Redação Pragmatismo
Compartilhar
Barbárie 29/May/2014 às 11:48
6
Comentários

Adolescentes sofrem estupro coletivo e são enforcadas em árvores

Duas jovens indianas são enforcadas em árvores após estupro coletivo. As meninas, que moravam na mesma casa, foram atacadas por uma gangue de sete homens em Uttar Pradesh, no norte do país

Mais um caso de brutal violência contra as mulheres foi registrado na Índia. De acordo com a imprensa local, duas adolescentes de 14 e 15 anos foram estupradas por uma gangue de sete homens e depois enforcadas no estado de Uttar Pradesh, no norte da Índia. Os corpos apareceram nesta quarta-feira (28/05).

Ao perceber o sumiço das adolescentes, que eram primas, familiares e vizinhos foram procurá-las, mas já as encontraram enforcadas em árvores. Segundo a agência Ansa, a polícia local só quis registrar a denúncia, mas pressão da população levou à prisão dos sete homens, entre eles dois policiais locais. No entanto, apenas um homem continua preso pelo crime.

Leia também: Jovem de 20 anos é punida com estupro coletivo na Índia

A população chegou a bloquear a estrada que liga a vila ao centro da cidade como forma de protesto, mas liberou a via após a retirada dos corpos do local. A Comissão Nacional para as Mulheres da Índia anunciou que enviou ao local um comitê de investigação para recolher informações e estudar a possibilidade de adotar medidas, declarou a diretora, Mamata Sharma.

Onda de estupros

Diversos casos de estupros coletivos e assassinato de mulheres vêm sendo registrados na Índia. A violação e morte de uma jovem em Nova Dhéli, em dezembro de 2012, provocou protestos e um debate sem precedentes sobre a violência contra as mulheres na Índia, obrigando o governo a endurecer as leis contra os agressores sexuais.

A nova lei estabeleceu a pena de morte se a vítima morrer ou no caso de se tratar de violadores reincidentes. Quatro dos violadores da jovem morta há dois anos foram condenados à morte e, no princípio de abril, outros três jovens foram sentenciados à forca por serem reincidentes em casos de violação em Bombaim.

Opera Mundi

Recomendados para você

Comentários

  1. Thiago Teixeira Postado em 29/May/2014 às 14:36

    Eu queria entender como essas pessoas conseguem sentir tesão num ato tão cruel, covarde, com um monte de macho em volta e pior, observar que a "fêmea" não está curtindo aquele momento. Em resumo, um cara desse não é gente, é um estrume (para não ofender os animais).

    • Guilherme Postado em 29/May/2014 às 14:46

      Boa Thiago!

    • patricia Postado em 29/May/2014 às 17:24

      Estupro não é uma questão de sexo, é uma questão de misoginia, de submissão. Logo, não ha "tesão" não há "prazer" há apenas o desejo de "colocar a mulher em seu devido lugar", de se impor, de aterrorizar.

    • Silvio Postado em 29/May/2014 às 17:54

      Barbárie... Estado primitivo da besta que compôs a origem humana. Felizmente temos também na nossa origem uma santidade que a mantém acorrentada. Mas ela insiste em escapar... Os incrédulos podem dizer que o processo civilizatório é o freio da besta. Os crentes têm a certeza que é o sangue do cordeiro.

  2. marcela Postado em 29/May/2014 às 16:05

    Me deu calafrios essa notícia. Medo do sadismo e da psicose dessas pessoas.

  3. Fernando Postado em 29/May/2014 às 20:10

    Teve um político brasileiro, que não me recordo o nome, que comentou umna frase que foi bastante criticada, mas que face ao fato do estrupo acontecido na India, acho valido. Estrupa mas não mata! Apesar do trauma pelo fato acontecido, pelo menos estariam vivas. Não conheço a India, nem seus costumes, mas a sensação que tenho é que a maioria da população deve encontrar motivos para justificar tais atos.