Redação Pragmatismo
Compartilhar
Palestina 21/Jul/2014 às 19:49
32
Comentários

Jornalista que conta a verdade sobre o que vê em Gaza sofre punição

Não conte a verdade sobre o que está acontecendo em Gaza. Testemunhas oculares da barbárie precisam se segurar para não passar as informações corretas. Do contrário, são mandados embora

jornalistas gaza palestina israel
Diana Magnay (esq) e Ayman Mohyeldin, jornalistas punidos por contar a verdade (Edição: Pragmatismo Político)

Ayman Mohyeldin é o jornalista que presenciou e divulgou as mortes de Ismail, Zakaria, Ahed e Mohamed, de idades entre 9 e 11 anos, caçados por radar e finalmente atingidos pelos mísseis de Israel quando brincavam em um praia de Gaza.

Jornalista americano de origem egípcia, ele é veterano. Trabalhou na Palestina para a Al Jazeera, para a CNN e para a NBC, que o emprega atualmente. Ayman estava jogando futebol na praia com os quatro meninos, momentos antes de serem assassinados. Portanto, foi o jornalista a relatar com mais detalhes tudo que presenciou.

O mundo recebeu suas notícias, as imagens das mães e pais ao saber das mortes, o testemunho de Moutaz Bakr, o menino ferido, levado ao hospital após ter visto os outros morrerem (confira aqui).

O repórter recebeu elogios nas redes pela cobertura, e pelas informações que também postou no Twitter e no Instagram. Mas em seguida recebeu ordens da direção da NBC para deixar Gaza.

O argumento foi de retirada por “questões de segurança” mas, segundo o jornalista Glenn Greenwald, do The Intercept, a NBC enviou outro correspondente para substituí-lo: “Richard Engel, juntamente com um produtor americano que nunca foi a Gaza e não fala árabe, para cobrir o ataque israelense em curso”.

A censura foi denunciada na internet, também pela rede anti-sionista norte-americana Jewish Voice for Peace, que condena Israel pela ocupação e os ataques a Gaza, e que fez um apelo, em sua página do Facebook, para que o jornalista volte ao seu posto e não seja punido por fazer um trabalho honesto e corajoso.

A outra vítima da censura é a jornalista Diana Magnay, da rede CNN, que trabalhava na fronteira entre Israel e Gaza. Ali ela presenciou um grupo de israelenses torcendo e comemorando o lançamento de mísseis sobre Gaza. Relatou o fato em sua conta no Twitter e chamou o grupo de “escória”, apesar das ameaças que sofreu.

“Os israelenses no monte acima de Sderot torciam enquanto bombas caíam em Gaza; eles ameaçaram destruir nosso carro se eu falasse alguma palavra errada. Escória”, escreveu no Twitter.

A CNN pediu desculpas por Diana Magnay e transferiu a jornalista para Moscou.

Rita Freire, da Ciranda Internacional

Recomendados para você

Comentários

  1. Eduardo Abreu Postado em 21/Jul/2014 às 21:45

    A justiça humana pode até não se fazer presente nunca, mas a de Deus ele é infalível, aqueles que estão cometendo estas atrocidades irão pagar e pagar caro podem ter certeza, contra a vontade Dele não tem bomba, luta marcial, ou qualquer outra ação brutal que funcione. Eles no passado provaram isto e viram os milagres do Filho Dele.

    • rafa Postado em 22/Jul/2014 às 02:51

      nao deixemos, porém, de buscar a justiça dos homens. israel deveria ser removido da região. foi um implante artificial muito recente - e são um quisto ali, um quisto mal quisto. e uma cabine policial, um posto avançado EUA-OTAN em meio à terra prometida petrolífera e inclinada à influência sino-russa e oriental em geral.

      • Maurilio Postado em 22/Jul/2014 às 09:27

        Deixa de ser burro rapaz, o povo judeu habita aquela região a milênios e em Jerusalém onde Jesus foi crucificado já existia um estado judeu. Se ele desapareceu com o tempo, os judeus nunca deixaram de reivindicar aquela terra. O problema é que ela é santa também para árabes. A propósito opinador burro, você sabia que existem cidadãos israelitas árabes?

      • Ana chaves Postado em 25/Jul/2014 às 17:16

        Finalmente, ainda bem que algumas pessoas entendem que essa terra deveria ser devolvida a quem as possuía e que a presença de Israel alii só causa desgraça e muita dor.

    • Caio Postado em 22/Jul/2014 às 08:30

      DEus nao existe, temos que fazer por nos mesmos e temos preguiça. Ao contrario da maldade.

      • Lilly Postado em 22/Jul/2014 às 14:09

        Quanta ignorância...

      • AD'niz Postado em 23/Jul/2014 às 14:16

        Você pode ter certeza que o deus cristão não está naquela região, mas a guerra é santa! Javé e Alan se digladiando enquanto seus seguidores são dizimados. Nessa batalha Jeová se colocou na posição de observador inerte.

    • Silvana Machado Postado em 22/Jul/2014 às 09:02

      Que Deus? Fim dos Tempos é estarmos vendo e vivendo esse tipo de atrocidades e ainda alimentar esse pensamento de justiça divina. Atrocidades feitas pelos homens, onde homens pagam (ou melhor crianças) e onde os homens devem fazer justiça. Pensamento esse muito bem elaborado mesmo.

    • Andre Filipe Postado em 22/Jul/2014 às 09:55

      Justiça que tarda, não é justiça!

    • Targino Silva Postado em 22/Jul/2014 às 21:54

      Não espere de Deus, "Deus" é aliado deles, eles se dizem o povo escolhido pór Deus, imagine quem deus não escolheu. Não existe coisa mais hipocrita que religião. Justiça se faz aqui, na terra, não espere juizo final, isso é muito tempo.

    • L_Drap Postado em 23/Jul/2014 às 16:30

      ... porra de justiça de deus , estas pessoas lutam justamento por conta desta falsa justiça ...

  2. Gilmar Postado em 22/Jul/2014 às 08:38

    Israel = 3º Reich Benjamin Netanyahu = Adolf Hitler Exército Israelense = SS, ... , Luftwaffe Ou seja. Judeu>Sionista Logo: até que ponto os judeus podem condenar as ações de Hitler, já que depois de tudo que passaram, fazem agora um HOLOCAUSTO? Eles têm tecnologia para eliminar os chefes do Hamas e ficam matando civis e comemorando...censurando...etc. Saiam das terras invadidas!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    • Florzinha Postado em 22/Jul/2014 às 09:16

      Nossa, mas que comentário mais besta. A discussão, que deveria ter enfoque no tipo de força utilizado por Israel ou em como a mídia tem poder de manipulação maniqueísta (para os dois lados), acaba caindo num horror de desinformação que não acrescenta nada a ninguém e à nenhuma causa. Comparar o holocausto à Gaza é uma estratégia que, se não desonesta, bastante anti-semita, querendo demonstrar que os judeus "mereceram" o holocausto. Técnica maravilhosa para nazistinhas.

      • Rogerio Postado em 22/Jul/2014 às 10:18

        Absurdo! Apelar para a lembrança do holocausto e do horror nazista pra justificar o massacre em Gaza! Israel invadiu. A Palestina foi invadida. Os israelenses tomaram terras. Os palestinos tiveram terras tomadas. Nazismo, holocausto, foi em outra época. Hoje é diferente. A meu ver não tem chance de paz ou diálogo. O sionismo busca o sucesso eliminando os palestinos dali. A causa palestina vai ter que buscar a eliminação dos israelenses. Um povo vai eliminar o outro para haver paz. Ou talvez ambos se destruam até que o ultimo caia ferido e morra sem ninguém vivo por perto para ajudar.

      • Jose Postado em 22/Jul/2014 às 12:21

        É padrão: Se usar o holocausto para apontar a hipocrisia de Israel em matar civis inocentes, certamente é anti-semita e nazista.

      • Isabela Postado em 24/Jul/2014 às 11:49

        Não concordo 100% com o que o Gilmar disse, mas também entendo que o que Israel está fazendo é sim um tentativa de "limpeza" étnica na faixa de Gaza. Já são quase 700 palestinos mortos, sendo que a esmagadora maioria é de civis. Isso já passou dos limites aceitáveis e só atrai antipatia para os judeus, em que isso ajuda a causa judaica?? O mundo todo está sentindo ojeriza e revolta pelo q estão fazendo em Gaza. Todas as nações deveriam pressionar por um cessar fogo imediato que parasse com essa matança.

  3. Ankh Postado em 22/Jul/2014 às 11:12

    A mídia, infelizmente não serve a verdade, mas sim aos mais fortes e poderosos. Sei que o hamas se vale das mortes de seu povo para ganhar a opinião pública, infelizmente, no entanto oa líderes israelenses estão pouco se importando com isso, já que eles tem força e poder, além do apoio de Washigton... Se sobrar algum palestino naquela área, esse crescerá alimentado por hostilidade e ódio contra Israel.

  4. Wil Félix Postado em 22/Jul/2014 às 16:12

    https://www.youtube.com/watch?v=pt7VXoFI1Cs Antes de comentarem besteiras por favor se informem

    • marcelasiqcorj Postado em 23/Jul/2014 às 03:50

      Realmente se informar é tudo.

  5. marcelasiqcorj Postado em 23/Jul/2014 às 03:43

    Depois se pintam como os eternos coitados no Holocausto... Já mataram muita gente desde 1948 até hoje. Uma barbárie não justifica a outra, é claro, mais isso me faz pensar que realmente cada um tem o que merece e nada é por acaso.

  6. Raphael Minski Postado em 23/Jul/2014 às 03:44

    O que eu acho mais engraçado são algumas pessoas que, pelo fato de você desaprovar as terríveis e covardes atrocidades que o ESTADO DE ISRAEL comete na Palestina, taxam-no imediatamente como anti-semita. O estado não representa necessariamente o povo judeu, mesmo porque há inúmeras pessoas judias no mundo que também repudiam e se envergonham do massacre covarde do Estado Sionista de Israel a Gaza. De forma alguma os judeus mereceram o que ocorreu com eles durante o 3º Reich, nada justifica isso, foi absolutamente abominável. Da mesma forma que é completamente abominável e imperdoável o que Israel (o ESTADO SIONISTA e NÃO o povo judeu) inflige aos palestinos... Sou agnóstico, mas venho de uma família judaica e posso dizer, com plena convicção, que as ações de Israel não enojam somente a mim, mas também a minha família (que é de fé judaica). Resumindo, mesmo não partilhando da fé, etnicamente sou judeu e me orgulho disso, mesmo assim acho que as políticas de estado de Israel são um câncer na nossa história contemporânea e sinceramente me dão ânsia de vômito... Alguém vai me chamar de anti-semita por isso?

    • Isabela Postado em 24/Jul/2014 às 11:56

      É bem por ai... confundir com anti-semitismo a revolta que qualquer pessoa minimamente esclarecida está sentindo com esse massacre em Gaza é muito simplista. Na verdade o que Israel está conseguindo fazer com essas ações desumanas é atrair antipatia e ojeriza para o judaismo como um todo, pois muitas pessoas acabam não conseguindo ter o discernimento para separar as duas coisas (Estado de Israel x povo judeu).

  7. Andre Lajst Postado em 23/Jul/2014 às 10:55

    Comentar neste jornal talvez nem valha a pena, pois seus editores carecem de dados , e nem a noticia tem base na verdade. O jornalista da Al Jazeera nao trabalhava na Palestina, que se Dus quiser um dia sera um pais ao lado de Israel, mas ele trabalha em Israel. Tel Aviv, Haifa, Ber Sheva, eh israel de acordo com os propios palestinos. Ele tampoco estava jogando futebol com os meninos na praia, ele estava na varanda do hotel onde ele estava hospedado e curiosamente ele ligou a camera dele 3 minutos antes do ataque de Israel a praia. Israel ja provou mais de duas vezes que envia menssagens em 4 formatos, sendo que a lei internacional obriga a fazer-la por um meio, para tirar os civis de locais de combates. Israel, nao tem interesse algum em atacar civis, e isso pode ser provado tambem. Nao ha limpeza etnica ou qualquer outra acusacao de holocausto ou genocidio ou massacre. Gaza eh muito pequeno, e 2 milhoes de pessoas moram la. O hamas tem seus centros de comando e ataque dentro da casa dos civis. Todos sabem disso, inclusive a al jazeera, eh soh entrar no site deles e verificar. O hamas quer destruir israel nao quer um estado palestino. O jornal dota de uma retorica que beira o ridiculo, pois escrever uma frase como '' radares israelenses perseguem meninos''. bom , radares nao perceguem ninguem, e israel neste incidente especifico ja disse que lamenta a morte dos civis e disse que a regiao foi avisada que ia ser atingida, e o hamas de proposito colocou la criancas pra brincar. Nao pq o hamas deseja ( apesar de nao se importar) que as criancas morram, porem para evitar o ataque. Milhares de folhetos que tambem estao na internet mostram as fotos de como o hamas impede que os civis saiam de suas casas e que fiquem nelas apos os avisos do exercito. Se israel tivesse uma politica de '' matar civis '' pq se desculparia ou lamenta a morte de civis e pq avisa atravez de telefonemas, sms, cartas e folhetos para os civis sairem da regiao? nao tem sentido. quem quer fazer massacre, o faz. E se israel quisesse, centenas de milhares ja teriam morrido. Por fim, lembro a direcao do jornal que a palestina nao existe ainda, e como disse, a favor do estado palestino ao lado de israel em seguranca e paz. Porem nao esquecam dos fatos historicos. O nome palestina era o nome dado a regiao pelo imperio otomano e provem na verdade dos romanos. Palestina que era conhecida com sul da assiria, era uma regiao geografica. Assim como patagonia ou amazonia ou saara. A partilha da palestina que decidiu a divisao , israel aceitou e os arabes que negaram a criacao deste estado. O video em questao que foi postado, infelizemente mostra um radialista bem articulado falando com uma crianca que nao tem argumentos. Porem aposto que se ele falasse com uma pessoa com argumentos, o faria se envergonhar. A inglaterra nao deu um pais de outros aos judeus. A inglaterra recebeu o madato pela liga das nacoes apos o fim da primeira guerra, e antes dela toda regiao e nao soh pertencia ao imperio otomano por centenas de anos. A inglaterra cedeu independencia ao egito e jordania tambem, a franca ao libano e siria. A regiao da palestina foi oferecido aos judeus e arabes dois estados, os judeus falaram sim e os arabes nao. ou seja, a inglaterra nao deu pais de outros nenhum para outros. Aprendam a ler a historia, eh simples, coloquem israel no google e busquem materiais academicos> A proposito, a guerra contra o hamas nao eh uma guerra contra os palestinos, e os propios palestinos e arabes sabem disso. Engracado os brasileiros nao saberem. talvez o sistema de ensino do Brasil precisa de uma reforma, ou o jornalismo, ou o pais todo....nao eh atoa que israel tem IDH 15 do mundo e o Brasil ..85. Saudadcoes

    • Ulises Postado em 23/Jul/2014 às 21:44

      Conclusão: os culpados pelas mortes de civís e crianças em Gaza é dos próprios palestinos. Belo engodo!

      • Geovane Postado em 27/Jul/2014 às 21:52

        Os Culpados não são necessariamente os palestinos, mas sim os extremistas do Hamas, que simplesmente se utilizam da população palestina como escudo humano

    • Isabela Postado em 24/Jul/2014 às 12:01

      Desculpe Andre mas seu cometário é nada mais que ridiculo. Estratégia mais velha que andar para frente: culpar a vitima pelo crime. Isso não cola mais meu caro...

    • PAULO EDUARDO PADULA Postado em 24/Jul/2014 às 23:05

      A matança indiscriminada não tem explicação . um Pais com 8 milhões de habitantes tem mais é que ter um IDH elevado Israel acabou com a Palestina Mas não consegue acaber com o Hamas E quanto aos avisos , chega a ser ridículo é como se o governo desse um aviso . Vocês tem 15 minutos para saírem de sua cidade . Mas lamentamos informar que todas as estradas estão bloqueadas NINGUÉM ENTRA E NINGUÉM SAI !!!! VOCÊ ACHA QUE AQUELE POVO TEM TEMPO DE OLHAR SMS. REFLITA

  8. mayerpericias Postado em 24/Jul/2014 às 20:59

    Os eua mantém o estado de Israel como ponto estratégico e nada mais por isso sempre está. A defende.los a qq custo...puro interesse estratégico...

  9. Anna Postado em 26/Jul/2014 às 12:28

    Quando 3 estado oficial de Israel nasceu, 5 países muçulmanos atacaram. Existe 22 países declarados árabes, e apenas 1 de judeus. E ele não tem direito de ter? Muito antes dos muçulmanos existirem, ou ir pra aquele local, ele já era habitado por judeus. Israel só quer ser conhecido como pais, e viver em paz, e já tentou varias negociações , até a faixa de gaza, mas os árabes não aceitam.

  10. Isabelle Postado em 27/Jul/2014 às 22:21

    Nenhum ataque a civis desarmados pode ser justificado, mas acho engraçado como uma parte do mundo parece ter se esquecido de todos os atentados terroristas do Hamas em território israelense. Que a propósito, não poupavam crianças nem idosos. Tivesse o Hamas o mesmo poder de fogo que Israel, estariam fazendo muito pior.

  11. Bruno Postado em 28/Jul/2014 às 07:44

    Essa guerra é justificada através de deus, isso sim. Os sionistas acreditam que a promessa de deus para eles, povo escolhido, contemplava a criação do estado de Israel e contempla sua expansão sobre toda a palestina, para que venha o messias e o tal povo escolhido possa finalmente reinar sobre a terra. É uma guerra baseada em FUNDAMENTALISMO RELIGIOSO. Antes das questões econômicas está a questão religiosa. Os sionistas acreditam nisso tanto quanto homens bomba acreditam que tem um harém de virgem esperando por eles na eternidade. Justiça divina? Pro deus sionista, a justiça divina é eliminar a palestina. Pra mim essa tal "terra santa" tá mais é pra "terra maldita", onde povos se massacram há mais de cinco mil anos...

  12. Roosevelt Postado em 29/Jul/2014 às 09:12

    Parece que a natureza humana só sabe se inclinar para a guerra. Não precisa ler a reportagem, basta que se leia os comentários para se perceber que a intolerância e a imaturidade intelectual estão presentes fazendo que de uma mera narrativa jornalística se desencadeie uma briga infantil entre os que comentam. Todo mundo quer manter a certeza de que possui a razão e esse é o princípio de todas as guerras. Impressionante é saber que esse tipo de briga não ocorre apenas em comentários de textos que transmitem um conteúdo sério. Na internet as brigas começam do simples encontro com uma opinião diversa em qualquer tipo de conteúdo. Isso ocorre porque nesse ambiente não temos a possibilidade de dialogar olhando nos olhos uns dos outros, condição em que certamente seriamos mais reservados e mais dóceis. Assim também ocorre nas guerras: Quem opera o dispara de um míssil não vê os olhos de desespero ou a pupila dilatada (quando sobram pupilas) dos atingidos.