Redação Pragmatismo
Compartilhar
Ditadura Militar 06/Aug/2014 às 16:35
1
Comentário

Neto de Avó da Praça de Maio reaparece após 36 anos

Desaparecido há 36 anos, neto de líder das Avós da Praça de Maio é encontrado. Guido Carlotto, neto de Estela de Carlotto, nasceu em cativeiro em 1978. Sua mãe, Laura Carlotto, foi detida grávida durante a ditadura militar

Estela de Carlotto avó praça maio
Estela de Carlotto, líder das Avós da Praça de Maio (divulgação)

A presidente das Avós da Praça de Maio, Estela de Carlotto, encontrou nesta terça-feira (05/08) o neto após 36 anos de busca. O neto foi encontrado na cidade de La Plata é filho de Laura Carlotto, desaparecida durante a ditadura militar na Argentina. O neto 114 foi identificado há poucas horas.

O neto, que hoje tem 36 anos, realizou voluntariamente o exame de DNA, como informou seu tio, o secretário de Direitos Humanos de Buenos Aires, Guido Carlotto. “Estamos muito felizes pela notícia. Por questões legais, só podemos dizer que se trata de um músico e fez o teste voluntariamente”.

VEJA TAMBÉM: A “lista secreta” de artistas e intelectuais da ditadura argentina

Laura Carlotto foi sequestrada em 1977 e estava grávida de três meses. De acordo com testemunhas, a jovem estudante de História da Universidade Nacional de La Plata foi mantida no centro clandestino de detenção La Cacha, em La Plata, até dar a luz no Hospital Militar de Buenos Aires no dia 26 de junho de 1978.

A importância das Avós de Maio

A Associação Civil Avós da Praça de Maio é uma organização não-governamental, que tem por intuito localizar e retornar às famílias legítimas todas as crianças desaparecidas em sequestros pela ditadura militar argentina. A ideia é, também, criar as condições para prevenir que esses crimes voltem a ocorrer., exigindo castigo e punição aos responsáveis.

De acordo com estimativas da ONG, durante o regime militar, as autoridades se apropriaram de pelo menos 500 bebês, muitos deles nascidos em centros de torturas, hospitais militares e delegacias. Em 12 de maio de 2008, foram nomeadas ao Prêmio Nobel da Paz.

Opera Mundi

Recomendados para você

Comentários

  1. Thiago Teixeira Postado em 06/Aug/2014 às 18:19

    Ué? Cadê o comentário dos reacionários de plantão? Não é a esquerda comunista que é assassina?