Redação Pragmatismo
Compartilhar
Mundo 23/Jul/2014 às 13:35
9
Comentários

MH17: EUA voltam atrás em denúncias contra a Rússia

Denúncia dos EUA contra a Rússia vai se desfazendo no ar, e autoridades americanas dizem não ter provas que liguem Rússia à derrubada de avião da Malaysia Airlines

separatistas pró-rússia mh17
Separatistas pró-Rússia fazem guarda para inspetores internacionais que investigam queda do avião MH17 (Divulgação)

Oficiais do alto escalão do serviço de inteligência dos Estados Unidos afirmaram nesta terça-feira (22/07) que não há provas evidenciando a participação do governo da Rússia na derrubada do Boeing-777 da Malaysia Airlines, há uma semana.

Para os agentes norte-americanos ouvidos sob anonimato pela agência AP, a aeronave comercial com 298 pessoas a bordo foi abatida por um míssil terra-ar modelo SA-11 disparado por membros do grupo separatista pró-russo — provavelmente “por engano”, segundo crê um dos oficiais.

A hipótese de erro humano por parte dos separatistas é apoiada no retrospecto recente do conflito: 12 aeronaves militares ucranianas foram abatidas recentemente na região pelos grupos anti-Kiev, segundo dizem os oficiais.

VEJA TAMBÉM: Os mistérios do “atentado” ao voo MH17

Conforme relata a AP, o serviço de inteligência dos EUA continua a acreditar que Moscou “criou as condições” que levaram ao incidente. No entanto, não há qualquer evidência da participação direta de Moscou: não há notícia da presença de militares russos durante o lançamento do míssil ou informações sobre treinamento oferecido pela Rússia para a equipe que disparou o projétil.

Um dos funcionários do governo norte-americano disse ainda que os EUA não sabem nem o nome nem a posição do autor do disparo — “nem estamos 100% certos de que haja uma nacionalidade”. Segundo ele, os EUA não têm a pretensão de chegar a conclusões definitivas que esclareçam o evento.

Caixa-preta

Após as caixas-pretas serem entregues pelos separatistas às autoridades malaias, o primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, afirmou hoje que o material também será analisado por uma equipe britânica especializada em acidentes aéreos.

“Aceitamos o pedido da Holanda para que os investigadores de acidentes aéreos de Farnborough recuperem a informação das caixas-pretas do voo MH17 para sua análise internacional”, anunciou Cameron em mensagem em sua conta no Twitter.

Também hoje, o presidente norte-americano, Barack Obama, visitou a embaixada da Holanda para oferecer seus pêsames pelas vítimas do avião da Malaysia Airlines. Obama garantiu que os dois países trabalharão em conjunto “até que se faça justiça”.

Efe e Opera Mundi

Recomendados para você

Comentários

  1. Zbgniew Brzezinski Postado em 23/Jul/2014 às 18:13

    DONETSK, Ucrânia (Reuters) - Um poderoso líder rebelde ucraniano confirmou que os separatistas pró-Rússia têm mísseis antiaéreos do tipo que os Estados Unidos dizem terem sido usados para derrubar o avião da Malaysia Airlines na semana passada. Em entrevista à Reuters, o comandante do Batalhão Vostok, Alexander Khodakovsky reconheceu, pela primeira vez desde que o avião foi derrubado no leste da Ucrânia na quinta-feira, que os rebeldes possuem o sistema de mísseis BUK. Ele ainda insinuou que o BUK pode ser originário da Rússia e que pode ter sido enviado de volta para eliminar provas da sua presença na região. Antes da derrubada do avião da Malásia, os rebeldes haviam se vangloriado de obter os mísseis BUK, que podem abater aviões de passageiros em altitude de cruzeiro. Mas desde o desastre, o principal grupo de separatistas, a autoproclamada República Popular de Donetsk, tem negado reiteradamente já ter tido tais armas. Desde a queda da aeronave, que matou todas as 298 pessoas a bordo, a grande polêmica é quem disparou o míssil que abateu o avião em uma área onde as forças do governo combatem os rebeldes pró-Moscou. Fonte: http://br.reuters.com/article/topNews/idBRKBN0FS24B20140723

    • Eduardo Postado em 23/Jul/2014 às 21:37

      "Poderoso líder rebelde" ... Tá "serto"!

    • Diana Postado em 23/Jul/2014 às 22:21

      Os Federalistas nunca tiveram nem um "BUk".. e ninguém confirmou nada ...suas fontes são falsas que nem o seu nome

      • Eugênio Postado em 24/Jul/2014 às 06:58

        Quem é esse abestalhado?

    • Geninho Postado em 27/Jul/2014 às 22:26

      Rapaz, tu não passa de marionete da farsa americana.

  2. Aliana Postado em 23/Jul/2014 às 18:36

    Reuters é suspeita - desde o início postou fotos com legendas contra os rebeldes pró-Rússia, mesmo antes de qualquer investigação séria. Ela vende a foto legendada e o pessoal que compra se obriga a reproduzir sem modificação.

  3. Claudionor Sabença Postado em 23/Jul/2014 às 21:29

    Filho, você leu o texto? Leu o segundo parágrafo, mais especificamente? Então leia antes de sair escrevendo asneiras

  4. marco Postado em 23/Jul/2014 às 21:54

    miimimimi.!j á formei minha opinião! mimimimimi.! Acompanho passo a passo a decadência da Ucrânia desde fevereiro, o inimaginável golpe de estado, destituição do parlamento e a abdicação da constituição. depois foram para o campo de batalha contra os que discordavam das políticas fascista originada do golpe apoiados pelos EUAS e UNE e desde lá estão perdendo feio, assassinando compatriotas do próprios pais de origem e estão no campo de batalha tomando uma surra de criar feridas. só para resumir os milicianos ucranianos tomaram sim muitas arma do exercito ucraniano mas os misseis que abateram esse avião comercial a mais de de 8.000 pés, dito por esse especialistas da mídia golpista precisam operacionalizados por conjunto de radares para fazerem o abate dessa aeronave a essa altitude e velocidade e as aeronaves já abatidas voavam a baixa altitude em formação de ataque cerrado (como aquele helicóptero abatido pelos criminoso no Rio de Janeiro que não precisou de nada mais que um fuzil) e a milícia tem míssil terra-ar ate o alcance de 4.000 pés.Ate mesmo pesquisar no google da pra entender os fatos o que não da é ouvir comentários mastigados de formadores de opinião televisivos.

  5. Eugênio Postado em 24/Jul/2014 às 06:57

    Agora os ianques já aceitam que a derrubada foi por "engano". Engano de quem, dos palhaços nazifascistas que eles colocaram no poder na Ucrãnia? Estavam tão cheios de certeza que podiam entregar armas químicas aos terroristas jihadistas na Síria e não serem desmascarados como pensavam que podiam por esse avião abaixo e atirar a culpa para cima dos russos.