André Falcão
Colunista
Compartilhar
Eleições 2014 28/Aug/2014 às 22:39
1
Comentário

Se correr o bicho pega, se ficar...

marina silva eduardo campos

André Falcão*

É nessa sinuca de bico em que se encontra o principal “partido” de oposição do país: a chamada grande imprensa. Explico:

Quando da tragédia de que foi vítima o então candidato à presidência da república, Eduardo Campos, percebeu-se na mídia grande, às escancaras, um incontido rebuliço no sentido, de um lado, de sondar o mais rapidamente possível a tendência do eleitorado na hipótese de Marina Silva ser alçada pelo PSB à candidata do partido no lugar de EC (no dia seguinte ao desastre aéreo, o jornal Folha de São Paulo já estava nas ruas realizando pesquisa para esse fim) ― e se esta também seria a sua vontade (à época presumida, mas não confirmada) ―, enquanto, de outro, mais do que torcida, uma indisfarçável pressão sobre o próprio PSB, além de incontestável tentativa de cooptação popular em favor da então candidata a vice-presidente, fundada na exploração da emoção e, mesmo, comoção que se seguiu ao triste ocorrido (não se olvide que a comoção que se viu também ela foi propositadamente turbinada pela própria cobertura midiática deflagrada imediatamente após confirmada a presença de Eduardo Campos no avião).

Leia aqui todos os textos de André Falcão

Ocorre, porém, que Marina Silva não passa de instrumento caído no colo da mídia grande para levar a disputa eleitoral para o segundo turno. Aposta-se nela para ajudar a tirar do poder o PT e seus aliados (não se enganem, porém: não a querem, tampouco).

*André Falcão é advogado e autor do Blog do André Falcão. Escreve quinzenalmente para Pragmatismo Político

Recomendados para você

Comentários

  1. ademar Postado em 04/Sep/2014 às 15:20

    O que não se esperava é que Marina tivesse esse um crescimento tão vigoroso nas intenções de voto, o que parecia ser uma ameça em tirar Aécio do segundo turno, este já está fora definitivamente, se transformou em ameça verdadeira a reeleição de Dilma, aliás, acho que a pergunta se inverteu: Será que Dilma ainda tem chances???