Redação Pragmatismo
Compartilhar
Copa do Mundo 10/Jul/2014 às 15:41
16
Comentários

A grandeza dos alemães no pós-jogo contra o Brasil

O cidadão que não sabe perder é quase tão patético quanto o mau ganhador. Depois de massacrar o Brasil por 7 a 1, os homens de Joachim Löw deram exemplo de grandeza

brasil lukas podolski alemanha copa 2014
Lukas Podolski foi um dos atletas da Alemanha que mais elogiaram o Brasil (Imagem: Pragmatismo Político)

Kiko Nogueira, DCM

A verdadeira elegância moral consiste na arte de disfarçar as vitórias como derrotas, escreveu o filósofo E.M. Cioran, aforista notável.

O sujeito que não sabe perder é quase tão patético quanto o mau ganhador. No caso dos jogadores alemães, estamos tendo algumas demonstrações de civilidade desde o momento em que eles pisaram no Brasil para a Copa do Mundo.

Ficaram famosos os vídeos que fizeram. Num deles, aparecem cantando com índios pataxós no aniversário de Klose. Em outro, Schweinsteiger e Neuer vestem a camisa do Bahia, se juntam a torcedores e passam a entoar o grito de guerra “Baêa! Baêa! Baêa!”

Veja também: Por que Felipão ganha mais que Joachim Low?

Há poucos dias, gravaram um clipe cuja trilha era o axé “Luz de Tieta”, de Caetano Veloso (que contém os piores versos da história da música popular mundial, rimando “eta” com “tieta”, mas isso não vem ao caso agora).

E finalmente, depois de massacrar o Brasil por 7 a 1, um feito que provavelmente não se repetirá nos próximos 200 anos entre duas seleções dessa estirpe, os homens de Joachim Löw foram grandes.

Özil, o canhoto que deu um lindo passe de direita para o último gol, foi sucinto: “Vocês têm um país maravilhoso, um povo fantástico e jogadores incríveis – esse jogo não pode destruir seu orgulho!”

Mas coube a Lukas Podolski uma declaração gentil, uma bonita consolação. Podolski publicou o seguinte nas redes sociais (eu mantive a grafia):

“Respeite a AMARELINHA com sua história e tradição, o mundo do futebol deve muito ao futebol brasileiro, que é e sempre será o país do futebol.

A vitória é consequência do trabalho, viemos determinados, todos nós crescemos vendo o Brasil jogar, nossos herois que nos inspiraram são todos daqui.

Brigas nas ruas, confusões, protestos não irão resolver ou mudar nada, quando a Copa acabar e nós formos embora, tudo voltará ao normal então muita paz e amor para esse povo maravilhoso, um povo humilde, batalhador e honesto um país que eu aprendi a amar”.

É pouco provável que seja jogo de cena, cálculo, marketing calhorda, e Podolski esteja, na verdade, enchendo a cara de cachaça com os colegas e umas amigas, atirando dardos numa foto de Felipão. O Brasil é bacana e os recebeu bem.

É um grupo determinado, que faz questão de transmitir alegria (lembre-se da neurose taxista da “Família Scolari”, sempre às voltas com um chilique). O zagueiro Hummels afirmou ao Mirror que houve um pacto no vestiário, durante o intervalo, para que não houvesse “humilhação” do adversário.

A torcida brasileira para a Alemanha, na final contra a Argentina, deverá ser enorme, não necessariamente pelos motivos mais nobres. De qualquer maneira, será merecida.

Recomendados para você

Comentários

  1. Alexandre Lopes Postado em 10/Jul/2014 às 15:54

    Aparecerão alguns aqui que dirão que isso tudo é hipocrisia dos alemães , como eu já ouvi por aí . É muito triste você perceber a recorrência desses juízos de (des)valor. Isso prova que não somos tão maravilhosos assim, pois não conseguimos ver uma atitude de um terceiro como algo nobre, mas apenas projetamos a nosso podridão moral no outro e o reduzimos ao nosso baixíssimo nível . De qualquer forma , parabéns aos alemães pela nobreza de caráter !!

    • Heitor Lotti Postado em 10/Jul/2014 às 16:51

      Isso mesmo... concordo com voce.

    • Vania Postado em 10/Jul/2014 às 22:38

      Muito bem dito, Alexandre. Infelizmente você está absolutamente certo. Não sabemos ser grandes, então diminuímos o outro. Que pena...

    • Eduardo Abreu Postado em 11/Jul/2014 às 01:17

      também concordo, acho eu que fizeram um favor ao nosso país ao nos mostrar que para ganhar qualquer coisa na vida tem-se que se trabalhar duro, a não ser que seja de forma ilícita, parabéns a eles até por nos mostrar também que a derrota faz parte do jogo.

    • Liandra Mery Postado em 11/Jul/2014 às 10:11

      Já vem aparecendo amigo! Aqui no Trabalho mesmo, minha chefe fala toda hora: "Quero que os alemães saiam, tão zoando o Brasil, dizendo que somos coitadinhos, isso é hipocrisia, estão querendo humilhar mais ainda a gente!" Eu fico puta com essas coisas, brasileiro tem a velha mania de enxergar malícia em tudo! E acha que não pode existir sinceridade em demonstrações de educação, gentileza e de carinho, como no caso dos alemães! Eles tiveram para com a gente, o que a maioria da gente mesmo não teve. Compaixão sincera, ética e moral.

  2. Thiago Teixeira Postado em 10/Jul/2014 às 17:16

    Sem palavras. Desde quando a Alemanha chegou ao Brasil venho comentando o trabalho de socialização que seus dirigentes e jogadores tem realizados no Sul da Bahia. Visitaram escolas públicas, brincaram com os moradores locais, participaram de rodas de Capoeira, convidaram tribos indígenas para apresentação no centro de treinamento e melhor, a jogada de marketing que foi a camisa reserva alemã em homenagem ao Flamengo. Temos que tirar exemplo disso, trabalho, determinação, humildade e convívio com o país sede da copa. A final não poderia ser melhor, um país que cativou o Brasil e uma nação sul-americana. Vitória do Brasil, só aumentaria a arrogância e prepotência daqueles dirigentes escrotos e mercenários.

    • Eduardo Abreu Postado em 11/Jul/2014 às 01:18

      falou bonito e verdadeiro..... você leu o desabafo do Romário????

  3. Luís Fernando Postado em 10/Jul/2014 às 20:38

    CBF e demais cartolas. Aprendam com os alemães. Incentivem mais o "verdadeiro" futebol brasileiro. Vamos parar de tanta roubalheira e dar mais atenção ao esporte mais genuíno do pais.

  4. Rodrigo Postado em 10/Jul/2014 às 22:15

    (Outro Rodrigo) Que eleitores, debatedores e candidatos possam retirar bom aprendizado do comportamento dos alemães, especialmente, no iminente pleito eleitoral: respeito ao "adversário", seriedade e equilíbrio, mesmo quando o "adversário" demonstre que não leva a política, o eleitor ou si mesmo a sério.

    • David Postado em 11/Jul/2014 às 10:48

      Espero que os jogadores brasileiros aprendam com eles. Em qualquer jogo fácil do Brasil, quando está 2 ou 3 a zero, Neymar e companhia comemoram os gols com dancinhas ridículas, sob aprovação da imprensa que chama isso de "alegria do futebol brasileiro". Se fosse o contrário, Brasil goleando Alemanha, seria isso que eles fariam. Certeza. .

  5. Mateus Postado em 10/Jul/2014 às 22:16

    Povo educado é outra coisa, admiro e muito a Alemanha, já o Brasil é difícil de aguentar é basicamente um país de traficantes e assassinos com uma população desarmada no meio tendo que conviver com essas desgraças.

  6. Neiva Dutra Postado em 11/Jul/2014 às 11:33

    É claro e bastante óbvio que Podolski e os demais jogadores da Alemanha não estarão “atirando dardos na foto de Felipão”. Fosse qual fosse a situação, isso não seria necessário, embora, talvez nessa guerra deflagrada do PIG contra a imprensa até então consciente e esclarecida, muitos brasileiros estejam fazendo exatamente isso com a foto de Alejandro Sabella... Tampouco a declaração de Podolski é jogo de cena, cálculo, marketing... é civilidade mesmo, concordo, que não teria nenhum efeito caso o PIG tivesse escolhido “apoiar” a seleção da Alemanha ao invés da seleção da Argentina e provavelmente nem seria noticiado... Quando nos insurgimos contra misturar política com futebol, como eles estão fazendo, atribuindo à vitória da Argentina a humilhação e o fracasso do governo Dilma e alimentamos a torcida pela vitória da Alemanha, não estaríamos fazendo exatamente o mesmo uso político dessa final que a direita tenta fazer, só que ao inverso? A torcida brasileira para a Alemanha será enorme, mas não nos iludamos: será porque o brasileiro já absorveu o discurso xenófobo, preconceituoso, ignorante que os “galvõesbuenos” da vida vêm repetindo há décadas para incitar o ódio do brasileiro contra a Argentina. Será enorme também porque o “brasileiro médio” vai torcer para a seleção que eliminou a sua, porque afinal “o Brasil perdeu para a campeã e não para qualquer outra seleção”. (e não, não será porque o Podolski falou em respeito à seleção brasileira ou porque a imprensa coerente deste país apoiou a Alemanha) Estamos vendo esse mesmo discurso dar certo, agora alimentado pela mídia em quem até agora era possível confiar, com a qual se podia concordar, cujos argumentos sempre foram lúcidos, inteligentes, idôneos... A pergunta então é a seguinte (sem defender a tese do país sul-americano, sem evocar questões históricas e culturais e inúmeras outras que se poderia, mas não cabem, porque aqui se trata só de futebol...): quem manipula quem, quem se deixa manipular por quem nessa final, quem alimenta o ódio e o preconceito contra quem? É apenas um jogo para o qual os interesses políticos devem ser anulados... então, porque disfarçadamente entrar em choque usando as mesmas armas? Torci para a vitória da seleção da Argentina desde o início da Copa, como torço em todas as Copas, porque vejo nela a garra, a vontade e a raça em campo que a seleção do Brasil perdeu há muito tempo e penso, sim, que será merecida a sua vitória e que Dilma entregará a taça a quem vencer porque é uma chefe de Estado, porque deve dar o exemplo de como deve agir um político de seu quilate, porque fazer o seu papel não a desgasta e sim a engrandece. É nas urnas que a resposta será dada a todas as farsas do PIG, de Aébrios, de traidores como Campos/Marina, etc. e não na final da Copa do Mundo.

  7. Deisi Postado em 11/Jul/2014 às 14:38

    Estou morando a sete meses em Blumenau, cidade colonizada por alemães, sofri muito quando cheguei aqui, povo extremamente antipático e grosseiro, agora não fico mais incomodada, depois desse tempo. Se diz bom dia, te olham com cara feia, não posso generalizar, conheço algumas pessoas legais aqui. Mas ouvi de uma pessoa, que são muitos desconfiados, mas no momento que te conhecem, são verdadeiros amigos. Mas fiquei impressionada com os alemães na Bahia, nada ver com seus descendentes, alegres, humildes, se adaptaram com muita facilidade, ao país, ao clima, a cultura. Vou torcer muito para Alemanha, eles merecem, Os alemães são maravilhosos.

  8. Wolney Ferreira Postado em 13/Jul/2014 às 14:48

    O time alemão é jovem, alegre e carismático. Em nada lembram os carrancudos de outras épocas. Estão dando um banho de elegância, jovialidade e cordialidade. Não quiseram os locais indicados pela FIFA, preferiram escolher seu próprio local para concentrarem e se sentirem bem, quase que em casa. Foram mais cativantes que os arrogantes "anfitriões" milionários, que nem saim nas janelas para saudar seus fãs. Merecem sim estar na final pelo grande futebol que apresentaram, assim como nossos hermanos que não apresentaram um grande futebol, mas foram eficientes nos momentos certos e esbanjaram simpatia através de seus torcedores que aqui estão. Ao contrário do que a Globo e a mídia inventam, não há rivalidade de morte entre Brasil e Argentina, e isso foi mostrado no convívio entre nós e eles, o Brasileiro sabe recepcionar bem os visitantes independente de quem seja. Torço pela seleção alemã, pois eles sim, merecem o Tetra campeonato pelo futebol muito superior e digno de ser chamado de CAMPEÃO!!

  9. Elias Postado em 13/Jul/2014 às 19:59

    http://g1.globo.com/mundo/noticia/2014/07/mais-de-100-ativistas-do-grupo-damas-de-branco-sao-detidas-em-cuba.html Parecem o povo CUBANO só amor kkkkk

  10. Felix Postado em 14/Jul/2014 às 18:21

    Na verdade os alemães ficaram com medo de serem maltratados como represália à goleada imposta ao Brasil; daí essa badalação...