Redação Pragmatismo
Compartilhar
Justiça 30/Apr/2014 às 10:49
2
Comentários

A visita dos deputados a José Dirceu na Papuda

Em visita a José Dirceu no presídio da Papuda, deputados da Comissão de Direitos Humanos divergem sobre condições do ex-ministro. Dois oposicionistas enxergaram "regalias" no local, os demais não viram nada de anormal

Jean Wyllys (PSOL-RJ) diz que deputada cadeirante denunciou ‘regalia’ de Dirceu sem ter conseguido entrar na cela

Integrantes da Comissão de Direitos Humanos da Câmara visitaram o ex-ministro José Dirceu nesta terça-feira (29) no Complexo Penitenciário da Papuda. A comitiva foi organizada a partir de um requerimento do deputado Nilmário Miranda (PT-MG), que atendeu a pedido dos filhos de Dirceu, o deputado Zeca Dirceu (PT-PR) e Joana Saragoça. Eles fizeram um apelo para que a comissão verifique se há regalias ou se o regime a que Dirceu foi condenado no processo da Ação Penal 470 está sendo descumprido.

Dos cinco deputados que fizeram a visita, apenas um é governista, o deputado Nilmário Miranda. Os outros quatro são de partidos de oposição. Desses, dois enxergaram regalias na cela onde Dirceu está preso. Os deputados Arnaldo Jordy (PPS-PA) e Mara Gabrilli (PSDB-SP) apontaram que a cela do ex-ministro é maior do que a dos demais detentos, tem chuveiro quente, microondas e televisão.

Segundo Jordy, a direção do Centro de Internamento e Reeducação afirmou que Dirceu e os demais condenados no mensalão (dos quais atualmente só resta o ex-ministro) foram alocadas em um local onde funcionava uma cantina, que foi desalojada para recebê-los, e em uma cela maior que a dos demais detentos: a de Dirceu tem 23 m², enquanto as outras possuem 15 m².

“Eu pedi a informação ao diretor. A cela do Dirceu tem 23 m², as outras celas têm em média 15 m². Ele está sozinho na dele”, relatou Jordy. Ele afirma também que abriu o chuveiro da cela de Dirceu e constatou que havia água quente. “Existe sim um tratamento diferenciado”, afirmou a deputada Mara Gabrilli (PSDB-SP).

Aos deputados, Dirceu falou sobre a rotina na Papuda, dedicada à leitura e a trabalho na biblioteca, e se queixou de não ter recebido autorização para trabalhar.

Também presentes à visita, os deputados Miranda, Jean Wyllys (PSOL-RJ) e Luiza Erundina (PSB-SP) afirmaram não considerar haver regalias e disseram que outras celas têm TV de plasma, microondas e fogareiro. “A cela dele tem até infiltrações”, disse Erundina.

“Não há nada de diferente para ele na comida, nas visitas ou no uso do celular, que, nesse caso, é proibido”, disse Nilmário Miranda. “Não há possibilidade de ele usar celular, já que ele conversa com advogados e visitantes no parlatório. Não tem contato físico”, completou.

A Secretaria de Segurança do Distrito Federal negou, por meio da assessoria, as regalias. Segundo o governo, a cela de Dirceu é padrão, todo preso com bom comportamento tem direito a TV e não há sistema de aquecimento de água na Papuda.

247

Recomendados para você

Comentários

  1. Thiago Teixeira Postado em 30/Apr/2014 às 12:46

    Tão presos não estão? Não ficaram felizes? Não sentiram orgasmo ao ver a cúpula do PT na cadeia? Agora é preciso humilhar e torturar os condenados da ação 470? Então aprovem a pena de morte e trabalho forçado. Pergunte a esses nobres deputados, tanto da base governista quanto da oposição, se eles visitaram em conjunto um Pronto Socorro em alguma periferia do Brasil?

  2. Rodrigo Postado em 01/May/2014 às 08:38

    Thiago a questão não é está preso. Os nobres estão lá para defender os interesses do povo e de bandidos do pt? Nenhum deles inclusive o Jean não vão em uma prisão comum, aí perguntaria a eles, uma cela, com tv, chuveiro com água quente, entre outras coisas não são regalias? Políticos condenados deveriam ser colocados em celas comuns para vê se vai mudar alguma coisa nesse País.