Redação Pragmatismo
Compartilhar
Mulheres violadas 21/May/2014 às 12:56
9
Comentários

O desabafo da mulher que foi queimada pelo próprio marido

Mulher que teve corpo queimado e filhos assassinados pelo marido faz alerta contra violência doméstica

bárbara penna violência doméstica
Bárbara Penna pede que mulheres não repitam o seu erro e denunciem violência doméstica (Reprodução)

A jovem Barbara Penna, de 20 anos, que teve parte do corpo queimado pelo marido há seis meses, fez um desabafo contra a violência doméstica. Na época, os dois filhos dela morreram no incêndio, em Porto Alegre (RS).

Barbara compareceu à Assembleia Legislativa do Estado para falar pela primeira vez sobre a violência que sofreu. No dia da tragédia, ela acordou com seu marido João Guatimozin Moojen Neto, de 22 anos, agredindo-a. A jovem pediu que parasse com as agressões para não acordar as crianças. Além disso, ela o perdoaria e ninguém ficaria sabendo que ele batia nela. Moojen a ameaçou mais uma vez de morte e continuou as agressões.

Leia também: “Homem ofegante abriu minha calça jeans dentro de trem lotado às 7h”

Barbara, que havia desmaiado, contou que acordou com o apartamento já em chamas. Ela correu para a cozinha, onde não havia grades na janela e gritou por socorro. Em seguida, o marido a arremessou do 3º andar. As duas crianças — um bebê de três meses e uma menina de dois anos — morreram. O vizinho Mário Enio Pagliarin, de 76 anos, também não resistiu. O suspeito, que confessou o crime e disse que era usuário de drogas, está preso.

Barbara foi socorrida em estado gravíssimo. Ela sofreu queimaduras graves por todo o corpo e ficou 38 dias internada na UTI. Para a jovem, nenhum tipo de violência deve ser tolerado.

“Eu queria fazer um apelo para que as mulheres denunciem, não deixem chegar nesse ponto que eu cheguei. Quando os homens começarem a agredi-las verbalmente já denunciem. É muito triste ter chegado até o ponto onde cheguei”.

A mãe de Bárbara também falou à Comissão sobre os aprendizados com o ocorrido e os medos que a família convive atualmente de que o agressor volte a procurar Bárbara após sair da prisão. Morgana Penna de Moraes recomenda que as mães e pais fiquem atentas aos companheiros das filhas, sugerindo também que as vítimas de agressão se afastem dos agressores e deixem a ajuda psiquiátrica para os médicos.

com informações de R7

Recomendados para você

Comentários

  1. Lucas Bragança Postado em 21/May/2014 às 13:18

    Que história triste ! Que monstro safado esse sujeito é ! 900 anos na cadeia pensando seria mais do que justo pra ele. Não acredito na ressocialização de um sujeito assim.

  2. Thiago Teixeira Postado em 21/May/2014 às 13:27

    Tenho certeza que o pessoal dos direitos humanos estão lá zelando pela segurança dele. Se eu fosse governador, até perderia o mandato e ia preso, mas deixava esse cara passar uma noite com Pedrinho matador. Só uma noite.

  3. Julio Araujo Postado em 21/May/2014 às 14:16

    Tomara que 'o pessoal dos direitos humanos' esteja lá zelando pelos direitos basicos de todos seres humanos, criminosos, inclusive, Thiago Teixeira, tomara e que bom que voce nao é governador, nao precisamos de mais canalhas na politica.

    • Thiago Teixeira Postado em 21/May/2014 às 15:02

      Aposto que você bate em mulher. Mas fique tranquilo que você um dia cruzará com um canalha como eu.

      • Julio Araujo Postado em 21/May/2014 às 15:19

        Ora, se não desejo violencia nem mesmo contra um barbaro que mata crianças queimadas vou bater em mulher? eu, hein, alem de violento voce nao parece ter imaginação

      • Marcelo Postado em 21/May/2014 às 17:40

        Julio, quando ele sair da cadeia, arrume um emprego pra ele bem perto de você. Que tal?

      • Sílvio Postado em 21/May/2014 às 18:17

        Marcelo e Thiago, vocês não são juízes e não dispõe de todas as circunstâncias necessárias para conhecimento do caso. Não estão na pele de nenhum dos dois, então, estão calçando seus próprios sapatos. Estão apenas emitindo suas opiniões pessoais baseadas nas suas emoções quanto ao caso. O bandido deve ser penalizado nos moldes da lei, que o julgará. Cada um tem as razões de ser como é. Um erro não se justifica nem se crucifica, se conhece e corrige, ainda que na medida da, possívelmente insuficiente, lei. Se pensam diferente, tem mato pra todo lado. Arrumem uma caverna e montem uma sociedade alternativa, onde apenas a sua regra valha.

    • Rodrigo Postado em 21/May/2014 às 23:34

      Lembrando que Jesus Cristo é dos direitos humanos.

  4. Maria Postado em 21/May/2014 às 20:29

    Um homem com esse perfil é um doente e a mulher que convive com ele sabe que isso não terminará bem. É muito complicado dar opinião quando não está se vivendo a situação. Uma coisa é certa essa moça vai precisar de ajuda psicológica para enfrentar tanto sofrimento e espero que ela consiga.