Redação Pragmatismo
Compartilhar
Eleições 2014 08/May/2014 às 09:35
10
Comentários

Aloysio Nunes risca seu nome da CPI do Cartel do Metrô

Após tentar agredir e mandar prender blogueiro, Aloysio Nunes risca seu nome da CPI da Alstom. Desorientação pode lhe custar o futuro na chapa de Aécio Neves

aloysio nunes aécio neves blogueiro
Senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) é um dos principais cotados para ser vice de Aécio Neves na chapa presidencial tucana (Divulgação)

O líder do PSDB no Senado, Aloysio Nunes (SP), assinou a lista que reúne nomes para o requerimento da chamada CPI do Metrô, que investigará esquema de cartel e propina durante governos do PSDB em São Paulo. A imagem foi divulgada pela coluna política Painel, da Folha de S. Paulo. Depois de ter incluído sua assinatura, porém, Aloysio classificou o pedido como uma “farsa”, por não considerar suspeitas de esquema em estados governos pelo PT e aliados. O senador Rubens Figueiró, do PSDB mineiro, tinha o nome abaixo do de Aloysio e foi outro que retirou o apoio.

O recolhimento de assinaturas para criar a CPI do caso Alstom foi colocado em prática por parlamentares governistas depois do pedido de criação da CPI da Petrobras por partidos de oposição.

O líder do PSDB causou polêmica ao reagir ontem com violência diante das perguntas do blogueiro Rodrigo Pilha sobre sua participação no escândalo do metrô. “Vai para a puta que te pariu”, disse ele ao blogueiro, que foi detido pela polícia do Senado. No Twitter, o senador disse ter se defendido de uma ofensa. O caso causou grande repercussão na internet (relembre aqui).

Aloysio está cotado para ocupar o cargo de vice na chapa de Aécio Neves para a Presidência da República. Mas o gesto de agressão verbal ao blogueiro pode ter reduzido, em muito, suas chances. O líder tucano trabalha com o timing de que a questão da vice se resolva somente no mês de junho, durante o processo de organização da convenção nacional do PSDB. Mas, mesmo assim, o episódio, que foi captado por imagens de celular, poderá ser explorado em campanha.

O líder do PSDB no Senado, que foi chefe da Casa Civil no governo José Serra, já teve seu nome envolvido mais de uma vez no caso Alstom. Ele também acusa o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, de agir politicamente no caso.

Brasil 247

Acompanhe Pragmatismo Político no Twitter e no Facebook

Recomendados para você

Comentários

  1. Rodrigo Postado em 08/May/2014 às 09:43

    Eis a nossa classe política, aquela que elegemos, reelegemos e de quem jamais cobramos coisa alguma. Aliás, cobramos, mas só e unicamente se for alguém do "outro lado"...

    • Thiago Teixeira Postado em 08/May/2014 às 10:34

      Tipo daquele partido fundado pelo molusco? E que tem líderes na Papupa?

      • Rodrigo Postado em 08/May/2014 às 11:16

        Tipo todos os partidos, Thiago. Talvez a culpa seja mesma nossa, não apenas por votarmos pensando em um benefício, em um cargo e por jamais cobrarmos o efetivo trabalho, concretização de projetos e promessas. Mas também pela nosso distanciamento da ação política verdadeira, das candidaturas, deixando espaço para quem apenas visa a melhor e mais rápida forma de enriquecimento que há. Como já disse em outras oportunidades, não é possível ver diferença na atuação política (fora o rótulo, o broche na lapela) de "nossos" representantes. A batalha recíproca contra CPIs da Petrobrás e dos trens (SP e Brasília - falta o de Salvador...) mostra uma mesma desculpa, válida para os dois "lados": 1- "a CPI da petrobrás é eleitoreira e visa desviar o foco do que acontece em SP"; 2- "a CPI dos trens é eleitoreira e quer jogar uma cortina de fumaça no caso petrobrás".

  2. Bruno Postado em 08/May/2014 às 10:40

    Esses tucanos acham que são deuses.CPI SÓ PRO PT.Nós que representamos a elite branca empresarial somos inatingíveis.

    • Rodrigo Postado em 08/May/2014 às 11:37

      Moço, não fique ecoando essa de "elite branca de olhos azuis"; corrupção, a falta de ética, maldade e mesmo o racismo (de qualquer um para com os seus "iguais" ou para com os "diferentes") não têm correlação lógico-necessária para com quantidade maior ou menor de melanina, com origem, gênero, orientação sexual, credo (ou exercício do direito a não tê-lo) ou filosofia. O problema é o ser humano, que sempre quer fazer parte do grupo dos "bons", dos "mais especiais", querendo a hegemonia e deixando de enxergar e compreender que, além de virtudes, padecemos de vícios, indistintamente (agora, na África, novamente pessoas negras matam e sequestram pessoas negras, para serem vendidas como escravas sexuais a outros negros, sendo que o presidente do país, também negro, pouco ou nada faz em prol da solução - não nego que exista racismo, apenas aponto que ainda hoje pessoas vendem seus "iguais" como escravos). Abandonemos rótulos e nos entendamos como iguais (aqui conforme o conceito de igualdade proclamado por Rui Barbosa, a igualdade se consubstanciando em tratar igualmente os iguais e desigualmente os desiguais, na exata medida de sua desigualdade - com o fim de erradicá-la ou minimizá-la, em que pese muitos buscarem apenas fingir que a combatem, em busca da manutenção de curral eleitoral mais evoluído). Sou nordestino, baiano, pardo, descendente, como muitos, de índios, brancos e negros. Morei em São Paulo e vi nordestinos fingindo que eram paulistas ("forrrrrrçando" o sotaque paulista ou tentando disfarçar o sotaque baiano), vi poucos paulistas discriminadores, assim como muitos mais, outros, que sempre me trataram muito bem. E, no Nordeste, vejo pessoas que discriminam "sulistas". Vemos pardos e mesmo "brancos", todos latinos, que sem qualquer lógica e raciocínio mínimo proferem uma "supremacia branca". Neonazistas que atacam Punks e vice-versa. Chegamos ao absurdo de, conforme vídeo o youtube, "roqueiros" e "pirangueiros" (que diacho de rótulo é esse?) se digladiarem em disputa pelo uso de via pública. Sugiro, nesse sentido, a leitura do texto "A sombra faz parte de nós" (google), no sentido de autocrítica e reflexão, mas jamais de resignação ou acomodação. P.S.: CPI para todos, sempre que devido!

  3. Maria Aparecida Jubé Postado em 08/May/2014 às 14:29

    Você acreditou que um membro do PSDB iria assinar um pedido de CPI para investigar qualquer falcatrua do partido? Então você acredita em Papai Noel, Saci Pererê, Mula sem Cabeça, Mulher de Branco, vitória de Eduardo Campos ou qualquer outro mito.

    • Esdras Pereira Alves Neto Postado em 09/May/2014 às 15:49

      KKKK... Essa foi boa Maria Aparecida. Mas deixa estar, "porque a mentira tem vida curta..." e ainda não muito distante essas protelações das CPIs contra os projetos nos governos PSDB no Estado de São Paulo vai ser colocado tudo a tona; e aí vamos ver eles irem de verde e amarelo para a cadeia. E nisso eu creio Maria Aparecida.

  4. deisi Postado em 08/May/2014 às 15:26

    Eles também acreditam , não existir mensalão mineiro ,trensalão do PSDB em São Paulo ,que começou com o finado Mario Covas e perdura até hoje ,nenhum investimento na Sabesp , e o povo está correndo risco de ficar sem água . E com apoio do PIG e do STF , nadam de braçadas , porque contra o PSDB não pode .

  5. Thiago Teixeira Postado em 08/May/2014 às 18:01

    É cômico, a lista dos senadores. Muitos nem sequer sabem escrever com letra legível ou são tão desleixados com um documento da mesma forma que legislam o país. http://tijolaco.com.br/blog/?p=17282

    • Rodrigo Postado em 09/May/2014 às 09:06

      Você chegou a ver um quadro, há alguns anos, quando o CQC colocou uma mulher muito bonita, requerendo assinatura para uma falsa PEC? Os congressistas estavam mais preocupados em assinar logo e fazer uma "média" com a moça, sem se preocuparem em ler que a "`PEC" tratava da inclusão da cachaça na cesta básica..