Redação Pragmatismo
Compartilhar
Mulheres violadas 26/Jun/2014 às 18:05
15
Comentários

Impressões sobre a mulher brasileira

"A mulher brasileira existe, mas não para satisfazê-los". Como a imagem propagada para o mundo contribui para a ideia equivocada de que somos apenas corpos disponíveis

mulher brasileira copa 2014
(AFP)

Por Aline Valek, via Escritório Feminista

Copa do Mundo sediada no Brasil significa, mais que os jogos e a torcida pela conquista de um troféu, a vinda de turistas de todos os lugares do mundo. Estrangeiros que, antes mesmo de pisar em solo brasileiro, muitas vezes já têm uma ideia do que vão encontrar: futebol, samba, festa, gente cordial, caipirinha e mulheres.

A “beleza” e “sensualidade” da mulher brasileira são vendidas como um atrativo, quase como um patrimônio nacional, tirando o fato de que estamos falando de pessoas, e não de cachoeiras ou conjuntos arquitetônicos. Enquanto isso pode ser visto por muitos com orgulho, mais um quesito para sermos “melhores” do que os outros, acho preocupante e até perigoso que sejamos retratadas para o resto do mundo desta forma.

Uma amiga foi assediada na rua por estrangeiros que vieram para a Copa. Outro estrangeiro achou por bem agarrar e beijar uma repórter, enquanto ela trabalhava, de forma que ela não teve sequer escolha se queria ou não aquele contato físico. No clipe oficial da Copa, o foco da câmera na bunda de passistas que rodeiam o cantor estrangeiro dão uma pista de onde vem a ideia de que o corpo da mulher brasileira, especialmente da mulher negra, existe para ser admirado. Está ali à disposição.

Veja bem: o problema não é a vinda de estrangeiros. Os turistas que assediaram minha amiga não fizeram nada muito diferente do que os homens brasileiros já fazem todo dia, com Copa ou sem Copa. A nossa existência ser resumida às nossas bundas, coxas e seios também não foi invenção de seja lá quem dirigiu o clipe da Copa.

Os estrangeiros que compram essa imagem da mulher brasileira e vêm para o nosso País acreditando que estamos aqui para servi-los (inclusive vários deles vindo alimentar uma rede de exploração sexual que muitas vezes vitima crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social) certamente são parte do problema; tanto quanto os brasileiros, que consciente ou inconscientemente, reforçam esse machismo que nos despe não só de roupas, mas de humanidade.

Basta olhar com atenção para o jornalismo e para as propagandas “made in Brazil” nesta época de Copa. Em um comercial da TAM, por exemplo, que dá as boas-vindas a todo o tipo de torcedor, torcedoras só são mostradas quando o narrador dá as boas-vindas às “princesas”.

Porque é claro que se mulheres marcam presença nos estádios é para agradar o olhar masculino. Isso fica ainda mais evidente no jornalismo punheteiro que elege as “musas” da torcida, reforçando que a existência da mulher só serve ao propósito de embelezar o ambiente que ela frequenta, no caso, a arquibancada.

Seria uma grande sorte se fôssemos vistas e tratadas assim apenas durante a Copa. Daria até pra comemorar. O negócio é que não: esse tratamento nos é dispensado cotidianamente, para onde quer que a gente olhe, onde quer que a gente vá, não importa o que a gente faça.

O mais trágico é que, apesar da imagem hiperssexualizada da mulher brasileira, não somos apenas nós que sofremos com essa constante desumanização. Não é como se estrangeiros só assediassem mulheres quando viessem ao Brasil. Mulheres de todo o mundo também passam por isso, em maior ou menor grau, dependendo de onde são.

Mas, de volta ao Brasil: quando saímos na rua, alguns homens acreditam que estamos ocupando aquele espaço público para obter a aprovação de seu olhar. E não são poucos. No mapa da campanha Chega de Fiu Fiu, os depoimentos deixados por mulheres dão uma ideia de como é comum e perigoso esse pensamento de que se estamos andando sozinhas na rua é porque estamos à disposição. Pergunte a qualquer mulher: essa invasão dos nossos corpos e espaços são rotina para praticamente todas nós.

“Ah, cantada é inocente, elogio não tira pedaço”. Isso não poderia ser mais falso. Primeiro, porque é sim uma violência e é ainda mais cruel tentar esvaziar ou minimizar o constrangimento, o medo, a raiva e até a culpa que sentimos quando passamos por isso.

E é como se a vontade do homem de “elogiar” valesse mais do que a nossa tranquilidade, nossa autonomia e o nosso direito de usar o espaço público sem sermos intimidadas ou perturbadas. Ou seja, de novo, nossa existência sempre em segundo plano em relação aos desejos dos homens. Depois, porque esse tipo de assédio é uma manifestação da ideia de que somos corpos disponíveis – e isso é munição que valida violências ainda mais extremas contra nós.

Se existimos para satisfazê-los e estamos à disposição, então não veem problema em abusar de nossos corpos mesmo contra a nossa vontade. Então “tudo bem” nos violentar, agredir, até arrancar a vida se não correspondemos às suas vontades, especialmente quando fugimos do padrão de “mulher desejável”.

Lésbicas então só existem como adereço para as fantasias sexuais masculinas ou para serem “consertadas” por um homem que as satisfaça “de verdade”. Não veem que existimos para nós mesmas, que temos vontades e desejos próprios.

Essa ideia de que nossa existência gira ao redor da aprovação e da satisfação masculina está tão introjetada na sociedade que mesmo quando um ou dois filmes são protagonizadas por mulheres, com as histórias girando em torno delas e não de algum homem, gera indignação em uma parcela considerável do público masculino (veja, estou falando de uma simples representação em meio a um oceano de estereótipos machistas propagadas desde sempre, em todos os lugares). Como assim um filme em que as mulheres não servem de acessório a um protagonista homem ou para agradar o público masculino? Pois é.

É contra esse tsunami de estereótipos que constroem sobre nós e que propagam de todas as formas, em todos os meios, e contra as agressões decorrentes dessas ideias, que temos que lutar diariamente. Temos que afirmar e reafirmar nossa existência como seres humanos diversos, complexos e autônomos. E se escrevemos ou falamos sobre isso, também geramos indignação: afinal, como pode uma mulher existir para escrever algo que não agrade os homens, algo que os faz sentir desconfortáveis por pensarem ou agirem de determinada forma?

Só digo que é melhor se acostumarem a isso. Existimos, sim. E toda vez que tentarem nos negar nossa autonomia como seres humanos, nossas vontades próprias e nosso protagonismo em nossas histórias, vamos fazer mais barulho do que uma arquibancada inteira de torcedores.

Recomendados para você

Comentários

  1. Eduardo Postado em 26/Jun/2014 às 22:28

    vamos usar burca.... acaba com este incomodo de serem vistas e admiradas... pelo amor de Deus está ficando chato este complexo de inferioridade só por ser mulher.... o novo código civil diz que somos 50 x 50, ou seja somos iguais em direitos e obrigações, agora a vida é uma luta diária, respeite e exija ser respeito é o direito de todos e de todas, agora lamuriar não levará a nada.

    • Victor Postado em 26/Jun/2014 às 23:25

      Eduardo, O texto não é um lamurio. É uma simples expressão do direito de estar na rua e não ser incomodada. Um exemplo prático, este sofrido por muitos que usam o transporte público, são os vendedores que aproveitam aquele espaço do ônibus onde os "clientes" não podem sair para discursar sobre como deixou as drogas, converteu-se a religião e não está roubando como tantos outros. Somos obrigados a ouvir essas frases feitas em quase todas as viagens e muitas vezes essa referência a roubos soa como ameaça. É uma situação desconfortável e o caso das "cantadas" dos homens é ainda pior. As mulheres não lutam pela igualdade na constituição, afinal essa já foi conquistada como você muito bem citou, mas sim pela igualdade na prática, no cotidiano, nas ruas, nos shoppings, nas praias e nos estádios. Essa igualdade vem com a educação e portanto não será imediata e virá muito atrasada infelizmente.

      • jandiara Postado em 02/Jul/2014 às 16:30

        ri muito na hora que foi exposto "jornalista punheteiro" por eleger musas nas arquibancadas... uhhh gloria, a culpa é dos homens também quando elas deixam de comer, sofrem de bulimia para emagrecerem... que falacia, que bobagem sem tamanha. 90% das mulheres adoram ouvir um fiu fiu, a não ser que ele seja gordo, manco feio, e com cara de tarado... pronto virou machismo! vamos e venhamos, somos 50x50, não vitimizar a mulher, mas culpa também não é só do homem. povo brasileiro e seu coitadismo incondicional, a coitado isso, coitado aquilo. que coisa mais chata!

  2. guilherme marques Postado em 26/Jun/2014 às 23:50

    esse texto e outras ideias me fazem agradecer a Deus por não ter nascido mulher....

  3. Beto Postado em 27/Jun/2014 às 00:41

    Cara, vamos dizer que seja totalmente contra a visão da mulher fácil. aí vem um bando de australiano pra PoA e a gurias postam que querem encontrar seu estrangeiro! Bom, não vou ser machista, vou dizer que respeito e que são maiores de idade não posso criticar! Mas qual é? É para sair pegando geral, ou é para se respeitar e não sair por aí fazendo coisas que não faz normalmente apenas porque é "gringo"!

    • Kchan Postado em 27/Jun/2014 às 17:24

      Homem pode pegar todas e a gente não? Gringo é coisa nova, se a mulher quer experimentar, que experimente, a ppk é dela.'-'

      • Beto Postado em 28/Jun/2014 às 22:58

        Eu não tenho nada contra isso, mesmo, queria realmente que acabasse esse tipo de preconceito! Só que o caso que vi muita mulher se jogando pra cima de homem por ser gringo e por isso! Aí o turista volta pra casa falando que as mulheres se jogavam pra cima deles e eram fáceis e vem feminista dizer que isso é machismo que tá errado e um monte de coisa desse tipo, mas realmente tinha! Sla não consigo entender direito

  4. Rogério Postado em 27/Jun/2014 às 07:31

    Agora chegou minha vez vou falar. Mulher brasileira em primeiro lugar.

  5. rafael Postado em 27/Jun/2014 às 07:50

    Impressões sobre a mulher brasileira Posted: 26 Jun 2014 02:05 PM PDT mulher brasileira copa 2014 (AFP) Por Aline Valek, via Escritório Feminista CITADO DIRETAMENTE DA MATÉRIA ACIMA. E COMENTADO POR MIM. CONCORDO EM PARTES, PORTANTO VAMOS POR PARTES, COMO JACK, O ESTripADOR: Copa do Mundo sediada no Brasil significa, mais que os jogos e a torcida pela conquista de um troféu, a vinda de turistas de todos os lugares do mundo. [email protected] Estrangeiros que, antes mesmo de pisar em solo brasileiro, muitas vezes já têm uma ideia do que vão encontrar: futebol, samba, festa, gente cordial, caipirinha e mulheres. E HOMENS BRASILEIROS. E [email protected] A “beleza” e “sensualidade” da mulher brasileira são vendidas como um atrativo, quase como um patrimônio nacional, tirando o fato de que estamos falando de pessoas, e não de cachoeiras ou conjuntos arquitetônicos. VENDIDAS POR QUEM? SÓ POR HOMENS? Enquanto isso pode ser visto por muitos com orgulho, mais um quesito para sermos “melhores” do que os outros, acho preocupante e até perigoso que sejamos retratadas para o resto do mundo desta forma. TAMBÉM ACHO. SÓ NÃO ACHO QUE A CULPA É SÓ DOS HOMENS. SOU UM HOMEM HETEROSSEXUAL, ANTI-HOMOFÓBICO, FEMINISTA TIPO 70s, E SEMPRE PROCURO SER ABSOLUTAMENTE RESPEITOSO E IGUALITÁRIO PARA COM A MULHER, QUE QUASE SEMPRE ME PRETERE EM PROL DE UM MALANDRO TRAIÇOEIRO POR QUEM MEUS AMORES SE APAIXONAM CEGAMENTE. UM DIREITO DELAS: RESPEITO, NO SENTIDO DE NÃO ACHAR QUE EU DEVA TER QUALQUER DIREITO DE INGERÊNCIA SOBRE SUAS VIDAS. POR OUTRO LADO, RESERVO-ME O DIREITO DE FAZER MINHAS ESCOLHAS, E EXPRESSAR MINHAS OPINIÕES SOBRE AS ALHEIAS. Uma amiga foi assediada na rua por estrangeiros que vieram para a Copa. Outro estrangeiro achou por bem agarrar e beijar uma repórter, enquanto ela trabalhava, de forma que ela não teve sequer escolha se queria ou não aquele contato físico. EM QUE MEDIDA NÃO TEVE? SERÁ QUE NÃO PODERIA TÊ-LO REPELIDO, CENSURADO - RECLAMADO DELE? TALVEZ A REDE A DEMITISSE? SE FOSSE UM REPÓRTER HOMEM, E REPELISSE O BEIJO DE UMA ESTRANGEIRA, PODERIA ACONTECER DE A REDE GLOBO DEMITI-LO? SERÁ QUE TERIA DEMITIDO A MOÇA? ALGUÉM COMENTOU, NA OCASIÃO DO BEIJO NA REPÓRTER, QUE SE FOSSE UM MORADOR DE RUA, A REAÇÃO DA MOÇA PROVAVELMENTE NÃO TERIA SIDO EXATAMENTE A MESMA. ALIÁS, SE FOSSE UM MORADOR DE RUA, A REAÇÃO D@ CAMERA(WO)MAN PROVAVELMENTE TERIA SIDO OUTRA. SERÁ TUDO CULPA só DO HOMEM, DOS HOMENS, DE ALGUNS, TODOS, E QUAIS? No clipe oficial da Copa, o foco da câmera na bunda de passistas que rodeiam o cantor estrangeiro dão uma pista de onde vem a ideia de que o corpo da mulher brasileira, especialmente da mulher negra, existe para ser admirado. VEM DO CLIPE? VEM DA FIFA? VEM DA DILMA? VEM DA CÂMERA, DO FOCO? VEM DA PRÓPRIA BUNDA? VOCÊ DIZ QUE O FOCO DÁ UMA PISTA. QUE PISTA? E DE ONDE VEM A IDEIA? CADA VEZ MAIS HOJE, VEJO A CÂMERA TAMBÉM FOCALIZAR TANQUINHOS ABDOMINAIS E PEITORAIS MASCULINOS, E MUITAS MULHERES DEMONSTRAM APRECIAÇÃO, E ACHO JUSTO, PORQUE IGUALITARIZANTE, EMBORA NÃO GOSTE MUITO DA HIPERSEXUALIZAÇÃO NA MÍDIA COMO UM TODO, QUE SEM DÚVIDA TEM UM FOCO ACENTUADO NA MULHER, MAS NÃO ACHO QUE POR CULPA só DE HOMENS. Está ali à disposição. QUEM O DISPÔS ALI? só HOMENS? A PASSISTA NÃO TEVE QUALQUER LIBERDADE? NÃO ESTOU FAZENDO O ELOGIO DO USO QUE ELA FAÇA DA LIBERDADE (QUE CONSIDERO QUE ELA DEVE TER) - SÓ ME PERMITINDO SUPOR QUE, OU ME PERGUNTANDO SE, ELA TEM OU NÃO LIBERDADE ALI, E EM QUE GRAU. Veja bem: o problema não é a vinda de estrangeiros. Os turistas que assediaram minha amiga não fizeram nada muito diferente do que os homens brasileiros já fazem todo dia, com Copa ou sem Copa. POR "OS HOMENS BRASILEIROS" VOCÊ ENTENDE TODOS? E OS ESTRANGEIROS? APRENDERAM COM OS BRASILEIROS, COM A MÍDIA, BRASILEIRA, OU ESTRANGEIRA? ALGUMA PREDOMINÂNCIA DE ALGUM DOS FATORES? ALGUM INÍCIO DO FIO DO NOVELO DE CULPAS? A nossa existência ser resumida às nossas bundas, coxas e seios também não foi invenção de seja lá quem dirigiu o clipe da Copa. QUE ALIÁS, NEM SABEMOS SE É HOMEM OU MULHER. Os estrangeiros que compram essa imagem da mulher brasileira e vêm para o nosso País acreditando que estamos aqui para servi-los (inclusive vários deles vindo alimentar uma rede de exploração sexual que muitas vezes vitima crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social) certamente são parte do problema; CERTAMENTE. É COMO O USUÁRIO DE UMA DROGA: SEM ELE, NÃO HAVERIA O TRÁFICO (É SÓ UMA COMPARAÇÃO: SOU FAVORÁVEL À LIBERAÇÃO DA MACONHA). MAS DECERTO HÁ QUE DISTINGUIR ENTRE A MULHER LIVRE PARA ACIONAR A POLÍCIA CONTRA O ASSÉDIO, E A CRIANÇA OU MULHER USADAS POR BANDIDOS. NÃO? E TAMBÉM ENTRE OS HOMENS QUE TENTAM A CHANCE (OS COMO EU, MAIS EDUCADA E RESPEITOSAMENTE, PROCURANDO ENTRETANTO SATISFAZER À DEMANDA FEMININA BASTANTE RECORRENTE POR CRIATIVIDADE, SEM INVASIVIDADE) COM UMA MULHER LIVRE, E PEDÓFILOS QUE BUSCAM O SEXO PAGO ILEGAL E HEDIONDO. NÃO? HÁ PELO MENOS GRAUS AÍ? tanto quanto os brasileiros, que consciente ou inconscientemente, reforçam esse machismo que nos despe não só de roupas, mas de humanidade. AS PASSISTAS SÃO invariavelmente DESPIDAS, OU ALGUMAS se DESPEM, LIVREMENTE (TALVEZ INSENSATAMENTE, MAS LIVREMENTE)??? Basta olhar com atenção para o jornalismo e para as propagandas “made in Brazil” nesta época de Copa. SEM DÚVIDA SÃO UM BUNDALELÊ SÓ, E PREDOMINANTEMENTE FEMININO. CULPA só DE HOMENS? Em um comercial da TAM, por exemplo, que dá as boas-vindas a todo o tipo de torcedor, torcedoras só são mostradas quando o narrador dá as boas-vindas às “princesas”. NÃO ASSISTI. TV É COISA EMBURRECEDORA. GENTE QUE SE LIGA NA TELINHA QUE VOCÊ TUDO A CRER TENDE A FICAR BURRINH@. NÃO GOSTO DA HIPERSEXUALIZAÇÃO MIDIÁTICA. TEMOS INSTINTOS QUE BASTAM. SEXO NA TV (EXCETO DEBATES A RESPEITO) É APELO PARA MANIPULAÇÃO MENTAL, E PARA ESTÍMULO DO CONSUMO. Porque é claro que se mulheres marcam presença nos estádios é para agradar o olhar masculino. MAS... HÁ MULHERES QUE BUSCAM ALI ATRAÍ-LO? NÃO SÃO TODAS. MUITAS? CULPA só DE HOMENS? Isso fica ainda mais evidente no jornalismo punheteiro que elege as “musas” da torcida, reforçando que a existência da mulher só serve ao propósito de embelezar o ambiente que ela frequenta, no caso, a arquibancada. SEM DÚVIDA: NÃO GOSTO DE MÍDIA PUNHETÍSTICA. MAS A CULPA É só DO HOMEM? Seria uma grande sorte se fôssemos vistas e tratadas assim apenas durante a Copa. SÓ POR ESTRANGEIROS (VIU A MATÉRIA FEMINISTA SOBRE A PREFERÊNCIA DAS PORTOALEGRENSES PELOS AUSTRALIANOS??? PODE SER VISTA COMO PROPAGANDA DE BUNDA??? OU COMO ALGO COMPLEMENTAR COM ISSO???). Daria até pra comemorar. SÓ POR ESTRANGEIROS... MOREI EM UM CONDOMÍNIO CHEIO DE [email protected] NO BRASIL E [email protected] AS ESTRANGEIRAS VIA DE REGRA LAMENTAVAM A INVASIVIDADE, A ABRUPTIDADE DO BRASILEIRO. O DEPOIMENTO DOS ESTRANGEIROS ERA QUASE UNÂNIME: TINHAM INFINITAMENTE MAIS SUCESSO COM AS BRASILEIRAS DO QUE COM AS MULHERES DOS SEUS PAÍSES NOS SEUS PAÍSES. E TINHAM INFINITAMENTE MAIS SUCESSO NOS SEUS PAÍSES COM AS BRASILEIRAS QUE MORAM NOS SEUS PAÍSES, DO QUE COM AS MULHERES DOS SEUS PAÍSES LÁ. MAS HAVIA ampla E significativa VARIAÇÃO: UM PARAGUAIO BONITO TENDIA A VALER MENOS DO QUE UM ALEMÃO BABACA (EXISTEM ALGUNS). UMA ESTUDANTE DE FILOSOFIA QUE CONHECI ERA BASTANTE SELETIVA: PARA ELA, SÓ CARAS DE HUMANAS, DE ESQUERDA, CULTIVADOS, NÃO MACHISTAS - EXCETO SE FOSSE UM ESTRANGEIRO DE UM PAÍS "COM MORAL" - DAÍ VALIAM BEM MAIS TIPOS: ALEMÃO, MESMO BABACA, IA "DE BOA". EVIDENTEMENTE UMA LIBERDADE DELA. EVIDENTEMENTE TENHO TAMBÉM EU A LIBERDADE DE CONSIDERAR QUE ELA SOFRE DE UMA PATOLOGIA BASTANTE RECORRENTE ENTRE MULHERES DE PAÍSES QUE FORAM COLÔNIAS: COMPLEXO DE VIRA-LATAS E DESLUMBRAMENTO COLONIZADO ANTE O METROPOLITANO - DESBUNDE MESMO. DIFERENTES LIBERDADES, MINHA E DELA. O negócio é que não: esse tratamento nos é dispensado cotidianamente, para onde quer que a gente olhe, onde quer que a gente vá, não importa o que a gente faça. POR A GENTE, VOCÊ ENTENDE MULHERES COM ALGUM ATRATIVO FÍSICO EM ESPECIAL? O mais trágico é que, apesar da imagem hiperssexualizada da mulher brasileira, não somos apenas nós que sofremos com essa constante desumanização. NÃO ENTENDO TANTO O "DESUMANIZAÇÃO". VOCÊ QUER DIZER: BUNDALIZAÇÃO? QUEM BUNDALIZA? só HOMENS? A PASSISTA NÃO? ELA É só BUNDALIZADA? PASSIVAMENTE? Não é como se estrangeiros só assediassem mulheres quando viessem ao Brasil. AH, BOM! MAS NESTA ALTURA VOCÊ DEVERIA TER RECOMEÇADO O SEU TEXTO, TIRANDO O FOCO INICIAL NO BRASIL, E NA IMAGEM DA BRASILEIRA. Mulheres de todo o mundo também passam por isso, em maior ou menor grau, dependendo de onde são. E A CULPA DESSES DIFERENTES GRAUS É SÓ DO HOMEM, E O MÉRITO DA MULHER? FEMINISMO É TAMBÉM [UMA] GERAÇÃO(S) DE HOMENS FEMINISTAS, COMO EU, QUE ME DESCABELO PARA NÃO OPRIMIR MULHER ALGUMA - E SEMPRE ME PREOCUPEI COM ISSO, E POLICIEI E ACONSELHEI OUTROS HOMENS, E MEUS IRMÃOS, COM VARIÁVEIS GRAUS DE SUCESSO. UMA FRANCESA QUE CONHECI NO BRASIL ACHA QUE A EXPOSIÇÃO CORPORAL DA BRASILEIRA É PREDOMINANTEMENTE DESTINADA, PELA MULHER, A OBTER, CONSCIENTE OU INCONSCIENTEMENTE, O AVAL DO CORO MASCULINO. NA FRANÇA, DIZ, AS MULHERES REVELAM BEM MENOS. É MAIS FRIO? NEM SEMPRE. EM PRAIAS NUDISTAS AS PESSOAS FICAM ACOSTUMADAS. SE SE TRATASSE só DE TEMPERATURA, SERIA MODA HOMENS USAREM MINISSAIAS E MINISHORTS (SOMOS EM MÉDIA ATÉ MAIORES, E NOSSOS CORPOS PRODUZEM MAIS CALOR, EM MÉDIA). MINI-ROUPAS PARECEM TER, sim, MUITO QUE VER COM AUTO-SENSUALIZAÇÃO. UMA LIBERDADE. MAS O OLHAR TEM LIBERDADE PARA VAGAR? DIZER "gostosa" É MEIO ESCROTÃO - EU OPTO POR OLHAR NO OLHO UMA MULHER QUE ME ATRAI PELO QUE QUER QUE SEJA - UMA ESTRATÉGIA MINHA - MAS GOSTO DA APARÊNCIA DO CORPO FEMININO, QUE SÓ CONHEÇO DE OLHAR, DISCRETAMENTE NA RUA, DIRETAMENTE NA CAMA, A QUEM MO PERMITA. Mas, de volta ao Brasil: quando saímos na rua, alguns homens acreditam que estamos ocupando aquele espaço público para obter a aprovação de seu olhar. O QUE EXATAMENTE VOCÊ ENTENDE POR "ACREDITAR", NA FRASE ACIMA? E não são poucos. No mapa da campanha Chega de Fiu Fiu, os depoimentos deixados por mulheres dão uma ideia de como é comum e perigoso esse pensamento de que se estamos andando sozinhas na rua é porque estamos à disposição. NUNCA ACHEI ISSO: SOU RESPEITOSO (HÁ MUITOS COMO EU). Pergunte a qualquer mulher: essa invasão dos nossos corpos e espaços são rotina para praticamente todas nós. SEM DÚVIDA ACONTECE MUITO, O TEMPO TODO, PELAS RUAS (VEJO, OUÇO). "QUALQUER MULHER" SE INCOMODA? PERGUNTOU A QUAIS? “Ah, cantada é inocente, elogio não tira pedaço”. Isso não poderia ser mais falso. TODA E QUALQUER CANTADA É NOCIVA? TODO E QUALQUER ELOGIO TIRA PEDAÇO? Primeiro, porque é sim uma violência e é ainda mais cruel tentar esvaziar ou minimizar o constrangimento, o medo, a raiva e até a culpa que sentimos quando passamos por isso. MAS HÁ ALGUMA FORMA DE EU BUSCAR ME APROXIMAR DE UMA MULHER QUE ME ATRAI, NA RUA, SEM SER NOCIVO A ELA, TIRANDO-LHE PEDAÇO? BUSCO FREQUENTEMENTE ABORDAGEM "CASUAL", DIRETA SEM MUITO ASSANHAMENTO (NÃO TE CONHEÇO, NÃO NOS CONHECEMOS, ENTÃO: OI, ME CHAMO RAFAEL. E VOCÊ, COMO SE CHAMA? INVASIVO? ABUSADO? SEMPRE ACEITO O "NÃO", PORQUE NÃO SOU UM ANIMAL). E é como se a vontade do homem de “elogiar” valesse mais do que a nossa tranquilidade, nossa autonomia e o nosso direito de usar o espaço público sem sermos intimidadas ou perturbadas. ACHO QUE VOCÊS VÃO PRECISAR CONVENCER AS MULHERES QUE DÃO ABERTURA, MESMO A CANTADAS CLICHÊ OU ESCROTINHAS, PARA QUE ISSO VENHA A MUDAR. Ou seja, de novo, nossa existência sempre em segundo plano em relação aos desejos dos homens. Depois, porque esse tipo de assédio é uma manifestação da ideia de que somos corpos disponíveis – e isso é munição que valida violências ainda mais extremas contra nós. O FIU-FIU É O GERME DO ESTUPRO? TODO FIU-FIU TENDE PARA O ESTUPRO? MENOS? Se existimos para satisfazê-los e estamos à disposição, então não veem problema em abusar de nossos corpos mesmo contra a nossa vontade. TODOS OS HOMENS? MUITOS? QUE PERCENTUAIS? NÃO CONHECI PESSOALMENTE NENHUM HOMEM ACUSADO DE ESTUPRO. A IMPRESSÃO QUE ME DÁ, É QUE ESTA PARTE DO SEU DISCURSO SE DIRIGE A HOMENS QUE PLAUSIVELMENTE NÃO PREDOMINAM ENTRE OS TEUS LEITORES. A MAIOR PARTE DOS TEUS LEITORES MORRERÉ SEM HAVER ESTUPRADO NINGUÉM, GRAÇAS A ZEUS. JÁ PARA OS POTENCIAIS ESTUPRADORES, NÃO ME PARECE EFICIENTE A POLÍTICA DO CHEGA DE FIU-FIU. O QUE ME PARECE EFICIENTA SÃO POLÍTICAS SOCIAIS, MARIA DA PENHA, REFORÇO DA SANÇÃO AO ESTUPRO, EDUCAÇÃO E ACOLHIMENTO, INCLUSÃO NA CIDADANIA - TODO MUNDO QUER AMOR, COMO DIZ A CANÇÃO DOS TITÃS - MALÉVOLA DESENVOLVEU CERTA MALDADE POR NÃO TER ACESSO A ISSO, COMO MUITO ESTUPRADOR POR AÍ (SEM JUSTIFICAR, NEM O ESTUPRO, NEM A PRAGA SOBRE A BELA ADORMECIDA). Então “tudo bem” nos violentar, agredir, até arrancar a vida se não correspondemos às suas vontades, especialmente quando fugimos do padrão de “mulher desejável”. QUEM? OS NEONAZI? OS ULTRADIREITA? NÃO CONHEÇO NENHUM CARA QUE ME PAREÇA EM VIAS DE DIZER ESSE "TUDO BEM" AÍ, OU AGIR CONFORME. NÃO VEJO O INTERIOR DELE, NEM A CURVA DE SUA VIDA INTEIRA. VOCÊ VÊ? TODO FIU-FIU CHEGA A SER GERME DE ESTUPRO? RECENTEMENTE VI GAROTAS CHEGANDO JUNTO EM CARAS SARADOS NA BALADA E GRITANDO-LHES À FACE "QUERO TE ESTUPRAR!" A CANTADA É NOCIVA? Lésbicas então só existem como adereço para as fantasias sexuais masculinas ou para serem “consertadas” por um homem que as satisfaça “de verdade”. TENHO MUITOS AMIGOS GAYS E LÉSBICAS. BISSEXUAIS BONITAS ME FAZEM FANTASIAR SIM. SEMPRE SENTI ATRAÇÃO POR MULHERES, E ACHO BELO E EXCITANTE VER DUAS BEIJAREM-SE, TOCAREM-SE, LAMBEREM-SE, BOLINAREM-SE, CHUPAREM-SE, ACARICIAREM-SE - E SE FOR DE SEU GOSTO, ME SENTIREI FELIZ DE SER ACEITO NA AÇÃO. ACONTECE. MAS SÓ FAÇO O QUE QUER QUE SEJA COM CONSENTIMENTO. Não veem que existimos para nós mesmas, que temos vontades e desejos próprios. CLARO QUE VEJO. Essa ideia de que nossa existência gira ao redor da aprovação e da satisfação masculina está tão introjetada na sociedade que mesmo quando um ou dois filmes são protagonizadas por mulheres, com as histórias girando em torno delas e não de algum homem, gera indignação em uma parcela considerável do público masculino (veja, estou falando de uma simples representação em meio a um oceano de estereótipos machistas propagadas desde sempre, em todos os lugares). Como assim um filme em que as mulheres não servem de acessório a um protagonista homem ou para agradar o público masculino? Pois é. ACHO QUE ESSA CLICHEZISSE PREDOMINA EM emburrecedores FILMES HOLLYWOODIANOS, E NAS COMÉDIAS BRAZUCAS ESTÚPIDAS COM ATORES GLOBAIS, COMO O TOSCO "E AÍ, COMEU?" O CINEMA MAIS INTELIGENTE, AUTORAL, É QUESTIONADOR. MAS A PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR É: A CULPA É só DO HOMEM? É DOS HOMENS? DE ALGUNS? E AS MULHERES? ALGUMAS? O QUE VOCÊ FAZ QUANTO A ESSAS? E SE ELAS NÃO LHE DÃO OUVIDO E SE FAZEM PASSISTAS? VOCÊ CRITICA O USO QUE FAZEM DE SUA LIBERDADE DE VESTIR? VOCÊ CONSIDERA QUE NÃO SÃO LIVRES? VOCÊ AS CRITICA? ATIVAMENTE? OU só AOS HOMENS??? É contra esse tsunami de estereótipos que constroem sobre nós e que propagam de todas as formas, em todos os meios, e contra as agressões decorrentes dessas ideias, que temos que lutar diariamente. "CONSTROEM"... "PROPAGAM"... TODOS? SÓ HOMENS? PASSISTAS? ATRIZES HOLLYWOODIANAS E GLOBAIS? SÃO USADAS? PASSIVAS? PASSISTAS PASSIVAS? CULPADOS, só OS HOMENS, ATIVOS PERVERTEDORES DAS PASSIVAS PASSISTAS. Temos que afirmar e reafirmar nossa existência como seres humanos diversos, complexos e autônomos. DIVERSIDADE: HÁ AS QUE GOSTAM DE CANTADAS DIREITAS, AS INDIRETAS, AS QUE NÃO GOSTAM DE NENHUMA, AS QUE NÃO GOSTAM DE HOMENS, AS QUE NÃO GOSTAM DE HOMENS HÉTEROS... HÁ, EVIDENTEMENTE, MIL OUTROS ASPECTOS DA DIVERSIDADE. COMPLEXIDADE: DIFÍCIL SABER O QUE SE PODE OU NÃO DIZER (HÁ MULHERES QUE GOSTAM DE QUE UM CARA VENHA ATÉ ELAS E DIGA "QUERO TRANSAR COM VOCÊ", MAS SÓ SE ELAS TIVEREM IDO COM A CARA, SENÃO ARRISCA ESCULACHAREM-NO COMO MACHISTA, POR TENTAR UMA ESTRATÉGIA QUE NÃO COLOU NA OCASIÃO)... HÁ MIL OUTRAS COMPLEXIDADES: O FAMOSO "TIMING" FEMININO: QUANDO ME INTERESSO POR UMA MULHER, NÃO TEM TEMPO RUIM - CONTINUO INTERESSADO POR MUITO TEMPO, E ELA PODE ATÉ FAZER UM BOCADO DE "DOCE", E "JOGAR" UM BOCADO, OU SER DIRETA, QUE CONTINUO INTERESSADO, SEJA ELA TÍMIDA OU ASSANHADA. MAS MULHERES ÀS VEZES ESTAVAM INTERESSADAS, MAS VOCÊ, TÍMIDO, PERDEU O "TIMING", E ELA JÁ TE TARJOU MENTALMENTE DE "MANÉ", E JÁ ERA, SEM CHANCES (UÉ? MAS ELA NÃO TINHA GOSTADO DE MIM? AINDA SOU O MESMO SER, E TENHO OS MESMOS VALORES, O MESMO VALOR, HUMANO). AUTONOMIA: A AUTONOMIA DA PASSISTA, E TALVEZ MESMO A DA PROSTITUTA ADULTA (EMBORA ME DESAGRADE A IDEIA DO SEXO PAGO, SEM VERDADEIRO INTERESSE SEXUAL DA PARTE DA PARCEIRA), E A AUTONOMIA PARA VESTIR MINISSAIA, E A PARA OLHAR MINISSAIA (SEM PODER ESPERAR QUE POR ISSO SE VÁ SER APRECIADO - O TRABALHADOR DA CONSTRUÇÃO CIVIL NÃO CRÊ realmente QUE VÁ GANHAR UM AFAGO - ELE PÕE TUDO A PERDER POR UMA DIVERSÃOZINHA VAZIA, NÃO SE VÊ COMO QUEM TENHA ALGO QUE PERDER - POSSO CRITICAR SEU USO DA LIBERDADE DE EXPRESSÃO, MAS ACHO QUE ELE DEVE TER ESSA LIBERDADE, COM RESPEITO: SEM CALÚNIA, DIFAMAÇÃO, INJÚRIA, ACUSAÇÃO SEM PROVAS, INCITAÇÃO À VIOLÊNCIA... "DELÍCIA" É ELOGIO QUE TIRA PEDAÇO??? "VOU TE COMER" PODE SER CARACTERIZADO COMO AMEAÇA. "POSSO TE COMER" SERIA MAIS SENSÍVEL, EMBORA EU ESPERE QUE CANTADAS DESSE TIPO DEIXEM DE TER SUCESSO, POR AS PESSOAS DEIXAREM DE SE INFLUENCIAR POR MODISMOS VEICULADOS PELO CINEMA HOLLYWOODIANO E AS NOVELAS). E se escrevemos ou falamos sobre isso, também geramos indignação: A MIM GERA UM POUCO DE PREOCUPAÇÃO A DEBILIDADE DE MUITOS ARGUMENTOS DE TEXTOS COMO O SOBRE O FILME MALÉVOLA - PARANÓICO E MISANDRO (O TEXTO: O FILME NÃO SEI - PRECISO ASSISTIR, MAS ME PARECE JUSTA A ANÁLISE DA AUTORA NESSE PONTO). afinal, como pode uma mulher existir para escrever algo que não agrade os homens, algo que os faz sentir desconfortáveis por pensarem ou agirem de determinada forma? GOSTO DE GENTE CONVERSÁVEL, DEBATÍVEL, E QUE APROFUNDA ARGUMENTOS, INFORMADO NA BIBLIOGRAFIA QUE HÁ DESDE A ANTIGUIDADE, EM TODA PARTE, OCIDENTE E ORIENTE, SOBRE MULHERES E HOMENS - POR EXEMPLO, O ECONOMICON DE XENOFONTE, A ARTE DE AMAR DE OVÍDIO, A SÁTIRA 6 DE JUVENAL, SIMONE DE BEAUVOIR, O MARQUÊS DE SADE, ETC. Só digo que é melhor se acostumarem a isso. É BOM SE ACOSTUMAREM A CRÍTICAS DE HOMENS SOBRE O QUE DIZEM E ESCREVEM TAMBÉM. ACOSTUMADO ESTOU: HÁ UM BOCADO DE REPETIÇÃO ENTRE TEXTOS DO FEMINISMO RECENTE, QUE ME PARECE COM FREQUÊNCIA UM TANTO HISTÉRICO. GOSTO DO FEMINISMO HIPPONGA (RIPONGA, HIPPIE, 70s) QUE ME ACOLHIA COMO UM COPARTÍCIPE, ME DEBATIA, DIALOGAVA. Existimos, sim. NÃO HÁ QUEM NÃO SAIBA DISSO. E toda vez que tentarem nos negar nossa autonomia como seres humanos, nossas vontades próprias e nosso protagonismo em nossas histórias, vamos fazer mais barulho do que uma arquibancada inteira de torcedores. NÃO ME DIGA QUE VOCÊ É DA ZELITE BRANKA QUE VAIOU? VAI LÁ OVACIONAR AÉCIO NEVER NO PRÓXIMO JOGO DO BRASIL? MUITO JUSTO QUE VOCÊS FAÇAM BARULHO NAS CIRCUNSTÂNCIAS POR VOCÊ DESCRITAS. O QUE ME PARECE É QUE ÀS VEZES AS CIRCUNSTÂNCIAS NÃO SÃO BEM COMPREENDIDAS, E OCORRE "MUCH ADO ABOUT NOTHING" - NÃO É O CASO DE MUITA COISA DO QUE VOCÊ SE QUEIXA - HOMENS SÃO PREDOMINANTEMENTE PORCOS, MAS SOU QUASE SISTEMATICAMENTE PRETERIDO EM PROL DE PORCOS. ENCONTRAR MULHER QUE VALORIZE MINHA GENTILEZA TEM SIDO DIFÍCIL, E ISSO QUE TENHO PROCURADO COM UMA TOCHA ACESA À LUZ DO DIA. O post Impressões sobre a mulher brasileira apareceu primeiro em Pragmatismo Político.

    • Lopes Postado em 27/Jun/2014 às 10:35

      Sou suspeito para falar mas acho as brasileiras as mais belas do mundo!

      • flavia Postado em 27/Jun/2014 às 13:45

        Que comentário desnecessário. Ingênuo.

  6. Rafael Postado em 27/Jun/2014 às 09:39

    E as mulheres que estão se atirando pra os gringos? É culpa deles?

  7. Oswaldo Postado em 27/Jun/2014 às 13:11

    O mais engraçado foram as mulheres de Porto Alegre falando sobre o quanto os gringos são fofos e educados. kkkkkk

  8. Thiago M. Postado em 27/Jun/2014 às 14:26

    Que saco esse tom apocalíptico das feministas. Rola sim de acabar com o assédio pesado nas ruas, os ataques e principalmente com os estupros e agressões, mas vá lá, que mulher NO FUNDO NO FUNDO mesmo não gosta de ser elogiada, de ter sua beleza admirada nem que seja por um simples "fiu fiu"? Vocês não lutaram pra sair da sombra do patriarcalismo machista? Pra serem notadas e usar as roupas que bem entenderem, mostrar a porcentagem de pernas que lhe aprouverem e usufruir dos mesmos direitos políticos/ sociais / sexuais que antes pertenciam só ao homem? Mulher é tudo de bom! Infinitamente superiores aos grosseiros homens. Só falta esse esquadrão feminista com complexo de vira-latas lutar pelas coisas que as feministas de antigamente lutavam. Coisas de relevância. Ademais, beleza é pra ser apreciada mesmo, somos humanos e guiados por hormônios primais: já freamos a violência bárbara de antigamente com a razão, conhecimento e leis (fatores em aperfeiçoamento ainda, mas muito melhores do que o século XV, por exemplo). Já fui assediado na rua por várias mulheres que me chamaram de lindo, gato, gostoso, assobios e etc. Quem não gosta disso ? Deixem os estrangeiros apreciarem a beleza da mulher brasileira, que pra mim é a maior beleza do planeta, mas respeitando os espaços alheios e liberdades de cada um.

    • jandiara Postado em 02/Jul/2014 às 16:34

      concordo plenamente, sou mulher e penso assim também.