Redação Pragmatismo
Compartilhar
Saúde 02/May/2014 às 16:15
27
Comentários

Idoso morre após ter atendimento negado na Unimed

Três médicos que se encontravam na unidade de saúde da Unimed se recusaram a prestar socorro ao idoso, que faleceu minutos depois

Um infarto seguido de omissão de socorro registrado em imagens por populares deixou indignada a sociedade natalense na noite da última terça-feira (29).

De acordo com testemunhas que entraram em contato com Pragmatismo Político, o SAMU foi acionado para socorrer um idoso que sofreu uma parada cardíaca na calçada do Shopping Via Direta. Enquanto aguardavam a chegada da ambulância, que, segundo consta, demorou 30 minutos para aparecer, dois jovens se dirigiram para uma unidade da UNIMED localizada dentro do shopping em busca de ajuda. Lá havia três médicos, mas todos se recusaram a prestar socorro ao homem que encontrava-se em estado grave. Surpreso com a indiferença dos profissionais de saúde, um dos jovens implorou aos médicos para que realizassem apenas os primeiros socorros, como uma massagem cardíaca, mas novamente a resposta foi negativa e não houve qualquer interesse para salvar a vida do idoso.

Com desdém, o segurança da Unimed ainda sugeriu aos próprios jovens que eles mesmos fizessem a ‘massagem’ na vítima. “Ele precisa de massagem? Então, por que vocês não fazem?”, questionou, e em seguida ameaçou chamar a polícia e fechou a porta da unidade de atendimento para que populares não mais incomodassem ou pedissem ajuda aos três médicos que ali estavam. O homem infartado veio a óbito minutos depois.

unimed natal socorro
Segurança fecha as portas diante do pedido de socorro dos jovens (Foto: Kauê Pereira)

Uma das testemunhas que estava no local criticou o viés mercenário que envolve boa parte da medicina contemporânea brasileira. “Pelo visto eles só atendem quem tem a carteirinha da Unimed. Talvez esse senhor tivesse a tal carteira, não se sabe, mas quando se está agonizando, numa situação de emergência, entre a vida e a morte, certamente o direito à vida, à saúde se sobrepõe a um pedaço de plástico”, desabafou.

A Unimed, que tem como slogan “O melhor plano de saúde é viver“, publicou um comunicado sobre o caso:

unimed natal facebook
Comunicado da Unimed Natal (Reprodução / Facebook)

As palavras de Bezerra de Menezes, médico e escritor cearense, servem de reflexão para este episódio lamentável:

“O médico verdadeiro não tem o direito de acabar a refeição, de escolher a hora, de inquirir se é longe ou perto… O que não acode por estar com visitas, por ter trabalhado e achar-se fatigado ou por ser alta à noite, mau o caminho e o tempo, ficar perto ou longe do morro; o que sobretudo pede um carro a quem não tem com que pagar a receita, ou diz a quem lhe chora à porta que procure outro – esse não é médico, é negociante da medicina, que trabalha para recolher capital e juros dos gastos da formatura”

Vídeo:

Pragmatismo Político

Recomendados para você

Comentários

  1. Thiago Teixeira Postado em 02/May/2014 às 16:54

    Viva o capitalismo, o neoliberalismo e o estrelismo. Este acontecimento é muito simbólico, é a resposta que o mundo capitalista dá aqueles que não tem poder aquisitivo em contratar um serviço, seja de guincho ou de "massagem cardíaca", a resposta está na ponta da língua: Dane-se e desinfeta o meu recinto senão chamo a segurança.

    • Renan Postado em 02/May/2014 às 16:59

      Casos como esse já não são mais notícia nos Estados Unidos.

      • mauricio Postado em 02/May/2014 às 19:27

        não é verdade meu caro. recomendo assistir sicko. documentário da realidade americana.

  2. Fábio Nogueira Postado em 02/May/2014 às 16:56

    VIVA CUBA!!! Mande mais médicos cubanos,Fidel!!

    • Ademar Luft Postado em 02/May/2014 às 19:11

      Isto mesmo amigo, precisamos médicos humanos e não mercenários.

    • juliana Postado em 02/May/2014 às 23:08

      São médicos brasileiros, idiota! Os cubanos nao trabalham no particular

    • marcia Postado em 03/May/2014 às 14:57

      E depois vem reclamar do "Mais médicos".Bando de mercenários.

  3. Douglas Postado em 02/May/2014 às 17:05

    Pois é, e assim é porque assim deve ser! ou não?

  4. Demétrio Rancacchini Postado em 02/May/2014 às 17:28

    Isso está muito mais ligado à ética médica do que ao Capitalismo em si. Esses médicos que negaram pedido de socorro ao Idoso e cometeram o crime de Omissão de Socorro, devem ter suas carteiras médias cassadas e seus diplomas invalidados. O profissional da saúde, ao se formar no nível superior, presta um juramente em que irá ajudar medicamente os necessitados de saúde ao seu redor.

  5. Paulo Henrique Postado em 02/May/2014 às 18:00

    São esses médicos que não queriam a vinda dos cubanos.

    • Débora Postado em 02/May/2014 às 21:29

      concordo plenamente!!

  6. Alessandro Postado em 02/May/2014 às 18:14

    Esses daí fizeram o "Juramento de Hipócratas".

  7. Gustavo Henrique Postado em 02/May/2014 às 18:19

    Prioridade é levar o idoso ao hospital e não a câmera de vídeo para fazer barraco !

    • Henrique Sávio Postado em 02/May/2014 às 20:15

      Deixe de preguiça e leia a matéria, não só assista ao vídeo. "Enquanto aguardavam a chegada da ambulância, que, segundo consta, demorou 30 minutos para aparecer, dois jovens se dirigiram para uma unidade da UNIMED localizada dentro do shopping em busca de ajuda." Já haviam chamado a ambulância, só estavam querendo os primeiros socorros!

  8. Alexandre Lopes Postado em 02/May/2014 às 19:10

    Que atitude abominável ! Isso é a saúde capitalista, a saúde regida pela lógica mercantilista . Que venham mais médicos cubanos . No que se refere à nota da Unimed , não tenho nenhuma surpresa quanto ao seu teor . Prevaleceu, como é de praxe, o cinismo de sempre e a retórica oca de comprometimento social . Médicos mercenários e planos de saúde mafiosos .

  9. Maria Postado em 02/May/2014 às 20:34

    Absurdo! Que Unimed incompetente! Que médicos insensíveis!

  10. brasileiros revoltados Postado em 02/May/2014 às 22:04

    UNIMERDA

  11. eunildes bastos bomfim Postado em 02/May/2014 às 22:07

    Onde ficou o juramento de ética que eles fazem em prol da VIDA? Ou mudou?É em nome do Dinheiro?A ética agora é:Chora menos quem pode mais.

  12. maligno Postado em 02/May/2014 às 22:45

    ahahaha queria ta la... ia descer mta porrada nesse seguranca e nesses 3 filhos da p. de jaleco...

  13. Marina Postado em 03/May/2014 às 01:18

    A UNIMED é uma decepção!!!!! Minha sogra, que é cliente desta porcaria de convênio a 20 anos, teve uma parada respiratória e teve que ficar dois dias no choque do SUS, porque não tinha vaga em uma UTI para ela, dois dias sem UTI para quem tem câncer e uma parada cardio respiratória foi uma eternidade e um sofrimento muito grande para sua família!!!! O mínimo que vc exige quando paga um convênio por 20 anos é um leito quando vc tanto precisa!!!

    • Thiago Teixeira Postado em 03/May/2014 às 08:00

      Aquela UNIMED dos anos 80 e início de 90 não existe mais. Era um plano por incrível que pareça, restrito e organizado. Hoje é plano de "massa", e os repasses da UNIMED para as unidades particulares são muito baixas, há hospitais recusando o plano pois a quantidade de segurados é grande e não é economicamente viável (é um nojo falarmos de dinheiro, mas é realidade) para a clínica. E certamente os hospitais exclusivos da UNIMED estão na mesma situação. Acho que precisa de um acordo mais sério entre as empresas, Unimed ou plano particular, pois para manter um serviço de qualidade precisa aumentar a receita concomitantemente com melhorias na área administrativa. Mas repare que as pessoas se doem para pagar um plano de 350 reais, mas pagam 900 de cartão de crédito com prazer comprando porcaria (viagens, tv de plasma, roupas, prestação do carro ...).

    • Murilo Postado em 04/May/2014 às 12:11

      Só se conhece a Unimed quando vamos precisar dela para algum tratamento mais complexo. Meu pai precisou fazer radioterapia e o descaso foi tão grande que necessitamos recorrer à justiça (sorte que somos advogados e vimos que a Unimed estava errada). Apenas fico com pena das pessoas que não têm conhecimento de seus direitos, e acabam cedendo aos caprichos da Unimed (como mais cobranças de coparticipação, negativas indevidas etc).

  14. Carlos Prado Postado em 03/May/2014 às 14:27

    Enfim, é crime o médico ser um ser humano

    • Raíssa Postado em 12/May/2014 às 11:50

      Não, é crime ser um assassino!!!! É crime ter condição de pelo menos tentar salvar alguém e virar as constas para a pessoa!!!! Esses "médicos" não são seres humanos, mas sim monstros sem alma. E se vc não vê a gravidade de não se importar com o sofrimento alheio Carlos isso só mostra que vc é tão monstro quanto eles.

  15. Maria Lucia Postado em 03/May/2014 às 18:38

    Essa é a segunda "cagada" da Unimed na mesma semana. A outra foi em Campinas, quando um usuário dessa cooperativa não foi atendido em hospital conveniado, pois alegaram falta de leito. Graças ao SUS o paciente não morreu. E o CRM quer processar o governo por causa do Mais Médicos? É serio isso mercenários?

    • Thiago Teixeira Postado em 04/May/2014 às 08:17

      Ontem minha esposa, mora em Campinas, foi no hospital da UNIMED (Centro Médico) com fortes dores no peito, entrou as 10:30, pegou senha e foi atendida as 14:00. Era mais prático ter ido ao HC da Unicamp ou Mário Gati, demora esse tanto de tempo mas é de graça. A Unimed está com o mesmo problema do SUS, nitidamente com falta de profissionais da saúde e não estão dando conta de atender a demanda de pacientes.

  16. Simone Postado em 15/May/2014 às 15:56

    A UNIMED é uma cooperativa médica, então quanto menos os médicos atenderem mais será os lucros deles no final do ano, pois não terão gastos e sobra mais; passei por uma situação parecida onde fui consultada por cinco médicos na unidade de PIRACICABA/SP, e nenhum deles conseguiram identificar uma simples apendicite, porque não queriam gastar com exames, depois de 10 dias com dores indo e vindo da UNIMED PIRACICABA, tive que buscar socorro em outro hospital, pois lá não me atenderam, isso porque sou conveniada, agora viu o que acontece com quem não é morre na porta do hospital mesmo.