Redação Pragmatismo
Compartilhar
Eleições 2014 06/Jun/2014 às 19:41
21
Comentários

"Nunca vi baterem tanto em alguém", diz Lula sobre Dilma

Lula sobre Dilma: “Eu nunca vi baterem tanto numa pessoa. Eu não sei se é porque ela é mulher, porque eu achei que comigo era porque sou nordestino. Eu acho que só fariam igual na Venezuela, com Chávez”

lula dilma eleições 2014
Lula diz que ataques a Dilma são covardes e desproporcionais (Reprodução)

O ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva participou na manhã desta sexta-feira (6), em Porto Alegre, do Fórum de Desenvolvimento, Inovação e Integração Regional promovido pelo jornal espanhol El País, do qual é colunista. Em pouco mais de uma hora de discurso no hotel Plaza São Rafael, ele falou sobre os desafios para o Brasil no século 21, traçando um panorama do desenvolvimento brasileiro nos últimos 11 anos, período que compreende o seu governo e o da atual presidente Dilma Rousseff. Amparado em dados e números, Lula mencionou o crescimento econômico, redução da pobreza, ascensão da classe média, descentralização da cultura e da mídia, mudanças nas estratégias de comércio exterior, entre outras medidas promovidas pelos governos do PT.

Antes da conferência de Lula, o governador Tarso Genro (PT) participou da mesa de abertura do Fórum, juntamente aos secretários de Planejamento do Paraná e de Santa Catarina, Cassio Taniguchi e Murilo Xavier Flores, respectivamente. A mesa deixou como principal mensagem a necessidade da criação de um fundo federal destinado a financiar investimentos em infraestrutura na região sul do Brasil e no Mato Grosso do Sul. De acordo com o governador, o capital financeiro obriga os estados a disputarem investimentos a partir de renúncias fiscais que nem sempre dão resultado, pois desconsideram a economia local. “Não basta ser contra ou a favor da globalização, porque já se concretizou. É preciso saber como se relacionar com ela, transformar a relação de dependência e subordinação em interdependência e colaboração”, afirmou.

“Nós tomamos a decisão de regionalizar a comunicação do governo, tirar do centralismo do eixo Rio-São Paulo, e fizemos a mesma coisa com a cultura”, começou Lula, lembrando que em 2003 todo o dinheiro do governo federal gasto com mídia era investido em apenas 249 veículos, número que subiu para 5.400 quando ele deixou a presidência. Na cultura, a situação era parecida: 99% era gasto entre Rio de Janeiro e São Paulo, e o governo de Lula regionalizou. “Nós apanhamos muito por isso”, afirmou. Com o carisma pelo qual ficou conhecido, Lula por vezes falou fora do microfone e fez piadas com o Secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, que acompanhou a palestra do ex-presidente e participou posteriormente de mesa redonda sobre o tema “As chaves para o progresso econômico do Brasil”.

Durante seu discurso, Lula questionou o pessimismo e as críticas feitas a seu governo e ao de Dilma: “Nunca se ganhou tanto dinheiro nesse país e isso vale para os trabalhadores, para o salário mínimo e também para os empresários. Então por que esse mau humor? Às vezes leio na imprensa notícias que não têm nenhuma lógica, a não ser a de não informar corretamente a população deste país”, disse. Ele lembrou que o Brasil tem “liberdade de imprensa plena, total e absoluta”, destacando que nunca viu tanto preconceito contra um presidente quanto vê contra Dilma. “Eu nunca vi baterem tanto numa pessoEu não sei se é porque ela é mulher, porque eu achei que comigo era porque sou nordestino. Eu acho que só fariam igual na Venezuela com (o falecido ex-presidente Hugo) Chávez”.

Lula “pediu licença” para falar das conquistas do passado ao tentar projetar o futuro do país, pois “é impossível ser ex-presidente e ficar falando do futuro se não tiver nada do presente e do passado pra mostrar”. Nessa linha, ele afirmou que o Brasil encontrou o caminho do “crescimento e da inclusão social”, deixando de ser “um país submisso aos interesses internacionais” e isso só pode ser feito com a redução da miséria e a inclusão social: “A única razão de o povo ter eleito um metalúrgico para ser presidente da República era para fazer as coisas de um jeito diferente, era para governar para todos. Era preciso inserir aqueles que eram tidos como um problema, ou seja, os pobres neste país”, observou, lembrando que então foi criado o programa Bolsa Família, também muito criticado por alguns setores da sociedade.

A partir daí, “os pobres começaram a consumir”, e atualmente o programa atende 55 milhões de pessoas utilizando apenas 0,5% do PIB, segundo Lula. Com isso, a economia também cresceu: “De repente descobriu-se que o pobre virando consumidor ia melhorar o comércio, a indústria, ia melhorar para todo mundo, e foi o que aconteceu”, afirmou. Aliado a isso, o governo adotou uma política de valorização dos salários, elevando os salários mínimos todos os anos nos últimos onze anos. “E nada quebrou no Brasil. O que cresceu na verdade foi a cidadania no nosso país”, disse Lula.

O ex-presidente lembrou, no entanto, que não foi só nas políticas voltadas para os mais necessitados que seu governo se consolidou, mas também na economia, na produção e exportação. “O Brasil que muita gente não conhece é o segundo maior produtor e exportador mundial de alimentos, está entre os maiores produtores de aviões, máquinas agrícolas, cimentos, celulose, calçados. O país conquistou uma sólida posição no cenário financeiro internacional”, garantiu. Com isso, o Brasil passou pela crise internacional que afeta o planeta desde 2008 de forma tranquila, resistindo e criando empregos. “Me pergunto quantos países atravessaram a pior crise de capitalismo desde 1929 promovendo empregos? Quantos enfrentaram a crise aumentando a renda da população?”, indagou, afirmando que foram criados 10 milhões de postos de trabalho e que o desemprego alcançou o menor índice da história do país ao final de 2013.

“Eu acho que no século 21 o Brasil tem que encarar seu papel de grande nação”

Lula ironizou dizendo que precisou “um socialista metalúrgico” chegar ao governo para que um país que se dizia capitalista se tornar de fato, falando de sua política de ampliar a oferta de crédito. “Sem crédito não se vai a lugar nenhum, estamos com 55% do PIB de crédito nesse país”, afirmou. A melhora econômica passou pela mudança na política externa, com o aumento de R$ 20 bilhões para R$ 90 bilhões em parcerias com países da América Latina e Caribe. Para o ex-presidente, é importante trabalhar as novas possibilidade de relações com os vizinhos ao invés de ficar olhando apenas para os países mais ricos. “Durante muito tempo desprezamos isso. Eu acho que no século 21 o Brasil tem que encarar seu papel de grande nação. Tem que ter vontade política e decisão, de ser hegemônico na sua capacidade de fazer investimentos”, reiterou.

Ao comparar o crescimento do Brasil com o dos outros países do mundo, Lula questionou quantos países conseguiram “tanto em tão pouco tempo”. Foram 42 milhões de pessoas que passaram a ser de classe média e 36 milhões que saíram da pobreza extrema. A renda das famílias mais pobres cresceu 70%, a classe média consumiu R$ 1,3 bilhão em 2013. Esse aumento gerou também uma diferença na mobilidade, fazendo com que haja 113 milhões de passageiros de avião em um ano atualmente, contra 48 milhões em 2006. Lula brincou que tem gente que “não gosta de ver os pobres invadindo os aviões”, algo que disse adorar. “É essa gente evoluindo que vai fazer o país crescer mais. Não é tornando o rico mais rico, é tornando o pobre menos pobre. E eu não quero que o rico fique mais pobre, eu quero que o pobre fique mais rico”, destacou.

Ao longo do discurso, ele fez diversas indagações em relação ao crescimento e condições do Brasil em relação ao resto do mundo: “Qual foi o país que duplicou a produção de automóveis em 11 anos?”, “Qual país que conseguiu em 11 anos descobrir uma jazida de petróleo de pré-sal que apenas tem a mesma quantidade que acumulamos em 50 anos?”, “Que país conseguiu sair de 80 mil megawatts para 122 mil megawatts de energia?”, “Qual país conseguiu erguer do zero uma indústria naval?”, questionou, garantindo que o povo brasileiro “tem muito do que se orgulhar das conquistas alcançadas”.

” Investimento em educação, ciência e tecnologia só faz sentido se resultar em mais oportunidades para as pessoas”

“O Brasil será o grande produtor de alimentos do século 21. Por isso que eu torço para a África comer mais, a China comer mais, porque quanto mais comer, mais o Brasil terá competência de produzir”, disse. Ele brincou com o jornal El País, que promoveu a conferência, e com outros jornais da imprensa internacional, afirmando que estava falando com otimismo para o jornal espanhol “depois publicar uma matéria positiva”. “Às vezes eu acho que tem correspondente de jornal estrangeiro que fica em Copacabana lendo jornal brasileiro e mandando matéria. Porque se depender da imprensa brasileira o Brasil acaba todo dia”, criticou, em tom bem humorado.

Para garantir “um novo salto” no século 21, ele destacou três desafios. O primeiro é continuar a aprofundar investimento em educação, para que o ensino público de qualidade esteja cada vez mais ao alcance da população. “O Brasil é o país que mais investiu em educação nos últimos anos. O orçamento do MEC passou de 33 bilhões para 104 bilhões de reais. E precisamos continuar avançando muito mais”, afirmou.

A segunda medida é continuar investindo na produção de ciência e tecnologia, de forma a garantir resultados concretos. Neste âmbito, Lula lembrou que foram criadas mais de 30 mil bolsas de mestrado e 20 mil de doutorado nos últimos 11 anos. O terceiro desafio é aprofundar o processo de redução de desigualdade. “Qualquer política feita no Brasil tem que levar em conta que precisamos fazer os pobres subirem. Investimento em educação, ciência e tecnologia só faz sentido se resultar em mais oportunidades para as pessoas”, disse. Para isso, ele aconselha que aconteça uma integração com os países da América Latina, semelhante à que ocorreu na Europa no século 20 e isso deve partir do Brasil. Por esse motivo, o país precisa reconhecer seu “tamanho, grandeza e potencial”.

“Eu sou muito otimista. Aqueles que dizem que o Brasil não vai ter desenvolvimento vão quebrar a cara. Conseguimos em 11 anos provar que é possível inserir os pobres dentro da economia e não tê-los como problema, mas como solução”, disse o ex-presidente, afirmando que “muito dinheiro na mão de poucos é concentração, mas pouco dinheiro na mão de muitos é distribuição”. Por isso, Lula acredita que no século 21 o Brasil vai se tornar a 5ª maior economia do mundo.

Ele disse “ficar triste porque ainda está acontecendo o complexo de vira-lata”, referindo-se a um serntimento de inferioridade de alguns brasileiros em relação ao resto do mundo. “Tudo que a gente faz para o pobre é o mesmo investimento que sempre fizeram para os outros. Poderia fazer uma ponte com o dinheiro do Bolsa-Família sim, mas o pobre não come ponte”, ironizou. “Nós tínhamos que encher a barriga das pessoas para fazer essa revolução da inclusão social que fizemos”, completou. Aplaudido de pé, Lula terminou seu discurso dizendo que para governar, é preciso “cuidar da maioria e não ter medo de fazer o óbvio”. “Se você ler o seu discurso de campanha e fazer aquilo que você falou que ia fazer, não tem erro”, brincou.

Débora Fogliatto, Sul 21

Recomendados para você

Comentários

  1. Carlos Prado Postado em 06/Jun/2014 às 19:50

    Não seria porque só faz merda? Talvez não, porque senão seria até pouco - o Lula deve estar certo nesta

  2. Hudson Postado em 06/Jun/2014 às 20:53

    qual foi a merda? tu já viu a europa como está? Os EUA? E o Brasil ainda cresce, pouco, mas cresce. Qdo deu pra ir melhor, o Brasil foi melhor. O grande problema é esse que ele destacou: foi um metalúrgico de merda que veio e fez o país crescer e não o Sr. príncipe dos sociólogos quem fez isso e isso os coxinhas e a elite não toleram. Não toleram que o povo tenha oportunidades e fique de camiseta nos aeroportos, pensam que é a rodoviária, lembra? Não toleram lojas de mote mais popular nos shoppings elitizados, vai aparecer muita gente estranha. O grande professor da sourbone que fala um inglês fuleiro e nem imagino o francês, acabou com a educação, desvalorizou os professores e quase acabou com as universidades federais. Disso aquele fuleiro daquele membro do COL chamado Ronaldo Picareta deveria ter vergonha, mas como pensa que é elite, ele é rico, mas não faz parte da elite, não estudou, fala línguas estrangeiras por que morou lá, qualquer um aprende pra não morrer de fome, mas não tem berço. Infelizmente, é mais um lascado servindo de massa de manobra da elite golpista. Qdo esse país era esculhambado ninguém fazia passeata, ninguém reclamava, qdo o salário era uma porcaria, ninguém reclamava e agora vem crescendo revoltados. Criem vergonha na cara.

    • Daniel Postado em 06/Jun/2014 às 22:54

      "ambiente internacional altamente favorável"? Meu...A Europa tá quebrada...os EUA tão precisando entrar em outra guerra...e a China tá englobando o mundo...Desde quando tá favorável o ambiente?

    • ANDRE FLN Postado em 07/Jun/2014 às 03:02

      Manjado? você sim, um verdadeiro militante fanático de direita.... cego de ignorância! Desligue a tv e comece a ver o mundo de verdade... não vem da uma de Róger Scherazade! dizer que tudo é culpa de uma pessoa é fácil, agente amarra ela num poste, espanca ela e pronto! amanhã tudo pode voltar ao que era e seremos mais felizes pois descontamos nossa raiva em alguém! Vem falar sobre voo de galinha, inflação e "outros indicadores", aeroporto lixo, ahhh pára né!! Voo de galinha, sim, concordo, era uma galinha que ninguém dava nada por ela, de repente ela levantou voo e tá ai a 12 anos voando sem parar! De certo você tá com saudade daquele tem que a galinha não voava. Daquele papo de "Cartilha do FMI" que era desculpa pra tudo, venderam tudo o que podia a preço de banana, com a desculpa de pagar as contas, mesmo assim continuou devendo mais e mais.... porra, os caras só ferravam o povo, professores desamparados sem reconhecimento, universidades sucateadas ameaçadas de privatização ano a ano, não se contratava, concurso público era uma raridade, olha o mercado que isso virou agora.. não se investia em nada e NÃO HAVIA META DE INFLAÇÃO! Quem acessava crédito??? a que custo??? Perto do que agente vivia no final dos anos 90, esse pais se tornou um luxo!! Nosso país é pobre só nessa mídia podre mesmo, porque tem resultado de sobra, muito mais do que em qualquer outro momento da história. Na Argentina, Menem fez tudo o que o FMI mandou, olha lá no que deu, tão se recuperando até hoje. Recuperando!!! porque a Globo só fala da Argentina quando é problema, parece que não acontece nada de bom por lá.... Também não acontece nada de bom aqui, nem na Venezuela... Porque a TV não fez essa oposição toda quando o dólar tava batendo recorde no final do governo FHC?? Recorde sim, pq meses antes do Lula assumir tava quase em 4r$/u$ vc lembra??? e ai? Baixou! Não existe milagre, o fato é que o Brasil hoje vive em progresso, motivado pela política dessa temida esquerda. Tem alguem gabaritado pra fazer melhor? Acho que não, acho que as outras opções que apareceram aí são um retrocesso pra esse processo. são lobos disfarçado de cordeiros. o Aécio mesmo é o pior. quem garante que eles mudaram? Saúde, educação, segurança e transporte: Engraçado você falar disso, pois são área que dependem de políticas estaduais e municipais. E aí você critica o seu prefeito ou governador na internet? Você odeia eles com odeia a presidenta e o partido dela? pode melhorar, sim, mas não está tão ruim assim não viu! essa é a sindrome de vira-latas que pegou você, mas a mim não pega, SOU VACINADO!!

    • Carlos Prado Postado em 07/Jun/2014 às 22:44

      É, economias não se constroem ou se destroem num estalar de dedos. Algumas merdas econômicas dos militares só foram estourar nas mãos de outros que vieram a seguir. Agora a bonança econômica é apenas formação de bolhas, quando estourar quero ver onde vai estar toda essa alegria. O mesmo processo já foi visto em tantos lugares, como nos EUA ou no Japão. No momento que a bolha infla pela oferta artificial de crédito barato para qualquer coisa parece que todo mundo é beneficiado. Mas se tem um arranjo para ser criticado como concentrador de renda e explorador do pobre é este. Quando os preços estiverem nas alturas, o mercado estiver focado na produção de bens artificialmente demandados que não mais conseguirão ser vendidos e todos tiverem que quitar os seus débitos vai ser a mesma história.

    • Carlos Prado Postado em 07/Jun/2014 às 22:56

      E ao André, você consegue mesmo enxergar um pensamento padrão único da direita e sintetizá-lo nesses dois ícones que foram escolhidos? Depois ainda tem a cara de pau de dizer que não é um fanático? Não pense que defendo aquele esquerdista social-democrata do FHC a seguir, a crítica é geral. Qual o erro com privatizações das faculdades? Concursos públicos? Para quê? Para botar um monte de gente vivendo as custas do povo? Achei que a esquerda fosse a primeira a condenar a exploração dos mais fracos para sustentar uma elite, mas parece que é só no discurso. Na prática são os primeiros a sustentarem uma elite às custas dos mais fracos. Metas de inflação? É tão simples conter a inflação, só não faz quem não quer. E não se tem muitos incentivos para querer mesmo não, mas a formula é simplesmente é o governo não gastar mais do que recebe e nem tentar abaixar os juros artificialmente, injetando dinheiro vindo de dívida nos bancos. Realmente vivemos numa situação muito confortável hoje, mas poderíamos estar muito melhor e sem o risco de parte dessa bonança explodir por uma besteira de especuladores ou do ministro da economia.

    • sandro Postado em 07/Jun/2014 às 23:35

      O pt fez tudo, não tinha nada antes. Os petistas só faltam dizer que descobriram o Brasil, enquanto os tucanos se vangloriam do plano real e blá blá blá. tudo farinha do mesmo saco, só vejo propaganda na tv, no rádio e na net, mas na realidade a coisa é diferente, o pobre continua sem educação de qualidade (professores de universidades federais entrando em greve), saúde cada vez pior, transporte público nem se fala. Vamos deixar de papo furado e resolver os problemas da sociedade. Enquanto pt e psdb disputam quem é pior, o povo se ferra. A imagem que o Brasil vai passar nessa copa, vai ser a de incompetência de seus governantes (federal, estadual e municipal). Até a África do Sul foi mais competente na organização de seu mundial.

  3. Rogério Postado em 06/Jun/2014 às 21:01

    Concordo com o Lula. A imprensa é covarde, mentirosa e desonesta. Principalmente a tal globo. Tanto ódio só porque hoje pobre viaja de avião. Quem é bem informado e de boa índole vota 13.

  4. Lili Postado em 06/Jun/2014 às 21:58

    Lula ter chegado ao poder foi uma afronta para as elites e por isso se utilizam de tudo, da mídia, para poder disseminar apenas a parte ruim do governo que foram as corrupções. Mas em qual governo não tem, não é mesmo?

  5. Luis Postado em 07/Jun/2014 às 08:55

    Grande parte da culpa é desses humoristas lixos tipo o Danili Gentili. Os caras usam o espaço que tem na televisão para falar mal da Dilma. E em muitas das vezes não sabem nem o que falam.

  6. diego Postado em 07/Jun/2014 às 11:05

    Eu gosto da Dilma, do Lula e do PT, um dia vou comprar um canal de TV, uma rádio e um Jornal. E mostrar o que é de verdade, afinal se a imprensa tem seu lado, o meu lado tem que ter imprensa!

  7. Deisi Postado em 07/Jun/2014 às 12:07

    O desespero de causa provoca isso, o PIG está cada vez mais alucinado, mas estão cada vez mais quebrando à cara, os cães ladram e à caravana passa, o Lula conhece bem essa corja com sua experiência politica, mas tem muita sorte e isso reaça não aguenta, ficam para morrer de ódio, o maior cabo eleitoral da história do país não tem motivo para se preocupar, deixe eles gritarem, espernearem. Com o Lula no palanque eleitoral , à mídia porca, vai sim morrer com o próprio veneno.Lulinha paz e amor.

  8. Tomaz E Robinson Postado em 07/Jun/2014 às 23:42

    O que me impressiona em alguns comentários é que muitos acham que presidente bom é aquele tipo PAI DO POVO! Parem, presidente bom é aquele que for bom administrador, que utilizar o dinheiro dos impostos visando o crescimento da Nação e não o do seu poder pessoal

  9. Eduardo Benatti Postado em 08/Jun/2014 às 22:34

    Eis porque batem na Dilma: 1. Medidas populistas - dane-se que vai ferrar o país no futuro. O negócio é ganhar voto! 2. Protecionismo - em vez de incentivar as empresas nacionais com desoneração e desburocratização, vamos burocratizar e encher de impostos os produtos e serviços das empresas de fora. Assim o brasileiro é forçado a comprar o produto nacional (ou pagar 60% de imposto nos produtos de fora, com a morosidade da Receita e dos Correios), e por tabela, não dando motivos para as empresas nacionais oferecerem produtos melhores a preços menores. 3. Ideologia retrógrada - por favor, comunismo e socialismo em pleno século 21? 4. Incompetentes em cargos altos - Ministros sem qualificação nenhuma (e Ministérios que nem deviam existir). Exemplo mor: Guido Mantega 5. Mercenarismo - o PT se alia a qualquer um para ganhar uma eleição. 6. Não é capaz de concluir NADA. PAC2 não teve nem um quinto dos projetos aplicados e já anunciam o PAC3. 7. Bolsa-Família e outros trocentos benefícios de transferência de renda. O que não seria um problema tão grande se FISCALIZASSEM e realmente incentivassem as pessoas a saírem da dependência do governo. No nordeste e norte tem cidades governados pelo PT em que há famílias ganhando mais de 1500 reais em benefício. Daí você pega um material do MDS e descobre que tem família que entrou pegando o Leite das Crianças na era FHC e que recebe benefício até hoje. Por que será? E outra, o PT lutou contra várias medidas que tiraram o Brasil da inflação galopante dos anos 80, pegou o país nos trilhos, viveu a bonança do boom chinês, e... não se desenvolveu em nada. Temos tecnologia atrasada, CARA, e de infra-esrutura decrépita.

  10. Rodrigo Postado em 10/Jun/2014 às 13:37

    (Outro Rodrigo) Hoje li notícia tratando da reação de Blatter às críticas à Fifa: disse tratar-se de tentativa de destruir a entidade. Ele deve estar certo e, mais, isso é tudo discriminação da parte de quem não aceita um calvo idoso como presidente da entidade.

  11. Adriana Postado em 07/Jun/2014 às 19:43

    O problema, Naro, é que quem fala o contrário não tem espaço na mídia.

  12. Adriana Postado em 07/Jun/2014 às 19:44

    O problema, Naro, é que quem faz o contrário não tem espaço.

  13. martins Postado em 07/Jun/2014 às 22:50

    Os maiores escândalos de corrupção do Brasil por Claudia Lima Por causa dela, perdemos R$ 12 bilhões em investimentos privados em 2011 – o equivalente a R$ 1,2 mil pagos anualmente por cada trabalhador brasileiro. Conheça os casos mais notórios dos últimos 20 anos* 1º Lugar: Banestado ROMBO: R$ 42 bilhões QUANDO: De 1996 a 2000 ONDE: Paraná Durante quatro anos, cerca de US$ 24 bilhões foram remetidos ilegalmente do antigo Banestado (Banco do Estado do Paraná) para fora do país por meio de contas de residentes no exterior, as chamadas contas CC5. Uma investigação da Polícia Federal descobriu que as remessas fraudulentas eram feitas por meio de 91 contas correntes comuns, abertas em nome de “laranjas”. A fraude seria conhecida por gerentes e diretores do banco. Foram denunciados 684 funcionários - 97 foram condenados a penas de até quatro anos de prisão. O estado obteve o retorno de arrecadação tributária de cerca de R$ 20 bilhões. *Valores estimados e atualizados pela inflação Fontes: Andre Carraro, professor do departamento de economia da Unversidade Federal de Pelotas e especialista em corrupção, Museu da Corrupção, Controladoria-Geral da União, ONG Transparência Brasil, site Consultor Jurídico, Folha de S.Paulo e O Estado de S.Paulo 2º Lugar: Vampiros da Saúde ROMBO: R$ 2,4 bilhões QUANDO: De 1990 a 2004 ONDE: Ministério da Saúde Empresários, funcionários e lobistas do Ministério da Saúde desviaram dinheiro público fraudando licitações para a compra de derivados do sangue usados no tratamento de hemofílicos. Propinas eram pagas para a Coordenadoria Geral de Recursos Logísiticos, que comandava as compras do Ministério, e os preços (bem acima dos valores de mercado) eram combinados antes. Todos os 17 presos já saíram da cadeia. ________________________________________________________________________________ 3º Lugar: Banco Marka ROMBO: R$ 1,8 bilhão QUANDO: 1999 ONDE: Banco Central Com acordos escusos, o Banco Marka, de Salvatore Cacciola, conseguiu comprar dólar do Banco Central por um valor mais barato que o ajustado. Uma CPI provou o prejuízo aos cofres públicos, além de acusar a cúpula do BC de tráfico de influência, entre outros crimes. Cacciola foi detido em 2000, fugiu para a Itália no mesmo ano e, preso em Mônaco em 2008, voltou ao Brasil deportado. ________________________________________________________________________________ 4º Lugar: TRT de São Paulo ROMBO: R$ 923 milhões QUANDO: De 1992 a 1999 ONDE: Tribunal Regional do Trabalho de São Paulo O Grupo OK, do ex-senador Luiz Estevão, perdeu a licitação para a construção do Fórum Trabalhista de São Paulo. A vencedora, Incal Alumínio, deu os direitos para o empresário Fabio Monteiro de Barros. Mas uma investigação mostrou que Fabio repassava milhões para o Grupo OK, com aval de Nicolau dos Santos Neto, o Lalau, ex-presidente do TRT-SP. A construção do Fórum nunca foi concluída. ________________________________________________________________________________ 5º Lugar: Anões do orçamento ROMBO: R$ 800 milhões QUANDO: De 1989 a 1992 ONDE: Congresso Nacional Sete deputados (os tais “anões”) da Comissão de Orçamento do Congresso faziam emendas de lei remetendo dinheiro a entidades filantrópicas ligadas a parentes e cobravam propinas de empreiteiras para a inclusão de verbas em grandes obras. Ficou famoso o método de lavagem do dinheiro ilegal: as sucessivas apostas na loteria do deputado João Alves. ________________________________________________________________________________ 6º: Operação Navalha ROMBO: R$ 610 milhões QUANDO: 2007 ONDE: Prefeituras, Câmara dos Deputados e Ministério de Minas e Energia Atuando em nove estados e no Distrito Federal, empresários ligados à Construtora Gautama pagavam propina a servidores públicos para facilitar licitações de obras. Até projetos ligados ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e ao Programa Luz Para Todos foram fraudados. Todos os 46 presos pela Polícia Federal foram soltos. ________________________________________________________________________________ 7º: Sudam ROMBO: R$ 214 milhões QUANDO: 1998 e 1999 ONDE: Senado Federal e União Dirigentes da Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia desviavam dinheiro por meio de falsos documentos fiscais e contratos de bens e serviços. Dos 143 réus, apenas um foi condenado e recorre da sentença. Jader Barbalho, acusado de ser um dos pivôs do esquema, renunciou ao mandato de senador, mas foi reeleito em 2011. ________________________________________________________________________________ 8º: Sanguessuga ROMBO: R$ 140 milhões QUANDO: 2006 ONDE: Prefeituras e Congresso Nacional Investigações apontaram que os donos da empresa Planam pagavam propina a parlamentares em troca de emendas destinadas à compra de ambulâncias, superfaturadas em até 260%. Membros do governo atuavam nas prefeituras para que empresas ligadas à Planam ganhassem as licitações. Nenhum dos três senadores e 70 deputados federais envolvidos no caso perdeu o mandato. ________________________________________________________________________________ 9º: Mensalão ROMBO: R$ 55 milhões QUANDO: 2005 ONDE: Câmara Federal Segundo delatou o ex-deputado federal Roberto Jefferson, acusado de envolvimento em fraudes dos Correios, políticos aliados ao PT recebiam R$ 30 mil mensais para votar de acordo com os interesses do governo Lula. Dos 40 envolvidos, apenas três deputados foram cassados. A conta final foi estimada em R$ 55 milhões, mas pode ter sido muito maior. 10º: Máfia dos fiscais ROMBO: R$ 18 milhões QUANDO: 1998 e 2008 ONDE: Câmara dos vereadores e servidores públicos de São Paulo. Comerciantes e ambulantes (mesmos aqueles com licença para trabalhar) eram colocados contra a parede: se não pagassem propinas, sofriam ameaças, como ter as mercadorias apreendidas e projetos de obras embargados. O primeiro escândalo estourou em 1998, no governo de Celso Pitta. Dez anos mais tarde, uma nova denúncia deu origem à Operação Rapa.

  14. Bruno Postado em 10/Jun/2014 às 14:58

    Eu não indiquei juiz nenhum do STF.mesmo porque o judiciário não é escolhido por voto popular.

  15. Thiago Teixeira Postado em 09/Jun/2014 às 12:08

    Leia os números Solbo. Isso justifica a estranheza de só o DIRCEU estar na cadeia.

  16. Eduardo Benatti Postado em 09/Jun/2014 às 14:58

    Bela lógica. Se os outros fazem errado, nós podemos fazer também? Depois não sabem porque o país não anda.