Redação Pragmatismo
Compartilhar
Copa do Mundo 20/Jun/2014 às 19:40
55
Comentários

‘Yellow Blocs’ – A Copa do Mundo vista pelos coxinhas

Como é a Copa do Mundo para os reis do camarote? O que a elite mais instruída do país está achando do mundial? O que eles comem, vestem, pensam? Como é a vida dentro deste aquário VIP, verde e amarelo?

No show de horrores da agora famosa festa VIP (vídeo acima) em que uma multidinha de coxinhas pagou até 1000 reais para ver o jogo da seleção com o México, um personagem chamava a atenção: o cantor Seu Jorge.

Que diabos Seu Jorge estava fazendo ali?

Tudo bem. Sua mulher, Mariana, estava lá. No vídeo, ela avisa de cara que veio “especialmente de Los Angeles, onde a gente mora, pra ver essa bagunça”. Depois reaparece com alguns patuás falando frases completamente sem sentido. Ok. Ele é um dos sócios da casa noturna. Ainda assim.

Volto a perguntar: que diabos seu Jorge estava fazendo ali, tocando para aquela turma barra pesada?

Antes de LA (pronuncie “Él Ei”), o casal morou com as filhas em São Paulo. Numa entrevista, ele contou que certa noite foi a um shopping ver “Ratatouille” e saiu no meio da sessão para fumar um cigarro. Na volta, duas senhoras o viram e chamaram o segurança, achando que se tratava de um assaltante.

Ele armou um quiproquó ameaçando denunciá-las por racismo. Desistiu quando a confusão cresceu. No Rio de Janeiro, cada passeio que dava em sua Lamborghini branca era um acontecimento. Saía nos jornais. “O que o negão está fazendo num carro desses? Quem ele pensa que é?” — era a pergunta impressa no rosto das testemunhas e embutida em cada entrelinha.

Ele não vive em negação. Pelo contrário. O homem que morou nas ruas de Santa Teresa já falou sobre sua experiência traumática na Itália. “Não volto lá nunca mais. O italiano é racista. Eles têm sérios resquícios da colonização que sofreram: não aprenderam a lidar com outras etnias. Me maltrataram muito. Lá, percebi que, por ser negro, não era brasileiro, era da África, da Somália. No Brasil, isso também é forte ainda, viu?”

Você vai me dizer que é o trabalho dele e você não está errado. Que ele estava ali porque queria, ué. “Houve um tempo em que artistas diziam: me dê liberdade ou me dê a morte. Hoje eles dizem: me faça um escravo, apenas me pague o suficiente”, afirmou o escritor Todd Garlington.

Em 1965, os Beatles foram ao palácio de Buckingham receber uma condecoração da rainha, a MBE. “Aceitar a medalha foi me vender”, Lennon afirmaria mais tarde. “Eu sempre odiei essas coisas sociais. Todos os eventos e apresentações. Todos falsos. Você podia enxergar por dentro daquelas pessoas. Eu as desprezava”.

Provavelmente, Seu Jorge não despreza aquelas pessoas, senão não estaria ali. Mas não seria exagero pensar que a maioria delas o desprezaria — ou chamaria o segurança — não fosse ele o cara famoso que estava lá para diverti-las cantando “Burguesinha” enquanto decidem quem vão mandar tomar no c…

Kiko Nogueira, DCM. | Com informações de Advogados Ativistas

Recomendados para você

Comentários

  1. CLAUDIO LUIZ PESSUTI Postado em 20/Jun/2014 às 19:55

    Pegaram as pessoas mais imbecis para falar.Acho.

    • Alvaro Postado em 20/Jun/2014 às 23:07

      Acho que não, minha cara. Teve uma galerinha dando uma opinião razoavelmente boa...

    • Nara Postado em 20/Jun/2014 às 23:12

      Porque se tiver pior, PoHAAAN! hahahaha

  2. Thiago Teixeira Postado em 20/Jun/2014 às 20:05

    Existe dois tipos de Elite no Brasil muito bem explicita no vídeo. Observamos a Bruna Angotti (1:12) indignada com o valor que ela pagou pelo tratamento Vip, pois esta é a verdadeira burguesa, elite, rica aparentemente. Aposto que ela deve votar no PT, é fácil chutar esta hipótese quando ela diz que tem o mesmo tratamento dos “pé de chinelo” que pagaram 300 reais. Errou, a situação é pior, pois tem aqueles que pagaram 150, 230 … e esta é a turma da vaia, os falsos Vips, a classe mérdia metida a rica que compõe 80% do eleitorado do PSDB. A amiga dela, advogada (que veio na aba da ricona, aparentemente) desfoca para a crítica partidária, assim como os pé de chinelo (e tem aquele que tem medinho de levar facada na baço kkkk) que admitiram pagar pouco e ainda querem pagam uma de “anti copa”, ” fora Dilma”. Resumindo: Povão e o ricos bem sucedidos é Dilma. Classe mérdia sem educação e metida a Vip-Top é Aécio.

    • José Ferreira Postado em 20/Jun/2014 às 23:57

      A Dilma faz um governo para os endinheirados e para os mortos de fome. Além disso, aprova leis em que a maioria da população é contra, e não toma a iniciativa de liderar projetos que a sociedade pede. Não é a atoa que ela foi vaiada, não apenas pela "elite branca", mas por toda uma população que queria estar lá no estádio para mostrar também a sua insatisfação.

    • Rodrigo Postado em 21/Jun/2014 às 11:35

      (outro Rodrigo) De novo repetindo o coro contra a classe-média, Thiago? Certa vez, respondendo a um comentário meu, você prontamente bradou "PAAAAARAAAA DE FALAR DE ESQUERDAAAAAAA", criticando a repetição de chavão e acaba, reiteradamente, incorrendo em outro? Então, torno a repetir: 1- Collor apontou a mira para os Marajás e os incautos o seguiram; 2- de Itamar a FHC, chegando mesmo até o mandado de Lula, a culpa era das "elites dominantes" e, aí todos aplaudiam; 3- hoje, com muito companheiro "nazelite", no governo Dilma a mira torna a baixar, mais, agora na direção da classe média e muitos aplaudam, ecoando, sequer refletindo acerca da sucessiva eleição de bodes expiatórios, sempre na tentativa de desviar o olhar do eleitor do grupo político-econômico no poder - "o inferno são os outros". Assim, lamento confrontar suas ilusões, seu empirismo, e dizer que, em verdade, grande parcela da população está, sim, vendo-se num beco sem saída, sem saber qual é o candidato menos pior para votar; sequer fiz questão de transferir meu título de volta para a BA (título que transferi em 2002, para votar em Lula, vez que acreditei, como tantos, que a "esperança" ia vencer o medo, mas só vi mais do mesmo e muito me decepcionei), pois não vejo esperança em nenhum dos candidatos, cada um representando seu respectivo grupo político-econômico (por mais que deseje a saída do PT do Executivo Federal, ou seja, da Presidência, apenas e após a reeleição, o que não se confunde com o desejo de extirpar partidos da vida política, desejos comuns a Bornhaunsen e Lula, não acho que vale a pena votar em Campos ou Aécio). Assim, Thiago, respeite tantos pais de família dignos e trabalhadores, como os meus, como você, em vez de apenas reverberar um discurso pronto e destinado a distrair o eleitor, em vez de, como muitos, apenas ficar com a boca cheia da "mérdia" que tanto vociferam. Você é um rapaz inteligente, digno, que muito alcançou com o esforço pessoal, a começar da formação, eu fazendo votos de que assim siga, sempre evoluindo e, claro, jamais esquecendo-se de cobrar o eleito, seja ele quem for.

      • Thiago Teixeira Postado em 21/Jun/2014 às 12:53

        Sou da Opinião da Chauí, na minha concepção não existe classe média, e sim Burguesia e Proletariado. Alguns miseráveis o outros com condições melhores, mas não são livres, não pode acordar 10 da manhã e cavalgar numa fazenda, precisa trabalhar seja de médico, engenheiro, faxineiro, diretor de empresa, enfim, é TRABALHADOR. E nenhum pai de família digno iria se ofender com meus comentários, muito pelo contrário, iriam concordar que existem pessoas que querem tratamento privilegiados e nada são que Peões com diploma, como eu.

      • Rodrigo Postado em 21/Jun/2014 às 14:05

        (Outro Rodrigo) Já admirei Chauí, até lamentar a atual fase da filósofa, atualmente dando-se a destilar ódio, explicitamente bradando, aos risos de Lula, "EU ODEIO A CLASSE MÉDIA". Talvez faria bem à mesma filosofar conjuntamente com Mário Sérgio Cortela, discutindo temperança, harmonia e amor ao próximo, distanciando-se do ódio que, hoje, lamentavelmente, profere (filosofia e ódio não são vocábulos que se atraem). Quanto ao peão com diploma, concordo, especialmente em louvor à igualdade entre os cidadãos e valor ao trabalho (hoje praticamente execrado por muitos. Discordo, contudo, ao lembrar de meu pai, funcionário de tantos anos da Petrobrás (não da Petrobrax, nem da PTbrás), sem ensino superior, que nas muitas noites de plantão em campos de exploração, nas muitas madrugadas, ao se sentar um pouco, colocava o capacete nas mãos e, dentro dele, punha as luvas, a fim de que, caso o sono tentasse vencê-lo, ele pudesse acordar com o barulho do capacete caindo - essa é a pessoa que trabalhou desde novo, não tendo nascido em berço de ouro, e que fica, sim, indignado, ao ver brasileiros odiando a si mesmos, brasileiros elegendo como bode-expiatório, objeto de ódio, culpado das mazelas do país, uma pessoa como ele, que tanto batalhou, até se aposentar, que pagou seus impostos com retenção na fonte, que tanto buscou prover saúde, educação e tanto mais (serviços públicos essenciais que os governos sucedem-se negando a provê-los com qualidade) à sua família.

    • Rodrigo Postado em 21/Jun/2014 às 12:41

      (Outro Rodrigo) A contradição é livre e nem nos damos conta disso... Seu Jorge estava ali a trabalho, assim como o Advogado de José Dirceu no STF, assim como os bons atores Paulo Betti e José de Abreu, ambos no “PIG”. Então, se todos estão a trabalho, exercendo seu ofício dentro dos limites postos pela lei, sem qualquer abuso de direito, por que incluir Seu Jorge no índex de Cantalice? Agora, ao aceitar trabalho lícito, ele perde a autonomia da vontade e passa a ser um manipulado? Não mais tem discernimento e inteligência, assim como tanto hoje é dito quanto a Barbosa? Como muitos disseram de Barbosa, Seu Jorge agora é um “Capitão do Mato”, “Traidor” e “Negro vendido”, que tem de “apanhar nas ruas e nas urnas”, pois contra “esse tipo de gente toda violência é permitida” (da última vez que isso foi dito, um Governador idoso e em tratamento de câncer foi apedrejado por professores, o que não foi tachado de feio ou desrespeitoso, ao revés, muito além de ser dito apenas “compreensível”, foi dito justificável em função de ele “ter procurado confronto”)? Só é belo e bom o que corresponde ao nosso grupo político, o outro tendo de ser alijado de nosso convívio? Só é belo o xingamento quando é Lula alcunhando o então Presidente Itamar Franco de “filho da p*” (jamais foi pedida desculpa, em resposta havendo digna resposta do então Presidente), sendo odiosa e discriminatória à mulher o xingamento a Dilma (o xingamento, mas não a vaia, eu lamento em ambos os casos, pois não representa argumento algum)? Só é belo quem trabalha no “PIG” e nos segue, sendo odioso qualquer outro (o menosprezo ao trabalho aqui correspondendo ao da torcida organizada, cujos membros certamente sempre buscam salário melhor, mas prontamente xingam de mercenário o jogador que conseguiu melhor salário em outro clube). Um vídeo pode prontamente revelar o objeto de nosso ódio. Mas um vídeo não revela coisa alguma se mostra uma mãe que, em vez de fazer bom uso do benefício recebido, quer um aumento para poder comprar uma calça de trezentos reais para uma jovem de dezesseis anos. Um vídeo, pois, que assim decidamos, pode prontamente nos levar a bradar: “ei, você aí, faça caridade, divida o que tens e só aguarde um pouco, enquanto eu vou registrar esse momento com meu IPhone e divulgá-lo nas redes sociais, para, mais tarde, tomando um vinho caro ou uma geladíssima Budweiser, eu possa rir da classe média e do quanto eu acho que ela ostenta e não divide” (salvo efetiva comprovação, ninguém na festa ali estava gastando verba pública, ao revés tendo pago do próprio bolso – concordo com ideais de caridade e amor ao próximo, mas me intriga quando alguém se nomeia censor da caridade, impondo-a, sem a praticá-la). Abandonemos, pois, a contradição, bem como o desvalor do concreto, do real. Em vez do “se... se... se...”, pior ainda que o mundo "Minority Reportiano" (distorcido, claro, pois, no filme, o crime seria previsto e iria ocorrer, na discussão política sequer importando a verdade). Em lugar do “se”, melhor seria louvarmos o "ici" (do francês, "aqui") - o aqui, a realidade, o real, sem pré-julgamentos, sem preconceitos. Não busquemos a cisão de um povo, mas a união de cidadãos, aceitando a diferença e o direito à livre escolha, à autodeterminação alheia, sem que isso seja demérito ou motivo de condenação e alijamento do convívio social. Não busquemos ideais maniqueístas, como se uns fossem melhores que os outros, como se um tivesse apenas qualidades e o outro todos os defeitos possíveis. Isso ou que descambemos a pensar que, na festa, estavam “coxinhas reaças brancos de olhos azuis da elite-classe-média protofacista paulista racista filhotes de Reinaldo viúvas da ditadura, que temos de procurar em nossas redes sociais, a fim de prontamente bloqueá-los e excluí-los", pois, certamente... Eu acho... Se... Penso, logo... Deve ser... Ou melhor... É e pronto! E que, com toda nossa contradição, empirismo e pré-julgamentos e pré-conceitos, nos esqueçamos da correção própria e de “nosso” grupo político-econômico. P.S.: sou pardo, descendente de índios, brancos e negros, sou baiano e, logo, nordestino, tendo votado em Lula em 2002, após o que, não mais. P.S.: não votaria em Dilma, Aécio ou Campos (em função dos candidatos, sequer transferi meu título de eleitor) e não concordo com os xingamentos (a Dilma ou a quem quer que seja), mas, quanto às vaias, não podemos querer censurá-las, sejam dirigidas a quem for, a fim de que não sejamos "contraditórios torcedores políticos organizados cafés-com-leite": 1- "eu posso xingar Presidente idoso, posso apedrejar governador idoso e em tratamento de câncer, mas acho discriminatória a vaia à Presidenta"; 2- "eu posso questionar a sexualidade de Dilma, mas não admito que se questione as de Romário e Lula"; "3- "eu posso falar do alegado uso abusivo de álcool afirmado a Lula, mas não admito que se fale do alegado uso abusivo de drogas afirmado a Aécio"; 4- "eu defendo a invasão da propriedade alheia, desde que não seja a do Instituto Lula".

      • Silva Postado em 21/Jun/2014 às 15:29

        Rodrigo você poderia tentar uma vaguinha na Veja ou Folha, quem sabe os coxinhas iriam ler, porque aqui seu texto longo, me dá uma preguiça, um soninho, não perco tempo.

      • Thiago Teixeira Postado em 21/Jun/2014 às 15:41

        Silva, é Ctrl+C e Ctrl+V do simulador coxinheitor, é simples e prático: www.zueracard.com.br/coxinheitor

      • Denisbaldo Postado em 21/Jun/2014 às 17:26

        Eu mesmo já havia aconselhado o cidadão a ter seu próprio blog, porque é muita pretensão dele achar que alguém neste site vai perder seu tempo precioso lendo esses textos gigantescos. Ele produz comentários 5 vezes mais longos que a própria matéria, é muita falta de noção mesmo. Ele não entende o que a palavra "comentário" significa. Deve ser da turma do Aego Never.

      • Thiago Teixeira Postado em 21/Jun/2014 às 18:03

        kkkkkk pior que eles sabem que eu leio, como li este!!!!! kkkkkkkk Agora bora recolher os maquinários pra dentro do canteiro de obra!!!!!!!!

      • Rodrigo Postado em 21/Jun/2014 às 19:22

        (Outro Rodrigo) Blz, campeão. Sigam odiando, proclamando a cisão de um povo e se julgando o último charuto de Havana. Pouco ser importem com a contradição política, pois "quem comeu, comeu, e agora é nossa vez". É mais fácil e cômodo viver assim, não? Basta resumir o vocabulário a "coxinha" e pronto, a etiqueta e a mordaça foram postas e agora é hora de odiar (esses dias, até pra Thiago Teixeira sobrou, em mais de um post sendo chamado de reaça...)! Pré-julgamento e contradição, um dia a gente vai parar de ver em discussões políticas. Espero...

      • Denisbaldo Postado em 22/Jun/2014 às 09:15

        Esse Rodrigo deve estar apaixonado pelas pessoas aqui. Sim, porque não faz sentido algum alguém com pensamentos sempre contrários ficar dando murro em ponta de faca. Fala aí cara, você foi curado, não é mais um coxinha, só não saiu do armário ainda! Glória Jesus! O Feliciano inventou a cura gay e nós inventamos a cura coxinha!

      • Rodrigo Postado em 22/Jun/2014 às 11:10

        (Outro Rodrigo) Enquanto tantos ficarem tão ocupados em se melindrar a cada vez que o nome "Lula" for citado, em se negarem a reconhecer falhas que comportam correção, em achar que a perfeição é atributo do ser humano e que o mal reside no crítico, persistirão julgando-se na condição de censores, resumindo comodamente o vocabulário a "coxinha", limitando a mente ao "se me critica, me conclama a raciocinar, comparar contradições mútuas, é porque ama Feliciano, Bolsonaro, Aécio e FHC". Sabem de nada, inocentes! Uma pena...

      • Celio Bernstein Postado em 22/Jun/2014 às 20:18

        Nem li...

      • Celio Bernstein Postado em 22/Jun/2014 às 20:41

        Olha... Não sei quanto a vocês, mas eu ri alto aqui depois de assistir este vídeo. Coisa do tipo "classe média sofre" e tals... Não vejo algo neste estilo desde o Rei do Camarote (só faltou a bebida que pisca).

      • Denisbaldo Postado em 22/Jun/2014 às 22:32

        Rodrigo, pare de nos julgar, você não é nada melhor que ninguém aqui. Inocente é você, um puta de um sem noção, cheio de tempo pra escrever suas teorias pra ninguém ler. Se é tão bom assim candidate-se, seja eleito e mude o país. Vá procurar a sua turma, seu babaca.

      • Rodrigo Postado em 23/Jun/2014 às 11:49

        (Outro Rodrigo) Eu estou julgando, ou você está se resumindo a agressões ou etiquetamentos, sem qualquer argumento contrário, sugerindo a mim não mais comentar aqui? Denis, se este é um veículo de mídia, não pode negar o acesso a ninguém, não sendo devida a censura - se o norte é liberdade e democracia, livre informação, a negativa ao acesso, à fala, mesmo à dissonante -, sob pena de serem ratificados ideais ditatoriais (nesse sentido, reconheço e parabenizo, em que pese o desejo de alguns comentaristas, o Pragmatismo ainda é um dos poucos blogs a publicar comentários divergentes). No mais, ao ler algo de que discorde, posso levantar argumentos (mas não ofensas) contrárias, sendo livre aos demais também levantar argumentos, mas não ofensas ou buscar a censura, a vedação à fala. Apenas isso. Então, discordou de mim, tem dados e argumentos para rebater, ótimo! Sigamos para a discussão racional, lúcida, partindo do que é concreto, em respeito à liberdade de pensamento e de crítica (mas não de ofensa, de censura).

    • Rafael Martini Postado em 21/Jun/2014 às 17:25

      Thiago, também tenho observado que os mais raivosos são justamente dessa classe média que emergiu um pouco mais nos últimos tempos e agora se acham ricos. Sentem-se "esquecidos" pelo Governo Federal, mas não sabem responder de que forma a vida deles piorou nos últimos anos. No máximo, com afirmações vagas, apontam que a violência, saúde e educação estão ruins, embora desde sempre passam dia e noite em recintos com segurança particular, têm plano de saúde e estudam em escolas privadas. Afora a "corrupção", que é apontada como mãe de todos os males, mas muitas vezes relevada quando ocorre no dia a dia.

      • Thiago Teixeira Postado em 21/Jun/2014 às 18:07

        Legal! Repare que a loira ostentação Bruna Angotti nem tocou em picuinhas partidárias, ela está apenas incomodada com os falsos Vips. Estes se acham classe rica e querem criticar o governo para se sentirem incluídos na comunidade "Top" coxinha.

  3. Beto Postado em 20/Jun/2014 às 20:12

    Sabe o que sempre achei estranho sobre esses depoimentos de racismo que já sofreram os famosos e ricos? Eu tenho um tio adotado, negro, mas não mulato, negro , para mim nunca fez diferença, quando era pequeno e veio nos visitar( eu morava em uma cidade de interior colonizada estritamente por italianos) uma amiga minha chamou o de macaco, coisa que não tinha entendido, entretanto em pouco tempo, em uma cidade muito pequena e com uma cabeça muito fechado criou grandes laços de amizades e nunca se sentiu incomodado em voltar. Ele nunca se queixou de racismo, talvez porque foi criado em "berço de ouro" ou talvez porque ele realmente não se importa, passou a lua de mel na europa e disse não ter sofrido preconceito, se sofreu disse que nem notou, assim como disse que já aconteceu varias vezes. Hoje ele está se mudando de um período de estudos no exterior. Sabe que o racismo existe mas disse que discutir isso é perda de tempo, prefere ignorar solenemente e se focar em seu trabalho, quando é discriminado em uma loja não volta mais, se uma pessoa olha estranho ele vira a cara... Sobre o resto, porra deixa essas pessoas gastarem o dinheiro delas como quiserem, parem de destilar veneno, o artista faz certo, enquanto debatem e travam batalhas para criticar o mundo, eles aproveitam vendo tudo de camarote!

    • Thiago Teixeira Postado em 21/Jun/2014 às 18:13

      Cara, eu sou negão, mas se eu encontrar o Seu Jorge numa quebrada até eu saio correndo!!! kkkk o Cara simplesmente é o Mané Galinha e o Berada do tropa de elite! Mas quem é negro sabe quando há realmente o racismo de etnia, é um sentimento que não dá para explicar, é diferente de uma brincadeira, um mal entendido ou de quando alguém cruza uma viela a noite com a gente, é desumano.

  4. Carla Postado em 20/Jun/2014 às 20:23

    Nossa quanto esclarecimento político desse povo. A reflexão profunda diante das manifestações foi incrível, chocada aqui com a importância que eles demonstraram em seus discursos >>>>> leia-se com ironia

  5. André Postado em 20/Jun/2014 às 20:25

    Show de "humildade" desse pessoal. Se queriam privacidade, teria sido melhor assistir ao jogo em casa. Pelo menos seria de graça. Mas como diz Caetano Veloso: "cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é."

  6. Leandro Dubost Postado em 20/Jun/2014 às 20:48

    Coxinhas não! São coxinhas de ossobuco! O nível é outro!

  7. Victor Sobrinho Postado em 20/Jun/2014 às 21:02

    O pior é ouvir a esposa do Seu Jorge falar "cocretinho", puts!!

  8. Alexandre Postado em 20/Jun/2014 às 21:03

    Que gente cafona credo!!! Desde quando VIP precisa pagar? VIP são pessoas que são convidadas por serem consideradas importante, Very Important Person, essas pessoas só pagaram pra entrar na festa de resto são comuns, essa é "zelite" que acha-se importante porque pagou mais, porém continua cafona...

    • Beto Postado em 21/Jun/2014 às 11:06

      Num evento que visa o lucro uma pessoa que paga mais que o dobro é um pessoa muito importante, não?

  9. Amanda Postado em 20/Jun/2014 às 21:40

    "Não que eu seja melhor que ninguém, mas eu paguei mais caro." Aham... Só dela ter dito que pagou mais caro, já deixa subentendido o fato dela se sentir melhor que "o outro".

  10. Astolfo Postado em 20/Jun/2014 às 21:49

    Burguesinha, burguesinha, burguesinhaaaaaaaaaaa

  11. Denisbaldo Postado em 20/Jun/2014 às 22:46

    Rico é o Leonardo Di Caprio que está instalado em um iate de 1,5 bilhão de reais. Tenho certeza que ele não está reclamando de nenhum governo do planeta mesmo pagando muito mais imposto do que essa festa inteira em 10 anos de rendas somadas. Essa galerinha se acha tão rica e tão por cima da carne seca, mas reclamam mais que qualquer pobre que já conheci, até ofender uma chefe de estado são capazes sem nenhuma vergonha na cara. Cada um tem o que merece nessa vida, malandro é malandro e mané é mané. Cada um com o seus cada qual. E quer saber, vão engolir a Dilma e as coxinhas de ossobuco por mais 4 anos!!!

    • Deisi Postado em 21/Jun/2014 às 11:38

      Perfeito Denisbaldo, existe pessoas ricas e ricas, podendo considerar que a elite brasileira pensa que é rica, são tão pobres tão podres, só tem dinheiro, e não é tanto assim, muitos vivem de aparência. Os coxinhas recalcados ainda vão sofrer demais, considerando que mais pessoas não pertencente a essa classe burguesa e reacionária, está chegando perto do que eles consideram a cara da riqueza, pobres coitados! Mas o costume de só porque tem um pouco de dinheiro, crescer em cima dos outros é antigo, uma amiga da minha mãe, isso pelo menos uns 40 anos atrás, seu chefe foi grosseiro, sua resposta foi um tapa com luva de pelica, o senhor pensa que é rico? saia na rua vê se alguém lhe conhece, rico pra mim é o Matarazzo. Lá se vão décadas, mas a burguesia patética não muda.

      • Denisbaldo Postado em 21/Jun/2014 às 14:58

        Essa burguesia ainda não entendeu que se não houver uma melhor distribuição de renda neste país o nosso futuro muito próximo será sombrio de verdade, com uma violência muito mais acentuada e muito mais cruel do que aquela que eles tanto reclamam hoje em dia. São tão imbecis que acreditam que já estamos em uma guerra civil!!!Como não são ricos de verdade, são burgueses, a maioria não têm helicópteros, carros blindados, iates, jatos particulares ou casas no exterior para fugirem daqui em caso de uma guerra civil de verdade. Eles são tão normais quanto o cara que vende chiclete no farol da esquina. Estão no mesmo barco que eles. Infelizmente não enxergam a realidade tão óbvia em suas vidas. São filhos e netos desinformados da geração do senhor que você contou a história. Conheço muitos assim e isso me entristece profundamente. Sei que levaremos décadas até nos tornarmos uma nação justa e solidária.

  12. Victor Speed Postado em 20/Jun/2014 às 22:53

    Poucas vezes na minha vida vi algo tão grotesco como as declarações deste "povo"... Será que eles fazem parte do mesmo Brasil em que eu vivo? Fazem sim, que curioso...

  13. Sonayra Postado em 20/Jun/2014 às 23:09

    Gastura!

  14. Olívia Juliana Postado em 21/Jun/2014 às 00:30

    Desde quando democracia é desrespeitar o outro? Democracia é saber que todos tem seus direitos e deveres iguais, é poder se expressar, mas não usando de argumentos de baixo calão que ofendem o outro. A Dilma não é a primeira(o) que desvia verbas e faz o que faz... Assim como a advogada disse, é o PT que está errado, é o governo que vem de muito tempo com corrupção. Tantas pessoas com um status social de elevado nível ai e quão ignorantes e mau educados são. É por essa gente que o Brasil está como está, gente que tem o poder de representar muita gente, já que tem um bom status, que são "estudados", que o Brasil segue como está. Quero ver se vão às ruas. Já que ganham bem, ficam no seu mudinho de comer caviar na cobertura, de pagar 1.000 para sociaizinhas. Que gente pre-conceituosa, racista e discriminatória.

  15. Thiago Postado em 21/Jun/2014 às 00:57

    "Tenho medo de tomar uma faca no baço!!" Em qualquer lugar pode, mas no BAÇO NÃO!!!

  16. Kênia Lucena Postado em 21/Jun/2014 às 00:57

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Pelo amor de Deus alguém me explique a essência deste vídeo. É trágico e cômico ao mesmo tempo. A intenção da Folha S.P. é zoar esse povo mesmo ou é glamorizar esse comportamento/pensamento bizarro da pobreza high society de espírito?

    • Denisbaldo Postado em 21/Jun/2014 às 15:02

      Boa pergunta, é patético e cômico ao mesmo tempo. Quase uma obra de arte contemporânea, pode concorrer a alguns festivais de curtas pelo mundo afora. É tão surreal que parece ter sido produzido com atores profissionais.

  17. Renata Postado em 21/Jun/2014 às 07:44

    Festa estranha com gente esquisita....Só reclamam que pagaram caro,reclamam do governo,falam que vieram de LA e que a jóia é da H.Stern, gente mais chata.

  18. Carla Postado em 21/Jun/2014 às 09:44

    Bom, realmente observamos o racismo no próprio texto, que esculhambou Seu Jorge por estar cantando em um lugar que é sócio, e justifica sim estar ali, e deixou de citar especificamente um bando de idiotas(brancos) filosofando....

  19. luciano Postado em 21/Jun/2014 às 09:59

    ...Deu vontade de vomitar vendo esse vídeo!! Seu Jorge, hein! pelo amô! mas como diz uma parte da letra dos racionais: "em troca de dinheiro e um carro bom...tem nego que rebola e usa até batom"

  20. Rodrigo Postado em 21/Jun/2014 às 11:43

    Bando de otários.... Tamo mal de classe média hein... Quem deveria ajudar a acelerar a revolução tem qi de ameba.... Fica difícil pro país assim...

    • Guilherme Augusto Postado em 21/Jun/2014 às 15:37

      Like no seu comentário Rodrigo! Penso o mesmo.

  21. Guilherme Augusto Postado em 21/Jun/2014 às 15:33

    Achei interessante os closes no garçom: a coxinha sendo servida à solta ali!! Sucesso!!

  22. Leonardo Ribeiro Postado em 21/Jun/2014 às 23:31

    O vídeo é uma aula de IRONIA. Quem não consegue entender o conceito do que é ironia basta assistir para ter o exemplo. Uma coisa que os pais daquela moça não ensinaram a ela: a gente olha o que os outros têm somente quando os outros não têm o suficiente. Daí a gente olha e ajuda com o que puder. Agora a pessoa se achar melhor que os outros porque pagou 1.000 reais enquanto os outros "pobres" apenas 300... sem comentários.

  23. Deisi Postado em 23/Jun/2014 às 10:53

    Denisbaldo, o Rodrigo é um caso perdido, motivo pelo qual deixei ler seus comentários, não é o fato dele ser coxinha, mas sim o irritante é sua arrogância, uma vez aqui buscou palavras, para me humilhar, que eu consegui entender, pelo contexto. O problema dele é apelar, humilhar, julgar, mas a conclusão que chego, que ele usa o Pragmatismo, para aumentar sua autoestima. porque sempre acha que o site é um lixo, ele deveria sim ter o blog, para seus textos.

    • Rodrigo Postado em 27/Jun/2014 às 18:20

      (Outro Rodrigo) Não tínhamos combinado mutuamente nos ignorarmos, Deisi? Aliás, você fez tal pedido e eu o respeitei, mas você torna à carga, com ofensas a mim. Lamento e faço as devidas correções: 1- em função de minha profissão, acabo sempre escrevendo de modo formal (tomo como uma crítica positiva, ainda que você tenha concluído de modo equivocado), deixando modo mais informal para momentos com conhecidos, não revelando busca pela humilhação de outrem; 2- Não acho o site um lixo, não sendo adepto de generalizações, ao contrário elogiando quando creio devido (matérias sobre o Boko Haram; sobre a ideologia em filmes americanos; bem como a ampla liberdade de expressão a comentários - mesmo os divergentes, os carregados de ofensas); 3- minha autoestima anda bem, dependendo de coisas diversas que não ofensas (já entendi diversamente e não deu certo); 4- lamento mais ofensas à minha pessoa, como de costume, relembrando, assim como fiz a Denis, que a busca pela censura é sofrível, então, se discorda de mim, basta apresentar seus argumentos, mas não ofensas, xingamentos, este sendo um veículo de mídia, de livre acesso; 5- não sou um "coxinha", não resuma sua argumentação a tal palavra, em verdade eu sendo um cidadão brasileiro, assim como você, com os mesmos direitos e deveres (em que pese o intento dos políticos em proclamar a cisão de um povo); 6- ao fim, pois, sua conclusão está equivocada, de meu lado eu apresentando argumentos em comentários, ao que tantos outros se resumem à adjetivação pejorativa e à busca pela censura - menos ofensas e mais argumentos.

  24. Isabela Postado em 23/Jun/2014 às 14:18

    Ela é tão rica, mas tão rica, que a única coisa que ela tem é dinheiro

  25. felipe p Postado em 24/Jun/2014 às 16:48

    Perguntem ao Luiz Melodia sobre o Seu Jorge... O que tenho a dizer sobre o vídeo:

  26. Deisi Postado em 24/Jun/2014 às 16:54

    São tão pobres, tão pobres, tão pobres, só tem dinheiro.

  27. Daniel Borges Postado em 25/Jun/2014 às 11:48

    Como na música Eduardo e Mônica do Legião Urbana: "Festa estranha com gente esquisita, eu não estou legal..." Festinha de gente babaca é comum num mundo repleto de pessoas sem conteúdo e que se acham no centro do mundo.

  28. Roberto Pedroso Postado em 28/Jun/2014 às 10:00

    Parafraseando Oscar Wilde "o cínico(mas no nosso caso a elite) é alguém que sabe o preço de tudo e não sabe o valor de nada."