Redação Pragmatismo
Compartilhar
Mulheres violadas 10/Jun/2014 às 16:02
27
Comentários

Vídeo de homem agredindo mulheres no McDonald's revolta internautas

Vídeo de covarde agredindo mulheres em Drive Thru do Mcdonald's viraliza na internet. Esposa do agressor pede desculpas e diz que marido está "de cama, medicado e muito arrependido"

Três jovens foram agredidas verbalmente na última semana (vídeo abaixo) por um homem identificado por Roberto Marinho, no Drive Thru da rede de fast food McDonald’s, em Teresina-PI.

Segundo relato de uma das vítimas em sua rede social, a briga teria começado logo após o homem engatar marcha ré e a mulher que estava no volante buzinar para que ele não batesse em seu veículo, foi quando o homem desceu do carro e começou a insultar e hostilizar as jovens.

Ainda de acordo com a publicação, ao perceber que todas as ocupantes do carro eram mulheres, o homem começou a xingá-las com palavras de baixo calão. Toda a ação foi gravada. As vítimas ficaram ainda mais revoltadas porque nenhum dos funcionários do estabelecimento prestou qualquer tipo de ajuda para elas.

O caso já tomou as redes sociais e está causando revolta entre os internautas em todo o Brasil. O nome das vítimas não serão revelados, a fim de manter a integridade de cada uma.

Confira a publicação completa de uma das vítimas no seu Facebook:

Fomos vítimas esta madrugada, de um desequilibrado que nos expôs ao ridículo na fila do drive do MC , sem motivo. E o que o Mc Donald fez? Nada!!Sendo assistido pelos funcionários e seguranças do local que mantiveram-se inertes.Tudo começou quando esse cara ai do vídeo deu ré e buzinamos por cautela pra não encostar e ele pôs a cabeça pra fora do carro e desafiou: vocês não sabem o que é sensor de estacionamento não?? Respondemos: não, só câmera de ré! Foi quando começou os xingamentos e quando ele percebeu que éramos 3 mulheres o nome menos deplorável que ouvimos foi “raparigas”. Creio que um palhaço desses não deve ficar impune pela mentalidade acomodada de brasileiro de “não-vai-dar-em-nada”. Se não der, conto com a Justiça de Deus, que essa sim jamais falha. Mas deixar em passar em branco, sou contra. Será que ele seria tão “machão” quanto foi se ao invés de 3 mulheres fossem 3 homens?…Por favor compartilhem o vídeo e a mensagem!

Esposa de Roberto Marinho tenta justificar o incidente

Karliane Marinho, esposa de Roberto Marinho, reconhece o erro do marido, mas diz que todos estão sofrendo muito com toda a situação que está sendo provocada pelos ameaçadores. “Já vieram na porta da nossa casa e jogaram pedras”, disse ela.

Karliane publico uma nota de esclarecimento:

“Não há justificativa para o que o Roberto fez. O carro dele estava no automático e a gente estava fazendo o pedido de um lanche desceu um pouquinho e elas buzinaram. Houve um princípio de discussão no trânsito. Ele se alterou muito!, a gente não sabe se foi efeito do energético, mas em nenhum momento ele bebeu. Ele foi comprar um energético e um jantar para a filha. O que a gente tem a fazer agora é pedir desculpas, a gente quer se retratar. Nós não entramos em contato com as meninas porque não sei quem são. O Roberto está medicado, de cama, abalado e muito arrependido. Nós estamos sofrendo ameaças. Já vieram na porta da nossa casa e jogaram pedras. O que elas passaram foi muito triste. Eu como mulher me solidarizo sim com elas. Na hora eu não tive noção do que estava acontecendo, mas quando eu percebi eu desci, eu fiquei sem ação. O nosso papel neste momento é pedir desculpas.O Roberto estava fora de si, ele teve um surto. Ele está sofrendo muito. Eu não desejo para ninguém o que nós estamos passando”.

A Ordem dos Advogados do Brasil, Secção Piauí emitiu uma nota de repúdio sobre o caso, afirmando que Roberto Marinho merece rechaço, e apuração para que as devidas providências sejam tomadas:

Nota da OAB

A Ordem dos Advogados do Brasil, Secção Piauí, por meio da Comissão da Mulher Advogada, vem a público manifestar o seu mais absoluto repúdio ao fato ocorrido na madrugada deste domingo (01), no drive thru de uma lanchonete da capital piauiense, quando um cliente, aparentemente sob efeito de bebida alcoólica, agrediu, gratuita e covardemente, três mulheres que se encontravam em automóvel atrás do seu, com palavras de baixo calão, de cunho discriminatório de gênero.

A conduta do agressor, evidentemente criminosa, que evidencia enquadramento em ilícito de trânsito e em injuria real, merece rechaço e apuração pelas autoridades competentes.

Assim, OAB-PI, por óbvio, condenando todos os atos de violência contra as mulheres, e, com maior rigor os que também atentam contra a advocacia feminina, não mede esforços no socorro a tal descalabro, razão pela qual encaminhará representação requerendo a imediata apuração por parte das autoridades policiais, por intermédio da Delegacia Especializada, dessa perversa discriminação de gênero. Não obstante tais providências, esta Seccional oficiará ao Ministério Público Estadual para que o órgão fiscalize a investigação do episódio nefasto, e acompanhará a posterior persecução criminal, a fim de que novas ações do tipo sejam desestimuladas, intimidadas, combatidas, rechaçadas, por inconcebíveis que são nos dias atuais.

Assista ao vídeo:

com informações do jornal Meio Norte

Recomendados para você

Comentários

  1. Rodrigo Fúria Postado em 10/Jun/2014 às 16:31

    É mais um fascista FDP que por que tem um pouquinho de dinheiro se acha o fodão tem que meter o cano na cara e estourar sem pena o mundo não precisa de gente como eles são como baratas!!!

    • Denommus Postado em 10/Jun/2014 às 19:34

      Falar esse tipo de coisa te torna tão fascista quanto ele.

    • rafa Postado em 11/Jun/2014 às 04:16

      ele vota no psdb com certeza

  2. Erich Postado em 10/Jun/2014 às 16:32

    Tem homem nesse lugar não?

  3. Alex Back Postado em 10/Jun/2014 às 16:36

    O McDonald's por acaso tem poder de polícia pra fazer alguma coisa? As moças, ao invés de filmar, deviam ter chamado a polícia.

    • Igor Postado em 10/Jun/2014 às 17:17

      Para dizer a verdade, todo cidadão tem poder de polícia, podendo até dar voz de prisão, para sua informação.

      • Daniel Postado em 10/Jun/2014 às 17:38

        Perfeito! O dever dos funcionários era de dar voz de prisão. Pena que poucos conhecem pelo menos o básico das nossas leis...

      • Cibele Postado em 10/Jun/2014 às 19:22

        é verdade, Igor. Alex, vc devia se informar melhor.

    • NISON SANTOS Postado em 10/Jun/2014 às 17:27

      VERDADE NESTE CASO MELHOR O SILÊNCIO E CHAMAR A POLÍCIA POIS ATÉ O GERENTE ESTAVAM ACOVARDADOS

    • rafa Postado em 11/Jun/2014 às 04:17

      elas dizem que chamaram a polícia, e pediram pros funcionários deterem o carro até que chegue.

  4. Jorge Postado em 10/Jun/2014 às 16:49

    "Ei, empregada... Manda chamar o gerente. Cadê o gerente desse lugar?", disse uma das moças. O sujeito agrediu covardemente (e estupidamente), e as meninas têm pleno direito de acionar o sujeito no judiciário e requerer reparação. E devem mesmo fazer isso para impedir que caras como esse sigam "dando piti". No entanto, a postura das moças com os funcionários do McDonalds também não foi apropriado. Como advogadas, deveriam adotar uma postura mais apropriada.

    • Thiago Teixeira Postado em 10/Jun/2014 às 17:25

      Bem observado. Notei que no nordeste algumas pessoas com nível superior gostam de ser chamados de doutor e tratam os demais como lixo. Tenho colegas engenheiros do Nordeste que não conseguiram trabalhar conosco em obras no centro-oeste e sudeste pelo jeito deles tratarem o pessoal da produção. Todos estão errados, tanto o bermudão covarde como as moças OAB coxinhas.

      • rafa Postado em 11/Jun/2014 às 04:19

        ele vota no psdb com certeza

  5. Carlos Postado em 10/Jun/2014 às 16:58

    Um FDP fez isso agora a mulher diz que ta muito abalado, abalo de c# é r#l@...

  6. Tarciano Postado em 10/Jun/2014 às 17:15

    No 2:20 - "Ei, empregada!"... Tom pejorativo?! Certamente! Fato é que basta uma oportunidade para quem pede respeito também desrespeitar!

    • Lopes Postado em 10/Jun/2014 às 18:26

      Já estou achando que elas mereceram a agressão

      • rafa Postado em 11/Jun/2014 às 04:22

        ninguém merece agressão

    • rafa Postado em 11/Jun/2014 às 04:22

      é questão de como uma região chama um tipo de profissional. no sul, funcionária, no norte, empregada - não é ofensivo. além do mais estão com medo de que o psdbista vá embora antes que a polícia, que chamaram, chegue. estressadas, pedem que segurem o carro lá, pra polícia chegar.

  7. Igor Postado em 10/Jun/2014 às 17:24

    Tá mais com cara de disputa de egos do que para discriminação. Claro que tem deve ser investigado, mas o vídeo não possuí filmagem contínua, essa não é a história completa. Além disso como citado pelo Jorge, essas moças também não tiveram a postura mais apropriada com os funcionários do local.

    • Jessica Postado em 10/Jun/2014 às 18:18

      Elas foram fortemente coagidas e ainda são culpadas??? Muito bom o ponto de vista de vocês.

      • Julia Postado em 10/Jun/2014 às 20:54

        São extremamente ridículas essas pessoas que ainda tentam culpabilizar as vítimas. A menina falou "empregada" e já disseram q ela é arrogante, q estava rebaixando os empregados. O cara xingou as mulheres de tudo quanto foi nome, disse coisas do mais baixo nível, com nítida intenção de humilhar e agredir e ainda acham q ele pode ter sido mal interpretado. Me poupem. Parece q a palavra dos homens valem sempre mais q a das mulheres.

    • rafa Postado em 11/Jun/2014 às 04:26

      o cara foi escroto. elas ficaram tensas. os funcionários não ajudavam. elas tinham chamado a polícia. queriam que segurassem o cara, pra não ir embora antes de a polícia chegar. "empregado" no norte é "funcionário" - não ofende.

      • Igor Postado em 11/Jun/2014 às 07:23

        Rafa: obrigado pela observação e por manter o nível na discussão. Não era de meu conhecimento essa questão.

    • Igor Postado em 11/Jun/2014 às 07:21

      Julia e Jessica: a questão não é culpabilizar a vítima, a questão é ser imparcial e querer a história completa. Cada um sempre conta a versão da história que lhe favorece. O tiozinho certamente está errado, resta saber se as moças também não agiram de forma errada também.

  8. anna Postado em 10/Jun/2014 às 19:08

    Essa mulher tem é que ter vergonha do marido que tem!

  9. Aleluia Postado em 11/Jun/2014 às 09:11

    1) Pessoas tem a faculdade de dar voz de prisão. Policiais tem a obrigação. Logo não houve qualquer irregularidade dos empregados da lanchonete - se fosse eu no lugar deles também não iria me meter, no máximo chamaria a policia. 2) Empregado é o termo correto para relação de emprego regido pela CLT. Não sei daonde inventaram que é vexatório chamar um empregado de empregado. 3) Tenho certeza que esse cara, vendo a repercussão da PALHAÇADA que ele fez, ficou agora arrependido. Que aprenda a respeitar as mulheres.

  10. Mauro Postado em 11/Jun/2014 às 13:03

    Além de tudo está dirigindo embriagado!