Redação Pragmatismo
Compartilhar
Eleições 2014 05/May/2014 às 11:50
12
Comentários

"Estarei com Eduardo Campos no mesmo projeto em 2015", diz Aécio

Aécio Neves diz que estará com Eduardo Campos no mesmo projeto a partir de 2015

aécio neves eduardo campos
Aécio diz que pretende fazer governo de coalizão com Eduardo Campos (Divulgação)

O pré-candidato do PSDB à Presidência da República, senador Aécio Neves (MG), iniciou sua palestra no Fórum Empresarial de Comandatuba, nesta sexta-feira, 2, tecendo elogios ao ex-governador de Pernambuco e presidenciável do PSB nesta campanha, Eduardo Campos. Apesar de estar em campo distinto na corrida presidencial, o tucano disse: “Não consigo ver o Eduardo como adversário, somos companheiros de trincheira do mesmo sonho”. Depois de criticar a atual gestão petista, ele disse que falaria algo que iria surpreender a todos: “Não vejo como, a partir de 2015, não estarmos eu, (Eduardo) Campos e Marina (Silva) no mesmo projeto de País.”

No campo da reforma política, Aécio defendeu o voto distrital e o fim da reeleição com mandato de cinco anos. O tucano lembrou que a instituição da reeleição foi feita no governo de seu correligionário, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e brincou: “Vou parodiar o presidente Lula e dizer que prefiro ser essa metamorfose ambulante, do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo.” Em 2007, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva usou frase do músico Raul Seixas para justificar diferenças de posição do PT como oposição e como governo.

Economia. No discurso aos empresários, Aécio voltou a dizer que o Brasil não foi descoberto a partir de 2003, numa crítica indireta a Lula. Mas enalteceu o petista por conta dos programas de transferência de renda bem sucedidos que ele implantou em sua gestão. O tucano repetiu a frase que havia usado em outras ocasiões nesta pré-campanha: “Somos todos brasileiros, não podemos dividir o Brasil ente nós e eles”.

Após o breve elogio ao petista, o presidente do PSDB criticou a mudança nos pilares macroeconômicos iniciada no segundo mandato de Lula. “Estamos voltando à agenda de dez anos atrás”. E alfinetou: “Tenho divergências profundas com os que estão no poder.”

Agência Estado

Recomendados para você

Comentários

  1. Bruno Postado em 05/May/2014 às 11:57

    Claro que ele defende o voto distrital e o fim das reeleições pois no voto por cabeça não ganha já que é incapaz de representar aos interesses da maioria pobre,negra,nordestina que sofre as mazelas do neo-liberalismo.Não apoio o PT.Mas antes aDilma ou o Lula do que esse engomadinho cheirador de pó e seus asse clas elitistas tucanos.

  2. jorge Postado em 05/May/2014 às 12:09

    Eduardo Campos rebate Aécio e diz que ambos têm projetos distintos http://g1.globo.com/politica/noticia/2014/05/eduardo-campos-rebate-aecio-e-diz-que-ambos-tem-projetos-distintos.html

  3. Thiago Teixeira Postado em 05/May/2014 às 13:23

    No Projeto de OPOSIÇÃO.

  4. felipe Postado em 05/May/2014 às 15:08

    Que cheirinho gostoso. A camiseta era tão branca que o Aego não se conteve: teve de cheirar hahahahhaah.

    • Sandra Postado em 05/May/2014 às 15:45

      HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA Rindo litros do comentário!!!!!

  5. Matheus B. Postado em 05/May/2014 às 15:42

    Só por defender o voto distrital já merece ser eleito. Estudem como é esse sistema, e comparem-no à eleição por lista, defendida pelo PT, para entender a diferença entre esquerda democrática e esquerda totalitária.

    • Leonardo Postado em 05/May/2014 às 17:22

      Aqui ele defende tudo, quem muda as regras do jogo não é ele, senão o congresso e o senado. Aliás, quem mais manda no Brasil não é o presidente...

    • Rubens Postado em 05/May/2014 às 17:58

      Ele não é bobo, voto distrital só tem a favorecê-lo. Além de ser um prato cheio para o clientelismo, ele sabe que o distrito em que se candidatará o conhece. É melhor do que o voto em lista, mas é muito mais simples para se manter no poder.

      • Matheus B. Postado em 05/May/2014 às 18:59

        Clientelismo diretamente com a comunidade de eleitores não é clientelismo, é prestação de serviço de interesse comum. Clientelismo é o que existe hoje, quando políticos prestam contas aos intermediários dos votos, ou seja, empresas, igrejas, clubes de futebol, ongs e afins.

      • Matheus B. Postado em 06/May/2014 às 11:19

        Além disso, voto distrital não modifica em nada a eleição para presidente, então ele não tem nada a ganhar ou perder com isso. É simplesmente uma boa proposta.

    • Thiago Teixeira Postado em 05/May/2014 às 18:16

      Um voto do sudeste deveria valer três do nordeste, não é mesmo? E 5 do norte. Isso seria bem democrático.

      • Matheus B. Postado em 05/May/2014 às 19:00

        Um voto deve valer um voto. Isso é bem democrático.