Redação Pragmatismo
Saúde 12/Sep/2014 às 20:07
6
Comentários

165 médicos cubanos irão combater o Ebola na África

Cuba enviará 165 profissionais da saúde para combate ao Ebola na África. Diretora geral da Organização Mundial de Saúde (OMS) disse que se trata do "mais importante" envio de especialistas à região

ebola áfrica médicos cubanos
Médicos cubanos foram convocados por “sua longa história de solidariedade” para ajudar a combater o ebola na África (Pragmatismo Político)

A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou nesta sexta-feira (12/09) que o governo cubano enviará 165 profissionais de saúde para lutar contra o ebola na África Ocidental, incluindo médicos, enfermeiras, epidemiologistas e especialistas em controle de infecções.

“Por sua longa história de solidariedade, Cuba foi um dos países aos quais a OMS e o secretário geral da ONU, Ban Ki-moon, pedimos apoio para enfrentar este surto”, disse a diretora geral da OMS, Margaret Chan, em declarações à agência cubana Prensa Latina.

VEJA TAMBÉM: A covardia da indústria farmacêutica diante do Ebola

Este grupo, que estará concentrado, incluirá também especialistas em terapia intensiva e agentes de mobilização social. “Isto fará diferença em Serra Leoa”, sustentou Chan.

“Se vamos à guerra contra o ebola, precisamos de recursos para lutar”, disse Chan após o anúncio da colaboração de Cuba, que classificou como o envio “mais importante” de especialistas para a região. Segundo ela, esta contribuição em recursos humanos é “extremamente generosa” da parte do governo cubano e será muito valiosa para conter “o pior surto de ebola vivido até agora”.

A brigada de 165 colaboradores de saúde, formada por 62 médicos e 103 enfermeiras, todos com mais de 15 anos de profissão e experiência em situações de desastres naturais e epidemiológicos. Eles serão enviados a Serra Leoa na primeira semana de outubro e permanecerão ali por seis meses, como informou o ministro da Saúde cubano, Roberto Morales Ojeda.

Combate à epidemia

A epidemia de ebola já provocou mais de 2.400 mortes em países da África Ocidental, 509 delas em Serra Leoa, desde a aparição do vírus no começo do ano, como informou hoje a OMS. Mais de 4.700 pessoas estão infectadas.

SAIBA MAIS: A hipocrisia e o silêncio dos críticos do Mais Médicos

A organização estima que ainda faltem 500 médicos e enfermeiros estrangeiros e cerca de mil profissionais dos países afetados para atuar no combate à epidemia. Também são necessários recursos materais e centros de tratamento nos países atingidos.

A China anunciou hoje que enviará um pacote de ajuda humanitária no valor de US$ 32,5 milhões para os países afetados e organizações internacionais que ajudam no combate ao vírus.

Opera Mundi

Recomendados para você

Comentários

  1. Jonas Schlesinger Postado em 12/Sep/2014 às 21:05

    Gostei da decisão da Cuba. Sei que os profissionais de saúde são capacitados nessa ajuda humanitária. Só que o risco de não sair vivo de Serra Leoa é realístico. São como Kamikazes da saúde. Ou seja podem contrair a doença e morrerem. Enfim coragem à todos eles que pisarão nestas terras de Serra Leoa, Guiné, Libéria e essas adjacências que se chama Africa Ocidental.

  2. poliana Postado em 12/Sep/2014 às 23:25

    e agora, o q os críticos dos médicos cubanos vão falar? será q eles n tem mesmo preparo pra exercerem a profissão no brasil pq n foram submetidos ao revalida?! o q vcs tem a dizer sobre essa matéria coxinhas?!qtos médicos brasileiros estão na africa lutando pelo combate ao ebola?

  3. Aristóteles Postado em 13/Sep/2014 às 08:42

    Já que ninguém se manifestou, ainda, com relação a esse ato de extrema solidariedade, eu o faço: OBRIGADO, CUBA!

  4. Reinaldo Soares de Souza Postado em 14/Sep/2014 às 15:24

    Com a palavra o Conselho Federal de Medicina no Brasil.

  5. Felipe P Postado em 14/Sep/2014 às 16:35

    Parabéns, Cuba.

  6. Giba Postado em 15/Sep/2014 às 10:02

    Queria ver se iriam os pastores, que dizem que curam tudo, mas não. Vão esses guerreiros humanos, treinados para ter fé na HUMANIDADE!!!