Redação Pragmatismo
Compartilhar
Palestina 23/Jul/2014 às 16:40
8
Comentários

150 crianças já morreram em Gaza

Unicef alerta: mais 18 crianças palestinas foram assassinadas por Israel nas últimas 24 horas, todas com 13 anos de idade ou menos. No total, são 150 crianças mortas e 85 escolas danificadas por ataques

gaza crianças israel palestina
Devastação em Gaza. Crianças estão entre as principais vítimas (Edição: Pragmatismo Político)

A Unicef fez novo alerta: nas últimas 24 horas mais 18 crianças palestinas foram mortas pelas forças de Israel em Gaza. Essas crianças tinham, todas, 13 anos de idade ou menos.

Nos relatos da Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância), desde o início das hostilidades, ao menos 150 crianças palestinas foram mortas como resultado dos ataques e bombardeios aéreos de Israel, bem como pelas suas forças naval e terrestre. O saldo macabro é dez crianças mortas por dia.

São 97 meninos e 49 meninas, com idade entre 5 meses e 17 anos, computadas pela Unicef. Destas crianças, 105 têm 12 anos de idade ou menos, ou 71% das crianças.

VEJA TAMBÉM: 7 vencedores do Nobel da Paz pedem embargos contra Israel

Sobe para 1.100 o número de crianças palestinas que ficaram feridas na Palestina e seis crianças em Israel.

A Unicef afirma que pelo menos 85 escolas em Gaza, 48 delas da ONU e 37 públicas, foram danificadas por ataques aéreos de Israel ou bombardeios nas proximidades. Uma escola da UNRWA (Agência das Nações Unidas de Assistência aos Refugiados da Palestina), em Gaza, foi usada por grupos armados palestinos para armazenar foguete, em desrespeito à neutralidade das escolas. A ONU condenou o ocorrido e afirmou que este fato é inédito na história da organização. No sul de Israel, uma escola israelense foi danificada por disparos de foguetes a partir de Gaza.

A Unicef alerta para o fato de que crianças arcam com o ônus da escalada de violência em Gaza e Israel, e tenta dar apoio no terreno para as crianças. Além disso, reforço o pedido do Conselho de Segurança da ONU ao convocar todas as partes “a exercer a máxima e urgente contenção para a proteção de civis”, afirmando que isso “não só para o bem da paz, mas pelas crianças que sofrem o pior dessa violência atual”.

A Unicef também divulgou um vídeo, em que um menino palestino, morador da Cidade de Gaza, de 8 anos, conta como foi o ataque que o feriu. O pai do garoto, ao lado do filho no hospital, pergunta: “Esta criança tem 8 anos e já passou por três guerras. Quando ele se tornar um adolescente, quantas guerras ele vai ter experimentado?”. Veja o vídeo:

GGN

Recomendados para você

Comentários

  1. Allysson W. Postado em 24/Jul/2014 às 09:44

    Triste! O mundo deve boicotar Israel...

    • Rogerio Postado em 24/Jul/2014 às 10:50

      Funcionou com o apartheid. Funcionaria com Israel. Mas o boicote seria uma boa se inclusive os EUA contribuísse.

      • Pereira Postado em 24/Jul/2014 às 12:20

        Vai contribuir, Obama foi eleito para certas missões e duas delas são : rompimento com israel e quebra da economia americana. O objetivo disso é facilitar a implantação do governo socialista global via ONU. Governo globalista que tem 3 adversários fortes, a saber : Economia nacioanlista americana, Estado de Israel e cristianismo. OS 3 estão sendo atacados diariamente no mundo.

  2. Pereira Postado em 24/Jul/2014 às 09:53

    tudo isso causado por psicopatas terroristas fundamentalistas que usam escolas e moradias civis para esconder armamento e montar base de lançamento de mísseis. Transformando as mesmas escolas e moradias em alvos militares legítimos. Esses terroristas do hamas tem que serem presos para o bem do próprio povo deles, povo que eles não se importam nenhum pouco

    • Rogerio Postado em 24/Jul/2014 às 10:55

      Hamas é partido político e como tal, está sujeito a críticas. Mas Israel obviamente tem culpa. Sabendo haver civis, até crianças num local, ataca mesmo assim? Se o Hamas é covarde por, conforme vc diz, usar civis como escudo, Israel é mais covarde por usar civis como alvo. Se um seqüestrador aqui no Brasil usa a vítima como escudo, a polícia não pode atirar. Pense nisso.

      • Paulo Postado em 24/Jul/2014 às 11:52

        ´Concordo e acrescento que Israel alega, mas não prova que escolas e moradias sejam depósitos de armamentos.

      • Pereira Postado em 24/Jul/2014 às 13:21

        Rogério esse pessoal conseidera os terroristas herois. Está na culutra deles se matar e matar os outros por uma "causa". Pouco importa se quem morre são crianças ou velhos, eles põe armas letais em mãos de crianças de 3 anos de idade. Estou mentindo ?

  3. Pereira Postado em 24/Jul/2014 às 13:18

    "Se um seqüestrador aqui no Brasil usa a vítima como escudo, a polícia não pode atirar. Pense nisso." Só que lá os civis voluntariamente servem como escudo, voluntariamente cedem suas casas para depósito de armamentos. Como desconhecem que fazendo isso se tornam alvos militares legítimos e acreditando na mentira dos terroristas acabam cedendo.