Redação Pragmatismo
Compartilhar
Copa do Mundo 02/Jul/2014 às 09:49
0
Comentários

O 'super-homem' que invadiu o jogo entre EUA x Bélgica

Mario Ferri, que invadiu a partida entre Bélgica e EUA, já apareceu nos gramados da Copa do Mundo da África do Sul e do Mundial de Clubes de 2010

homem invade campo copa do mundo
Quem é o super-homem que atacou de novo na Copa do Mundo?

Eram 16 minutos do primeiro tempo quando a partida entre Estados Unidos e Bélgica, pelas oitavas de final da Copa do Mundo, teve a passagem nada ilustre do Superman, ou pelo menos um torcedor vestido como tal.

Tratava-se do italiano Mario Ferri, que já há quatro anos aterroriza os seguranças dos estádios com diversas invasões, sempre com a camiseta do personagem norte-americano.

O italiano entrou no estádio com uma credencial de fotógrafo, segundo o La Gazzetta Dello Sport, e conseguiu driblar os seguranças da Arena Fonte Nova para pular a arquibancada que fica atrás do banco de reservas.

Conhecido como “Falcão”, Ele entrou no campo vestindo a camiseta azul e as frases “Salvem as crianças da favela” (escrita em inglês) e “Ciro Vive”.

Esta última seria uma homenagem ao torcedor do Napoli Ciro Esposito, que morreu após ser baleado em uma briga nos arredores do Estádio Olímpico de Roma, segundo a agência de notícias italiana ANSA.

Em uma mensagem de texto enviada a um jornalista da ANSA, Ferri contou que a invasão é dedicada ao “sofrido povo brasileiro e ao falecimento prematuro de um rapaz inocente”.

Na última Copa, na África do Sul, o Falcão resolveu deixar a sua marca na semifinal entre Alemanha e Espanha. O jornal The Guardian conta que, decepcionado com a eliminação precoce da Itália na primeira fase, Ferri invadiu a partida com “Lippi, eu te avisei” na camiseta (Marcello Lippi era o técnico da seleção italiana na época).

Apesar de ter saído livre da invasão do Mundial de 2010, o final do ano não foi muito feliz para Ferri.

O torcedor foi preso pelas autoridades dos Emirados Árabes após invadir o gramado da final do Mundial de Clubes da Fifa, entre o Inter de Milão e o Mazembe.

Na ocasião ele carregava a mensagem “Libertem Sakineh”, uma iraniana que na época estava sendo condenada à morte por apedrejamento.

No Brasil, o italiano deverá responder por infração ao artigo 41-B do Estatuto do Torcedor: “invadir local restrito aos competidores em eventos esportivos”.

Em um outro caso de invasão na Copa, o alemão Benedikt Ballardt teve que pagar uma multa de R$ 900 ao Hospital do Câncer e teve uma semana para deixar o país. O torcedor entrou no campo da Arena Pernambuco durante o jogo entre EUA e Alemanha.

Exame

Recomendados para você

Comentários