Redação Pragmatismo
Compartilhar
Homofobia 11/Jul/2014 às 18:10
65
Comentários

Casal gay sofre homofobia após ‘selinho’ em supermercado

O supermercado que só permite beijo hétero. Funcionário reprime casal homossexual que deu ‘selinho’ em estabelecimento e diz que beijo ‘entre um homem e uma mulher’ seria permitido. Incidente foi registrado em vídeo

extra homofobia segurança gay
Funcionário (esq.) do Extra coibiu jovens por causa de beijo. Supermercado informou que profissional foi temporariamente afastado (Ilustração: Pragmatismo Político)

Um grupo de jovens foi vítima de homofobia na última segunda-feira (7), quando faziam compras no supermercado Extra do Shopping Aricanduva, na zona leste da capital. Depois de dar um selinho em seu amigo, Tiago Freire Galharde, de 27 anos, foi constrangido por um profissional, ainda não identificado, que chamou sua atenção pela demonstração de afeto.

Ao perceber o tom homofóbico pelo qual o grupo estava sendo abordado, Galharde começou a filmar a discussão com o funcionário que, como é possível constatar no vídeo, afirma que “aqui não é lugar para vocês se beijarem nem se abraçarem, não”.

O funcionário ainda completa seu argumento, em outro momento do vídeo, afirmando que os jovens poderiam “ficar à vontade desde que não fizessem nada obsceno”.

Indignada, uma das amigas das vítimas que estava com o grupo pergunta ao funcionário se um beijo entre um casal de homem e mulher seria permitido no local. O profissional responde que sim. “Isso, exatamente”, afirmou.

Vídeo:

A Lei Estadual 10.948/01 pune quem “VIII – proibir a livre expressão e manifestação de afetividade, sendo estas expressões e manifestações permitidas aos demais cidadãos.

Por meio de nota, a assessoria de imprensa da rede de supermercados afirmou que “qualquer ato discriminatório de funcionário em loja, se realizado, não condiz com a opinião da rede e que estaria em total desacordo com o Código de Conduta da Companhia, documento que orienta o padrão de comportamento exigido de seus colaboradores”, adicionando ainda que “o assunto está sendo avaliado para que sejam tomadas as medidas devidas e que o funcionário envolvido no caso será mantido afastado até que se apurem as responsabilidades”.

Tiago, por morar próximo a região onde sofreu o preconceito, disse estar ainda pensando em que atitudes tomar e se vai recorrer à polícia, uma vez que teme retaliações.

com SpressoSP e Agência Globo

Recomendados para você

Comentários

  1. poliana Postado em 11/Jul/2014 às 19:37

    tomara q os homossexuais organizem um "beijaço" na porta desse supermercado!!! seria ótimo tb se as pessoas boicotassem o estabelecimento! gente com cérebro de ameba é o fim! às vezes me sinto na idade média!! se fosse um casal hetero se chupando, certamente n fariam nada, mas como foi um casal gay...q vergonha!!!! absurdo!

    • Sergio B. Postado em 12/Jul/2014 às 11:07

      O erro foi do funcionário, o código de ética da companhia proíbe qualquer ato racista ou homofóbico.

    • Beto Postado em 12/Jul/2014 às 20:43

      Calma poliana, foi um funcionário que fez a burrada, a loja se retratou, se não demitiu o funcionário deve ter pelo menos advertido!

    • Luciene Postado em 14/Jul/2014 às 13:26

      Espero realmente que este tipo de atitude seja reprimida, já que nós não somos obrigados a ver isto, nem em supermercado local particular nem praças local publico; que cada um faça o que bem quizer NA SUA CASA!

    • Diego Postado em 22/Jul/2014 às 15:21

      Já organizaram um beijaço, olha: https://www.facebook.com/photo.php?v=10201955800247158

  2. Rodrigo Postado em 11/Jul/2014 às 23:20

    Legal um selinho, alguém filmando, perguntas fortes e compremetedoras, tudo digno de algo montado e não de um selinho inocente. O supermercado é um local particular e o dono pode ditar as regras de comportamentos dentro do seu recinto, quer dizer que meus filhos que estão comigo no supermercado são obrigados a assistir? Homem ou mulher deveria guardar suas intimidades para si. Esse politicamente correto é a pior hipocrisia que existe.

    • kelly Postado em 12/Jul/2014 às 00:07

      Oh meu querido Rodrigo, sua colocava o esta extremamente equivocada.uma vez que a lei esta ai pra proteger esse tipo de preconceito. Eh o mesmo que proibir um negro de.entrar pq se eh racista! Se eh pra.proibir que se proíba heteros, homos, bissex, o que for e mesmo assim ja estaria errado partindo que a lei eh para todos. Vc e sua namorada gostariam de ser escurraçados por uma demonstração de carinho? Acho que não! Alem do mais se não leu a reportagem o extra ja de pronunciou dizendo que não eh contra, portanto o funcionário sim.merece um belo processo pra aprender a respeitar.

    • Valenhil Postado em 12/Jul/2014 às 10:29

      Não sei porque você pensa que a propriedade privada dá o direito de ignorar liberdade de expressão.

    • Gustavo Postado em 12/Jul/2014 às 11:21

      Seus filhos que estão com você no supermercado não deveriam ser obrigados a assistir nenhum beijo, o problema é que no vídeo o segurança afirma claramente que se fosse um casal heterossexual não haveria problema. Homofobia pura e simples.

    • Sherlockbr Postado em 12/Jul/2014 às 12:13

      É muito triste ver que pessoas como o Rodrigo são tão preconceituosas e, talvez, nem percebam o quanto... torço muito para que os filhos destas pessoas possam escapar das tentativas de seus progenitores de disseminar tais preconceitos em sua herança "educacional"...

      • walk Postado em 12/Jul/2014 às 12:39

        seus filhos devem entender melhor que vc....

    • Adriano Vito Postado em 12/Jul/2014 às 14:12

      Se seus filhos verem um casal gay se beijando é uma ótima oportunidade de vc explicar sexualidades diversas e os livrar de homofobia, para que eles cresçam sem preconceitos diferente do que seus pais fizeram com vc.

    • Adriano Vito Postado em 12/Jul/2014 às 14:13

      Retirei isso de um site infantil, talvez vc entenda: O supermercado no qual fazemos nossas compras é um espaço privado, ou seja, ele é uma propriedade privada, possui um dono. Porém, ele é utilizado como espaço público, pois qualquer cidadão que queira realizar suas compras pode ir ao recinto a fim de adquirir ou não alguma mercadoria. http://www.escolakids.com/cidades-espacos-publicos-e-privados.htm

    • Rita Candeu Postado em 12/Jul/2014 às 15:44

      não é particular não nem o dono (parece que vc. nem reparou que foi um funcionário, mas enfim ) pode fazer e ditar regras que contrariem a Legislação

    • Wagner Postado em 12/Jul/2014 às 17:04

      Rodrigo, seu pensamento é exatamente o mesmo do cidadão homofóbico, acha q regras e opinioes privadas se sobrepoem às leis. Não julgue o q vc não viu. O politocamnete correto serve pra eles, pra mim e pra vc em maior ou menor grau, é uma questão d civilidade. Homofóbicos fazem mal e prejudicam pessoas pelo simples fato de não gostarem d algo q não os dizem respeito e defendo q homofobicos devem ser tratados sim como bandidos e responder à altura pelo crume q cometem, nam mais nem menos. Assim co mm o vcs não são obrigados a convider com gays, gays nao são obrigados a conviver com vcs, e se isto tem q ser garanti pelo uso da força da lei, q o seja, assim como se faz com os racistas, com os agressores d mulheres, com os pais q não pagam a pensão devida.

    • Silva Postado em 13/Jul/2014 às 11:17

      Não Rodrigo, é só você tapar os olhos deles, e deixar eles bem tapadinhos, ignorantes, sem respeitar as diferenças, e o que é pior, ser politicamente correto, não é bom, sim hipocrisia. Que pena pensar assim, mas essa é sua cara.

  3. Fabiano Postado em 12/Jul/2014 às 03:50

    Rodrigo, essas tais regras que você menciona não se aplicam a todos. Vejo casais heterossexuais fazendo até mais coisas do que um simples selinho e não são repreendidos. E acho que não é nem razoável ninguém dizer o contrário porque é muito explicito que é assim que ocorre. Portanto, não haveria acontecido isso se a forma de tratamento dada a heterossexuais e homossexuais, lésbicas, trans e por ai vai, fossem a mesma, porque da mesma forma que você não quer ver homem dando beijo em homem eu não quero ver homem dando beijo em mulher. Como faz ? Faça as suas regras serem aplicadas a todos e ai não será discriminação, tudo bem? rs

  4. Thiago Teixeira Postado em 12/Jul/2014 às 09:05

    Estamos passando por constante evolução, pois se voltarmos a 30 anos atrás, os casais homessexuais eram ainda mais discretos. Lembro no meu bairro um casal de homens que iam juntos fazer compras, era ridículo pois cada ficava com um carrinho para disfarçar. Coitados. Isso foi na década de 80. Aos poucos a vizinhança passou a avacalhar o casal para eles pararem de fingir. No Natal de 1993, lembro até hoje, fizemos uma ceia com todos do prédio, e as vizinhas (e tinha umas bem pá frente) obrigaram eles a darem um selinho, foi muito legal e o casal se sentiu, acho que pela primeira vez na vida deles, a vontade. Voltando no contexto geral, na década de 90 casais passaram a andar de mãos dadas, sofreram retaliações, e agora um selinho. Tudo que sai do padrão, para as pessoas de senso comum e que desconhecem as leis e até mesmo a necessidade de direitos iguais a todos, se chocam, é normal, e podem ter certeza que este Segurança descobriu o que é ser homofóbico, que casais gays querem viver em paz e sem recatos como todos os casais convencionais (digo isso pois se tiver casais héteros mas de etnias ou idades diferentes, todos ficam olhando).

  5. Rodrigo Postado em 12/Jul/2014 às 09:18

    Ninguém me respondeu é errado eu não querer que meu filho veja isso? É errado eu como empresário pensar que tenho uma variedade enorme de clientes e não valeria a pena perder vários que levam seus filhos por causa de 2? Teme retaliações em busca de polêmicas esse casal fez um trabalhador perder o emprego, quem sofreu a retaliação? Claro que se tivesse permitido o gerente receberia reclamações e ele seria punido. Parabéns, continuem arrumando suas polêmicas dentro de supermercados e demitindo trabalhadores.

    • Lucas Postado em 12/Jul/2014 às 11:11

      Sim, você está errado

      • Luciene Postado em 14/Jul/2014 às 13:35

        Não está errado,, se eu chegar no supermecado e tiverem este tipo de ação eu vou embora, muitos irão!!!

    • carlos Postado em 12/Jul/2014 às 11:13

      E se seu filho quiser ver? E se seu filho quiser beijar outro homem? Quem é você pra dizer que é errado ?

    • Luan Postado em 12/Jul/2014 às 11:14

      Seu filho não vai virar gay por ver dois gays dando um selinho. Vi minha vida toda casais héteros se beijando e continuo gay. O trabalhador mereceu ser demitido, por conta da atitude homofóbica que teve. Mente fechada.

    • Flavia Postado em 12/Jul/2014 às 11:16

      Pena que ainda não inventaram uma máquina do tempo, né, Rodrigo? Ia ser tão bom pra humanidade se você pudesse voltar pra Idade Média.

    • Alex Postado em 12/Jul/2014 às 11:34

      Sim, você está errado

    • Gustavo Postado em 12/Jul/2014 às 11:43

      "Ninguém me respondeu é errado eu não querer que meu filho veja isso?" Sim, é errado. Se você não tem problemas com seu filho vendo um selinho entre um casal heterossexual, mas não aceita que ele veja um selinho entre um casal homossexual, é um discurso discriminatório e preconceituoso e portanto é errado. "É errado eu como empresário pensar que tenho uma variedade enorme de clientes e não valeria a pena perder vários que levam seus filhos por causa de 2?" Sim, é errado. Você como empresário deve pensar no lucro, mas não pode achar que está acima da lei simplesmente porque supõe que seus clientes são preconceituosos e vão parar de frequentar o lugar se virem um selinho inocente entre duas pessoas do mesmo sexo. "Teme retaliações em busca de polêmicas esse casal fez um trabalhador perder o emprego, quem sofreu a retaliação?" É errado eu como empresário demitir um funcionário cujo comportamento discriminatório prejudica a empresa ao render péssima publicidade com um vídeo como esse? "Claro que se tivesse permitido o gerente receberia reclamações e ele seria punido." Você não tem como saber disso. Não sabemos quantas pessoas viram o selinho, não sabemos se as que viram se sentiram incomodadas e não sabemos se elas se sentiram incomodadas a ponto de irem reclamar com o gerente ou como ele reagiria diante da situação. "Parabéns, continuem arrumando suas polêmicas dentro de supermercados e demitindo trabalhadores." Não se combate preconceito legitimando-o. Seu discurso sugere que o supermercado deveria adotar uma atitude homofóbica para preservar a homofobia alheia e as pessoas discriminadas tem que calar a boca e tolerar isso, isso sim é absurdo.

    • Sherlockbr Postado em 12/Jul/2014 às 12:13

      ...É muito triste ver que pessoas como o Rodrigo são tão preconceituosas e, talvez, nem percebam o quanto... torço muito para que os filhos destas pessoas possam escapar das tentativas de seus progenitores de disseminar tais preconceitos em sua herança "educacional"...

    • Cadú Postado em 12/Jul/2014 às 12:39

      Eu acho que é errado vc não querer que seu filho veja isso porque vc tentar "proteger" ele disso é ridículo, não só porque ele VAI perceber que existem casais homossexuais (e em grande quantidade, ressalte-se), mas também porque essa posição sua de querer segregar gays e héteros é ridícula, supera. Gays e héteros coexistem desde sempre e podem muito bem conviver de boa.

    • carine Postado em 12/Jul/2014 às 13:08

      Nao Rodrigo, seus filhos nao deveriam presenciar isso! A unica noção do que é se relacionar amorosamente que eles devem ter, a fim de formar uma mentalidade de macho alfa, é ver pornografia a reviria, com direito a visitas a prostibulos e aprender a tratar uma mulher como sua empregada domestica obrigada a satisfazer o marido sempre que for requisitada. bem melhor, não?

    • Thaís Postado em 14/Jul/2014 às 09:34

      Está completamente errado

    • Natalia Postado em 14/Jul/2014 às 11:33

      Sim, está errado. E caso seus filhos demonstrassem estranheza ao presenciar um casal homossexual, seria uma ótima óportunidade pra conversar sobre igualdade de direitos e homofobia... Um futuro homofóbico a menos no mundo, oxalá.

    • Joao Laion Postado em 14/Jul/2014 às 12:16

      Pior que seu filho ver dois homens se beijando é seu filho ver o pai dele querendo esconder dois homens se beijando. Que vergonha... =/ Preconceito gera violência, tristeza, miséria... vc tem um filho, cara. Viaje pelo mundo, leia, repense no mundo que vc está deixando para teu filho.

    • Marco Antonio Postado em 14/Jul/2014 às 15:29

      Prezado Rodrigo, você pode criar seus filhos trancados dentro de casa, longe do convívio social, se é isto que você deseja para eles, até o ponto em que você não terá mais o controle sobre eles. mais não poderá impor regras à sociedade de como os estranhos devem comportar para você passar com seus filhos. por isto o meu conselho para você, é que trabalhe melhor a educação de seus filhos para que eles possam encarar a sociedade com a sua diversidade, sem que eles fiquem perplexos ao ver por exemplo um beijo gay. só uma boa educação será capaz, de resolver o problema para todos os lados, que são eles, de seus filhos, dos gays, e o seu próprio. E qualquer que seja a penalidade que o funcionário venha receber, foi o preço que ele se dispôs a pagar para aprender, talvez por ter sido criado por um pai como você, e que não procurou se educar após se emancipar para a vida.

  6. Rodrigo Postado em 12/Jul/2014 às 09:22

    PS: Sabe o ator que interpreta Sheldon em Big Bang Threory? Ele disse que é um caso perdido para a causa gay, porque como todo ser humano normal ele só quer ser feliz e viver em paz com seu parceiro, que esta juntos há 14 anos, sem precisar fazer polêmicas em lugares privados.

    • Paulo Postado em 12/Jul/2014 às 11:18

      Cala a boca e vai assistir o filme do Pelé!! E seu filho cedo ou tarde vai presenciar cenas como essa.. E espero q ele seja mais inteligente q o pai e veja q isso em nada afeta ele!!!!! Medo do carinho gay e sentimento reprimido! Analise srus desejos!

    • Elberth Postado em 12/Jul/2014 às 11:47

      É errado, sim. Você como alguém que trabalha com comércio deve saber que os maiores consumidores de mercado é o público gay. deveria saber, também, que a lei de mercado não se vence ou perder pelo cliente que se beija dentro do estabelecimento, mas pelo preço, pela qualidade e bom atendimento. Está errado quando não ajuda o país crescer e não ensina a seu filho o direito de igualdade, de expressão de sentimentos e de amor entre duas pessoas. Está errado, quando não dá direito ao outro de ser cidadão ao poder - assim como os héteros - darem um simples beijo ou andarem de mãos dadas na rua. Esse mesmo Sheldon que você cita, é o mesmo que assumiu sua homossexualidade, continua fazendo sucesso e aprendeu que deveria lutar pela causa que ele vivência diariamente. NORMAL é aquilo que o cientista social Émile Durkheim diz ao criar o fato social: tudo aquilo que é generalizado, exterior ao individuo e o força a viver as coisas sem que ele mesmo queira, dentro de uma sociedade. Você, provavelmente, vive essa realidade. Assumiu valores que uma sociedade está aprendendo a mudar... é difícil entender isso mas, saiba, mesmo que você não queira que seu filho veja "essas coisas", ele vai ver com mais frequência e, fique abismado, vai te chamar de conservador num futuro próximo, pelo simples fato que ele processa a sociedade muito diferente de você. E por mais que você não queira, ele vai concordar com a causa gay e com os ideais gays, porque a sociedade irá formá-lo e as escolas e as propagandas e as políticas públicas irão fazê-lo conhecer o direito e a cidadania. Você tem todo o direito de não aceitar a homossexualidade, você tem todo direito de não querer que dua pessoas se beijem, MAS não não tem o direito de impedir isso. Que seu pensamento e suas vontades fiquem guardadas para você. Aquilo que é de cunho UNIVERSAL - em direito constitucional - a saber, direito a vida, à uma dignidade humana, a não tortura, a não discriminação, a não violência infantil, segundo a ONU e os Direitos da Humanidade, expresse, porque isso é valor realmente digno de colocar em prática., mas o que oprime qualquer ser humano, fazendo-o viver em guetos e ruelas, isso não é digno e não é humano de se mostrar.

    • Jonathan M. Branco Postado em 14/Jul/2014 às 20:29

      E desde quando um selinho é "fazer polêmica"? Casais héteros fazem isso o tempo todo. Quantas vezes não vi casais héteros no banco da praça dando muito mais do que selinhos? E ninguém nunca fala nada. O fato de supermercados serem estabelecimentos comerciais não os destituem de sua condição como local público, e portanto, suscetível as mesmas regras impostas por leis à qualquer local público. Para finalizar, homofobia é crime, não importa se acontecer na rua, no shopping ou dentro da sua própria casa.

  7. Marcio Postado em 12/Jul/2014 às 11:05

    Ele é CLIENTE e o dinheiro dele não é pior do que o seu e o de nenhum outro hétero. Já estamos no século 21 e o minha afilhada também não é obrigada a ver um casal hétero quase esfregar dentro do supermercado. E se o beijo, por acaso, fosse proibido isso deveria se aplicar a todos. Quanto ao funcionário, a reportagem disse que o mesmo está afastado (provavelmente suspenso) e não demitido.

  8. poliana Postado em 12/Jul/2014 às 11:29

    Rodrigo, então quer dizer a eu sou hipócrita pq n penso como vc?"n tenhi sua visão hipocrita e conservadora das liberdades individuais. Eu já cansei de ver casaia heteros entre beijos e amassos em estabelecimentos privados e em locais publicos. Nas praias então, acontece coisa pior diariamente. Eu concordo q certo grau de intimidade deve ficar restrito a 4 paredes, mas se um casal hetero tem o direito de esboçar manifestação de afeto em publico, então q os gays tb tenham o msmo direito. Qto a seus filhos, faça um favor a eles proprios e a humanidade: eduque-os pra saber respeitar as diferenças e conviver pacificamente com elas. O mundo será melhor no dia em q todos aprenderen a respeitar uns aos outros.

    • poliana Postado em 12/Jul/2014 às 11:32

      Tenho* Casais*

  9. Sherlockbr Postado em 12/Jul/2014 às 12:12

    É muito triste ver que pessoas como o Rodrigo são tão preconceituosas e, talvez, nem percebam o quanto... torço muito para que os filhos destas pessoas possam escapar das tentativas de seus progenitores de disseminar tais preconceitos em sua herança "educacional"...

  10. Thiago Teixeira Postado em 12/Jul/2014 às 12:42

    Não se choquem com as palavras do Rodrigo. Existem milhões de Rodrigos espalhados pelo Brasil. Estes, muitas vezes empresários, esboçam e praticam diariamente a mentalidade dele: Não vou aceitar "viadagem" no meu mercado para não instigar as crianças a fazerem o mesmo. Não vou contratar um gay com receio de perder a clientela. Não vou contratar uma atendente negra. Não vou aceitar matricular uma criança com deficiência física na minha escola para não perder matrículas. Não vou permitir pessoas mal vestidas na minha loja para não constranger as madames. E por ai vai.

    • Ian B. Postado em 13/Jul/2014 às 03:54

      Como mencionado num dos comentários acima, muitas pessoas exercem o preconceito sem nem saber que o estão fazendo. Acrescento que isso ocorre, tanto por oprimido, quanto por opressor. Questões relacionadas ao gênero ainda são muito recentes. Pela expressão do funcionário, ele agiu movido por uma ideologia preconceituosa, a qual ainda é dominante. É vítima de uma ideia ainda dominante. Puni-lo severamente mais prejudicará toda uma causa, do que qualquer outra coisa. Só se afirmará ainda mais a divisão do grupo a favor e do grupo contra. Será, no final das contas, pouco racional e muito intolerante (ironicamente, diga - se de passagem). Inclusive, toda a pressão feita pelo casal homossexual e a menina, ressaltou mais o ódio do que a tolerância, o funcionário funcionou, injustamente, como símbolo de uma sociedade que ainda precisa aprender a lidar com a diferença. Certamente, o respeito, a tolerância e a paciência são muito mais didáticos e eficientes do que a militância cega e exacerbada. Há que se lutar por direitos, claro. Porém, nesse caso, a luta seria bem mais significativa se o casal e a moça exercessem a tolerância e o didatismo.

  11. André Luiz Bezerra Postado em 12/Jul/2014 às 12:50

    Engraçado agora quem não apoia e não concorda com os atos dos homossexuais viram homofóbico? Penso que não pois sou hétero e não sou homofóbico pois homofobia que dizer medo de homossexuais e não tenho uma vírgula de medo deles seja quem for, até porque tenho amizades com gays e lésbicas, mas visto que eles respeitam os espaços uns dos outros e neste caso vejo que na verdade querem é criar caso serem vítimas que na verdade não o são. Penso que os gays e héteros tem que saber viver em comum acordo de responsabilidade mútua sabendo que insistem ambientes que não se podem simplesmente agirem com determinados afetos que por suas opiniões são normais, mas abem da verdade que não são e ninguém é obrigado a aceitar embora as leis tenham mudado mas insistem a questão do respeito entre as partes, e levando em consideração de que antes da lei Lei Estadual 10.948/01 não era assim e como toda adaptação as leis leva tempo e neste caso vai levar muito tempo pois quem quer arriscar impacto mediante as mudanças que se arisque sabendo porem que insistem as consequências tanto jurídicas quanto físicas e acabando em processos ou até mesmo em tragedias, e não seira melhor levar o bom senso para evitar tudo isso?

  12. Ricardo Postado em 12/Jul/2014 às 13:16

    RODRIGO, por mais doloroso que seja, seus filhos terão sim que ver casais gays demonstrando afeto em público, assim como meus avós tiveram que assistir ao espetáculo chocante de ver negros sentando nos mesmo assento de ônibus que eles. Ainda que isso custe dois ou mqis clientes ao empresário, afinal o afeto humano eh muito mais caro, caso empresário não saiba. Seus filhos, assim como você, terão que engolir isso goela abaixo, e vai doer. A notícia boa eh que uma hora vocês se acostumam, como nos acostumamos a respeitar negros, estamos tentando respeitar as mulheres e crianças, e respeitamos você também, a despeito de seus julgamentos crueis.

  13. Claudio Ribeiro Postado em 12/Jul/2014 às 21:14

    Estatuto da Criança e do Adolescente Capítulo II Do Direito à Liberdade, ao Respeito e à Dignidade Art. 15. A criança e o adolescente têm direito à liberdade, ao respeito e à dignidade como pessoas humanas em processo de desenvolvimento e como sujeitos de direitos civis, humanos e sociais garantidos na Constituição e nas leis. Art. 17. O direito ao respeito consiste na inviolabilidade da integridade física, psíquica e moral da criança e do adolescente, abrangendo a preservação da imagem, da identidade, da autonomia, dos valores, idéias e crenças, dos espaços e objetos pessoais. Capítulo IV Art. 58. No processo educacional respeitar-se-ão os valores culturais, artísticos e históricos próprios do contexto social da criança e do adolescente, garantindo-se a estes a liberdade da criação e o acesso às fontes de cultura. Se estivesse com meu filho no mercado levava todo mundo para a delegia por dano à integridade psíquica e moral. Meu filho tem direito de ser criado dentro das crenças e valores morais e familiares. De acordo com a Lei é legítimo o respeito aos valores artísticos e culturais. Em nossa sociedade, cultura e história não é normal nem comum homens se beijar. Parabéns mercado Extra. Não é a maioria que tem que se adequar à minoria. É a minoria que tem que respeitar a maioria.

  14. Eduardo Postado em 12/Jul/2014 às 23:43

    O que me choca no caso do Rodrigo e saber que ele esta tão preocupado dos filhos dele presenciar uma cena de carinho entre dois homens enquanto em casa permite os mesmo a assistirem cenas de drogas, roubo, assassinato, poligamia, adultério, prostituição, tráficos, exploração e abuso de menores... Enfim será que isso tbm não vai influenciar na educação dos seus filhos? Enquanto uma demonstração de amor e carinho e vista com certo repúdio. Aproveito tbm para te dizer que a convivência com gays não vai influenciar seus filhos pois todos os gays tiveram e foram criados e educados por casais heteros.

  15. Deisi Postado em 13/Jul/2014 às 11:05

    Concordo com você Thiago, é assim que funciona, infelizmente o preconceito está incrustado na cabeças das pessoas, é difícil aceitar, algo que foge dos "padrões convencionais". Não acho que uma criança vendo um selinho de pessoas do mesmo sexo, seja horrível.É sim uma oportunidade, de quebrar tabus, porque criança nasce, sem nenhum tipo de preconceito, adultos que fazem, estragos com elas. Respeitar as diferenças, é importante na formação de um cidadão, e consequentemente o mundo será muito melhor.

  16. Maria Postado em 13/Jul/2014 às 12:40

    Sinceramente, quando vou ao supermercado de minha cidade o que me apavora são os preços. Nem consigo perceber se as pessoas estão se beijando ou não hahahaha dureza.

    • Thiago Teixeira Postado em 13/Jul/2014 às 13:45

      Principalmente o preço das frutas! Comer hoje um morango é questão de "STATUS"!!!!!!!!! kkkk

      • poliana Postado em 13/Jul/2014 às 19:41

        e a pêra thiago!!!???? há tempos q n as tenho na minha geladeira. kkkkkkkkkkkkkk

    • Natalia Postado em 14/Jul/2014 às 11:35

      Huahuehauehuaheaue, uma verdade.

  17. Rodrigo Postado em 13/Jul/2014 às 23:25

    Então por eu perceber uma patética tentativa, com direito a filmagem e tudo sou homofóbico? Quer dizer que eu por me achar ao direito de explicar aos meus filhos sobre a sexualidade na época que eu achar que eles tenha idade suficiente sou homofóbico? Isso que chamo de hipocrisia, me sinto tão incomodado com um ato obsceno em público não importa que casal seja, Procure na Alemanha e veja como eles abordam de forma civilizada o tema até nas escolas, explicando de formas simples para as crianças e não como o politicamente aqui no Brasil prega.

    • Thaís Postado em 14/Jul/2014 às 09:54

      Para mentes pequenas tudo é "hipocrisia". Estou tão cansada dessa palavra... Você é homofóbico, Rodrigo. E seria muito digno de sua parte repensar seus preconceitos e egoísmos e substituí-los por amor e compreensão. Vai ser mais feliz e seus filhos serão adultos melhores. Selinho é ato obseno? Vejo tantos casais héteros se agarrando no shopping, faço tantos cafunés no meu namorado por aí.. Nunca fui repreendida por isso. E a Alemanha tem a terceira metrópole de maior população gay da Europa. A adoção de crianças é de direito e a homofomia é crime. Casais homosexuais de mãos dadas ou se beijando são comuns no país. (: Parece que de você morasse na Alemanha, teria que proibir seus filhos de sair de casa

  18. LUCIO Postado em 14/Jul/2014 às 00:49

    BRASIL...........EDUCAÇÃO PARA O POVO....PLEASE!!!!

  19. Rodrigo Postado em 14/Jul/2014 às 11:26

    Vocês não tem um argumento diferente de só de acusar? São especialistas? Posso me sentir incomodado com um casal hetero se agarrando na minha frente, mas se sentir o mesmo por um casal homo, sou preconceituoso? Quem rotula agora são os gays? Partindo da visão Thais quer dizer que só porque reclamo da violência devo ficar em casa? Se reclamo da saúde não devo ir em um hospital, se reclamo de cenas obscenas entre casais devo ficar em casa para não vê? Seu direito termina aonde começa o meu, aprenda garotinha. Você deve ser daquelas que defende o casal gay que procurou um culto para se beijar não?

    • Joao Laion Postado em 14/Jul/2014 às 12:25

      Como assim? Vou te ensinar, Rodrigo: Você explica para o teu filho que aquele casal se ama, assim como vc ama a mãe dele e eles se beijam pq gostam muito um do outro. Simples, cara! Ninguém aqui está falando de sexo explicito. E sim de um selinho no super mercado. Os gays sofrem uma violência absurda no mundo que vivemos hoje, é BIZARRO! E vc, com esse pensamento, só contribui de forma inconsciente para essa violência. Repense no mundo que vc está deixando para teu filho.

      • luciene Postado em 14/Jul/2014 às 13:38

        Não devemos agir com violência com os homossexuais, mas também não somos obrigados a ter que ver eles se beijando.

      • Thaís Postado em 14/Jul/2014 às 17:13

        Rodrigo, selinho não é ato obsceno, "garotinha" não é ofensa (machismo agora?) e acusação não é argumento. Acho que apontar você como homofóbico está mais para constatação. Sua enorme disposição em demonstrar descontentamento com o selinho dos meninos é o que me trouxe à conclusão. O fato de eu me incomodar com os casais héteros se agarrando perto de mim nunca me fez sentir no direito de proibi-los. E cara... é só se controlar, afinal se o que estamos vendo é afeto por que a irritabilidade? De onde veio esse rancor todo que não podemos superar o amor alheio?? E se eles não estão fazendo nada contra a lei, e mesmo assim o seu incômodo é tão intenso... o que resta é não ver, certo? Por isso o "não sair de casa".

  20. Rodrigo Postado em 14/Jul/2014 às 15:35

    Veja bem, minha crítica não é ao homossexualismo, todos tem o direito de ser feliz a sua forma, e sim aqueles que armam essas cenas para provocar publicidade, vide o casal que foi ao culto gay para se beijar, vide esse que armaram esse vídeo com direito a perguntas pre-programadas, "Um casal hetero poderia?". Pela constituição somos todos iguais, mas alguns querem ser mais iguais que os outros, agradeço que a maioria dos gays querem apenas levar sua vida normalmente e não vive a procura de armações que levante a polêmica. Tudo que a política se envolve empodrece, veja O Jean BBB

    • Jonathan M. Branco Postado em 14/Jul/2014 às 20:52

      Primeiramente é "homossexalidade" (sem o -ismo que denota posicionamento filosófico, religioso ou uma doença). Não acho que o que eles fizeram foi armação, e mesmo se fizeram eles começaram com um selinho apenas, o funcionário que foi coibir (ninguém o forçou a isto). Armação ou não, não havia motivos para coibir um selinho, e mesmo se (caso seja mesmo verdade) a pergunta tenha sido pré-programada a resposta não foi, e mostra uma clara homofobia do funcionário por dizer que selinhos eram permitidos entre homem e mulher. É claro que este foi o objetivo da pergunta, saber se o motivo para a coibição foi homofobia, e mesmo que tenha sido planejado anteriormente, isto não da o direito de defender o comportamento do funcionário. E, por favor, estou cansado desta argumentação: "Pela constituição somos todos iguais, mas alguns querem ser mais iguais que os outros". Igualdade é uma condição de estabilidade, não há mais igual ou menos igual, só igual. O que os homossexuais querem, é ter exatamente os mesmos direitos, não mais. Não é porquê eles pedem proteção ao governo, ou seja, que se criem leis para protegê-los, que eles estão querendo mais que os heterossexuais. É que esta é a única forma de ter certeza que terão os mesmos direitos. Até porquê nenhum heterossexual é agredido, humilhado, debochado etc.. por ser heterossexual. Para finalizar, levantar polêmica é bom. Porquê só assim você percebe o que está de errado na sociedade. Se tudo estivesse correto, não haveria polêmicas a se levantar, não é mesmo? Se eu viver escondido, escondendo quem eu realmente sou por medo de repressão, eu não seria realmente livre.

  21. Allas Postado em 14/Jul/2014 às 23:13

    Não se trata de preconceito. É conceito, pois o homossexualismo é aberração, monstruoso, perverso, anormal. Não gera filhos. Extingue a raça. Diz-se que toda forma de amor e afeto vale a pena. No ritmo em que andamos, daqui a pouco alguém dirá que ama um equino e pleiteará o direito de casamento, adoção de órfãos, meninos e potros, etc. Cada um é livre para ser homossexual, mas que seja discreto, como sempre foi, pois o homossexualismo choca, fere e deseduca pela aberração que é. Manifestações carinhosas íntimas héteros também deveriam ficar para a intimidade. Todavia, pouco chocam, pois são naturais. Já as homossexuais, eu já disse, são manifestações de aberração.

  22. Wagner Postado em 20/Jul/2014 às 20:37

    O Beijato já foi feito, espero que o Extra tenha vergonha e peça desculpa aos GLBTs publicamente

  23. Italo Postado em 21/Jul/2014 às 00:36

    Infelizmente existem pessoas que não sabem agir com urbanidade. O preconceito é crime sim, a luz da nossa Carta Magna através de Lei assim o determina. Precisamos diferenciar manifesto de baderna só isso!

  24. Souza Postado em 03/Aug/2014 às 21:46

    Pra finalizar o papo supermercado nem é local pra beijo, não importa se for hetero, homo, bi, etc. É lugar pra compra. Ps: nem percebo essas coisas no supermercado onde vou. Talvez por ser bairro nobre e desenvolvido as coisas tendem a ser mais liberais sei lá. Se já teve o que mais assusta são os preços, isso sim é bizarro.