Redação Pragmatismo
Compartilhar
Barbárie 20/May/2014 às 12:24
9
Comentários

Estudante de Direito é espancado por "justiceiros"

Estudante de Direito confundido com ladrão é espancado em Blumenau. Jonhn Paulo Mafra sofreu lesões na boca, braços, cabeça e teve seis dentes quebrados

estudante direito espancado
Jonhn Paulo Mafra foi barbaramente espancado ao ser confundido com um assaltante (Reprodução / Facebook)

Um estudante de direito voltava para casa na madrugada de quarta-feira (14) quando foi violentamente agredido por três homens com tacos de sinuca e porretes, em Blumenau, no Vale do Itajaí. Jonhn Paulo Mafra, de 31 anos, voltava da casa da amiga Débora Ferrazzo após a faculdade quando um carro parou ao seu lado. Subitamente três homens saíram do veículo e correram atrás do rapaz o chamando de “ladrão”.

Jonhn foi atacado com um porrete na nuca e caiu. No chão, os homens continuaram o agredindo, mirando a cabeça do rapaz. Jonhn ficou com escoriações no braço, por defender o rosto, mas mesmo assim perdeu os dentes da frente. Com a confusão e os gritos, a vizinhança chamou a polícia.

Leia também: Jovem negro com problemas mentais é apedrejado até a morte no Espírito Santo

De acordo com o amigo Daian Schmitt, sem saber o porquê da violência, o estudante reivindicou que não teria feito nada. Os agressores alegavam que ele era a única pessoa na rua após o assalto de uma casa, por isso seria o culpado. Com os livros da faculdade espalhados, os homens notaram que poderia não ser o assaltante.

Dois dos três agressores fugiram do local quando ouviram as sirenes da polícia. O homem que ficou disse que o estudante seria o assaltante de uma casa. À polícia, o agressor alegou estar sozinho e que Jonhn teria caído após pular de um muro de uma casa.

Jonhn alega que tentou pedir aos agressores que ligassem para Débora. Ela confirmaria que o estudante tinha acabado de sair da sua casa. Os agressores chutaram o celular de Jonhn e continuaram a violência. Com dificuldades na fala, ele afirma não sentir raiva dos agressores, mas estar chocado com a atitude ignorante.

“O meu sentimento não é de raiva, não é de revolta, não é de nada. Fico pensando como que as pessoas se acham na razão, com tão pouco elementos, a ponto de espancar alguém”, disse o estudante de direito. Ele entrará na justiça para se defender. “Gente de bem não faz picaretagem. Não vou me igualar a eles”, afirmou.

Emocionado, o amigo Daian Schmitt afirma “meu amigo não morreu porque alguém chamou a polícia. Os justiceiros não deixaram ele falar em momento algum. Foi uma violência gratuita e desmedida”. Em uma rede social, Daian pediu aos amigos que compartilhassem a história para que parassem com a justiça com as próprias mãos, que atingia inocentes.

informações de Jornal de Santa Catarina e G1-SC

Recomendados para você

Comentários

  1. Thiago Teixeira Postado em 20/May/2014 às 12:33

    Isso está ficando sério, se a justiça não pegar uns "justiceiros" desses e condená-los a uns 30 anos de cadeia, cada um por, crime de linchamento, podem abrir uma aba no site só deste tipo de notícia.

    • Rodrigo Postado em 20/May/2014 às 16:45

      (Outro Rodrigo) Perfeito, Thiago. A impunidade, sim, instiga o crime, seja dos "justiceiros", seja dos "justiçados" que realmente tenham cometido crime.

      • soniadivina Postado em 20/May/2014 às 19:54

        Garanto que esta não seria sua opinião se o estudante agredido ...a mulher linchada ...e outros casos semelhantes FOSSEM seus parentes...a omisão e ou conivencia com a barbarie de alguns so chegara ao fim qdo ALGUEM da Casa Grande for a vitima dai a midia reagira contra e a massa manipulada mudara de opinião...

  2. mauricio augusto martins Postado em 20/May/2014 às 13:11

    Este exemplo(perverso) nos faz refletir sobre a "Peste Negra" da Europa na Idade Média(e repetida com outras roupagens), quando por motivos de Preconceito "religioso" matavam os Gatos, sobretudo os Gatos Negros, por se "tratarem de agentes do Mau", pois é, e assim os Gatos não caçavam os ratos de esgoto, e com isto sendo vetores da Peste, alastrou-se por toda a Europa, este Preconceito fora lembrado a pouco numa Propaganda da Fábrica do Fusca a Wolkswagen com um Lindo Bichano Negro, lembro das "festas""religiosas" de tempos atrás de "malhar o Judas", e ainda criança achava injusto "malhar" um boneco cujo NINGUÉM sabia a Verdadeira História, e também a "festa" da "Farra do Boi", e assim Preconceitos e Psicopatias são passadas de Geração em Geração em formato de "festa" e "religiosa", até Quando?, ainda ontem veio a Notícia de que a Rússia liberou a compra de Carne de três Empresas Brasileiras, duas de SC e uma do PR, só resta afirmarem que COMUNISTA faz questão da Carne de Crianças, e olhe que tem gente que ainda tergiversa desta forma, e assim Caminha a Humanidade...maumau

  3. Deisi Postado em 20/May/2014 às 14:48

    A barbárie domina, pela simples falta de amor, e valores distorcidos,pessoa que se acham no direito de fazer justiça com as próprias mãos, muitos estimulados pelas redes sociais e mídia irresponsável, e muitos que compartilham de idéias fascistas.Estou em Blumenau, e aqui tem um jornalista,Salum que durante 30 minutos, sem constrangimento defeca pela boca. Quando um bandido morre, sua frase predileta, "Melhor que chore a mãe do bandido do que a de um inocente," como se mãe de criminoso não tivesse coração, e chega a comemorar, dai o único culpado é o estado,é você Rodrigo tem como musa a Sherazedo.

  4. Davi Postado em 20/May/2014 às 15:01

    O problema é que a galera ta scherando demais...

  5. Thiago Teixeira Postado em 20/May/2014 às 15:07

    Deram a chance do estado intervir?

  6. Robson Silva Postado em 20/May/2014 às 20:00

    Mais uma vítima do nefasto e irresponsável discurso de incitação ao linchamento e o ódio da Rachel SheheraNazi.

  7. Eduardo Postado em 21/May/2014 às 12:41

    Cadê os tag, negritude, racismo? Por que quando é um cidadão negro o site já acusa o motivo do linchamento, agora que é um estudando de Direito ou qualquer um que for de outra etinia, não existe o quesito racial.. Esse site é igual a lei maria da penha, EXISTE SEMPRE o pressuposto de culpabilidade do homem, não importa o real motivo. Se uma mulher se machucar e prestar queixa, o homem é automaticamente culpado e nesse site é a mesma coisa na questão racial.... "Afinal de contas né, por que não puxar a questão para o seu assado né? E se não der pra configurar vamos dizer que é um problema social geral né..".haha