17:21

    "a atitude seria válida se símbolos de outras religiões também fossem proibidos" Como se os crucifixos não tivessem sido sumariamente abolidos de repartições públicas sob a alegação de estado laico. É a hipocrisia nossa de cada dia. E depois eles querem que eu leve o esquerdismo a sério.

    • Juliano Postado em 04/Sep/2014 às 17:29

      já viu alguém com um crucifixo no pescoço sendo barrado de entrar na aula? eu não.

      • KARINA BB Postado em 04/Sep/2014 às 17:48

        Nem falo mais nada sabe,ta muito dificil combater isso os fundamentalistas religiosos ainda vao acabar com esse pais,vejo q ja começou a guerra religiosa,vejo o Brasil mergulhado nesse tipo d coisa,vejo as pessoas nao se dando conta d que a guerra religiosa ja começou com o crescimento religioso,meu pai sempre diz q isso deveria ter sido combatido na raiz,la no inicio,agora vejo que é tarde demais................quer dizer q entrar com crucifixo no pescoço pode,escapulario,medalhinha,etc etc,mas guia d camdonble NAO PODEEE ,se fodse comigo eu invocaria a Constituicao na hora q é superior a qualquer lei existente no Brasil.

      • Edna Postado em 04/Sep/2014 às 23:45

        com crucifixo é normal o que não é normal utilizar simbolos de outras religioes como as de matriz africana que são tão discriminadas neste pais , é preciso combater esta intolerancia religiosa que paira no ar , sou professora de Ensino Religioso e quando ensinei sobre o Candomble ja tive pais na escola dizendo que estou ensinando macumba , o Brasil é um país laico logo devemos respeitar todas as tradiçoes religiosas , ninguem é obrigado a gostar mas respeitar é o principio básico, nas escolas públicas devemos ensinar todas as tradições e respeitar a diversidade religiosa , concordo com vc nunca vi ninguem ser barrado por utilizar um crucifixo

      • Maria Postado em 05/Sep/2014 às 10:49

        A pessoa é tapada mesmo ou só está se fazendo? O ESTADO não pode ostentar símbolos religiosos. O INDIVÍDUO tem todo o direito de expressar sua fé, desde que não agrida outrem...

      • Thaís Postado em 08/Sep/2014 às 09:31

        Eu também não, inclusive tinha uma aula de ensino religioso (católico) mesmo muitos alunos sendo de diferentes religiões...

    • poliana Postado em 04/Sep/2014 às 17:53

      como assim pereira?! em toda e qq vara judiciária, nas salas de audiências, acima do juiz tem a imagem de jesus cristo na cruz...n entendi de onde vc tirou essa proibição!

      • Silva Postado em 04/Sep/2014 às 18:07

        Poliana não ligue pro pereira ele é um asno em tempo integral.

    • Tadeu Postado em 04/Sep/2014 às 23:19

      Veja bem, crucifixos foram abolidos das das paredes das repartiçoes públicas, nao do pescoço de fincionárixs públicxs. Consegue perceber a diferença? E isso nao tem nada a ver com esquerdismo ou direitismo: é democracia.

    • eu daqui Postado em 05/Sep/2014 às 08:41

      Quem disse que crucifixos foram abolidos de prédios públicos?

    • Hell Postado em 06/Sep/2014 às 00:29

      Um novo filme será rodado no Brasil com o nome de "O Fantástico Mundo de Pereira!".

  2. Thiago Teixeira Postado em 04/Sep/2014 às 18:01

    Tá ... são regras da escola ... mas tem necessidade desse radicalismo? Será que essa onda de tentar prejudicar as pessoas, dizer NÃO a tudo, não ceder pra ninguém é praxe dessa nova sociedade preguiçosa e acomodada que gosta de ficar na zona de conforto? Relevar, compreender (não quer dizer vista grossa) é tão simples e sadio torna a nossa sociedade mais harmoniosa de se viver!

  3. Deisi Postado em 04/Sep/2014 às 18:15

    Se a crente fundamentalista ganhar a eleição, adeus Estado Laico, infelizmente é isso que vai acontecer, principalmente se o Malafaia mandar. Mais ainda se ela consultar sua roleta bíblica, como essa crente é iluminada.

    • Carlos Silva Postado em 04/Sep/2014 às 18:28

      Ah tá. Você não é fundamentalista ao utilizar estes termos para descrever uma neopentecostal? hahaha. Macaco senta no rabo e fala do dos outros.

  4. Daiane Gomes Pereira Postado em 04/Sep/2014 às 18:45

    A conduta acima mencionada enquadra-se no crime de racismo e ainda, na esfera cível, uma pomposa indenização do Estado por eventuais danos devidamente comprovados. Bela dor de cabeça essa diretora arranjou, hein!

  5. Jonas Schlesinger Postado em 04/Sep/2014 às 20:11

    Concordo com o padre. Isso foi uma atitude ateísta. E ateísmo já matou milhões vide Stalin que matou mais do que Hitler, seu colega de bar.

    • Jedilson Postado em 04/Sep/2014 às 21:17

      Amigo, Stalin matou milhares, não milhões, e em nome de um sistema político-econômico, não por causa de religião. Sugiro mais atenção ao interpretar fatos históricos disseminar informações que não condizem com a realidade.

    • Armando (Porto Alegre) Postado em 05/Sep/2014 às 00:10

      Isto é uma estupidez. A diretora que barrou o rapaz não era atéia, pois se o fosse pouco lhe importaria se o rapaz estivesse usando um crucifixo, guias ou outro símbolo ou adereço qualquer que remeta a uma crença religiosa. Stalin matou muitos comunistas, mas não foi por causa de religião. Porém, atrás de muitas guerras do passado e atuais, estão sim, conflitos de natureza religiosa, e não somos nós os ateus que o dizem, são religiosos. Chega de culparem os ateus pelas estultices dos outros. Ser ateu não é desdenhar das crenças dos outros, é somente não acreditar e não seguir um deus.

    • Armando (Porto Alegre) Postado em 05/Sep/2014 às 00:20

      Há uma confusão no argumento do padre citado no texto: Um estado laico não tem que preservar a fé coisa nenhuma. O estado laico não se envolve com fé. O estado laico tem é que preservar os direitos fundamentais dos cidadãos, e como está inscrito na constituição que a pessoa tem o direito de professar um fé e ninguém pode obstar este direito, cabe ao estado garantir este direito. Unicamente isto: todos são livres para acreditar em quantos deuses quiserem, de zero a milhões e este direito está garantido constitucionalmente.

    • eu daqui Postado em 05/Sep/2014 às 08:42

      Teísmo já matou mais do que ateísmo. E negros matam tanto quanto brancos.

    • Hell Postado em 06/Sep/2014 às 00:32

      Putz... Esse Jonas e esse Pereira deveriam se casar e ter família. É um mais imbecil que o outro, foram feitos um para o outro, kkkkkkkkkkkkk!!!

      • silva Postado em 08/Sep/2014 às 20:56

        Concordo plenamente com você Hell.

    • KARINA BB Postado em 09/Sep/2014 às 11:33

      Jonas vc e muitos precisam entender q o ateu nao acredita em nenhum deus ou divindade e tambem crê na finitude da vida MORREU ACABOU, O ATEISMO nao e uma religiao,eles simplesmente se associam pra combater o preconceito e exigir respeito e o direito d nao acreditar em deuses,assim como os homossexuais tb se associam pra exigir direitos iguais ja que pagam impostos e estao sujeitos às mesmas leis q os heteros,o medico drauzio varella é ateu e ele conta q uma d suas pacientes disse lhe uma vez ,poxa dr drauzio o sr é ateu,mas eu lhe considerava tanto,o sr parecia ser tao bom,honesto e humano, que decepçaocomo pode o sr nao crer em deus

  6. Rodrigo Postado em 05/Sep/2014 às 11:39

    (Outro Rodrigo) Sou católico e, ao ver católicos outros, bem como evangélicos, espíritas, umbandistas etc. a desrespeitar a Fé alheia, inicialmente questiono: Jesus era católico? Ou era judeu? Mesmo porque, por uma questão lógica, quem fundou o cristianismo foi Pedro (a pedra em cima da qual iria ser edificada a Igreja). Então Jesus, para os religiosos que o seguem, não pode ser visto como um objeto de apropriação, livremente usado e distorcido para a agressão ao outro. Ao contrário, quem se diz d'Ele seguidor tendo de professar o amor, o respeito e a fraternidade que Ele tanto nos ensinou (afinal, resumiu os 10 Mandamentos a 02, um dos quais sendo "amai ao próximo como a ti mesmo" - se você preza o respeito, o amor, a caridade para contigo, excerça-as para com o próximo, pois). Ainda, não pode ser tolerado mesmo o desrespeito ao direito do ateu de não professar credo algum, este, o ateu, também não tendo o direito de desrespeitar a Fé alheia, posto que também decorre da liberdade de culto em nossa Constituição; não é a religião que nos faz melhor, posto não ser ela, um fim em si mesmo que prontamente altera nosso caráter e exclui nossa autodeterminação (a princípio, pois alguns teimam em sentido contrário), de modo que ser religioso, como mero título, nada altera. Então, se o menino, como profissão de sua fé, usa diariamente as guias que o Orixá/Mãe de Santo/Pai de Santo, deixem-no em paz, acolham-no e respeitem-no, sendo algumas das lições, pois, que uma escola deve a ele passar, bem como aos demais alunos – o caráter sócio-pedagógico do ensino está sendo anulado, no presente caso. Como sempre digo, enquanto o ser humano persistir em usar a religião, a filosofia, a política etc. como meios de exclusão de terceiros, mas não de agregação, como mero meio de alcance de poder, persistiremos no quadro excludente e discriminatório de sempre.

    • poliana Postado em 05/Sep/2014 às 20:05

      adorei seu comentário "outro" rodrigo. parabéns!

      • Rodrigo Postado em 06/Sep/2014 às 08:59

        (Outro Rodrigo) Obrigado, Poliana. É realmente pra ficar indignado, alguém usar o nome de Deus para difamar, discriminar, excluir o outro, especialmente a criança, que é quem deve ser incluída, sempre, em uma escola e na sociedade. Fazer isso é negar tudo o que diz seguir. De outro lado, algo que me deixa feliz é a mútua convivência que vejo aqui na Bahia, mais especialmente em Salvador - em que pese muitos,ainda interpretando/distorcendo as lições de Deus e Jesus ao seu particular interesse, torçam o nariz, tantos outros há a dar uma grande lição de, no mínimo, tolerância, respeito ao próximo, em festas de largo como a do Senhor do Bonfim. E aproveito aqui para parabenizar a então Vereadora Maria Olívia Santana (PC do B), que, em 2007, propôs e viu aprovado o Dia Municipal da Tolerância Religiosa, em Salvador - anualmente vêm se reunindo, no dia 21 de janeiro, representantes do candomblé, espiritismo, judaísmo, islamismo, budismo, hare krishna, além de testemunhas de Jeová, católicos e evangélicos da Igreja Universal do Reino de Deus, Assembléia de Deus e Igreja Batista. Que, pois, saibam levar as lições e reflexões desse dia para os demais dias do ano. Abraços e bom fim de semana, Poliana.

  7. dafner Postado em 05/Sep/2014 às 14:48

    País laico meu ovo!!! Absurdo!!