Redação Pragmatismo
Compartilhar
Copa do Mundo 01/Jul/2014 às 16:55
13
Comentários

Argentinos 'ensinam brasileiros a torcer'

Argentinos dizem que falta criatividade para a torcida brasileira, criam grito específico para esta Copa e convidam brasileiros para ‘aprenderem’ a torcer com eles

torcida argentina copa 2014

A tradicional rivalidade entre Brasil e Argentina no futebol se estendeu para as arquibancadas nesta Copa do Mundo. Apesar de ainda não terem se enfrentado dentro de campo, fora dele a disputa entre torcedores brasileiros e argentinos está acirrada.

Por estarem jogando em casa, os brasileiros são sempre maioria, mas mesmo em menor quantidade, os “hermanos” têm chamado bastante atenção na arquibancada. Com gritos criativos e provocativos, os argentinos dominaram as ruas e os estádios das cidades por onde a Argentina passou na primeira fase do Mundial e estão fazendo o mesmo agora em São Paulo, onde a equipe de Messi e companhia enfrentará a Suíça pelas oitavas de final.

E eles aproveitaram a passagem pela capital paulista e a “crise” momentânea que tem vivido a torcida brasileira nos estádios, sem muito ânimo para empurrar a seleção – segundo eles – para convidar os “amigos brasileiros” a aprender a torcer com eles.

Aos argentinos, basta cruzarem com um brasileiro para começarem a cantar o grito criado especificamente para esta Copa. “Brasil, decime qué se siente / tener en casa tu papá / Te juro que aunque pasen los años/ nunca nos vamos a olvidar/ Que el Diego te gambeteó / que Cani te vacunó / estás llorando desde Italia hasta hoy / A Messi lo vas a ver / la Copa nos va a traer / Maradona es más grande que Pelé.”

Na tradução simples, “Brasil, me diga como se sente/ ao ter em casa seu pai/ te juro que mesmo que passem os anos/ nunca vamos nos esquecer/ que Diego (Maradona) te driblou/ que Cani (Cannigia) te vacinou/ estás chorando desde a Itália até hoje/o Messi você vai ver/ a Copa nos vai trazer/ Maradona é mais grande que Pelé “.

A letra cita a última vez em que as duas seleções se enfrentaram em uma Copa: em 1990, quando a Argentina venceu o Brasil por 1 a 0, com um gol de Cannigia, após receber um passe em uma bela jogada de Maradona. E termina com o grande “mantra” dos argentinos, a comparação de Maradona com Pelé.

Criatividade

A resposta dos brasileiros às provocações frequentemente fica apenas nos xingamentos. Nos últimos jogos do Brasil na Copa até houve a tentativa de alguns grupos de torcedores de propagar a ideia de músicas exaltando os títulos da seleção e respondendo aos rivais argentinos, mas o que ainda predomina nas arquibancadas brasileiras é o tradicional grito “Sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amor.”

“Falta criatividade aos brasileiros”, brincou Fábio, que veio de Santa Fé com o amigo Mariano para São Paulo para acompanhar as oitavas de final mesmo sem ingresso para o jogo desta terça-feira.

“Nós argentinos temos mais ideias para isso, inventamos cantos a toda hora sobre tudo”, completou, contando que a música que tem feito mais sucesso entre os argentinos que vieram ao Brasil (aquela citada acima) foi criada por um grupo de torcedores e viralizou na internet antes do Mundial. Assim, quando chegaram para a Copa, todos já tinham a letra na ponta da língua.

Para os “hermanos”, a torcida brasileira não é tão apaixonada quanto a argentina, que passa os 90 minutos de jogo a “alentar”, como eles dizem – algo como “incentivar” em português.

“A diferença entre a torcida argentina e a brasileira é uma questão de paixão. O argentino é apaixonado, grita desde o começo do jogo até o fim, antes também, vocês estão vendo. A torcida brasileira é aparentemente mais fria”, opinou Mariano.

Já Fabrício destacou a questão do público brasileiro nos estádios da Copa ser diferente do público que efetivamente frequenta estádio no país. “É um momento cultural para todos, então vão crianças, adultos, famílias, não só os frequentadores de estádio. Os argentinos que vieram são todos frequentadores de estádio.”

Apesar da rivalidade em campo e nas arquibancadas, os argentinos se disseram “muito bem recebidos” pelos brasileiros. “É um povo adorável, são muito simpáticos e acolhedores”, foi o discurso usado pelas dezenas de “hermanos” que estiveram na Arena Corinthians na véspera do jogo contra a Suíça fazendo a festa – só que desta vez do lado de fora do estádio.

Vídeo

BBC

Recomendados para você

Comentários

  1. Francis Bittencourt Postado em 01/Jul/2014 às 19:00

    Bom, da experiência de alguém que acabou de voltar do Itaquerão: Essa história de que os Argentinos cantam os 90 minutos é balela. O que eu vi/ouvi foram 30s a 1min de cantoria seguidos por cinco minutos de silêncio com os hermanos sentados. Os argentinos entrevistados com certeza não estavam lá. Depois que, após muito sofrerem, acharam o gol, eles começaram a causar ao redor do estádio. Um dos argentinos que estavam quietinhos durante quase duas horas levantou e começou a bater no peito provocando os brasileiros que estavam do meu lado. Foram vários princípios de briga ao meu redor, todos envolvendo argentinos exaltados provocando brasileiros. Se isso for o que eles tem pra me ensinar eu prefiro continuar gritando o nosso "eeeeu sou brasileeeeiro..."

    • Thiago Postado em 01/Jul/2014 às 23:58

      De fato, Na TV dá pra ver que os cantos não ocorrem todo hora. Porém, eles são mais constantes e dá pra sentir, ao menos pelo rádio, que são diferentes. Desde que assisti a Copa América de 2011 vi como os argentinos cantam forte músicas distintas. Cantar "eu sou brasileiro" é ridículo, desmotivador, melancólico, além de ser egocêntrico e egoísta. Você como torcedor tem que motivar a sua seleção com algo mais impactante e não gritar um cântico voltado para si que irá ajudar alguma coisa. Talvez imponha um pífio senso de patriotismo. Nessas horas que fico triste de não ver tambores entre a torcida. Algumas pessoas mais criativas poderiam até criar melodias fáceis dentro do estádio que motivassem tanto público quanto jogadores.

  2. Ximenes Postado em 01/Jul/2014 às 20:02

    Mas é claro, quem está indo ao estádio não é o público que costuma ir aos jogos do campeonato brasileiro ou qualquer outro campeonato estadual, e sim engomadinhos que não sabem nem o que é um escanteio e a regra do impedimento e preferem ficar tirando Selfie durante o jogo.

    • Beto Postado em 02/Jul/2014 às 13:28

      Tu quis dizer que só pobre entende de futebol? Viva o preconceito! sqn!!!

  3. mauricio augusto martins Postado em 01/Jul/2014 às 21:20

    É nesta temos que nos calar mesmo, eles tem Messi, Di Maria o ANGEL, Che Guevara, LEY DE MÉDIOS, e até o Papa-Chico, mas nós "Brasileños" tenemos El Cabron o Satanás o barbosa...maumau

  4. Eccard Postado em 01/Jul/2014 às 21:53

    Argentino, me diz como é que é Teu país tem menos Copa que o Pelé Depois que criaram o antidoping Só ganharam chifre de mulher Seu orgulho é uma vergonha Em 90 deu Alemanha E o Túlio tem mais gol que o Maradona O Messi é catalão Não vale gol de mão E o Brasil é pentacampeão

    • elvis Postado em 03/Jul/2014 às 00:08

      Credo zica do pântano

  5. egnalos Postado em 01/Jul/2014 às 22:45

    e a mídia insiste em sustentar esta rivalidade, faz propaganda como se fosse uma coisa doente. Não vejo assim. Só não entendo o que a mídia ganha com isso, reportagem tem que ser com responsabilidade. Criar um clima hostil só para arrumar confusão, briga e coisas até piores. Vá arrumar coisa melhor para falar ou então fica calado,ooohhhhhhhhhhhhhhh.

    • Matheus Postado em 03/Jul/2014 às 00:37

      concordo totalmente rivalidade criada pela mídia alienando o povo...

  6. Dulce Postado em 02/Jul/2014 às 07:42

    Vi ontem los hermanos comemorando a vitória no Anhangabau, era uma festa que dava vontade de participar...

  7. Dhoco Postado em 02/Jul/2014 às 10:15

    Aqui tem um ótimo exemplo da "linda festa" #SQN http://rodrigomattos.blogosfera.uol.com.br/2014/07/02/argentinos-destroem-cadeiras-do-itaquerao-e-fifa-nada-faz-veja-fotos/#fotoNav=2

  8. Deisi Postado em 02/Jul/2014 às 12:30

    Pra mim os torcedores argentinos, só são um pouco mais fanáticos que os brasileiros, a rivalidade existe faz muito tempo, o que eles são um bando de invejosos, o Brasil é penta, o Maradona tem menos gols que Pelé, o gênio Messi, precisou participar da terceira copa para marcar gols, em duas não marcou nenhum, o o futebol não está essa maravilha, pois estão marcando gol, no final do jogo, ou prorrogação. Nos chamam de "macaquitos", dizem que Maradona é melhor que Pelé, Precisam ganhar cinco títulos, para que eu mude de ideia em relação a tanta inveja! Já em relação a consciência politica, estão anos luz na nossa frente, nos somos analfabetos, perante aos Hermanos.

  9. Thiago Teixeira Postado em 02/Jul/2014 às 18:26

    Comparar Maradona com Pelé é o mesmo que comparar Rubinho com Senna. Piada. Se fosse Didi x Pelé, Garrincha x Pelé ... até que ficava quieto.