Redação Pragmatismo
Compartilhar
Racismo não 03/Aug/2014 às 01:27
38
Comentários

Vídeo contra cotas raciais da Folha gera críticas e divide opiniões

Folha utiliza a modelo Carol Prazeres para se posicionar oficialmente contra as cotas raciais. Movimentos negros criticam campanha

folha cotas raciais
“A Folha é contra as cotas raciais” (Reprodução/Vídeo)

Jarid Arraes, questão de gênero

Na última sexta-feira (1º), a Folha de S. Paulo publicou um vídeo expondo sua opinião sobre o sistema de cotas raciais no Brasil. Intitulado “Sistema de Cotas: o que a Folha pensa”, a peça declara posicionamento contrário à medida usando a modelo Carol Prazeres como interlocutora.

Para Marjorie Chaves, mestra em Estudos Feministas e de Gênero pela Universidade de Brasília (UnB) e doutoranda em Política Social pela mesma instituição, o vídeo foi bem estudado e não possui propósitos democráticos. “Mesmo com o argumento de que publica opiniões contrárias, [a Folha] privilegia as opiniões contra a toda e qualquer política de promoção da igualdade racial. Além disso, não colocou uma mulher negra na campanha à toa, podia ser um homem negro. Mas nós fazemos parte do contingente que mais ingressou em universidades públicas nos últimos anos, a Folha sabe disso. A ideia é a de que recuemos em nossas conquistas. É uma campanha cínica, inescrupulosa”.

VEJA TAMBÉM: Por que me tornei a favor das cotas para negros

Para outras ativistas, a publicação pode ter um lado positivo. “Confesso que não acho ruim a Folha se manifestar contrária às cotas, mesmo tendo o STF entendido que as cotas são legais”, pondera Juliana Coutinho, militante negra dos movimentos negro e feminista. “Enquanto editorial, que seja respeitado o direito de liberdade de expressão. E para a sociedade, especialmente para a militância negra, a vantagem, sinceramente, é o jogo limpo. O pequenino jornal mostra a que veio, jogando fora a máscara de imparcialidade hipócrita usada pra vender periódicos com a etiqueta de grife ‘somos imparciais’”, finaliza.

O vídeo contrário às cotas raciais faz parte de uma série que pretende expor o posicionamento do jornal sobre “temas polêmicos” e já falou a respeito de questões como aborto, drogas e voto obrigatório.

Recomendados para você

Comentários

  1. Denisbaldo Postado em 03/Aug/2014 às 04:42

    A maioria irá vencer, é assim que funciona a democracia. Não interessa se é esquerda ou direita, o que interessa é que vença o melhor para o povo brasileiro sofrido e miserável, massacrado pela ganância que impera neste país por séculos. Sou branco e as cotas não me incomodam. O Brasil é um país rico por natureza, a evolução neste século é algo natural. Vivemos na era da comunicação da velocidade da luz, o passado já era. Todos queremos a mesma coisa, um futuro justo e igual para todos. Não estamos em guerra, estamos evoluindo.

    • Simone Postado em 04/Aug/2014 às 10:37

      Esquerda? Do que você está falando? Não há governo de esquerda neste país.

    • Dudu Elado Postado em 04/Aug/2014 às 11:42

      Democracia não é a imposição da vontade da MAIORIA sobre a MINORIA e sim a convivência pacífica entre todos, MAIORIAS e MINORIAS. Não é FLA vs FLU são inúmeros interesses em jogo e não importa quem vença esses interesses terão que ser contemplados.

    • eu daqui Postado em 04/Aug/2014 às 13:18

      Não nos esqueçamos que interesses devem ser limitados por legalidade e permeados por valores. Do contrário, trata-se de sistema psicopatico e não democrático.

  2. Thiago Teixeira Postado em 03/Aug/2014 às 09:12

    Sou negrão (afrodescendente acho um termo muito Globo), ingressei na universidade pública em 1999 sem Cotas e sem ENEM. Fui uma exceção, pois na minha turma de 70 alunos, tinha 3 "moreninhos", incluindo eu. Era uma moça de SP e outro de Salvador, ambos da classe média alta. Fui contra as cotas desde o início pois achava que o mercado cobraria o preço de todos os formandos e poderia afetar injustamente aqueles que estudaram de igual para igual com os bisnetos da casa grande. Tipo: "precisa-se de engenheiros, não cotista será um diferencial". Hoje me afeta muito isso, sofro uma discriminação disfarçada na minha área pois tradicionalmente a figura de um engenheiro na cabeça das pessoas é aquele cidadão de cabelos grisalhos, branco, limpinho e com capacete impecável. Numa discussão acalorada com um fiscal de governo, conservador, e que não escode a insatisfação da minha escolha pela construtora para gerir a obra, chegou a fazer piadinhas comigo em relação a eu estar ali por motivo de cotas. Corri para o escritório, imprimi o meu diploma e precisei esfregar na cara dele: "Leia aqui seu babaca, ingresso Via VESTIBULAR, Uso do ENEM=NÃO". Depois desde ocorrido cheguei a cogitar na universidade se era possível tirar segunda via e destacar no diploma "Não cotista". Mas hoje sou a favor das cotas depois de ouvir o depoimento dessa elite conservadora, que é contra por motivos muito mesquinhos, como esse da Folha. Lembrando que no vestibular de 1999, pelo menos na escola onde fiz a prova, não tinha sequer 1% de negros circulando nos corredores, em paralelo com as Cotas é preciso ainda quebrar esse conceito na cabeça das pessoas com o jargão: "Isso não é pra mim". Quanto a essa atriz do vídeo, faz parte da tática tucana, utilizar pessoas do próprio seguimento para formar opinião. "Sou Negro e sou contra as cotas". "Sou amazonense e sou contra a Copa em Manaus". "Sou nordestino e sou contra a Transposição" etc.

    • Daniel Postado em 04/Aug/2014 às 15:40

      Legal! Esse é o motivo que eu tenho para defender as cotas também.

  3. André Postado em 03/Aug/2014 às 10:54

    Enquanto isso, governos e prefeituras não se esforçam para fazer o principal: melhorar a qualidade do ensino básico. Enquanto existir esse sistema covarde de aprovação automática, ainda teremos jovens na 5ª série sem saber ler.

  4. Denisbaldo Postado em 03/Aug/2014 às 12:03

    Concordo, mas só há um problema: como ter certeza de que não existe fraude? Sim, porque uma pessoa pode se declarar pobre e na verdade não ser. Você se esquece que estamos no Brasil, onde a "Lei de Gerson" impera. Mas se a maioria dos negros são pobres e excluídos (não tente tapar o sol com a peneira por favor) então essa política é eficiente. Não há sistema perfeito, há sim o melhor sistema, e este ainda parece ser o mais razoável.

    • Denisbaldo Postado em 05/Aug/2014 às 13:04

      Muita coisa no Brasil é só querer, mas quem quer???. Todas as situações citadas por vocês são possíveis de fraudes. É só você falsificar documentos e provará o que quiser. Já pensaram nisso? Falsificar documentos? Agora falsificar a cor da pele é mais difícil não é?

    • Edimilson Postado em 05/Feb/2015 às 15:19

      Naro Solbo, você dever ser estelionatário né? Seus argumentos são bastante convincente.

  5. Denisbaldo Postado em 03/Aug/2014 às 12:12

    A esquerda e a direita se complementam. Por que não defendermos a livre iniciativa com direitos sociais e distribuição de renda? Você já ouviu falar da França, Noruega, Dinamarca, Suécia, Estados Unidos, Alemanha? Defender as lutas da esquerda não é defender o socialismo de Cuba e União Soviética também. Se você for empregado tenho certeza que gosta do 13o. salário, férias remuneradas e seu INSS recolhido. São conquistas da esquerda, ou você acha que na revolução industrial (liberalismo clássico) isso existia? Você acha que os patrões simplesmente decidiram dar isso a seus empregados porque eram bonzinhos ou foram batalhas intensas dos empregados que as conquistaram?

  6. Denisbaldo Postado em 03/Aug/2014 às 14:01

    Baseado em quê você diz que a nossa esquerda é bolivariana? Qual a sua referência, quais dados e características que você poderia exemplificar para dar consistência a sua afirmação? A toda hora ouço pessoas afirmando que estamos nos transformando em uma Venezuela, mas nunca explicam em que ponto, onde exatamente. Somente fazem afirmações no vazio. Pelo que me consta o Brasil não pratica a política venezuelana. Somos um país aberto economicamente a todas as nações, temos liberdade de expressão, temos direito à herança, à propriedade privada, à livre iniciativa. A maioria esmagadora dos estrangeiros que por aqui passaram durante a Copa (1 milhão aproximadamente) amaram o nosso país, foram bem tratados e nada demais aconteceu. Outra coisa, comparar a economia do Chile com a do Brasil é o mesmo que comparar a Dolly com a Coca-Cola. Somos um país muito maior e muito mais rico, o nosso crescimento é muito mais complexo do que um país com menos de 20 milhões de habitantes. Temos problemas seculares que levarão décadas para serem solucionados, e com certeza não será pela direita deste país que o contaminou por 500 anos com sua arrogância, preconceito, discriminação e corrupção.

    • Deisi Postado em 03/Aug/2014 às 15:44

      Denisbaldo comentário perfeito! nada mais à acrescentar.

    • Luiz Postado em 04/Aug/2014 às 12:31

      Comentário compatível com o crânio: "Minduim"!

    • Denisbaldo Postado em 05/Aug/2014 às 13:07

      Já que disse besteira por que você não me explica o que temos de Venezuela em nossa política??? Esse é seu argumento?

  7. poliana Postado em 03/Aug/2014 às 14:59

    gente, é impressão minha ou vídeo teve apenas 26 seg? nossa, q debate rico!!!!! ajudou a moldar o meu posicionamento a respeito! o q esperar da folha de sp??????????

    • Thiago Teixeira Postado em 03/Aug/2014 às 21:11

      Debate não está no dicionário dos reacionários. A folha é contra as cotas? Já basta. Folha é direita, somos de direita, logo, somos contra as Cotas. Morte ao afro-coitadismo!!!!!!!!!

      • eu daqui Postado em 04/Aug/2014 às 13:23

        E morte ao eurovitimismo também. E viva o Trabaloh e a Justiça.

  8. Rita Merlino Postado em 03/Aug/2014 às 17:52

    Foda-se se a Folha é contra !! As cotas são justas e devem ser cumpridas, é lei!!!!

    • Mateus Postado em 03/Aug/2014 às 19:18

      As cotas são justas kkkkkkkkkkk, racismo justo?

    • eu daqui Postado em 04/Aug/2014 às 13:25

      A lei não pode me impedir de ter opinião própria. A função da lei no estado de direito é garanti-lo e não ameçá-lo.

  9. Yrae Postado em 03/Aug/2014 às 19:27

    Contra fatos não há argumentos. As cotas raciais são justas.

    • Pedro Postado em 04/Aug/2014 às 04:19

      As cotas são legais, é diferente. A questão é que cota racial é um tiro no pé tremendo. Sou a favor de cotas mas socioeconômicas. Se for para realmente fazer uma reparação histórica para os menos afortunados desse Brasil, que sejam os pobres os beneficiados, independente de cor da pele, que, alias, nem é critério e é uma falácia tremenda essa de "compensar os erros da escravidão".

      • Luiz Postado em 04/Aug/2014 às 12:40

        Tens razão Pedro, não haverá compensação. O correto seria desapropriar todas as famílias que de algum modo se beneficiaram da exploração criminosa da promovida pela escravidão. Até lá, nestes 500 e poucos anos de barbaridades, estas são as PRIMEIRAS iniciativas para promover tal revolução cultural.

      • Gisele Postado em 04/Aug/2014 às 19:20

        Ótima resposta Luiz, quem vai ceder vaga no concurso ao negro para compensar a escravidão não será alguém que necessariamente se beneficiou dela, mas vai pagar a conta. Sou contra a cota racial por isso mesmo, não sou negra nem branca mas minha origem é pobre, estudei a vida toda em escola pública e consegui passar no concurso público e não acho que um negro que tirasse a mesma nota que eu merecesseria passar na minha frente. Quem acha que isso é justo é porque não vai sofrer as consequências.

      • J Wilson Postado em 25/Aug/2014 às 15:36

        Pedro, Você poderia desenhar cotas só-cio-e-co-nô-mi-cas e por consequências listar os maiores beneficiados ?

    • eu daqui Postado em 04/Aug/2014 às 13:25

      Vamos ver oque o que o tempo dirá.........

  10. José Ferreira Postado em 04/Aug/2014 às 00:20

    A modelo não é negra, é mulata. É possível ver que ela tem pelo menos um avô branco. É louvável que uma pessoa que poderia usar as cotas por ser afrodescendente (também) mostre que tem posição é não é influenciada por grupos afrorracistas. Há uma péssima mania no Brasil de "construir uma casa pelo telhado", e o pior é que quem paga a conta é aquele que faz o seu vestibular e o seu concurso sem ter se beneficiado pelo regime escravocrata. No dos Renans, Sarneys e Collors ninguém toca.

    • Luiz Souza Postado em 29/Aug/2014 às 14:18

      Certo, a modelo seria um animal híbrido segundo sua classificação. Eu não sei o que ela é pois não a conheço e não perguntei a ela. O tempo de os senhores classificarem os outros já passou.

  11. Jorge Postado em 04/Aug/2014 às 10:30

    Minduim...isso me lembra o Charles Brown......"A História mostrou que onde reina a liberdade existe justiça social." Frase idiota: a justiça social, como mostra a mesma história, só foi conseguia a troco de revoluções, com o povo salvando o próprio povo! JAMAIS a burguesia vai, gentilmente e graciosamente, dividir algo com alguém! A esquerda democrática chilena (sabe-se Deus o que isso realmente quer dizer!) foi massacrada no governo anterior ao que foi eleito agora, e só não fizeram lá mais contra o povo por pressões de nossa "esquerda bolivariana", que bateu forte no Chile, sempre tão americanizado. Mas, como disse, é a questão do Charlie Brown: sempre tão bonzinho e compreensivo....

  12. Ana Cordeiro Postado em 04/Aug/2014 às 12:18

    Chegamos então ao ponto: o que é liberdade? Assim, convenhamos, onde tem negro - EUA, Brasil, etc - e imigrantes - paises mais ricos -, não existe liberdade porque nesses lugares não existe justiça social. Os pobres são, na grande maioria, negros, imigrantes latinos ou africanos.

  13. eu daqui Postado em 04/Aug/2014 às 13:22

    A História mostrou e mostra que onde não existe justiça não há liberdade.

  14. Ankh Postado em 04/Aug/2014 às 16:27

    Meu avô me contava, quando eu era criança, sobre os relatos de sua avó enquanto escrava. Daí vem minha dúvida, segundo esse argumento de dívida histótica, teria eu, considerada branca, porém pobre, filha de pai pardo, direito a essa indenização também? Ou minha pele clara é, por si só, um passaporte para a elite? Sou a favor das cotas socias....

  15. carlos Postado em 05/Aug/2014 às 18:01

    Escuta, qual é o problema de um negro ser contra as cotas raciais? Esse papo de um grupelho estabelecer o que é politicamente correto e apontar o dedo pra quem não entra na onda é de uma intolerância que dá nojo.

  16. Fernando Postado em 06/Aug/2014 às 13:06

    Gostaria de perguntar aos críticos das cotas se eles conhecem, de fato, o sistema criado pelo governo.

  17. Luiz Souza Postado em 29/Aug/2014 às 03:55

    Meritocracia, coitadismo, apedeuta, esquerda caviar, Foro de São Paulo, etc. Que os conservadores (de privilégios) são teleguiados por uma minoria de "pensadores" da mídia a gente já sabe - usam as mesmas palavras, o mesmo estilo. O fato de não pensarem por conta própria não lhes dá o direito de impor aos que pensam o que devem ou não fazer. Se eu quiser lutar por cotas ou por uma república bolivariana [?!] eu lutarei. É meu este direito. Para que saibamos a escumalha que luta contra nós, contra os pretos, a Folha ajudou a derrubar um governo legal e democraticamente constituído, com o mesmo macarthismo de boteco infundado que neobobos do ano 2000 tentam emular. Cotas já, reforma agrária já, terras e capacitação para haitianos e bolivianos já.

  18. Luiz Souza Postado em 29/Aug/2014 às 04:07

    Graças ao gigante Salvador Allende ou ao bandidão comparsa de Margaret Thatcher?

  19. poliana Postado em 05/Aug/2014 às 16:09

    chamar o pessoal simpatizante do pt de "esquerda caviar" pode, mas lhe chamar de coxinha não pq é ofensa né???!!! hummmmmmm