Redação Pragmatismo
Compartilhar
Homofobia 04/Jun/2014 às 21:06
21
Comentários

Estudantes de Medicina da USP realizam "festa hétero"

Um estudante foi agredido ao tentar entrar com outro rapaz na festa dos 'Carecas no Bosque'. Uma mulher, que foi com sua companheira, foi barrada e ouviu que só permitiriam “casal de verdade”

festa hétero medicina usp
Festa de alunos de Medicina na USP: “Só para casais heterossexuais” (Reprodução)

Na festa Carecas no Bosque, promovida por alunos do curso de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), um estudante de Direito foi vítima de homofobia. Quando chegou ao evento com outro rapaz, o aluno foi agredido e impedido de entrar no local, que seria “só para casais heterossexuais”, segundo informou uma testemunha ao jornal O Estado de S. Paulo.

A festa aconteceu no último sábado, no campo da Associação Atlética Acadêmica Oswaldo Cruz (AAAOC), que fica ao lado do Hospital das Clínicas, na avenida doutor Arnaldo, região central de São Paulo.

O estudante barrado recebeu um soco na cara quando estava gravando a discussão com o segurança, que o estava impedindo de entrar na festa. O caso foi registrado na Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi).

Outra estudante, de Psicologia, divulgou na internet que também foi barrada quando chegava com sua companheira ao evento. Ela teria escutado que a festa era “apenas para casais de verdade”. As duas entraram no local após fingir que estavam com outros dois rapazes.

SpressoSP

Recomendados para você

Comentários

  1. Carlos Wolf Postado em 04/Jun/2014 às 21:39

    Jovens da medicina da USP: tanta edução formal e tão pouca educação social.

  2. Lopes Postado em 04/Jun/2014 às 21:41

    Se a festa era para heteros, o que a galera queria indo lá? A reciproca seria verdadeira no caso contrário.

    • Carlos Wolf Postado em 04/Jun/2014 às 22:31

      Haja paciência. Ninguém tem o direito de tratar um grupo de pessoas como sendo de menor valor, menos merecedores ou menos dignos de respeito. Esta cada vez mais difícil lidar com tanta ignorância. Vamos lá: Lei estadal 10948/01 Artigo 1.º - Será punida, nos termos desta lei, toda manifestação atentatória ou discriminatória praticada contra cidadão homossexual, bissexual ou transgênero. Artigo 2.º - Consideram-se atos atentatórios e discriminatórios dos direitos individuais e coletivosdos cidadãos homossexuais, bissexuais ou transgêneros, para os efeitos desta lei: I - praticar qualquer tipo de ação violenta, constrangedora, intimidatória ou vexatória, de ordem moral, ética, filosófica ou psicológica; ***II - proibir o ingresso ou permanência em qualquer ambiente ou estabelecimento público ou privado, aberto ao público;*** III - praticar atendimento selecionado que não esteja devidamente determinado em lei; IV - preterir, sobretaxar ou impedir a hospedagem em hotéis, motéis, pensões ou similares; V - preterir, sobretaxar ou impedir a locação, compra, aquisição, arrendamento ou empréstimo de bens móveis ou imóveis de qualquer finalidade; VI - praticar o empregador, ou seu preposto, atos de demissão direta ou indireta, em função da orientação sexual do empregado; VII - inibir ou proibir a admissão ou o acesso profissional em qualquer estabelecimento público ou privado em função da orientação sexual do profissional; VIII - proibir a livre expressão e manifestação de afetividade, sendo estas expressões e manifestações permitidas aos demais cidadãos

      • Eduardo Benatti Postado em 05/Jun/2014 às 13:43

        É ilegal? É. Mas imagine que um grupo evangélico resolva organizar uma festa de celebração de valores evangélicos, mas um grupo de umbandistas resolva tentar entrar na festa e exibir valores que os evangélicos não compartilham. Imagine o oposto. Uma festa de celebração de valores umbandistas, e alguns evangélicos tentarem se infiltrar na festa e pregar algo que os umbandistas não compartilham. Imagine uma festa da torcida organizada do Palmeiras. Um grupo de pessoas tentando entrar nessa festa vestindo a camisa do Corinthians. Ou vice versa. Imagine um baile de música romântica dos anos 80. De repente tenta entrar um grupo de funkeiros e ligar um som tocando Quadradinho de 8. Ou ao contrário, um grupo de fãs do Queen tentar entrar em um baile funk e botar um We Are the Champions pra tocar. É ilegal? É. Mas a realidade é essa: grupos diferentes com valores diferentes. Você entrar em um ambiente e querer desafiar esse ambiente exibindo um comportamento que o grupo não compartilha só vai gerar mais ódio. Foi burrice e petulância dos homossexuais quererem entrar lá para exibir que tem outros valores.

      • carlos Postado em 05/Jun/2014 às 17:07

        Meu querido, aparece com essa e outras leis na quadra da Gaviões da Fiel vestindo um conjuntinho com as cores do São Paulo ou de qq outro time pra ver no que dá. Concordo com o Lopes: se o encontro é pra héteros, qual a razão dos homos e assemelhados quererem participar a não ser pra tumultuar?

      • Carlos Wolf Postado em 05/Jun/2014 às 18:23

        Meus caros, só consigo enxergar que vocês concordam com a agressão. Porque justificar dessa forma para mim é fazer apologia. Estou vendo que vocês acham que quando uma torcida "organizada", por exemplo, espanca outra, tudo bem porque quem está na chuva é para se molhar... se uma mulher é estuprada ela pediu porque estava andando sozinha a noite... se realmente pensam assim sinto muito, mas vocês deveriam buscar tratamento. Nunca vi uma festa gay que barrasse a entrada de pessoas heterossexuais, muito pelo contrário, existem muitos heterossexuais que frequentam e gostam. E caso acontecesse de gays barrarem héteros também não concordaria, um erro não justifica outro. O importante é reconhecer os erros e legitimar os direitos.

      • Eduardo Benatti Postado em 06/Jun/2014 às 15:19

        E como sempre, a estratégia esquerdista de colocar palavras na boca dos outros. Ninguém disse que é bom e aceitável, mas sim que ACONTECE. Não é certo, mas é o que as pessoas fazem. Como no caso das torcidas organizadas: agredir uma pessoa porque ela veste uma camisa diferente é irracional, é errado, é ilegal mas é o que acontece. Cabe à pessoa ter um mínimo de bom senso para evitar se colocar em situações em que ela estará sujeita a risco.

      • RaoNeo Postado em 06/Jun/2014 às 15:37

        Só por que acontece, não quer dizer que seja aceitável. E isto encerra esta conversa.

  3. Marcus Postado em 05/Jun/2014 às 03:25

    Nao ha nada no cartaz de divulgacao que sugere que a festa era apenas para heterossexuais. alias essa materia aparentemente retrata uma discussao baseada na reacao homofobica de um estudante e um seguranca na porta do evento. Nao e correto afirmar que a festa era homofobica a partir desse incidente - sensacionalismo barato.

    • RaoNeo Postado em 05/Jun/2014 às 12:08

      Quando se barra alguém de entrar numa festa por ser homossexual então a festa é homofóbica, sacou ou precisaremos de auxílio quimio-tático?

      • Marcus Postado em 05/Jun/2014 às 12:54

        para mim nao esta claro como isso aconteceu, ou se isso realmente aconteceu. alguem conversou com algum aluno da USP? ao que parece nao, alguem tem alguma prova? pelo jeito nao tambem... entao me parece precipitado rotular a festa baseado em nada... parece noticia da Veja. Eu entendi o ponto, o auxilio "quimio-tatico" nao sera preciso.

      • carlos Postado em 05/Jun/2014 às 17:11

        Auxílio quimio-tático (seja lá o que isso quer dizer), não. Mas uma dose um pouco menor de radicalismo e de vontade de impor valores de um grupo ao resto da sociedade seriam salutares e evitariam divisões que são danosas a todos.

  4. Thiago Teixeira Postado em 05/Jun/2014 às 07:46

    O dia em que um governante bater na mesa e gritar: "A UNIVERSADE É PÚBLICA, OU SEJA, DE TODOS", e parar com essa frescura de 5% de cotas para cidadão comum, e deixar 100% das vagas para alunos de escolas públicas, com boas notas e oriundos de regiões estratégias do país (prefeituras formando médicos para atuarem em suas cidades, com raízes e residência fixa) iremos parar de assistir essas festinhas de playboys mimados, os mesmos que passarão nos concursos públicos, bater o cartão e correr para suas clinicas.

    • RaoNeo Postado em 05/Jun/2014 às 12:09

      Se 100% das vagas forem para alunos de escolas públicas... então...pfff... as universidades não serão de todos.

  5. eu daqui Postado em 05/Jun/2014 às 10:50

    Pra universidade ser pública e de todos, tem que ser dos playboys também.

  6. Rodrigo Postado em 05/Jun/2014 às 13:02

    As passeatas gays são feitas com dinheiro público. ninguém reclama não é? Igualdade deixe os heteros fazer a deles. Alguém foi insultado, agredido? Não. Não vi nenhum crime ali. PS: Antes de virem me chamar de homofobico ( essa não é a resposta dão quando alguém não defende alguma bandeira dos gays?) não sou, acho que eles tem o mesmo direito que nós e nós o mesmo que eles.

    • Rafael Postado em 05/Jun/2014 às 14:46

      claro, e nas festas gays héteros são proibidos de entrar huehaehuaheuiahueaha é cada uma

  7. mauricio augusto martins Postado em 05/Jun/2014 às 14:56

    Se o "cartaz" de convocação for este exposto acima, já determina o grau de alienação e falta de Cidadania e Civilidade, acho um barato gente que nunca esteve fora do País, copiar algum "lembrete" em inglês, tipo nos cinemas "coming soon", eu não entro de Jeito Algum, pois é Baixaria Garantida, o grau de viralatismo está atingindo Níveis Insuportáveis, a ponto de termos Xaropes-Doutorados, longe da condição Humana Natural, e perto de preconceitos fatais ao Conhecimento porque o Conhecimento extrapola qualquer tipo de estreiteza cognitiva, e não passa ao próximo andar, inútil pensar que tal Curso é Bom e o Aluno é mau, o Ensino tem que ser Completo e Irrestrito, engana-se quem joga para debaixo do tapete os erros cometidos por dogmas religiosos e de gênero pensar que evoluirá em Qualquer Matéria tanto Humanas como Exatas, não dá liga...maumau

  8. Carlos Saraiva Postado em 05/Jun/2014 às 20:40

    Quando for a um médico, vou perguntar onde ele se formou. Se ele disser USP, viro as costas e vou embora.

    • José Ferreira Postado em 05/Jun/2014 às 21:09

      Então vá ser atendido por um açougueiro cubano então. Se a festa era Hetero, porque esses homossexuais aparecem por lá se não for para tumultuar...

      • RaoNeo Postado em 06/Jun/2014 às 15:39

        Não seja babaca, ninguém pode ser proibido de ir e vir a qualquer espaço público, ou de acesso ao público por credo, etnia ou orientação sexual.